1. Spirit Fanfics >
  2. A Bruxa e o Caçador >
  3. O bom filho a casca torna

História A Bruxa e o Caçador - Capítulo 6


Escrita por:


Capítulo 6 - O bom filho a casca torna


Isabella

Depois dos abraços e lembranças vindo a tona, eu, Sam e Rowena sentamos a mesa da biblioteca e começaram a conversar.

Rowena – Mas e ai? O que andou fazendo? Você está diferente.

Bella – nada de mais… fotografo paisagens, faço macramê e caço

Sam – como é que é?

Bella – tudo bem, olha… foram só dois casinhos. Eu detonei um vampiro adolescente e uma fantasma.

Rowena – e como foi?

Bella – foi… foi intenso. Mas eu esperava que caçar fosse mais… mágico.

Sam – você? Caçando sozinha?

Bella – eu sei o que você vai dizer, que é uma péssima ideia mas, em minha defesa…eu precisava usar meus dons. Era uma necessidade, era quase como um pedido da alma.

Rowena – seus poderes, como estão?

Bella – queria poder dizer que estão bem mas, ai está o meu grande problema.

Sam – ainda não consegue controlá-los?

Bella – pior. Desde que sai daqui eu me concentrei em controlá-los a medida que eles apareciam, um por um - Telecinese, Concílio, Transmutação, Adivinhação, Pirocinese - até que por fim Vitalum Vitalis e Descenso.

Sam – o que?

Rowena – Ressuscitação e descer ao mundo pós vida pela projeção astral.

 

Eles me olharam espantados.

Bella – Em Nova Orleans, encontrei um xamã. Ele me ajudou a controlar todos os meus dons, foi muito importante pra mim até que um demônio que já vinha me seguindo a muito tempo, assassinou meu amigo mas, consegui matá-lo. Eu fiquei… fiquei muito mal, minhas emoções estavam deturbadas e eu o trouxe a vida da maneira mais errada possível.

Sam – como assim?

Bella – eu sabia que ele não retornaria como era antes então eu desci até…

Rowena – o inferno

Bella – eu não sei… mas desde que voltei… há algo estranho.

Sam – o xamã, ele…

Bella – ele está muito bem, eu o deixei… sou um risco pra qualquer um.

Sam – o que tá acontecendo?

Bella – minha alma… ela está incompleta e acho que em breve não serei mais eu.

Sam – isso… talvez haja uma solução

Rowena – usar seus poderes está consumindo sua alma. Isso acontece quando se traz de volta alguém que se foi.

Sam – foi quando você me trouxe de volta

Bella – Desde que não use meus dons… tudo bem

Rowena – só que você tem usado

Bella – eu só preciso trazer o Dean de volta

Sam – e como vai fazer isso?

Bella – ainda não sei mas vou conseguir, nem que seja a última coisa que faça.

Rowena – existe um forma.

--

Sam

Rowena nos ajudou a encontrarmos uma maneira de trazer o Dean de volta, era arriscado, perigoso mas era a única esperança que tínhamos e se desce certo, ele iria me odiar por estar arriscando a vida da Bella.

Depois que Rowena foi embora, eu e a Bella descemos até o porão onde Dean estava amarrado e preso por um selo de demônios.

Ele estava furioso e tentar trazê-lo de volta não seria nada fácil.

Dean - Olá Sammy. Veio ver se ainda estava preso na sua armadilha ridícula?

 

Eu o ignorei.

Dean – você está bem?

Bella – isso importa?

Dean – não mesmo. Apenas quero que me soltem

Sam – sabe que não podemos fazer isso. A propósito, seu comparsa, Crowley, te abandonou.

Dean – a criatura estava mais forte que o criador. Era de se esperar uma atitude dessa vinda do rei do inferno.

Sam – que seja, não viemos aqui pra te deixar a par das noticias.

Dean – então?

Bella – vamos te curar

Dean – palavras em latim, sangue, bruxaria e blá blá blá. Já pararam pra pensar que se eu quisesse ser curado, não teria caído fora?

Sam – você estava sob o poder do Crowley

Dean – não, não estava.

Sam – não importa, vamos te trazer de volta.

Dean – vão? Eu fiz coisas bem ruins, matei, estraçalhei, transei com uma mulher em cada esquina – as vezes mais de uma - profanei seus deuses… sou um demônio completo e vocês querem trazer o velho e bom Dean Winchester de volta? O caçador que vive uma vida de merda, com um irmão idiota e uma bruxa que adorava comer? Eu passo!

