História A caçada pela filha proibida - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Mitologia Grega
Tags Heróis Do Olimpo, Mitologia Grega, Pjo
Visualizações 44
Palavras 3.484
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Saga, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas do Autor


ois

Capítulo 16 - Brigas


Quando eu pisei meus pés fora do pavilhão na hora as vozes alteradas começaram eu pude ouvir Nico gritando ''VOCÊ MANDOU UM CÃO INFERNAL PRA ELA?'',(pobre Dionísio) eu continuei andando precisava tomar uma banho mas não queria que fosse no meu chalé eu iria sujar tudo, eu olhei em volta e achei uma mangueira acoplada atrás do chalé de Hades (engraçadamente tinha um espaço com um ralo de banheiro ali, eu iria tomar banho ali mesmo), eu liguei e deixei a água escorrer enquanto eu tirava meu sapato, eu pude ouvir passos atrás de mim eu nada fiz apenas continuei, tirei minhas armas escondidas e coloquei na grama e depois tirei meu casaco. 

-Você pode pegar minha toalha dentro do chalé? -disse para pessoa sem olhar pra ela. 

-Claro... -era Adam, ele logo voltou com minha toalha encostou na parede e nada disse. 

Eu continuei com o que estava fazendo joguei água nas botas lavando elas, depois meu casaco e depois em mim o espaço logo se tornou vermelho por completo eu lavei meu cabelo e minhas roupas (sem tirar uma peça delas claro, pois Adam estava bem ali) quando estava totalmente limpa de sangue, eu desliguei a torneira e me sentei perto de Adam ele não me olhava. 

-Você foi sem mim, sabe o quanto isso poderia ser perigoso? -a voz dele estava cheia de raiva. 

-Sim sei, mas eu tinha treinado um pouco e ganhei uma coisa de Hades, e se contar que você não podia ir comigo, porque quem fez coisa errada foi eu.- eu disse sem olhar pra ele. 

-Sophia, você me deixou morrendo de preocupação, eu achei que você tinha morrido.- a voz dele aumentou um pouco. 

-Mas eu não morri! 

-Mas podia ter morrido! -ele tinha se levantado e agora me encarava, o seu rosto estava vermelho de raiva de mim. 

-O que você queria que eu tivesse feito? você queria que eu tivesse levado você comigo pra correr perigo lá também? -eu estava gritando com ele e odiava isso. 

-Sim! porque pelo menos eu saberia que você estava comigo, quando você vai aprender que eu me importo com você?-ele estava gritando acho que todo acampamento estava escutando. 

-O que? - eu perguntei com os olhos arregalados. 

-Nada -disse ele frio. -Só me deixa pensar um pouco. 

Ele jogou a toalha nos meu pés e saiu eu nunca tinha visto ele tão bravo comigo, claro sempre tivemos nossa brigas bobas mas agora era sério, eu me sequei um pouco apenas pra poder entrar no chalé, quando entrei Nico estava lá sozinho sentado em minha cama eu nada disse a ele e ele fez o mesmo eu atravessei pro banheiro, tirei minhas roupas molhadas e analisei o meu corte que o cão tinha feito em nossa luta, era feio e profundo  mas pelo menos tinha parado de sangrar, eu tomei um banho tomando o maior cuidado pra água quente não cair em cima do corte.  

Eu demorei no banho, mas pra compensar, eu me lavei por completo e cheirava bem melhor, eu sai enrolada na toalha deixando as roupas molhadas no banheiro, iria resolver aquilo daqui a pouco. Eu coloquei uma camiseta do acampamento e enfaixei de leve minha perna só pra eu poder ir pra enfermaria, e coloquei minha calça azul e soltei os cabelos, eu tinha voltado pro banheiro e estendido minhas roupas lá mesmo, alguma hora iria secar. 

Como era começo da manhã quase não tinha ninguém andando pelo acampamento seria mais fácil desse jeito pra mim, eu segui pra enfermaria devagar pois, era somente isso que minha perna permitia, antes não doía pois eu não sentia por causa da raiva e da adrenalina  mas agora, depois de ter acabado com Dionísio e tomado um banho quente eu podia sentir o cansaço tomar conta de mim, e também a tristeza Adam tinha que entender que eu fiz aquilo pra proteger ele, e sem contar que com o poder de Hades seria mais fácil pra mim ir sozinha. Quando eu cheguei na enfermaria eu demorei um pouco pra subir os degraus por causa do corte, cachorrinho filho de Hera. (apesar de não saber quem ser essa pessoa aí, o nome só veio em minha mente e eu gostei de usá-lo como insulto) eu bati na porta e entrei, não tinha ninguém vazio total, isso me assustava um pouco. 

