História A cada batida (Jikook - Sope - Namjin - Imagine Taehyung) - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bangtan Boys (BTS), Imagine Bts, Imagines, Jikook, Namjin, Sope
Visualizações 32
Palavras 1.544
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Ficção Adolescente, LGBT, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Volteeei!! Calma, galera, esse vai ser o único dessa semana, preciso me concentrar nas provas... ou tentar né?

Mas agr tô com uma duvidazinha... naaah, eu falo nas notas finais kkk


Aproveitem!!

<33

Capítulo 11 - Capítulo 11


P.O.V Kim Taehyung

12:10 PM

Estacionei o carro em frente à casa de S/N, estava ansioso para ve-la, tudo bem que já a vi ontem, mas é sempre bom estar perto de quem te faz bem. Me aproximava do portão quando vi um carro familiar estacionado na esquina, franzi meus olhos e abri o portão, já que S/N me deu a chave da casa dela quando ela não podia estar ali para alimentar Chilly, assim eu poderia cuidar da cadela dela, que por sinal me adora.

Antes de chegar à porta escuto um grito, não muito alto, mas ainda sim foi um grito. Entro rapidamente sem me importar se poderiam me confundir com um ladrão, ao chegar na sala percebo que não tem ninguém ali, estranho, S/N disse que já estava pronta... outro grito, lá de cima. Subi as escadas e vi a porta do quarto dela aberta, logo um homem diz:

- fica quietinha, se não vou te machucar mais! 

Eu não podia acreditar! Abri a porta rapidamente, ver aquela cena fez meu corpo todo pegar fogo, e não no sentido sexy, aquele "homem" estava em cima da minha garota, S/N estava amarrada na cama, sua saia estava erguida e as mãos do homem que o nomeia de namorado estava em sua cintura, ela estava chorando e parecia que ele estava a apertando forte demais, sua fina cintura já estava ficando vermelha e um pouco roxa até.

Vou até ele dou um soco em sua cara, o mesmo me olha com fúria nos olhos, se levanta e vem em minha direção, tenta me dar um soco mas eu desvio e lhe dou uma cutuvelada na costela, o mesmo rapidamente põe as mãos no lugar dolorido e cai de joelhos no chão, aproveito para desamarrar S/N da cama, abaixo sua saia e estava pra ter a ajudá-la a se levantar quando sinto uma dor em meu rosto e sou jogado contra a parede ao lado da cama, antes mesmo de conseguir respirar recebo outro soco na barriga, depois outro no nariz e outro na barriga novamente.

Ja sentia o sangue escorrendo do meu nariz e as dores nos locais machucados, já estava esperando outro soco, mas ele não veio, minha vista focou e vejo o corpo do homem caído no chão e S/N com um bastão de baseball na mão, nunca agradeci tanto pelo pai dela amar esse esporte.

- Será que matei ele? 

Ela pergunta olhando para mim.

- no máximo um traumatismo, mas nada grave.

Ela solta uma risada arrastada, mais parecida com um suspiro de alívio, porém seus dentes eram visíveis.

Me levanto com dificuldade, me apoiando na cabeceira da cama e passando pelo corpo do embuste no chão. 

- Você tá bem?

Pergunto passando minha mão pelo seu rosto.

- Eu que deveria perguntar isso! Olha pra você! 

Ela disse colocando sua mão por cima da minha em seu rosto.

- Isso aqui? - aponto pro meu rosto - não é nada, logo, logo sara.

Ela dá um pequeno sorriso com os lábios. 

- Vamos ligar pra polícia.

Ela diz.

- Você vai ligando enquanto eu amarro as mãos dele.

- ok


=====mini quebra de tempo=====


Estávamos na delegacia, estava relatando oque aconteceu na casa, porque eu agredi uma pessoa e porque eu estava machucado, meio óbvio, MAAAAS... 

Fui liberado logo, não aconteceu nada comigo, eu só defendi S/N.

- Tae, finalmente! 

Ela corre e me abraça.

- Calma, minina, por que essa preocupação toda? 

- Tava com medo deles te acusarem de algo, mesmo sem ter feito nada errado.

Ela estava com um semblante triste no rosto.

- Não aconteceu nada, eu tô aqui e com o rosto todo cagado, mas tô com você, então tá tudo bem, ok?

- ok. Já podemos ir embora? 

- os policiais disseram que sim.

Fomos o caminho todo em silêncio, não era desconfortável, era um silêncio bom, até. Chegando na casa dela, somos recebidos por patinhas e uma língua bem babada.

- CHILLY!! Aah, garota, você tá bem! 

S/N diz se agachando na altura da cadela e passando a mão em sua cabeça fofinha.

O embuste tinha a trancado dentro do quarto no quintal, imagina se ninguém tivesse chegado? A coitadinha ficaria lá assustada.

- FILHA! 

Os pais dela disseram ao mesmo tempo, eu os tinha avisado do ocorrido assim que chegamos na delegacia.

- Ai que bom que você esta bem! 

Disse a mãe dela.

- imagina o que poderia ter acontecido com você?