Sam – você é meu irmão e eu não vou desistir de você.

Dean – se eu não estivesse preso a essa cadeira, te estriparia com meus dentes.

Bella – você é um lixo mesmo. Demônios são assim, desprezíveis, mesquinhos, loucos por poder… não é o Dean falando, apenas um serzinho inferior querendo te deixar triste. Mas adivinha, não cola comigo.

Dean – sério vadia?

Bella – sério mesmo seu verme.

Dean – fica linda furiosa.

Bella – que fofo, era assim que o Dean falava. Está vendo as lágrimas correrem pelo meu rosto? Você é bom, você é bom mesmo com esse seu papinho. Mas acredite, eu sou melhor.

Dean – prove! Faça seu lance de bruxa e me deixe viver esse louco amor.

Bella – não. Eu vou fazer isso da maneira mais dolorosa e lenta possível e garantir que seja pior do que os castiguinhos que você viveu no inferno.

Dean – tão vingativa.

Bella – tão bom ver o medo em seu olhar.

 

Dean a lançou o pior dos olhares, via o ódio se misturar com o medo.

Bella apenas saiu, nos deixando a sós.

Sam – sabe, eu sei que você ainda está ai, Dean. Você poderia ter ido embora aquela noite mas, você ficou com a Bella e a ajudou a matar a Olivette.

Dean – você acha mesmo que eu só fiquei pra ajudar a vadia? Eu fiquei para ver o tamanho do poder dela e saber qual era seu ponto fraca e adivinha, agora eu sei. Você achou mesmo que era amor?… Na menor oportunidade que achar de me livrar daqui, eu vou matá-la, depois a você e em seguida vou atrás do traidor do Crowley. Dean Winchester está morto, Sammy. Desista!

Sam – nunca!

 

O deixei sozinho e subiu para preparar tudo.

O processo era simples, praticamente o sangue de um humano bento e o poder da Bella em trazer alguém de volta a vida.

Seria um sacrifício mas, era o sacrifício que valeria a pena.

--

Isabella

Depois de tudo pronto, desci para o porão.

Ver o Dean daquela maneira deveria me deixar arrasada mas, eu não sentia nada e era terrível, eu acho.

Bella – oi bonitinho

Dean – minha vadia favorita, senti sua falta.

Bella – serio?? Pensei que demônios não tinham esse lance de sentimentos.

Dean – eu sei que acha que vai me curar mas, já pensou que talvez eu não queira ser curado? Só me deixe viver a minha vida. Não vou te incomodar. O que te interessa? Eu sei que o velho Dean prometeu casamento, viver uma vida normal e essa merda toda mas… ele só queria te comer.

Bella – ahhh que pena, foi tão gostoso.

Dean – acha mesmo que eu acredito nessa sua fachada de durona? Você está chorando por dentro, sua alma está clamando pra que isso dê certo… você quer o seu amorzinho de volta.

 

Peguei a faca de demônio que o Sam havia me dado e enfiei em uma das pernas do Dean, o fazendo gritar de dor.

Bella – acha mesmo isso? Eu desci no inferno duas vezes quando trouxe o Sam e meu amigo Xamã a vida, eu sei como é lá, eu sei o que você passou, eu conheço sua história, suas artimanhas, sua lábia. Minha alma está sendo consumida a cada feitiço ou poder que uso e você acha mesmo que eu estou fazendo isso pra ter o grande amor da minha vida de volta? Acha mesmo que eu consigo sentir o mínimo de emoções, remorso ou qualquer coisa que seja? Acha que tenho peninha de você seu verme?

 

Ele sorriu.

Bella – você não vai ser exorcizado e procurar por outro hospedeiro como o parasita que é. Você vai morrer e vai doer muito.

 

O Semblante de sarcasmo dele caiu e eu continuei o que fui pra fazer.

Peguei uma seringa municiada com sangue bento e enfiei no pescoço do verme, aplicando lentamente.

Bella – Ritum sacrum…

Dean – isso não vai dar certo, mesmo que o sangue de demônio saia desse corpo, a marca de caim vai continuar.

Bella – ritum sacrum recitavi mihi. Daemonii immundi hoc relinquet.

 

Eu recitava fervorosamente enquanto o demônio grunhia.

Quando terminava ele apenas desmaiava.

Repetia isso algumas vezes por dia durante quase 3 dias.

...