-Ah...oi tem alguém aqui? -silêncio total, teria que fazer o procedimento sozinha. 

Eu fui até um armário de remédios abri e peguei algodão, linha, agulha, e álcool e uma toalha me sentei no chão tirei a perna da calça que estava o corte, pensei em Hades e comecei a rezar. 

''Hades...ah oi eu não sei como ''rezar'' pra você, mas vamos lá, você sabe o que aconteceu na floresta com o cão, ele rasgou minha perna mas eu não perdi muito sangue estou parcialmente bem mas, se eu não costurar isso vou morrer, preciso de coragem pra costurar minha perna, e coragem pra enfrentar o que vem a frente, sei que você já me ajudou muito mas agora seria uma boa hora pra ajudar de novo.'' 

Nada aconteceu, não senti aquela sensação boa como sentia quando o poder de Hades invadia meu corpo, acho que ele queria que eu soubesse que nem sempre seria assim, que eu tinha de aprender a me virar sozinha porque nem sempre teria Hades por perto. Ele tinha razão eu tinha que me virar estava ferrada, mas tinha que fazer algo, eu tinha molhado o algodão no álcool, isso ia arder pra caramba, mas era necessário já que o corte estava preto eu respirei fundo e com o movimento mais rápido e mais cuidadoso eu passei o algodão pelo corte. A seção era de fogo como se me corpo inteiro estivesse em chamas, eu abafei meus gritos com a toalha (que era pra segurar sangue se escorresse, mas nada dali tinha saído ainda) e depois eu passei de novo, tudo tinha que estar bem limpo. 

Quando eu terminei de limpar tinhas algumas bolas de algodão sujas no chão e eu tinha usado boa parte do álcool, e agora vinha a pior parte costurar tudo. Minha mãe tinha me ensinado a costurar algumas vezes, mas eu realmente não imaginava que isso incluía minha perna, eu passei a linha (preta) pela agulha, coloquei a toalha na boca e então costurei minha perna, a pior parte tinha sido puxar, puxar pra ficar grudadinho bem certinho. Nem uma única gota de sangue escorreu de mim, apenas minhas lágrimas aquilo doía muito, eu tinha tirado a toalha da boca e comecei a chorar tudo em mim doía minha perna, minha cabeça tudo. 

Foi quando do nada a porta da enfermaria se abriu, revelando Jason ele nada falou só me encarou e depois seu olhar foi pra minha perna, o olhar de preocupação e de medo tomou conta dele, eu continuei a chorar minha perna queimava muito, Jason se abaixou ficando a poucos centímetros de mim, ele nada disse apenas pegou as coisas que estavam no chão ao meu lado jogou fora, e me pegou no colo com o maior cuidado e me colocou deitada em umas das macas vazias. Ele pelo visto não se importou em me ver meio nua eu tinha parado de chorar um pouco, ele me ajudou a colocar a perna da calça (que não era apertada) e se sentou ao meu lado, mas não me olhava diretamente. 

-Eu estava te procurando sabe? você fez uma grande entrada no café da manhã hoje, queria saber se você estava bem, mas agora eu vejo que não. 

-Eu...-minha voz quase não saia. 

-Não precisa explicar.... vou te levar pro seu chalé e te dar comida, você parece que não come nada tem um tempo. -disse ele me cutucando na barriga e rindo um pouco. 

-Tudo bem...tem mais alguém procurando por mim? 

-Nico, e todo resto do Acampamento, eles estão curiosos sobre você agora. 

-Que ótimo. -disse eu com sarcasmo. 

-Consegue andar? -disse ele me olhando desde que tinha me colocado na maca. 

Silêncio total serio um pouco estranho ter Jason me carregando por ai,mas também era necessário. 

-Não...-disse eu totalmente envergonhada. 

-Você se importa se eu te carregar? afinal não tem outra forma, juro que não estou me aproveitando da situação. -disse ele se explicando de uma forma engraçada. 

