História À cada aurora - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias Eldarya
Personagens Ezarel, Leiftan, Nevra, Personagens Originais, Valkyon
Tags Eldarya
Visualizações 65
Palavras 822
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Ficção, Luta, Magia

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Escrevi este capítulo escutando a música Bad dream de Ruelle foi também minha inspiração para o cap, se tiverem interesse procurem no Google ou algum aplicativo assim, não sei como coloca aqui então desculpem.
Boa leitura.

Capítulo 14 - Bad dream (parte 1)


Fanfic / Fanfiction À cada aurora - Capítulo 14 - Bad dream (parte 1)

Nevra aconcelhou a garota a procurar Ewelein, todos estavam preocupados com Ayla mas a elfa era a que estava mais preocupada.

Ayla entrou na enfermaria, Ewelein estava sentada em sua mesa de trabalho, as mãos estavam nos olhos. A garota se aproximou tentando fazer o mínimo barulho possível, não adiantou nada, quando Ayla se aproximou mais, a elfa se levantou para abraça-la.

-Também sinto a falta dela. -Ewelein murmurou, estava pensando nisto antes de Ayla chegar. 

Ayla, apesar de estar triste, não quis chorar mais do que já chorou, Elentrya não gostaria de ve-la chorar por sua causa.

Nevra estava caminhando firmemente até a sala de alquimia, mesmo ter prometido a Ayla que não machucaria Ezarel, queria ter certeza de que o elfo não a trataria mais daquele modo. O vampiro abriu a porta da sala de alquimia encontrando Ezarel de costas, sentado em sua mesa de costas para a porta onde Nevra estava. O elfo se levantou para provavelmente pegar um livro da instante que estava ao lado da porta.

-Que susto Nevra! -exclamou o elfo pondo a mão onde seria seu coração. -O que você quer?

-Disse para Ayla que ela era a culpada pela morte de Elentrya!- gritou Nevra cerrando os punhos fortemente.

Ezarel sentiu novamente o nó em sua garganta, tentou de todas as maneiras possíveis disfarçar. 

-Não deveria te-la tratado daquele jeito. -disse Nevra mostrando as presas, parecia que ia ataca-lo a qualquer momento, se não fosse pela promessa feita a Ayla teria atacado. -Depois que tudo que nós passamos juntos, a trata como indiferente.

Ezarel sentiu o nó se expandir mais, se recusou ao sentir as lágrimas em seus olhos, Nevra tinha razão, embora o elfo não quisesse adimitir.

-Se você se importa realmente com ela, vá pedir desculpas.- foi como uma ordem do modo que Nevra disse.

-Pediria se você a deixasse sozinha por um segundo.- retrucou o elfo.

-No segundo que eu a deixei sozinha com você, aqui estamos!- Nevra disparou de volta. 

-Da para parar de ficar repetindo o que eu errei?! Eu sei o que eu fiz! Pode não parecer mas eu me arrependo!- gritou Ezarel, sentiu as lágrimas voltarem.

-Prove e vá falar com Ayla.- deu para se perceber na voz do vampiro o tom autoritário.

Ezarel caminhou até a porta em passos firmes, mas quando passou de Nevra o vampiro segurou seu braço com força.

-Somos amigos e tudo Ezarel, mas se Ayla chorar mais uma vez por culpa sua, se der um soluço, corra.- Nevra ameaçou dava para se perceber pelo seu olhar o ódio.

-Não espere que eu não fassa o mesmo com você Nevra, se eu descobrir que ela estava chorando por culpa sua, aprenda a voar.- o elfo retribuiu o olhar com a ameaça. Se soltou bruscamente do vampiro e saiu da sala de alquimia.

Ayla estava indo para a cozinha na companhia de Valkion, o faeliano queria conversar com Ayla que sugeriu a cozinha.

-Karuto.- ela chamou, o sátiro foi ao seu encontro.- Preciso de alguma coisa forte, o que tem para mim?- ela se debruçou na bancada.

-A de sempre?- Karuto perguntou, mas já sabia a resposta. A garota assentiu entusiasmada.- E para você Valkion?

-O mesmo que Ayla.-Valkion respondeu.

Karuto soltou uma gargalhada e recebeu um olhar mortal vindo de Ayla.

-Como quiser. -disse o sátira tentando deixar a voz o mais normal possível. Se virou para pegar o pedido rindo baixo.

-O que queria me dizer?- Ayla perguntou.

-Queria te pedir desculpas.- Valkion respondeu. Ayla franziu o cenho.- Se eu não tivesse contado a Ezarel, nada disso teria acontecido, me desculpa.

-Ah, isso.-a garota suspirou.- Não tem problema, foi até bom ter contado a eles, eu queria abrir o jogo para eles de qualquer forma...

-Não é só isso, quando toda a vez que você está comigo eu faço algo errado.- explicou o faeliano, se percebia a tristeza em sua voz.- Estou tomando todas as escolhas erradas possíveis. -murmurou.

-Valkion, você pode até ter cometido um erro, mas não foi comigo.- Ayla pôs sua mão no ombro de Valkion que a olhava.- Não deve desculpas mim.

Ele sorriu discretamente.

-Aqui está.- murmurou Karuto entregando-lhes as bebidas.

-Obrigado.- Ayla agradeçeu e tomou um gole da bebida que escolhera.

Valkion bebeu, o gosto era amargo,forte e adocicado ao mesmo tempo, simplesmente amou aquela bebida.

-O que é isso? -perguntou o faleiano para Ayla que acabara de virar o copo.

-Cerveja, vinho quente e hidromel.- respondeu a garota colocando o copo vazio na bancada. -Porque? Não gostou?- não que isso fosse um problema para ela.

Para sua resposta, Valkion virou o copo de uma vez como Ayla fez.

-Isso é muito bom!- exclamou o faeliano.- Nunca tomei uma bebida tão boa.

Ayla estranhou, a maioria que experimentou disse que era forte de mais, mas ficou feliz, agora tem um parceiro na bebedeira.

-Vai voltar a treinar comigo?-perguntou o faeliano.

-Se não estiver muito enferrujado.- Ayla provocou sorrindo de uma maneira má.- Vamos ver que chega primeiro?- não esperou a resposta saiu correndo para fora do refeitório como uma criança. 

-Criança.- Valkion murmurou com um sorriso antes de sair atrás da garota.












Notas Finais


Obrigada por ler
Bayyyyyy


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...