História À cada aurora - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Eldarya
Tags Eldarya
Visualizações 28
Palavras 1.301
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Ficção, Luta, Magia

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


B
O
A

L
E
I
T
U
R
A

Capítulo 9 - Missão


Fanfic / Fanfiction À cada aurora - Capítulo 9 - Missão

As instruções que Ykhar deu para Ayla eram bem claras: encontrar um Kappa perdido, mesmo estranhando um Kappa estar tão longe de sua casa aceitou a missão, afinal, não teria o porque de recusar, mas antes de tudo devia ir até a enfermaria ver Ewelein checar como estava sua saúde, somente com a aprovação da elfa Miko deixaria Ayla encarregada da missão, que era importante de mais para deixar para amanhã, se Ewelein permitisse Ayla sairia imediatamente.

-Quer que te acompanhe?

Perguntou Nevra quando Ykhar saiu para entregar outras missões a outros membros. Era impressão ou todos queriam aacompanha-la nesses últimos tempos?

 -Não precisa Nevra, você deve ter coisa mais importante para fazer. -Ayla respondeu amigável.- Eu sei o caminho da enfermaria.- sussurrou para si, odiava ser tratada como uma garotinha indefesa.

 -Como quiser, mas estou aqui se precisar.

A garota não respondeu apenas assentiu e foi para a enfermaria. Ver as crianças correndo lhe trazia recordações boas. Voltou para a realidade quando sentiu algo se chocar contra sua perna. 

-Descupe moça.

Disse uma criança que não teria mais que seis anos, parecia estar procurando alguém.

-Olá rapazinho, está procurando alguém?

Perguntou Ayla se agaichando para ficar na altura do pequeno.

-Sim, meu amiguinho fugiu! Quero ele de volta!

 Exclamou a criança, aparentemente preocupado. Em um ato de consolo Ayla pôs a mão no ombro do garoto.

-Não se preocupe vamos encontra-lo. Como se chama?

-Mery, e você?

 -Ayla.

Ela bagunçou os cabelos dourados de Mery o que o fez animar e sorrir. Para Ayla não é tão difícil achar algum mascote perdido, Mery ria toda vez que Ayla fazia alguma bobeira para anima-lo. O tempo passou rápido, Mery começou a perder as esperanças.

-Mery! Olha só!

 Ayla chamou o garotinho foi correndo até a garota, ela mostrou orgulhosamente um ovo de Crylans.

 -Meu amiguinho não é um ovo!

 -Eu sei Mery, e sinto muito por não termos encontrado, mas tenho uma missão importante. -Ayla explicou, Mery fez uma expressão triste.- Se anime Mery! Tem um novo amigo aqui dentro basta você cuidar dele como cuidava do outro!

-Tem razão! Eu posso dar um novo nome para ele! Obrigada Ayla!

Mery exclamou e a braçou. Ayla ficou parada por alguns segundos, não se lembrava o quão bom era um abraço de criança. Mery agradeceu mais uma vez antes de sair correndo para casa. Foi a vez de Ayla sair correndo para a emfermaria, afinal o Kappa não ia esperar para sempre.

-Ewelein! 

Ayla exclamou quando entrou na enfermaria. A elfa doi ao seu encontro.

-Que desespero é esse Aly?

-Vou sair em uma missão se você me examinar e aprovar.

Ela explicou de maneira rápida, não podia perder mais tempo do que já perdeu. A elfa riu pelo desespero que Ayla demonstrou, mas a examinou de maneira rápida.

-Você está em ótimo estado, só não faça nada que possa abrir suas feridas.

A elfa a alertou novamente. 

-Entendi, obrigada!

Ayla saiu em disparada da enfemaria trombando em Ezarel.

-Onde é o incêndio?

Perguntou brincalhão.

-Missão importante! Tenho que ir!-Ayla falou de modo rápido.

-A missão do Kappa foi para você presumo.-Ezarel deduziu.

-Exato! Tenho que ir! Até logo Ez!

-Não vai se desculpar por ter esbarrado em mim?- perguntou Ezarel fazendo bico, por um instante pareceu o Nevra.

-Você é impossível!

Murmurou a garota com certa raiva. Ayla deu um beijinho no rosto do elfo como desculpa e saiu correndo para o espaço do mercado.

-Tinha que ser a Ayla.

Ezarel murmurou para si corado.

Ayla estava correndo pelo caminho dos arcos, quando chegou na grande porta se deparou com Valkion, parecia estar esperando alguém a muito tempo pelo fato de estar encostado na parede, quando vê a garota fica reto.

-Oh finalmente! -murmurou o faeliano.- Venha, temos um Kappa para encontrar.

