História A caçada - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Madara Uchiha, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Mistério, Naruto, Palmeirinha, Suspense, Terro(horror)
Visualizações 5
Palavras 1.406
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Ficção Adolescente, Luta, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction A caçada - Capítulo 1 - Prólogo

Era manhã quando acordamos da noite cansativa do avião, percebi que Sasori já havia acorda ao não nota-lo ao meu lado.

 

 

- Anda logo Haruno. Temos que estar presente no internado daqui uma hora. -- Falou mal-humorado chutando o colchão. -- Resmunguei sem dizer nada, me levantei pegando as roupas que já havia separado e corri para o banheiro, tomei um rápido banho, me troquei, fiz uma básica maquiagem e penteei meus cabelos róseos. Sai do banheiro e juntei minhas malas que pesavam tanto quanto eu.

 

-Coma, não estou afim de ter que carregar porque passou mal -- Era incrível minha capacidade de aguentá-lo a tanto tempo, esperava realmente não o ter tão presente ao frequentar a estranheza do internato.

 

Peguei um mistinho que ele havia comprado comi rápido demais fazendo meu estomago doer. Ele pegou as suas malas e eu arrastei as minhas com dificuldade até o táxi que havia chamado, o taxista me ajudou ao ver minha dificuldade, revirei os olhos ao pensar como era ridículo um estranho me ajudar quando meu próprio irmão nem se quer pensava que eu pudesse ter dificuldade. Entramos no carro, fiquei a olhar a paisagem enquanto Sasori dizia o local.

 

O dia estava completamente escuro apesar do horário, as ruas estavam quase desertas, talvez pela pequena população na cidade, as ruas eram feitas de blocos, as casas andavam em diferentes cores de tons frios de azul, amarelo, salmão entre outros. Por ser uma cidade pequena era possível quase tudo estar em uma só rua, ali havia cafeteria, florista, minimercados e até salão ao pude ver que no exato momento estava sendo usado por crianças.

 

O carro passou a subir um pequeno morro, onde aos poucos a cidade ficava cada vez mais visível e pequena. Fiquei tonta com o balançar do veículo ao passar por diversos buracos da estrada íngreme, Sasori estava sério enquanto teclava em seu celular, o motorista não tirava os olhos da estrada e o carro começava a ser engolido pela escuridão das arvores, em pouco tempo voltei a enxerga o nublado do dia e no mesmo estante havíamos chegado ao topo do morro e mais ao fundo era notável o enorme colégio antigo, mas bem conservado.

 

O carro parou ao enorme portão que se encontrava aberto, talvez devido a ser dia de domingo, saímos do carro e na mesma dificuldade tirei todas minhas malas enquanto Sasori pagava o taxista, paramos para olhar o motorista partir, olhei para a escola diferente de meu irmão que não deu a mínima para como aquele monumento histórico era.

 

A estrutura era realmente cumprida, possuía dois andares, e cor cinza que partilhava o mesmo nome da escola dava a ela um ar mais jovial. Os portões que rondavam o local eram enormes e velhos, eram pretos pontiagudos. Atravessei o portão, entrando em um enorme corredor que levava a um enorme muro recheado de galhos e arbustos, ao lado do muro haviam uma rampa de um lado e escada de outro.

 

Mal notei que Sasori já se encontrava a porta do colégio, revirei os olhos quando ele parou para me olhar carrancudo.

 

- Vou falar com a direção, procure saber qual é sua classe e seu quarto. – Ele deu as costas, bufei indignada, larguei minhas bolsas, eram quatro pesos para carregar, peguei uma mala e comecei a subir.

 

Enquanto eu subia uma única mala, um cara apareceu das arvores, fechou um livro que carregava, o enfiou em baixo dos braços e andou rápido de mais para minha mente processar, ele pegou minhas malas em um único pulo e caminhou para dentro do colégio, ele sério, seus cabelos cobriam os olhos, ele carregava as malas com tanta facilidade que me deixava boquiaberta.

 

- Vai querer que eu carregue essa também – Falou em alto e bom som com sua voz grave e rouca que faziam meus pelos eriçarem. Ele pegou parando no caminho vendo que eu nem tinha se quer me movido.

 

- N- não -- Praguejei ao me ver gaguejando. Andei mais rápido tentando o acompanhar, subimos a escada indo para o segundo andar onde se encontrava os quartos femininos, andamos mais um pouco parando a porta 13.

