História A Canção das Espadas - Capítulo 25


Escrita por:

Visualizações 13
Palavras 1.554
Terminada Não
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 25 - Capítulo 24


Fanfic / Fanfiction A Canção das Espadas - Capítulo 25 - Capítulo 24


                       Celena

Escuto barulhos de sirenes do resgate ao longe.

Abro os olhos devagar e vejo Edward me encarando do outro lado do quarto.Ele parece triste?

-Não vou ousar nem perguntar o porquê de eu ter sido drogado.Eu só quero saber o que uma grávida estava fazendo em uma funerária...

-Eu queria saber o que realmente aconteceu...

-Você não está em condições disso!Sua gestação já está chegando ao fim,por acaso quer perder o bebê se estressando por causa de algo que não tem como reverter!?

-EU NÃO VIM AQUI PARA TE OUVIR ME DANDO LIÇÃO DE MORAL! Eu...eu sei de algo, que pode funcionar, na verdade eu apenas queria confirmar quando fui no celeiro novamente. Mas não sou eu quem vai fazer isso...

  ******* 

              Jennevieve

Elias definitivamente me odeia, ele não me olha nos olhos quando fala comigo e se fala é apenas por educação.

Remexo a sopa na tigela, os pedaços de jiló boiando me fazem perder a fome.

Agora mesmo, ele finge que não existo na mesa do refeitório.

-Elias...então... o que está achando da sopa!?

-Hum.

Inacreditável... Levanto da mesa fazendo questão do barulho para todos ouvirem. E saio pisando forte.

Josh!Será que fui dramática demais?Agora todos estão me olhando,tenho que manter a postura...

Um pé surge na minha frente, vejo a bandeja voar enquanto eu caio de boca na grama.

Risadas por todos os lados do refeitório me atingem. Me sinto pelada, a amostra de todos, uma palhaça ambulante.

Olho para trás , a fim de ver o responsável pelo meu belo tombo.

Ele está rindo também, mas há maldade em sua risada e isso me provoca calafrios, Darwin... De repente ele me puxa pelo calcanhar com suas pesadas correntes.

-Está tentando se exibir? Porque não tenta agora!?

-Me solta!Agora!

-Estou entediado esses dias...Vocês também devem estar não é rapazes?

Escuto todos vibrarem em aprovação, Darwin ama entreter os campeões mesmo que isso custe a dignidade de alguém. Todos esses meses ele sempre escolheu alguém para maltratar, normalmente eram os mais magros e sem músculos, coincidêntemente no dia seguinte era anunciado na arena o mesmo campeão que havia sido massacrado no dia anterior por ele, eu odiava ver isso então meus almoços eram sempre no chalé.

Hoje chegou o meu dia, considerando o meu tamanho e o meu corpo, era óbvio que isso iria acabar acontecendo já que eu sempre era chamada de Mariquinha pelos outros campeões.

Ele me levanta bruscamente fazendo minha coluna estalar.

Eu o encaro com nojo e desprezo, e olho ao redor, todos esperando o entretenimento começar, eu olho para Elias, ele parece não ligar para o que está acontecendo, e continua tomando sua sopa.

-Peguem todo tipo de inseto na floresta e tragam para cá!

Eles urram e vão em busca. 

Enquanto isso me amarram em uma cadeira com as correntes , entro em pânico o que vão fazer comigo!?

-O que estão fazendo me soltem! Guardas!

Eles estão apreciando também a minha desgraça, para a minha infelicidade.

Alguns minutos depois eles voltam com tigelas cheias de Cigarras, Formigas, Minhocas e Besouros, mas o que mais me assusta são as Mariposas presas em um vidro.Tenho pavor de Borboletas mas Mariposas realmente me deixam em pânico.

Me remexo tentando me soltar mas as correntes estão muito presas e não posso usar meu poder aqui.

-Mariquinha! Hoje é o dia que você pode provar para todos que é um homem de verdade!Então coma essas Cigarras!

Ele empurra a tigela na minha direção  parando no meu peito, as Cigarras se remexem, meu estômago também.

- Não! Não tenho que provar nada pra ninguém! Não LIGO que me chamem assim! Vão em frente! Não vou comer isso!

- Sabíamos que isso poderia acontecer então preparamos isso... Seus aliados empurram uma bandeja na minha direção ela esta coberta com um pano preto.

Eles retiram o pano preto e posso ver uma fotografia, mas não uma fotografia qualquer , estou pelada mas sendo protegida por Nathan , Elias está tentando entrar no banheiro. Eu estou assustada na foto , meu corpo não é mostrado mas já entro em pânico.

Quem teria tirado essa foto, olho ao redor vasculhando nos rostos de todos, Morpheus...ele sempre me odiou desde o começo tem que ter sido ele.

-Sinto dizer...mas não estou envolvido nisso...-Ele nota meu olhar assassino o atravessando, ele toma um gole de seu vinho e se retira com classe.

Sua piedade me machuca, me deixando como uma coitada, que não merece ser vista desse jeito. Minha humilhação já é suficiente para ele se retirar.

