História À cada aurora - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Eldarya
Personagens Ezarel, Leiftan, Nevra, Personagens Originais, Valkyon
Tags Eldarya
Visualizações 48
Palavras 1.281
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Ficção, Luta, Magia

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Nova personagem! A aparência dela está na foto abaixo.
Boa leitura.

Capítulo 10 - Lembranças


Fanfic / Fanfiction À cada aurora - Capítulo 10 - Lembranças

"Ayla estava em um lugar que nevava, mas não sentia frio apesar do vento balançar seus cabelos negros.

-Ayla.

Alguém chamou. Estremeceu com aquela voz, sentiu suas pernas babarem e se virou na direção do som lentamente.

E lá estava ela.

-Elentrya?

Ayla gaguejou estava em choque. Se recusou a ficar parada, correu até a ninfa que julgou nunca mais ver. Mas antes que pudesse toca-la, uma lâmina perfurou o coração de Elentrya. Ayla gritou em deserpero, era pior do que ela fosse ferida.

-Socorro... -sussurrou Elentrya quando deixou uma lágrima escapar.

A ninfa desapareceu como fumaça. Tudo ficou vermelho em volta de Ayla.

 -Você a deixou morrer! -gritou uma voz.

 -O-oque? -sussurrou Ayla, completamente confusa, em choque.

-A culpa é sua! -gritou outra.

-Como pôde?! -gritou mais uma.

-Monstro! -e mais uma.

-Parem! -Ayla gritou caindo de joelhos, estava tremendo, as lágrimas caíam como chuva.

-Aberração! -outra.

-Você não tem lugar entre nós!-mais uma gritou."

-Ayla! -Ezarel gritou, sacudindo a garota.

-Elentrya! -Ayla gritou quando abriu os olhos. Foi mais que um sonho, foi uma lembrança. Percebeu que estava chorando.

Ayla abraçou Ezarel fortemente, mas não conseguiu parar de chorar, foi tudo real de mais. Ezarel a abraçou de volta enquanto sentia as lágrimas de Ayla molharem sua roupa.

-Está tudo bem, eu estou aqui.- Ezarel sussurrava na tentativa de tranquilizar a garota.

Ezarel nunca a tinha visto assim, tão apavorada.

Passaram bons minutos para Ayla se acalmar e se convenser de que tudo aquilo foi um sonho. Ezarel não se atreveu a perguntar o que ela tinha sonhado.

 -Está melhor? -o elfo quebrou o silêncio.

Ayla assentiu olhando para baixo, percebendo as  ataduras que tomavam o lugar da roupa, percebeu também o braço enfaixado.

-O que aconteceu? -perguntou Ayla pondo a mão em sua nuca. -A única coisa de que me lembro era de estar procurando o Kappa na floresta e...- a garota arregalou os olhos- Onde está o Valkion? Ele se feriu e o Kappa? -ela perguntou com certa preocupação.

-Fique tranquila, estão ilesos, ao contrário de você. -Ezarel respondeu calmamente, mas não pode negar que sentiu ciúmes pela preocupação dela com Valkion.

Essas palavras acalmaram Ayla, mas tinha que ter certeza, tinha que ve-lo. Ela se levantou da cama e caminhou até o espelho para ver os estragos. As ataduras estavam cobrindo uma boa parte de seu corpo, mas deixavam seu umbigo a mostra, seu antebraço esquerdo estava completamente enfaixado, onde havia sido mordida. Percebeu então que estava somente com uma espécie de shorts, não deu muita importância, Ezarel era quase um irmão para ela.

-Tenho que ver Valkion. -disse a garota que se virou rápido de mais para seu corpo, suas pernas falharam. 

Teria caído se não fosse por Ezarel a segurando, foi quase um abraço.

-Vai ter que esperar Ayla, Miko quer te ver. -Ezarel explicou ainda agarrado a ela.

Ayla fez uma careta.

-Ela me ignorou por anos, pode esperar mais um pouco. -Ayla retrucou, se separando de Ezarel para se vestir.

Ezarel deu de ombros. 

-Como quiser. -murmurou Ezarel andando até a porta.- Estou te esperando aqui fora.

Ayla se sentou na cama, mesmo ter sido apenas um sonho, aquilo se recusava a abandona-la, aquela memória martelava em sua mente.

Ezarel a estava esperando do lado de fora como dissera. Alajea apareceu juntamento com Karenn, visivelmente preocupadas.

-Ezarel! -Alajea chamou.- Você a viu? Ela está bem?

-Está, e louca para ver o Valkion. -Ezarel revirou os olhos quando disse o nome do faeliano.

Karenn e Alaje trocaram olhares.

-Está com ciúmes Ezarel?- perguntou a vampira provocativa.

Ezarel a olhou indignado.

-Vá cuidar da sua vida Karenn e pare de viver a minha.

-Ele está com ciúmes Alajea!- exclamou a vampira.

Ezarel murmurou um xingamentou em élfico. A porta se abriu revelando Ayla.

-Ayla! -exclamou a vampira a abraçando, Alajea se juntou a Karenn. 