Era noite e estava no porão novamente, dessa vez Sam estava ao meu lado.

Repeti todo o ritual e o ficamos olhando enquanto Dean se contorcia.

Dean – até onde você sabe, isso pode estar me matando.

Bella – você só está provocando mais uma vez

Dean – você nem ao menos sabe o que está fazendo. Tem esses poderes a quanto tempo? Menos de um ano e já se acha a fodona. Isso tudo é um monte de porcaria.

 

Ficamos apenas calados.

Dean – não vão falar nada?

Sam – quer que eu discuta com você? Nem é você mesmo que está falando.

Dean - é comigo que está falando, sim. Com o novo eu. E vocês não são tão diferentes de mim. Você Sammy, foi tão longe quanto podia para me encontrar, é… eu sei de tudo o que fez. E você garota, eu sei de todo o seu plano.

Bella – não tem plano algum

Dean – ahhhhhh então ele não sabe. Interessante.

Sam – do que ele tá falando?

Bella – ele só tá provocando Sam.

Dean – não, não estou. Vamos, fale ao Sammy do seu plano, bruxa.

 

Continuei calada, a minha vontade era de tirar aquele demônio a força com minhas próprias mãos e mutilá-lo. Infelizmente não podia.

Dean – não vai falar? Eu falo então. Ela quer a marca de Cain, quer ser mais forte do que é… era tudo um plano… matar a bruxa, me capturar e pegar a marca pra ela.

Sam – isso é verdade?

Bella – não tem como exorcizar, ele não está possuído… essa é a única maneira.

Dean – não é disso que estou falando.

Sam – Bella…

Bella - Em breve eu vou deixar de existir Sam. Esse corpo não vai suportar viver sem alma. A marca vai me manter viva… pelo menos, toda essa magia… vai levar seculos até que encarne novamente. Até lá, a marca vai ter sua prisão. Eu não quero pra mim, eu a quero longe dele.

Sam – isso é suicídio.

Bella – é a única forma de tirar a marca do Dean.

Dean – que fofinho.

 

Sam me olhou apreensivo mais parecia entender e aceitar aquilo tudo.

Dean – viu? Você é pior do que eu, vai deixar a bela donzela se sacrificar.

 

Sam pegou uma das siringas, caminhou até Dean e aplicou em seu pescoço.

O Demônio mudou a cor dos olhos e rugiu em fúria.

Estava funcionando, tinha que funcionar

Dean – se isso não funcionar Sam, vai ter estômago pra ver a garota e seu irmãozinho mortos?

 

Eu preferi o rei do inferno a vocês, não a sua piedade ou o seu amor. Quero ser o que sou, então parem!

Sam – eu não vou desistir de você

Dean – e por que a vida do seu irmão vale mais do que a vida dela?

Bella – eu já estou condenada, você não. Sam… temos que continuar.

Dean - Eu não quero voltar a ser o caçador sem esperança e sem um futuro que vai acabar morrendo em uma mera caçada. Já a garota, ela pode ter um futuro se deixar de usar seus dons.

Sam – Bella…

 

Eu encarrei furiosa o demônio.

Bella – você, um cara tão mal a ponto de não querer voltar a ser o que era? Um demônio que tudo o que quer é continuar a infernizar por ai? Sem esperança, piedade, sem amor… se você não acreditasse que pode voltar a ser o velho Dean, não carregaria a fotografia dos seus pais e do seu irmão, não carregaria uma das páginas do caderno onde escrevi pra você e não teria ficado comigo e matado Olivette… você diz que sabe meu ponto fraco… eu sei o seu ponto fraco e sou eu.

 

Enfiei uma última seringa em sua perna e recitei novamente as palavras em latim.

O demônio se contorceu, gritou, espraguejou e por fim desmaiou.

Eu senti instantaneamente meu corpo mudar, uma dor incontrolável subia pelo meu corpo, fazendo-me contorcer e cair sob meus pés.

Senti meu braço queimar e ser marcado por algo que antes estava em Dean, a marca agora era minha e parecia lutar para não estar ali – lutou tanto que voltou a ser do Dean – não havia funcionado.

Sam – a marca, ela…

Bella – não funcionou

Sam – Dean…

 

Sam correu até o irmão e tentou acordá-lo de todas as formas. Nada. Apenas o corpo desfalecido de Dean.

Sam – ele…

Bella – não… você não vai fazer isso, seu idiota.

 

Eu me pus de pé e o toquei. Também tentei acordá-lo, sacudi, esmurrei e nada.