Olho ao redor novamente e avisto um sorriso de lado bem rápido, Benjamim...ele não sabe que eu percebi isso, seus cabelos negros, olhos âmbar com um tampão no olho direito não me enganam, ele é um verdadeiro demônio, mas o que ele tem contra mim!? Nunca falei com ele!

- Depois dessa prova não ha como esconder ou defender você... Será que eu deveria mostrar para todos o que acontece nessa foto?

Estão me ameaçando de um mal entendido, eles acham que Nathan estava fazendo algo comigo dentro do banheiro e fomos pegos por Elias...Nossas expressões são mesmo de terror, não, não posso sujar a reputação de Nathan que vem me protegendo todo esse tempo.

- Se eu fizer isso...vão queimar essa foto e me deixar em paz?

- Mas é claro...Dou minha palavra!

Desconfio que ele tenha cruzado os dedos quando falou isso, mas encaro a tigela em minha frente e fecho os olhos.

Escuto risadas por todos os lados, por Nathan...isso é por ele.

Não consigo descrever o gosto, minha vontade de vomitar é muito maior, o barulho Josh esses estralos estão me deixando mais enjoada ainda. Penso que estou comendo as batatas crocantes da minha vó, são apenas batatas crocantes.

Acabo de comer e abro os olhos, cuspo uma asa na mesa, e quase gorfo por isso.

Olho para Nathan , ele está vermelho de raiva, como um vulcão em erupção, não venha para cá ou vai provar que a foto é verdadeira.

Desvio o olhar e pouso em Elias, nunca o vi tão aflito. 

Eles me entregam outra tigela de minhocas, e assim por diante...

Não protesto em nenhuma das tigelas entregues, nem mesmo das formigas. Simplesmente fecho meus olhos e penso em outras coisas, minha dignidade já foi a muito tempo.

- Inacreditável como o que você disse antes da foto ser mostrada foi totalmente distorcido! Mas ainda falta mais uma coisa...Eles pegam o vidro de mariposas e despejam todas elas em um saco de batatas, elas estão enérgicas lutando para escapar dalí, o enjôo passa e dá lugar para o pânico, me remexo com todas as forças tentando me soltar das correntes, como conseguem achar graça nesse tipo de coisa!? Eu começo a implorar para que eles parem.

Olho para o lugar que Elias estava mas não o vejo mais, ele deve ter desistido de mim...eu o decepcionei...Olho para Nathan que está em fúria e bate os punhos com força na mesa a fazendo partir no meio, porém antes que ele venha em minha direção,  um vulto de fogo azul atravessa minha visão, ele queima tudo ao meu redor até o saco de mariposas, Elias está furioso, enraivecido, ele joga um jato de fogo azul em todos os envolvidos, eles berram de dor. Darwin some no meio de sua névoa. Suas correntes somem de mim , tudo o que eu consigo pensar é onde a foto foi parar , os guardas correm na direção de Elias para acalma-lo mas isso é inevitável, de repente vejo uma grande luta no acampamento. ONDE ESTÁ A MALDITA FOTO?

Olho para onde Elias está, seu cabelo castanho fica azul escuro, e seus olhos também , ele está totalmente fora de si, se isso continuar o acampamento vai ser totalmente queimado.

Eu sumo da vista de todos, estico minha mão na direção de Elias que está pronto para fazer churrasquinho de guarda.

A sombra dele o empurra para o chão , ele cai sem entender , e ela o arrasta pelo colarinho até onde estou , tenho medo de que ela o enforque então faço isso muito rápido.

Os guardas ficam perplexos com o que vêem mas não podem fazer nada, os campeões estão quase se matando atrás deles.

Elias bate sua cabeça nos meus pés com a colisão.

Eu olho para ele e ele olha para mim:

- Você fez isso de novo...

- O que posso fazer...você é incontrolável...- E sorrio gentilmente para ele.

- Vamos para outro lugar...

**********

               Nathan

Meus punhos sangram de tanto socar aqueles cachorros de Darwin, ele deve desconfiar dela...por isso a deixou por último , ele tem informação sobre as próximas lutas na arena, ele sabe que vai lutar contra ela na final. Ele sabe que se mexer com o emocional dela , ele tem maior chance de vencer, a verdade é que ele sabe do potencial dela, ele não pode com ela...

Vejo o príncipe Jeremy correndo com seus homens, ordenando algo que não consigo ouvir direito...Sinto minha visão ficar turva, ele...disse...sonífe...?

***********

                 Jennevieve

Seus cabelos e olhos voltam ao normal em quanto caminhamos pelo túnel que leva para a Capital.

- Por que você...

- Eu sei o quanto sente pânico quando vê uma borboleta ou mariposa...

Fico com vergonha de mim mesma, de tudo o que fiz por uma foto que sumiu e pode voltar a aparecer para me aterrorizar.

- Aquela...foto...era mesmo tão importante para você fazer o que fez?

- Não fiz para me proteger...Foi para o seu bem e de Nathan...

Ele para bruscamente, e se vira para mim, o Sol já esta se pondo, sua claridade contorna todo seu rosto, o que me faz sentir um dejavu.

- Me conte...o que Nathan tenta tanto me esconder...





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...