1. Spirit Fanfics >
  2. A Byakko e o Suzaku >
  3. Nada normal

História A Byakko e o Suzaku - Capítulo 10


Escrita por: MrsOtosaka

Notas do Autor


Mil perdões!!! Eu não queria ter demorado uma eternidade para atualizar!

Capítulo 10 - Nada normal


─ Eu realmente não acredito nisso! ─ Disse Shimon com bastante indignação. ─ Pai... Você... ─ O ruivo respirava fundo para buscar toda sua paciência, logo voltava com sua típica cara de paisagem.

Mayura estava confusa com toda a situação, mas parecia que eles estavam escutando atrás da porta. Ela se sentia mal por um momento ter pensando besteiras sobre Shimon quando o mesmo tinha tampado sua boca com a mão.

─ Que linda garota! ─ Keiji falou se ajoelhado em frente à Mayura. ─ Como esperado do meu irmãozinho, tem um ótimo gosto.

─ O que? ─ Mayura piscava os olhos mais confusa ainda.

─ Eu falei! Ela é ideal para o Shimon! ─ Falou agora Sayo.

─ Parece ser uma delicada senhorita. Shimon sabe muito bem o que faz, certo? Estava me preocupando atoa. ─ Disse Hoji, ele era o pai adotivo de Shimon.

Shimon piscou os olhos e todos estavam cercando Mayura, pareciam a olhar como uma divindade. Aliás, ele sentia que um mal entendido estava acontecendo agora.

─ Estávamos apenas preocupado com você. ─ Hoji voltou a falar. ─ Eu claramente me assustei quando você apareceu com a líder da casa Amawaka, mas deveria imaginar que era óbvio que a "relação" de vocês já seria assim. ─ O mais velho continuava a falar com um tom orgulhoso. ─ Vamos celebrar!

Nem Mayura e nem Shimon puderam falar algo, pois quando menos se deram conta... Já estavam celebrando.

A festa da casa Ikaruga era um motivo óbvio: A Chegada de Mayura.

O desejo agora da família do ruivo era juntar ele e Mayura em um laço matrimonial, o que deixava os dois um pouco sem graça. Todos estavam reunidos na sala principal da casa.

─ Aconteceu algo que eu não saiba? ─ Perguntou Yuzuru.

─ N-Não houve nada... ─ Mayura fechava os olhos por alguns segundos tentando se acalmar.

─ Meu irmão já é um homem crescido! Estou tão orgulhoso dele! ─ Disse Keiji para alguns membros da casa Ikaruga.

─ Sim, Sim! A gente nunca ver quando eles crescem, certo? ─ Hoji limpava suas lágrimas de felicidade ao falar com os anciãos da casa.

─ Ela conquistou o coração de gelo dele! Não. O coração de pedra! Minha cunhada é incrível! ─Sayo falava com tanto orgulho sobre o suposto relacionamento de Mayura e Shimon.

─ Tem certeza? ─ Yuzuru olhava para Mayura.

Mayura escondia seu rosto vermelho da visão da mais velha, não sabia que seria tão vergonhoso ser o centro de TODA a atenção. Como será que Shimon estava com tudo isso acontecendo? Ela olhou para onde o ruivo estava e o viu mais tranquilo possível.

─ Parece que sou apenas eu nervosa com tudo isso...

Suspirava e desviava seu olhar dele, mas fez isso no momento que ele levava uma xícara de chá até a boca. As mãos dele estavam tremendo e quando foi beber o chá, ele simplesmente caiu todo. Ele estava extremamente nervoso.

─ E-Eu vou morrer... ─ Pensava ele.

Shimon queria acabar com aquilo o mais rápido possível, pois sabia que rumores já estavam se espalhando sobre ele e a mais nova líder da casa Amawaka. Pensava que isso poderia a prejudicar de alguma forma, então gostaria de evitar isso. Porém agora perdido em pensamentos, ele se assustou de leve com a chegada repentina de uma certa garota.

— O que significa isso?!

O grito da garota ecoava pela sala que uma vez já foi animada antes de sua chegada. Os membros da casa se olhavam buscando evitar olhar para a garota. Com olhos roxos e cabelos pretos que batiam até sua cintura, a garota tinha um corpo considerado esbelto... Poderia ser popular e uma adorada pessoa, se não fosse pelo seu mal comportamento.

— Chegou um pouco tarde para a festa, Alena. — Falou Sayo com um sorriso divertido no rosto.

Alena, a garota que invadiu o salão, olhava de forma ameaçadora para Sayo que também devolvia o olhar.

— Essa aqui é a mais nova Byakko. — Sayo foi falando, enquanto andava até onde Mayura estava sentada. — Também é a noiva do irmão Shimon.

Na hora que ela apresentava Mayura como noiva de Shimon, a Byakko quase se engasgou com que estava bebendo. Seu rosto ficou totalmente vermelho.

— S-Sayo...Chan? — Mayura olhava para Sayo tentando se recuperar do que ela tinha dito.

Alena agora dirigia seu olhar ameaçador para Mayura, logo se aproximou dela com passos pesados.

— Você... — Elena parecia que iria cuspir xingamentos para cima de Mayura, sem ao menos se importar posição superior da mesma.

— Acho que está na hora de irmos, Mayura-Sama. — Yuzuru abaixava seu copo com chá fazendo barulho e chamando a atenção de todos. Yuzuru olhava para Alena com olhos afiados como de uma águia.

Mayura não estava conseguindo acompanhar muito bem o clima.

—Eu acompanho vocês. — Shimon se levantava de seu lugar.

Yuzuru se levantou e depois Mayura, logo Alena deu sinal de se aproximar dos três.