Não pensei duas vezes, peguei em sua mão e apenas desejei que voltasse. O que durou apenas um segundo, pra mim era mais uma viagem sem volta que consumia o que restava de minha alma.

Dean respirou fundo, lutando para se manter acordado. Levantou a cabeça e nos olhou atordoado.

Dean – vocês parecem preocupados.

 

Sam jogou água benta em seu rosto que não mais queimou.

O sorriso logo brotou em nossos rostos.

Bella – bem-vindo de volta Winchester.

...

Depois que soltamos Dean, contamos a ele tudo o que fizemos e mesmo confuso pareceu entender.

Deixamos um pouco sozinho para que pudesse tomar banho, se recompor, descansar e ficamos na biblioteca.

Sam – Dean está de volta.

Bella – é

Sam – mas… você… está morrendo e a marca…

Bella – Sam, acabamos de vencer uma luta, não a batalha… vamos por partes.

Sam – Sim.

Bella – vou falar com ele.

Sam – ok.

Bella – descansa também… você está acabado.

Sam – rsrs vou fazer isso.

 

Caminhei pelo longo corredor do bunker até chegar ao quarto do Dean. Ali diante da porta fechada ouvi a marca gritar, tentar me manter longe dele…

Me concentrei e bati a porta.

Dean – entra.

Bella – você está acabado.

Dean – não vai te matar mentir de vez em quando.

Bella – não seria difícil.

 

Ele caminhou e ficou de frente pra mim. Colocou meu cabelo atrás da minha orelha e me olhou fixamente nos olhos.

Dean – o que você fez garota?

 

Ele pegou em minhas mãos delicadamente.

Bella – o que precisava ser feito.

Dean – você é louca. Isso pode te matar.

Bella – eu sei o que estou fazendo.

Dean – seja qual for o seu plano maluco, eu não aceito… vamos ter que achar um jeito.

Bella – você sabe que não há outro jeito.

Dean – o que faremos então?

Bella – eu não sei mas você… tem que se desculpar com seu irmão

Dean – é, eu tentei matá-lo.

Bella – não era você. Pelo menos não totalmente. Vocês dois já passara por muita coisa, precisa muito mais do que isso para fazê-lo querer ir embora.

Dean – suas palavras… você tem o dom de me acalmar. Estou feliz que esteja aqui.

Bella – eu não posso ficar

Dean – por que?

Bella – a marca e eu… ela me causa repulsa e além do mais eu…

Dean – você prefere me evitar.

Bella – Dean, não seria justo… eu não sinto nada, só machucaria você e o Sam.

Dean – eu não ligo

Bella – eu ligo… viu, consigo mentir.

Dean – você não precisa ir, eu resolvo isso. Vou achar Cain, matá-lo e pode ser que essa marca suma com ele…

Bella – isso não vai acontecer Dean, não é assim que funciona. Mesmo matando Cain, a marca agora é sua prisão.

Dean – quando Cain me deu essa marca, ele disse que depois que matasse Abadon eu teria que acabar com ele.

Bella – Dean, você está se controlando agora. Se você usar a espada e matar Cain, todo o ódio e sede por morte, tudo vai voltar…

Dean – eu sou um caçador Bella, matar coisa… é isso o que eu faço…

Bella – a marca é uma maldição Dean e ela não vai te deixar tão fácil.

Dean – só… fica, a gente pode…

 

Coloquei minhas mãos em seu rosto, Dean fechou os olhos mas abriu logo em seguida voltando a me olhar fixamente.

Bella – eu te amo Dean e não vou deixar que isso te destrua.

 

Eu o beijei intensamente. Com eu senti saudades do meu brutamonte.

Depois que paramos de nos beijar ele, caminhou até o criado-mudo e pegou uma arma.

Segurou minha mão e a colocou calmamente.

Dean – aqui, pra você se proteger e não usar seus poderes.

Bella – obrigado.

Dean – quero que me devolva o mais rápido possível.

Bella – é tão importante assim?

Dean – não, é só pra garantir que você vai voltar.

 

Nos beijamos novamente e eu fui embora sem olhar pra trás – algum tempo atrás eu estaria aos prantos e destruída por mais uma vez deixar os Winchester, mas dessa vez era diferente – eu nunca mais fugiria.

 


Notas Finais


Mais um capitulo e realmente espero que gostem
Deixem comentarios com opiniões, isso me ajuda muito a escrever o proximo capitulo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...