Ayla ficou confusa por um instante antes de se lembrar das palavras de Miko: "Não sairá sem alguém de minha confiança te acompanhando", a garota revirou os olhos enquanto seguia Valkion para fora do Q.G. 

O caminho foi silencioso. Ayla parou na entrada da floresta, ela parecia tão mais escura do que em suas lembranças, parecia que uma aura negra havia contaminado a mata.

-Algum problema?

A voz de Valkion a fez voltar para a realidade. Ayla assentiu e voltou a segui o faeliano.

-Se lembra de como os Kappas se parecem?

Valkion perguntou, Ayla novamente assentiu, estava mais focada nos sons, paisagens e cheiros, estava tão focada que parecia um Black Dog caçando. Ayla reparou alguns galhos quebrados e alguns rastros, gesticulou para Valkion que assim que viu o que ela estava apontando assentiu e foram para aquele lado. 

Ayla escutou um barulho vindo dos arbustos e pegou rapidamente seu arco, era um Corko, nada com que se preocupar, deveria ser um mascote em exploração. 

-Acho melhor nos separarmos.

Ayla disse a Valkion que se virou bruscamente para a garota.

-Acho melhor não.-Valkion respondeu.- Se tivermos algum problema? Como o outro saberá? 

- Vamos nos encontrar aqui a cada cinco minutos, se o outro demorar pode estar com problemas epoderemos nos ajudar. -Ayla explicou andando para um lado qualquer.

Embora Valkion não aprovasse a idéia decidiu seguir o plano. 

O faeliano escutou um choro agudo enquanto procurava, ele correu na direção do som encontrando finalmente o Kappa, cercado por um Black Dog adulto que parecia tentar se aproximar do Kappa, mas o cheiro e os gritos ensurdecedores parecia distancia-lo de sua presa. Valkion não pensou duas vezes antes de atacar o animal, mas o Black Dog era mais forte do que o faeliano imaginou e logo ficou sobre o guarda, Valkion pensou que seria seu fim quando um barulho vindo em meio aos arbustos atraiu o animal, uma forma enorme saiu de trás dos arbustos se revelando: um enorme lobo negro, mesmo de quatro era do tamanho de Valkion.

O Black Dog deu a atenção para o novo inimigo que rosnava o obrigando a se afastar de Valkion que estava em choque. O Black Dog reconhecendo que não ganharia uma luta contra a besta se voltou para o Kappa, mas antes que pudesse ataca-lo o lobo se colocou entre eles ainda rosnando. O Black Dog desapareceu entre as árvores, Valkion se levantou e ficou na frente do Kappa, com receio de que o animal atacasse, mas não atacou, apenas olhou para o faeliano com seus olhos violetas que eram extremamente hipnotizantes, muito parecidos com os de Ayla. 

De repente algo saltou sobre Valkion e o Kappa correndo na direção do lobo, o Black Dog voltou pronto para o ataque, mesmo que não ganhasse a disputa, queria ferir o lobo gigante, e conseguiu, o lobo foi mordido  na pata esquerda, mesmo com a dor conseguiu expulsar o oponente de vez. O lobo se virou novamente para Valkion que estava com sua arma nas mãos, e saiu mancando, sumindo entre as árvores.

Valkion então se lembrou de Ayla, ele pegou o Kappa e o colocou nos ombros e correu para o ponto de encontro. Se Ayla tivesse ido atrás dele e encontrado o Black Dog no caminho e ter se ferido? Ou pior, ter encontrado aquele lobo imenso e ter sido atacada, Valkion não se perdoaria tão cedo por te-la deixado sozinha. O desespero de Valkion aumentou quando não viu Ayla no ponto de encontro.

-Ayla! -Valkion chamou em desespero, nada.- Ayla! -chamou outra vez.

Algo saiu de trás dos arbustos.

-Valkion! -Ayla exclamou, seu rosto estava mais branco do que de costume, parecia ter visto um fantasma.

Valkion ficou aliviado por um momento, mas isso mudou quando percebeu que a garota tentava esconder o braço esquerdo.

-Que bom que encontrou o Kappa. -Ayla murmurou, sua voz estava rouca. 

Ayla se apoiou em uma árvore, revelou sem querer seu braço esquerdo, ensanguentado. Valkion se desesperou e foi examina-la, ele também persebeu que as costas da garota também estava sangrando, as feridas tinham aberto.

-Vamos para a enfermaria.- Valkion ordenou.

 -Leve o Kappa primeiro.- Ayla retrucou.

-Sem discussão! Está perdendo muito sangue.-Ele a ajudou a ficar em pé.- O que aconteceu com você? 

-Black Dog. 

Ayla sussurrou antes de desmaiar.



 







Notas Finais


Foi isso espero que tenham gostado e
Bayyyy


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...