História A Brincadeira - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Prototype
Visualizações 11
Palavras 1.141
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Luta, Romance e Novela, Saga, Shounen, Slash, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sadomasoquismo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 4 - Reencontro


John acorda, cansado e dolorido, um pouco confuso com o que lhe aconteceu ontem, ele olha para si, tentando achar alguma coisa que comprovasse que aquilo foi real, mas ele está limpo.

Nossa... Aquilo foi mesmo um sonho... Que bom

Depois disso, John continuou sua antiga rotina, porém suas aulas começavam hoje, (sábado foi o dia do acidente, domingo ele saiu do hospital) e John estava com medo do que poderia acontecer, já que ele não se lembra de quem eram seus antigos amigos que o ajudaram, ou se ele tinha alguém que ele odiasse, ou até mesmo se ele tinha uma namorada. Na cabeça de John, tudo isso é novo pra ele.

John chegou na escola, ele olhava para uma sala gigante, cheio de pessoas que ele provavelmente já conhece, eles olham para John, e ele paralisou. Mas, ao contrário do que ele pensava, algumas pessoas vieram direto em cima dele, eles perguntavam várias coisas, como:

"Você está bem?" "Você lembra o que aconteceu naquele dia?" "Como é ter amnésia?"

John, aliviado responde as perguntas:

Apesar da dorzinha que eu ainda sinto, sim, estou bem. Eu não me lembro de nada na minha vida desde o momento em que eu sai daquele hospital. E ter essa amnésia é quase como se eu tivesse uma segunda chance na vida de me redescobrir.

Depois, John olha para uma garota. Que chamou sua atenção, ele sente que ela é uma pessoa que ele conhece, ou então, ele sente como se ela tivesse sido importante para ele. Por isso, sem muito o que temer, ele chega perto dela, colocando uma cadeira em sua frente, e ela começa:

Oi...

Oi, eu só preciso saber, eu conheço você?

Talvez... (ela diz isso abaixando a cabeça, aparentemente com vergonha de dizer)

E o seu nome?

Sara...

Dizendo isso, John se lembra de pequenos flashs de imagens dele beijando uma garota.

Era você? A garota que eu amava nessa escola?

Não, eu não era... Eu sou só uma figurante sem sentido

Não, eu lembro de você, além de você ter sido a única aqui a não quis falar comigo... Eu te fiz algo, não foi?

É... Você me magoou, e me machucou

Olha eu sinto muito pelo que fiz mas…-

John toca no pulso de Sara, planejando segurar sua mão, fazendo isso, ele se lembra de tudo que lhe aconteceu com ela... 

Ele lembrou que eles tiveram uma briga feia, e John, em um ataque de raiva, ele bateu nela... e todos ao redor viram e o julgaram, mas depois provou que foi um acidente. Mas Sara não havia aceitado suas desculpas. Além disso, John viu as suas memórias, suas tristezas amorosas e familiares, e viu que apesar de ela não o ter perdoado, ela sofreu demais com a possível morte dele, e também ficou muito aliviada com o seu retorno. John se surpreende com as informações repentinas, mas mesmo assim, ele diz:

Sara, eu sei o que aconteceu, mas eu não sou a mesma pessoa de antes, eu mudei, e vou ser melhor do que o antigo eu. Eu prometo

Eu não confio em você, você já me enganou uma vez. Eu vi que você mudou mesmo, mas vai precisar de tempo até que eu saiba que você melhorou.

Tudo bem, eu vou me esforçar.

Depois disso o dia passou normalmente, mas John ficou pensativo em seu quarto, tanto sobre a Sara, e sobre o que aconteceu naquele momento que ele a tocou. Ele diz:

É quase como se eu tivesse visto toda a vida dela em uma fração de segundos... Qual é o sentido disso. Será que o meu sonho... Não foi um sonho? 

Alguém o interrompe, dizendo:

Exato!

Depois disso, John novamente se assustou com a presença dele... De Alex.

E aí, agora que sabe que eu sou real, como se sente?

O coração de John começa a bater mais rápido, John ficou morrendo de medo, mas depois passou, e ele diz: 

Se você é real, significa que aqueles meus poderes são reais?

Sim, você pode testar aqui, se quiser 

Não, eu quero treinar de novo, e eu tenho algumas perguntas.

Ok, pergunte qualquer coisa

Ele diz isso usando seu dispositivo para abrir um portal de volta ao local das gramas altas. John passa direto, quase como se ele fizesse isso diariamente, como se seu corpo já estivesse adaptado para este tipo de ambiente. E ele diz:

Então, primeiro de tudo, a minha amnésia é um sintoma desse poder, certo?

Exatamente, mas você pode recupera-las aos poucos, utilizando o seu toque, para procurar suas memórias dentro da vida das outras pessoas.

Entendi. Agora sobre os monstros que eu iria enfrentar depois do treinamento...

Ah, sim, infelizmente você não poderá enfrenta-los agora.

O que, por que?

Bom... Você tem uma coisa que ainda precisa ser controlada

O que, exatamente?

Seus sentimentos, garoto. O poder pode ser aumentado com sentimentos como raiva, alegria, ódio e amor, mas se eles não são controlados, eles impedem você de controlar o seu corpo e a sua mente, como se um outro ser entrasse no seu lugar. É uma faca de dois gumes.

E como faço para isso acontecer?

Você tem que pegar mais memórias, e quando você tiver recolhido todas, você será capaz de controlar-se e poderá ganhar todos esses poderes, mas teremos que ser rápidos.

Por que?

Você tem que recolhe-las no seu universo, isso quer dizer que o tempo passará, e as pessoas perceberam a sua falta. Eu te ajudarei com isso.

Ok, e como eu saberei, exatamente, onde pegar todas as memórias?

Primeiro você terá que pegar as dos seus familiares próximos, depois você terá que pegar as memórias de todos os envolvidos nas memórias. A localização é a parte fácil de tudo.

Mas vamos fazer isso agora? E quanto ao treinamento?

Você já sabe lutar muito bem, provavelmente seu corpo acabou absorvendo meu estilo de luta enquanto treinávamos, vamos logo!

Ele abre um portal de volta para a casa de John.

Vá logo! Eu fico aqui

Ele sai de seu quarto e vai direto para sua mãe e recolhe suas antigas memórias. Depois direto para seu irmão, e depois volta direto para seu quarto

Já tem as memórias deles?

Estou recebendo, vamos no meu pai, ele parece estar em um... Cemitério.

Que pena garoto...

Chegando lá, ele encontra seu túmulo. Ele o olha por um tempo. E seu nome aparentemente era Sam. (de Samuel) Ele abaixa a cabeça em respeito a seu antigo pai. Mas depois soca o chão com força, fazendo a terra em volta voar. Os ossos dele estão lá. Alex diz:

Já que são apenas os ossos, você terá que quebrar um deles para absorver as memórias.

Depois de descobrir as suas memórias, John diz, com um tom sério:

Vamos procurar o resto das memórias, tios, primos e avós

Fim do capitulo 4


Notas Finais


Kkkkkkk desculpa ☺


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...