-Tudo bem você pode, mas eu não sou leve. -disse eu rindo e ficando envergonhada ao mesmo tempo. 

-Olha eu te carreguei você é bem leve pra mim. -disse ele ficando em pé. 

Jason me tirou da enfermaria me carregando no colo estilo ''noiva'', graças a Hades não tinha absolutamente ninguém do lado de fora, eu me perguntava onde estava todo mundo, Jason tomou cuidado ao subir os degraus do chalé para que eu não me mexesse tanto ele me colou na minha cama e me cobriu, ele olhou em volta do chalé bem curioso em relação a tudo. 

-Você já esteve aqui antes? -perguntei pra ele. 

-Não Nico nunca deixou, aqui só entra ele o Solace.-disse ele sem me olhar, vendo tudo no chalé. 

-Desculpe quem?  

-Will Solace Nico só chama o Will assim aí pegou. -disse ele me explicando tudo. -Enfim vou buscar comida pra você me espere aqui e tente não dormir, você tem que comer. 

Assim ele saiu me deixando ali sozinha, o chalé estava escuro fazendo assim ficar com certo desconforto, meu primeiro projeto pra aquele lugar seria mudar algumas coisas dali, eu estava pensando em tintas e móveis novos quando Jason entrou com uma bandeja cheia de comida, eu me sentei e ele colocou a bandeja no meu colo com cuidado e se sentou na ponta da cama, tinha um pouco de tudo tinha pão, frutas, suco e um pouco de néctar eu comi tudo, e Jason apenas me observava. Eu estava começando a ficar desconfortável quando Jason resolveu falar. 

-Por que você fez aquilo? você preocupou muita gente sabia? 

-Sim eu sabia, mas foi o acordo que eu fiz pra poder ir sozinha. 

-Acordo com quem? -Jason perguntou chateado, mas porque ele estava chateado?. 

-Dionísio, Adam não podia ir comigo ele não tinha/tem treinamento bom suficiente pra ter ido comigo. 

-E você tem? -perguntou Jason levemente irritado. 

-Hades, me ajudou um pouco. 

-Você devia falar com Adam, quando ele acordou hoje e viu que você não estava no Acampamento ele ficou doido, ele foi até Nico e perguntou de você, a maioria das pessoas não fala com Nico. 

-Eu já falei, ele está bravo não quer ouvir. -disse eu claramente triste. 

-Bom eu só digo uma coisa, ele saiu gritando por você por todo Acampamento ele ficou devastado quando descobriu que você tinha ido sem ele. -meu coração parou por um tempo não imaginava Adam fazendo isso. -Ele ia atrás de você na floresta, mas Quíron não deixou, acho que não vi uma pessoa tão furiosa desde, quando os filhos de Ares perderam a Caça a Bandeira. 

-Eu...eu vou tentar falar com ele só preciso dormir um pouco. -disse eu sentindo o sono tomar conta de mim. 

-Tudo bem, vou levar isso aqui pra você, você poderá dormir por bastante tempo pelo menos até a hora do jantar. -disse ele se levantando e tirando a bandeja do meu colo. 

-Jason? 

-Sim? -disse ele sorrindo. 

-Mais uma coisa, obrigada. 

-Tudo bem, agora descanse. -disse ele já na porta, quando ele saiu eu me deitei na cama e dormi na mesma hora. 

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 

Sonho; 

Eu estava na praia com um vestido branco que ia até meus pés eu estava descalça a  era areia era fofinha, eu sabia que era a praia do Acampamento porque podia sentir o cheiro dos morangos, eu fui mais perto do mar e me ajoelhei, e foi quando eu senti mãos nos meus ombros, eu olhei pra cima e tinha um homem parado em minha frente, ele usava uma camisa azul clarinha com cocos desenhadas nela, um short azul marinho e na mão direita dele tinha um tridente.  

-Poseidon. -eu disse baixo. 

-Olá Sophia, muito bom saber que você me reconhece. -a voz dele era leve e calma. 

-Você quer me matar também, não é? -mesmo em sonho eu podia ouvir bem coração batendo contra meu peito incrivelmente rápido. 

-Não só quero conversar, sente-se comigo, aqui mesmo na praia. -disse Poseidon. 

Eu me sentei e Poseidon se sentou ao meu lado, com o tridente em seu colo, ele tinha cheiro do mar e passava calma a você, era uma coisa boa ficar perto dele, mas como eu não sabia o que estava acontecendo eu tinha tomar cuidado. 