- nem imagina, pai, não quero mais pensar naquele filho da p... nada não. 

Ela disse indo de encontro com eles e os abraçando.

- pode dizer filha, pode chamar ele até de desgraçado dos inferno.

- MÃE! não reconheço a senhora.

Ela disse rindo, sorri ao ouvir a risada gostosa dela, me arrependi logo e seguida ao sentir meu rosto doer, doeu muito, soltei um gemido de dor e logo os olhares caíram em mim.

- Por deus, Taehyung! Você está muito machucado! 

A mãe da S/N disse indo para perto de mim e colocando sua mão nos machucados em meu rosto, não vou mentir, doeu sim.

- aaai, eu tô bem, sra. Min.

Disse me afastando educadamente e dando um "sorriso".

- acha que engana quem, rapaz? 

O pai de S/N pronunciou-se indo até o armário e pegando um kit de primeiros socorros.

- mãe, eu posso cuidar do Tae.

S/N disse pegando o kit das mãos do pai e logo me puxando pela mão até o banheiro lá em cima.

- Heey, não demorem, o almoço vai criar larvas daqui a pouco.

Agora que me toquei que já eram quase duas horas da tarde. Chegamos no banheiro e eu me sentei em um banquinho que tinha no banheiro, a mãe de S/N me disse que era da filha quando pequena, achei fofo. Vi S/N molhar o algodão em algo e logo veio em minha direção com aquilo.

 - vai doer? 

Perguntei me afastando um pouco da direção das mãos dela.

- o que você acha? 

Engoli em seco e logo senti o algodão gelado na minha pele, ardeu quase instantaneamente e gritei de dor.

- Aish, Taehyung! 

Ela passa o algodão em meu rosto novamente e grito de novo.

- Taehyung, para de drama, tá parecendo uma criança.

Faço minha melhor cara de dó.

- Aish, assim eu não aguento! 

- essa é a estratégia. 

- e essa a minha...

Ela diz antes de me beijar...


P.O.V Jin


Estava enlouquecendo, não quero, não posso contar para Nam! Mas se eu não contar ele vai descobrir de qualquer forma, ele não é burro, está bem longe disso.

Escuto a porta se abrir e sinto meu corpo ficar tenso, é agora.

- Jin, meu amor! 

Ele vem em minha direção que estava sentado em frente o balcão da cozinha, ele me dá um beijo e abre um sorriso enorme ao me dar uma pequena caixinha nas mãos.

- Abre, amor, eu... eu fiz especialmente pra você. 

Ele diz um pouco corado, em meio a todas as infelicidades do dia, eu sinto meu coração bater mais forte agora.

- Nam... eu... eu... É lindo! 

Pego o colar em minhas mãos, um pequeno pingente escrito "namjin" numa caligrafia bonita, como meu Namjoon é fofo, ele não merece passar por tudo isso.

Meus olhos lacrimejaram e logo senti as lágrimas encharcarem meu rosto.

Namjoom limpou-as com seus dedos, me levantei e o abracei forte, ele me envolveu com seus braços fortes e chorei mais ainda em seu ombro. Uma das coisas que mais admiro no meu noivo é isso, ele nem ao menos questiona do por que, apenas fica lá, do meu lado, me consolando e fazendo carinho em meu rosto.

- namjoon, precisamos conversar.

- o que houve, querido? 

Saio do abraço e o olho em seus olhos.

- Eu preciso que você me prometa uma coisa.

- ta bom, eu prometo.

- Você vai seguir sua vida, independentemente do que acontecer.

- J-jin, o-oque está dizendo? 

- Me promete que vai ser feliz, não importa com quem for, não importa o que acontecer, você vai seguir sua vida.

- Jin...

- ME PROMETE! 

Grito sentindo as lágrimas virem mais fortes que antes.

- eu prometo.

Ele disse com seus olhos lacrimejando também.

- Namjoon, eu tenho câncer. 

- o que? Mas, não, como? Por que? Quando? Não, jin,  por que isso tinha que acontecer com você? 

Ele disse me abraçando forte, ambos nós dois já não controlavamos o choro.

- Jin, por que me fez prometer aquelas coisas? 

- porque eu vou morrer, Nam, eu vou morrer e não quero que fique preso a mim, quero que siga sua vida...

- Jin, você não vai morrer, você vai viver, muito, e vou estar do seu lado, pra sempre! 

Ele me beija, um beijo sincero, e a única coisa que consigo pensar é que nunca mais vou sentir os lábios dele nos meus.




Meus dias estão contados, é só questão de tempo até eu estar sem vida...

Tenho que aproveitar o resto dela, ficar com quem eu amo, aproveitar ao máximo tudo isso, ou pelo menos o mínimo.

Sempre pensei "tenho que aproveitar o hoje como se fosse o último da minha vida", agora eu não sei nem se vou ter um hoje.








Notas Finais


;^;

Perguntinha: vcs querem um especial do aniversário do jin?

Calma q nesse especial não vai ter morte! Kkk

N deveria brincar com essas coisas, mas ca estou.

Espero que tenham gostado!!

ANNYONG!

<333


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...