 

- Este é seu quarto, como até então ninguém o habitava ele é mantido aberto, vá até a recepção pegar a chave caso não queira uma visita indesejada.

 

-Ah... Obrigada, onde fica a recepção?

 

- praticamente na entrada, só que na parede da ala masculina. --Ele aparentava ter pressa, deu as costa rapidamente mas parou no caminho.

 

- Ah, seja bem-vinda, Sakura não?

 

-É isso mesmo, você é...?

 

-Itachi! --Sorri para ele enquanto o mesmo acenou para mim e voltou a andar até sumir de minhas vista.

 

Entre no quarto curiosa por sua aparência, mas ele era mais simples e minusculo do que eu pensará, uma mera ilusão quando se estuda em uma escola dos anos 50. O quarto era minusculo, cabendo no máximo duas pessoas, era um pequeno retângulo que ao fundo tinha uma cama e ao lado da cama estava a janela, pelo menos eu tinha pego um quarto que eu poderia respirar mais liberdade, a baixo da cama possuía quatro gravetas e ao lado da porta tinha uma pequena mesa e cadeira, provavelmente para estudos, depositei todas minhas malas na cama, sem pressa peguei todas minhas roupas já dobradas e as guardei, por sorte tudo coube normalmente deixando uma unica mala onde havia alguns livros que eu não abandonava de jeito nenhum, Aquela mala ficaria ali. Sai do quartos com as malas vazias desci me certificando que não havia ninguém naquele andar, caminhei até o lugar exato que me foi informado.

 

- Boa tarde -- Disse a uma senhora que estava de costa para mim, o lugar era simples mais entulhado de papeis.

 

- Aluna nova uma moça apareceu ao me lado me fazendo pular de susto, ela notou prendendo o sorriso -- Desculpa, Sakura não.

 

- É tão fácil assim saber o nome dos novatos.

 

- Já não há muitos alunos na escola, isso se torna muito fácil, ainda mais quando se é a única de cabelos rosa – Sorri tímida, ela entrou da recepção pegou uma chave que estava presa em um painel e veio até mim me entregado.

 

- A chave de seu quarto – Ela saiu pegando minhas malas – Elas serão guardadas assim como a te todos os outros, então fique tranquila, em relação ao o quarto, tem direito de decora-lo de seu gosto, mas nada de homem e nada de ir a ala masculina, essa é sua lista de aulas durante a semana, os computadores se encontram na biblioteca, mas só para fins estudantis, a parte do celular já foi dito ao seu irmão, mas repetirei, são proibidos, banho pode ser a qualquer hora, mas as 1 da manhã as luzes são apagadas, mas se tiver abajur bom pra você. Saída, liberada aos finais de semana, durante semana com permição de seu irmão ou comprovante de trabalho. E seja bem-vinda

 

- Obrigada – Disse assentido, parti dali rapidamente, amanhã começaria as aulas então eu tinha que dormi cedo, entrei em meu quarto e tranquei  porta.

   Deitei em minha cama com um livro em mãos, abri a cortina escura da pequena janela trazendo mais claridade ao quarto, a janela estava aberta o que trouxe o vento gelado da montanha. Era estranho como o ar ali era prazeroso de se inspirar, olhei sobe as árvores, entre elas pude ver um ser quase imperceptível entre as folhas, ele lia um livro aparentemente igual ao que Itachi lia, ele olhou para cima me fazendo arregalar os olhos de longe podia jurar que era Itachi, a semelhança entre ambos era enorme, mas seu olhar era diferente, era rude, tentei fingir que não o via ali, mas o mesmo continuou a me olhar, era quase impossível deixar de olha-lo também, seu olhos notavelmente arrogante, parecia incomodado com algo, talvez fosse meu olhar súbito. Surpreendente mente ele soltou m sorriso malicioso diretamente para mim, fiquei confusa enquanto ele se levantava limpando sua calça e passou a andar pro lado contrario da escola indo direto a dentro da floresta, fiquei imaginado aonde poderia ir e notei que ao meio daquela matança toda havia uma pequena capela largada.

 

  Duas pessoas aparentemente iguais, mas ao mesmo tempo diferentes, um pensamento estranho, pois era fato que não os conhecia, mas outro fato era que eu queria conhece-los, é como um predador perfeito que atrai sua presa...e eu queria ser atraída.

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...