-Meu irmão, está fazendo de tudo pra conseguir fazer Zeus e o conselho Olimpiano mudar de ideia a seu respeito. -disse ele me olhando, minha expressão devia ser engraçada porque Poseidon riu. -Se acalme Hades já conseguiu com que uma boa parte dos Olimpianos fiquem do lado dele, ele disse que você não é uma ameaça. 

-O-o que você acha disso? -disse eu muito nervosa. 

-Você quer saber se estou do lado do seu pai? sim estou -eu soltei a respiração que nem sabia que estava prendendo. -Meu filho me contou coisas sobre você, pelo menos o que ele sabia, e eu tenho te observado junto com o resto dos meus irmãos ao longo dos dias. 

Legal eu era um tipo de programa de televisão pra os deuses, mas pelo menos eles estavam do meu lado. 

-Obrigada, isso é uma coisa boa, Hades ...não me conta como estão as coisas lá em cima. -disse eu olhando pro céu. 

-Você chama Hades pelo nome? -perguntou Poseidon intrigado. 

-Ah...sim é meio difícil chamar ele de....pai. 

-Entendo ele não deve participar muito da sua vida, então você não considera ele pai, não é? 

-Na verdade é o contrário, ele participa muito até, mas ainda é difícil pra mim chamar ele desse jeito. 

Silêncio estranho, mas calmo. 

-Meu tempo está acabando-disse ele calmamente, -Eu vim por meio dos outros deuses te entregar algumas mensagens. -disse ele me olhando, mas ele mantinha o olhar calmo. 

-Tudo bem, pode falar. -disse eu curiosa. 

-Primeiro eu: fique perto da praia isso pode te ajudar, Afrodite disse pra você não desistir no filho de Hefesto e que se você quiser ajuda dela em algo é só dizer o nome dela que ela vai aparecer...ou algo do tipo ela fala demais, de Hefesto: ele disse que o filho é muito cabeça dura, mas que se você ajudar ele a ver o que ele precisa ver, vocês podem criar algo lindo juntos, e Afrodite concorda. Ares; disse pra você falar com Clarisse é a filha dele ela pode te ajudar, e Hades tem um recado pra você, fique longe do filho de Júpiter pelo menos por agora.  

Era bastante coisa pra assimilar, mas todas elas eram coisas boas, a não ser por Jason porque eu tinha que ficar longe dele?. 

-Tudo bem obrigada, mesmo. 

-Mais uma coisa, se as coisas ficarem muito ruins, venha pra praia e me chame, eu vou levar para o fundo do mar comigo e assim Zeus não poderá te perseguir por ser meus domínios. 

-Poseidon...eu não tenho palavras pra agradecer a vocês, sinceramente muito obrigada. 

-Continue o que você está fazendo e continuaremos do seu lado. -ele disse isso se levantou e seguiu em direção ao mar, mas antes de entrar se virou pra mim e disse uma última coisa. 

-Só mais uma última coisa, acabei de receber a notícia de que Afrodite te deixou alguns presentes. 

-Ãh? -e então eu acordei. 

Sonho off. 

Eu estava toda suada, eu acordei sorrindo eu tinha deuses ao meu lado a causa não estava totalmente perdida, e Poseidon tinha me oferecido ficar na casa dele  caso eu precisasse ,as coisas estavam parcialmente bem, eu só tinha que me resolver com Adam pra tudo ficar certo, eu me levantei da cama e fui em direção ao banheiro, mas tropecei em uma sacola e foi quando eu percebi que o quarto inteiro estava cheio de sacolas, de todas as marcas de roupas e sapatos possíveis, eu me levantei percebendo que a dor na minha perna tinha sumido, eu corri pro banheiro e tirei minha calça o corte tinha sumido, literalmente sumido! na minha perna só tinha uma linha preta solta eu me olhei no espelho e continuava ''linda'' não me achava bonita, mas eu estava melhor, minha pele parecia melhor eu parecia mais saudável, quando voltei pro quarto olhei todas aquelas sacolas ali, eu reuni todas em minha parte do quarto e até espiei dentro de algumas. 