— Alena. — Shimon chamava ela de forma fria, mas era mais como um aviso. — Já chega. — Ele colocava seu braço logo em frente de Mayura.

Shimon já achava que a presença em si de Alena já era o bastante para arruinar qualquer clima feliz.

Deixando a morena para trás, Mayura ficou um pouco incomodada, pois imaginou que sua presença estivesse incomodando. Logo sua mente viajava.

— Hum... Senhor Ikaruga? — Mayura olhava para ele com o canto de seus olhos. — Por acaso aquela garota era sua namorada? — Perguntou ela.

Shimon travou por completo com a pergunta dela. Como diabos aquela garota seria sua namorada?! O que Mayura estava pensando agora?!

— C-Claro que não! — Disse ele quase em um grito.

— Não?! — Gritou ela, mas não pela resposta dele e sim pelo susto que levou com o jeito que ele respondeu.

— Não... — Ele respirava fundo para manter sua calma. A pergunta dele a pegou de surpresa, mas tinha que deixar as coisas claras para ela. ─ Aquela garota é apenas uma dos membros da casa Ikaruga, nós não tempos nenhum tipo de relacionamento. ─ Explicou ele com calma.

─ Oh, certo...

Parece que Mayura tinha se precipitado em seus pensamentos, estava um pouco arrependida disso. Vendo que aquela garota e Shimon não tinham nenhum tipo de relacionamento, deixou isso para lá e resolveu não perguntar mais.

─ Eu agradeço por hoje e... pelas roupas. ─ Mayura se virou para Shimon quando chegavam na saída e agradecia de forma educada.

Não usando apenas a camisa do jovem, ela usava uma calça moletom também. Shimon olhava fixamente para ela como se estivesse a analisando.

─ Sim, agora voltaremos. ─ Yuruzu se colocava na frente de Mayura. Era como se ela tivesse percebido como ele a olhava. ─ Nos vemos, Shimon-sama.

Assim as duas voltaram para a casa da família Amawaka.

─ Nada mal... Não ficou nada mal... ─ Pensava Shimon ao ficar sozinho na porta de sua casa e as vendo voltar.

Embora estivesse sempre com sua cara séria, suas bochechas estavam em uma coloração rosa agora. Os sentimentos que Mayura despertou em Shimon hoje foram coisas que ele jamais havia sentido antes. Aliás, ela era a única garota que ele jurou se casar um dia... E tudo por causa de um único encontro que ocorreu anos atrás entre eles.

Ao voltar para casa, os membros da casa Amawaka cercavam Yuruzu com Mayura.

─ Acabaram com aquelas pássaros?!

─ Como foi??

─ Tenho certeza que eles foram chorar para a mamãe!

Os membros começavam a fazer várias perguntas e afirmarem muitas coisas. A casa Amawaka certamente era a linha de frente dos exorcistas, uma casa onde a força era mais importante que tudo... Era irônico como uma garota delicada como Mayura acabou se tornando líder de uma casa como aquela.

─ O líder da casa Ikaruga ficou aos pés da Mayura-sama. ─ Falou Yuruzu com total confiança.

Logo eles começavam a comemorar.

─ Tá tudo bem falar isso para eles?! ─ Pensou Mayura olhando para todos.

Como seu primeiro dia naquela ilha, logo ela teria que frequentar a escola e isso tinha que ser o mais rápido possível.

Por algum motivo, ela lembrou do aviso que seu pai lhe deu antes de ir: Nunca quebre as regras!

Não sabia o porquê das regras da ilha serem tão importantes, mas seu pai falou aquilo com tanta seriedade que ela não se atreveria a quebrar nenhuma regra.

Mayura teve que ir para a escola no dia seguinte. Ela só encontrou Shimon na escola depois da pequena reunião deles no dia anterior.

─ Vamos, Arima-sama nos espera na sala da direção. ─ Disse Shimon andando com calma.

A mesma o seguia com esta obediência, mas por algum motivo sentiu um estranho ambiente. Os alunos a olhavam com certo desprezo, mas não só isso, também a olhavam com medo.

─ O que ela está fazendo aqui? Não é ela a filha do antigo líder da casa Amawaka?

─ Droga, não acredito que teremos que estudar junto com ela.

─ Que horror! Ela pode nos matar caso a gente se aproxime dela.

─ Que medo...

Mayura ficou atordoada com os diversos comentários e murmúrios sobre ela. O que tinha de tão errado com ela? Era por ela ser do continente? Ou... Seria por ela ser a líder da casa Amawaka? Mas o que tinha de tão ruim nisso?

Antes de vir para a ilha, ela não teve tempo para se preparar e estudar sobre a casa que iria comandar. Do jeito que os alunos falavam, ela parecia uma rainha perversa que comandava um exército do mal.

Se afastando dos alunos, eles pararam na frente de uma sala com a placa "diretoria"

Shimon foi bater na porta para pedir licença e informar a chegada deles, mas a porta foi aberta bruscamente revelando um Arima com uma roupa digna de uma rainha de samba.

─ Sejam bem-vindos ao...

Mayura fechava a porta rapidamente com os confetes caindo em sua cabeça.

─ Acho que essa é a sala errada. ─ Falou ela como se nada tivesse acontecido.

─ E-Eu também acho... Vamos procurar outra sala. ─ Shimon ajeitava seu cachecol um pouco chocado com a cena que viu.

Eles se viravam para sair, mas a porta novamente foi aberta.

─ E-Ei! Essa é a sala! Por favor, não vão embora. ─ Dizia Arima vestindo uma calça de forma desajeitada.

Nesse momento, Shimon cobria os olhos de Mayura. Essa escola não era nada normal. 


Notas Finais


Arima é brasileiro e ninguém vai me fazer mudar de idéia!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...