História À cada aurora - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Eldarya
Personagens Ezarel, Leiftan, Nevra, Personagens Originais, Valkyon
Tags Eldarya
Visualizações 54
Palavras 825
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Ficção, Luta, Magia

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Vou fazer uma pequena descrição sobre as Meras no final do cap. Ficou muito vaga a minha explicação de ontem.
Boa leitura.

Capítulo 13 - Obrigada (Nevra)


Fanfic / Fanfiction À cada aurora - Capítulo 13 - Obrigada (Nevra)

Estava trancada no quarto, com a cabeça enterrada no travesseiro abafando o choro. Doeu mais do que esperava, se Ezarel lhe disse aquilo para deixa-la magoada funcionou. Ayla não atendia a porta quando alguém batia, muito menos Valkion, apesar de não culpa-lo pelo ocorrido, Ayla gostaria que o faeliano permanecesse mudo como de costume. Ayla escutava as conversas atrás da porta, reconhecia as vozes, Karenn, Alajéa, Ykhar, Kero, até as vozes de Leiftan e Valkion a garota reconheceu.

-Ayla? -Ewelein chamou batendo na porta, dava para perceber a preocupação na sua voz. -Abra a porta, vamos conversar, vai se sentir melhor.- prometeu com voz doce.

-Ewelein, vamos deixa-la sozinha. -murmurou a voz de Ykhar.

-Eu nunca a tinha visto assim.- disse Kero no mesmo tom de Ykhar.

-Na verdade, uma vez.- disse Alajéa, parecia que todos tentavam manter no mesmo tom baixo.

-Quando?- perguntou Leiftan curioso.

-Quando...-Karenn fez uma pausa, parecia tomar coragem para dizer. -Elentrya morreu.- a vampira pareceu se esforçar para falar no tom mais baixo possível.

A culpa pareceu aumentar mais ainda quando Karenn disse o nome da ninfa falecida. Ayla enterrou ainda mais o rosto no travesseiro.

-Elentrya? -Valkion pareceu se interessar no assunto.

-A melhor amiga da Ayla.-explicou Alajéa em tom triste.

-Parem com isso!- exclamou Ewelein. Soltou um suspiro.- Ayla, por favor abra a porta. -implorou.

-Vamos Evee, vamos deixa-la sozinha por algum tempo, quando ela estiver pronta vai querer conversar.- murmurou Ykhar, acolhedora como sempre.- Confie em mim, eu a conheço.

-Está certa Ykhar, vamos.- Ewelein ordenou.

Ayla escutou os passos dos outros saindo. Desgrudou o rosto do travesseiro e olhou para o teto do quarto, tinha fechado as cortinas mas não impediu que o quarto ficasse totalmente escuro. Pequenos raios de luz se mostravam no teto. Estava quase dormindo qundo escutou passos e batidas na porta de seu quarto. A garota se sentou na cama observando a porta ainda trancada.

-Ayla.- Nevra chamou. Não foi difícil para Ayla decifrar a voz do vampiro.- Abra a porta por favor.- suplicou.

Ayla sentiu as lágrimas voltarem. "Como pude engana-lo?" Pensou a garota, se sentiu culpada, mas será que Nevra teria a mesma reação que Ezarel quando abrisse a porta? Não podia deixar de abrir a porta para ele, não se permitiria, se Nevra tivesse a mesma reação do elfo, não o culparia, afinal, na mente de Ayla, ela merecia ter sido tratada dessa maneira, se não tivesse escondido isso deles nada disso teria acontecido. 

Ayla andou em direção a porta, quase recuou quando tocou a maçaneta. Abriu a porta, olhou triste para Nevra tentando conter a expressão de choro. Ayla o abraçou com toda a força que tinha naquele momento. 

-Me perdoa.- Ayla murmurou, sem conter as lágrimas novamente.- Me perdoa.-repetiu, foi quase uma súplica.

Achou por um momento que Nevra a empurraria e começaria a gritar com ela como Ezarel, mas ao contrário do elfo, o vampiro correspondeu ao abraço.

-Eu te perdoo.-disse Nevra acariciando sua cabeça.

Ayla se lembrou de Elentrya, todas as vezes que Ayla se irritava ou alguma coisa do tipo, a ninfa a abraçava mesmo contra a vontade da garota e acariciava sua cabeça dizendo:

"O luar acabou de chegar, as estrelas começam a brilhar, é hora de respirar."

Esse truque sempre funcionava. As lágrimas ficaram mais intensas, Nevra sentiu sua camisa ser molhada pelas lágrimas de Ayla, não se importou.

Ezarel caminhava em direção ao quarto da garota na intenção de se desculpar, ele reconhecera que tinha pego pesado. Mas quando a viu abraçada com Nevra, sentiu dor no coração, talvez tivesse chego tarde. Deu meia volta com nó na garganta.

 A garota convidou Nevra para entrar em seu quarto, Ayla desbafou toda o ocorrido entre Ezarel e ela para Nevra, que disse que acabaria com a raça do elfo.

-Não é culpa dele.- disse Ayla- Eu entendo que ele ficou com raiva, também ficaria se fosse na situação inversa.

-Mas ele não tinha o direito de ter falado assim com você! -exclamou Nevra com raiva do elfo, já estava imaginado o que faria a ele quando se encontrassem.

-Nevra, por favor, não faça mal a Ezarel. -pediu Ayla que pegou a mão do vampiro, e fez uma cara meiga, sabia que ele não resistiria.

-Droga...-murmurou o vampiro, tentando não olhar diretamente para Ayla.- Está bem Ayla.

A garota sorriu, mas suas feições mudaram.

-Nevra... -o vampiro se virou para encara-la.- Acha que Elentrya morreu por culpa minha.- perguntou olhando diretamente nos olhos dele, triste.

-Claro que não Aly!- exclamou o vampiro.- Não sei como ela se foi, mas tenho certeza de que você não teve nada a ver com a morte dela.

Ayla sorriu triste e encostou sua cabeça no ombro de Nevra, suspirando, essa resposta a aliviou.

-Então... Você é uma Mera.- Nevra comentou.- Seria uma boa oportunidade se você entrasse na Guarda da Sombra.-brincou.

-Você é impossível Nevra!- Ayla riu. 

Estava aliviada por Nevra entender seu lado da história e o compreender. Queria falar com Ezarel no dia seguinte, não conseguiria ficar se falar com ele por muito tempo, quer as coisas bem outra vez e não ia descansar até conseguir.











Notas Finais


Mera= pessoa que pode se transformar em até dois animais (no máximo) que represente a sua alma, tem uma ligação especial com os animais em que podem se transformar ou em qualquer outro que sejam próximas. As Meras foram quase extintas em guerras, agora só sobrou uma pequena porcentagem restante, a maioria delas são formadas por aldeias, cujo as coordenadas são secretas. Meras também são um dos seres que ajudaram as raças de faeires serem tão populosas, e foram um dos primeiros seres criados para ajudar na povoação de Eldarya. Meras também são um dos seres mais leais existentes. (Na fanfic)
Foi isso espero que tenham gostado e
Bayyyyyyy


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...