Eu tinha que falar com Adam mas não no estado que eu estava por isso eu tomei um banho rápido, escovei os cabelos e os dentes estava cheirando estranhamente a flores, eu abri uma dos milhares de sacolas que estavam lá e dentro de uma delas estava um bilhete. 

''Oi querida espero que tenha gostado dos presentes que eu te deixei, espero que você e seu amigo/paixão se resolvam estou torcendo por vocês. Obs. vista o que está nessa sacola por essa noite beijo Afrodite'' 

Eu sorri com o bilhete e agradeci a Afrodite, dentro da sacola tinha um vestido, preto com algumas rosas vermelhas desenhadas nele, era mais do que lindo, e junto tinha um sapato estilo sapatilha preto, eu me arrumei e olhei no relógio eram 19:00 (eu tinha dormido tudo isso mesmo?). Adam já teria jantado por isso segui para seu chalé, meio apressada eu fui arrumado os cabelos que insistiam em me odiar hoje. Algumas pessoas passaram por mim, mas nada disseram eu subi os degraus do chalé de Adam e bati na porta. Ele abriu e pareceu confuso comigo ali, de vestido e não coberta de sangue, ele estava de short sem camisa isso era um pouco estranho, de novo. 

-Você disse que se importa comigo então prove, vem comigo.-disse eu olhando pra ele sem desviar dos seus olhos. 

Silêncio logo e estranho. 

-Eu...eu vou pegar uma camisa. -disse ele nervoso. 

Adam fechou a porta eu soltei o ar que estava prendendo, estava nervosa, mas porquê? Adam voltou em um segundo ele sorriu meio triste e perguntou onde nós iriamos, eu disse que uma boa caminhada na praia seria algo bom lá ninguém iria nós incomodar, ele assentiu e assim nós seguimos em silêncio. O silêncio nunca foi um problema pra nós, mas agora essa era uma coisa que eu não gostava, quando chegamos na praia eu tirei meu sapato e carreguei na mão ele fez o mesmo apesar de estar de chinelos. 

-Eu quero contar o que aconteceu. Mas você precisa deixar eu falar tudo pra depois brigar comigo.-disse eu meio triste mais calma. 

-Tudo bem...pode falar. -Nós continuamos andando. 

-Depois que saímos do pavilhão eu não achei certo você pagar por algo que eu fiz, pra começar eu quebrei a regra de nunca sair a noite de onde você está, e segundo de ficar no mesmo lugar que outra pessoa que não seja do mesmo sexo que você, então não era certo você ir pra floresta comigo. Quando eu sai do seu chalé eu fui a casa grande implorar pra eles me deixaram ir sozinha porque, eu já tinha treinado com Hades e um pouco com Jason, então estava parcialmente pronta. Eles deixaram, mas eu tinha que partir na mesma hora e assim eu fiz, só que acho que Dionísio não gostou de eu ter desafiado ele, porque eu não tive paciência pra falar com o mesmo, então ele me mandou aquele cão. Entende porque eu não podia deixar você ir comigo?. 

Adam nada disse por um tempo eu sabia que ele estava pensando em tudo eu parei de andar ele também, ele tinha ficado de costas pra mim e estava um pouco longe também, eu estava triste, olhei pro mar ao meu lado e pude jurar que tinha visto uma pomba passando e em suas garras tinha uma ferramenta de construção. Adam se virou pra mim, mas ainda estava longe e disse. 

-Eu entendo, mas pelo menos você podia ter falado comigo. 

-Pra quê? pra você insistir em ir atrás de mim? 

-Eu achei que você estava morta! sabe o quanto doeu em mim isso? -ele disse bravo. 

-Mas eu não estou, para de pensar no que poderia ter acontecido, e pensa que eu to aqui fazendo a coisa mais difícil pra mim, pedir desculpas sendo que eu estou com razão! 

-Não Sophia, você não está com a razão, só....me deixa pensar ok? a gente se vê por ai... tchau. -ele foi se distanciando mais de mim de volta pro Acampamento. 

-Adam, espera. -ele continuou indo embora se afastando mais de mim, se afastando mais da minha vida. 

E assim ele foi me deixando ali, com lágrimas nos olhos e um vazio no coração eu sei que já ''disse'' isso várias vezes mas eu conheço Adam desde sempre e sinceramente não consigo imaginar ele fora da minha vida.Mas agora com toda essa situação não tinha sido muito difícil. 

 
 

 
 

 
 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...