1. Spirit Fanfics >
  2. A Bruxa >
  3. Conversando com a Bruxa.

História A Bruxa - Capítulo 32


Escrita por:


Notas do Autor


Olá, seja bem vindo (a) ao meu mundo, onde os pensamentos se tornam realidade. Espero que goste da minha história.

Capítulo 32 - Conversando com a Bruxa.


Fanfic / Fanfiction A Bruxa - Capítulo 32 - Conversando com a Bruxa.

A confusão nos olhos de Gregory era evidente, será que quando a irmã desmaiou faltou oxigênio para o cérebro? Por que burra ela sempre foi, mas falar nada com nada, ela nunca fez.

Enquanto ela ficava andando pela sala passando a mão nos móveis e resmungando baixo, ele se levantou cautelosamente, tinha reparado uma coisa diferente na irmã, aliás, várias. Seus olhos cor de mar, agora estavam negros como uma noite sem estrela onde a luz da lua é encoberta pelas nuvens, sua forma de andar estava mais desleixada, Amberly andava como se estivesse em uma passarela de desfile de moda, além de que ela estava toda suja devido a visita ao porão e isso não estava lhe incomodando, sua irmã teria feito um escândalo e mesmo diante de toda situação assustadora, teria corrido para o banheiro, trocado de roupa e se maquiado.

- Quem é você? - Ele perguntou já em pé, um pouco afastado da garota. Ela estava de costas vendo algumas fotografias sobre a lareira, seu corpo tremeu um pouco e ele percebeu ser uma risada.

- Como você sabe? - Ela perguntou sem se virar para ele e continuo mexendo nas fotografias. - Algum poder de gêmeo? 

Gregory circulou o sofá no centro da sala para se manter afastado daquela mulher, quem quer que seja ela.

- Não, isso de poder de gêmeos é uma bobagem, nunca tive isso com a Amberly, mas convivi 22 anos com ela para saber cada defeito, cada mania e cada frescura e você, definitivamente não é ela! - Ele falou alto, fitando as costas da garota como se algo assustador fosse pular de dentro de sua pele.

A mulher se virou o fitando, em sua cara uma pitada de divertimento como se aquela situação fosse mais hilaria pela qual já passara.

- O que você daria pela sua irmã? Daria a vida por ela? - Ela perguntou com um sorriso frio no rosto, em sua mão, uma fotografia que Gregory não conseguiu ver direito. 

- Eu faria tudo sim pela minha irmã, daria sim minha vida por ela. Mas você ainda não me disse. Quem é você? - Ele insistiu na pergunta, seu rosto estava sério, mas por trás ele mantinha a preocupação controlada. - Eu sou a dona dessa casa, a qual vocês humanos desprezíveis invadiram! - A expressão antes de divertimento em seu rosto, mudou para uma carranca irritada. 

- Nós não invadimos, essa propriedade é de direito do Instituto de tecnologia de Massachusetts. - Ele respondeu rapidamente. 

- Há anos eu venho tentando expulsar essas pessoas, acabando com seus experimentos, causando acidentes, eles eram fracos, ficavam frustrados e iam embora. - Ela deu uma gargalhada terrível. 

- Então era você? Eles tinham razão, mas não era a casa que estava amaldiçoada. - Ele falou juntando todas as peças. - Por que não nos deixou ir? Por que matar?

- Por que vocês são jovens, exalam vitalidade, juventude. Perfeitos para mim! - Ela respondeu sorrindo. 

- Perfeitos para que? - Ele perguntou confuso, mas seu coração pulava como louco dentro do peito já imaginando a resposta. 

- Durante séculos eu fiquei presa nesse lugar, nunca mais vi a luz do sol, mas com toda essa energia de vocês e com o corpo de uma criança predestinada, uma criança herdeira. - Ela respondeu o fitando.

-Herdeira de que? Minha irmã não é predestinada a nada, só a saber qual a fofoca do dia mais rápido do que todo mundo! - Ele respondeu quase que indignado. 

- Eu não disse que era o corpo de sua irmã! - A criatura sorriu maliciosamente. - Quando meu belo corpo chegar, eu vou me livrar da pobre patricinha da Amberly. 

Uma raiva imensa passou pelo rosto de Gregory, essa criatura está ameaçando a vida da irmã dele, é claro que ele não irá ficar parado. Prevendo o que ele iria fazer, a bruxa mexeu o braço rapidamente, uma cadeira voou pela sala na direção do garoto, ele se jogou para o lado bem a tempo dela acertar o lugar onde ele estava, se levantando rapidamente ele correu na direção da irmã, mas foi levantado do chão e arremessado na parede.

- Você acha mesmo que vai me impedir? Pobre criança. - A bruxa sorria encarando Gregory que escorregava lentamente pela parede. 

- Você, não vai mais machucar meus amigos. - Ele falou quase em ar.

- Sinto muito, mas enquanto nós estamos conversando aqui, seus amigos estão ajudando na minha volta triunfante! - Ela falou. 

Greg pensou em seus amigos, Tyler e Tracy procurando uma saída, Natalie e Elly e Eric, tentou se levantar mas um sofá já estava voando em sua direção, desse ele não conseguiu desviar, a mobília o acertou em cheio e o prendeu contra o chão, sua cabeça doía e algo escorreu do seu rosto e pingou no chão, era sangue. 

-Eu poderia fazer o mesmo com você agora, mas eu tenho outros planos para você. Agora se me dar licença, eu tenho que buscar uma coisa para completar minha transição! - A bruxa sorriu e saiu em direção à escada do porão, ele começou a se debater sob o sofá para se livrar, até um barulho alto chamar sua atenção e sua namorada rolar escada a baixo quase inconsciente. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...