-Por que você simplesmente não pega as missões mais fatais? -perguntou Alajea.

Ayla riu discretamente.

-Precisamos te contar uma coisa sobre o Ezarel. -disse Karenn se desgrugando de Ayla.

Ezarel lança um olhar mortal para a vampira.

-O que? -perguntou Ayla inocente.

-Que: eu não vou ficar aqui o dia todo. -respondeu o elfo.- Se quiser minha companhia, venha logo.

-Preciso ir. -disse Ayla. 

Ezarel sorriu, cantando vitória.

-Depois lhe digo então. -disse Karenn com malícia nos olhos enqunto olhava para o elfo.

Ezarel bufou e pegando a mão de Ayla, saiu da vista da vampira.

Ayla sentiu dor nas feridas enqunto o elfo a puxava, quando percebeu que Ezarel não pararia decidiu quebrar o silêncio.

-Ezarel, ande mais devagar, minhas feridas doem. 

-Ah, desculpe! -exclamou o elfo, diminuindo o passo e a soltando.

Ezarel a guiou até a...

-Enfermaria?- perguntou a garota.- Você disse que ele não tinha sido ferido! -exclamou a garota com certa raiva.

-E não se feriu, ele apenas está cuidando do Kappa. -Ezarel explicou, abrindo a porta.

Assim como Valkion, Ewelein também estava presente e Miko. Ayla murmurou um xingamento em uma língua em que Ezarel não sabia.

-Oh! Ayla, não esperava te ver aqui. -disse a kitsune se aproximando da garota.- Gostaria de saber como conseguiu perder tanto sangue.

Ayla engoliu a seco, mas tentou parecer o mais normal possível.

-Quando vi que Valkion não estava no ponto de encontro fui procura-lo, então encontrei o Black Dog, para meu azar, recebi uma mordida e fui derrubada.

Mentiu, mas fez como se fosse a realidade. Miko não pareceu estar desconfiada, apenas assentiu e se dirigiu para a porta.

-Sei que posso estar pedindo muito, mas pode cuidar do Kappa? -perguntou a kitsune. Ayla assentiu.

Miko sai da enfermaria. Ewelein fez uma expressão de ira.

-Qual parte de "não fassa esforço para não abrir as feridas" você não entendeu? -perguntou Ewelein, séria.

-Eu sei, desculpe Evee.

-O importante é que você está bem. -murmurou Ewelein.

Valkion começou a encarar Ayla, a garota fazia o mesmo.

-Vamos deixar vocês a sós -disse a elfa saindo da sala emurrando Ezarel junto, o Kappa os seguiu.

Valkion se levantou e andou em direção a Ayla.

-Pedi para Miko te permitir fazer novamente o teste das guardas.

Ayla o olhou chocada, ele estava a expulsando?

-Por que? -perguntou Ayla incrédula.

Valkion suspirou e fitou o antebraço da garota. Ayla pegou a referência.

-Valkion isso não foi nada, eu estou bem!

-Ayla você podeira ter morrido! Como isso não é nada?

-Não exagera Valkion, poderia ter acontecido comigo em qualquer guarda que me colocassem!

-Ayla, não quero que você se machuque, o jeito mais fácil disso acontecer é saindo da Obsidiana!

-Está me expulsando?

Um nó se formou na garganta de Valkion, se calou. Ayla andou até a porta, triste, mas levantou a cabeça e olhou para o faeliano.

-Não importa o que diga, vou ficar na Obsidiana. -disse Ayla e saiu da sala.

O Kappa parecia estar perdido nos pilares. 

-Oi Kappa, você tem nome?- perguntou Ayla, deixando de lado oque acabou de acontecer.

-Elliot. -respondeu o Kappa esboçando um sorriso.

A tarde foi curta, cuidar de criança tem esse efeito. Elliot tinha energia para dar e vender, não era muito diferente das outras crianças da idade dele. A noite caira rapdamente, Elliont se recusou a dormir na enfermaria, Ayla o levou para seu quarto.

-Quer que leia uma estória para você? -perguntou Ayla se sentando na cama.

-Cantar! -exclamou Elliot.

Ayla congelou.

-Não quer mesmo uma estória?

-Cantar! -exclamou o Kappa novamente.

Dessa vez Ayla  não tinha saída. Não conhecia nem uma música infantil, mas sabia uma, uma música antiga, que a muito acompanhava suas memórias.

Hush now, my story

Close your eyes end sleep

Waltzing the waves

Diving in the deep


Stars are shinig bright

The wind is on the rise

Whispering words

Of long lost lullabies


Oh won't you come with me 

Where the moone is made of gold

And in the morning sun

WeWe'll be sailing

Oh won't you come with me 

Where ocean meets the sky

And as the clouds roll by

We'll sing the song of the sea


I had a dream last night

And heard the sweetest sound

I saw a great white light

And dancers in the round


Castles in the sand

Cradles in the round


Oh won't  you come with me

Where the ocean meets the sky

And as the clouds roll by

We'll sing the song of the sea.










Notas Finais


Para quem tiver interesse na música o nome dela é
Song of the sea Lullaby
Bayyyyy!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...