1. Spirit Fanfics >
  2. A Canção Proibida >
  3. Partilhando o Pão

História A Canção Proibida - Capítulo 4


Escrita por: Biana_v

Notas do Autor


Oiê meus queridos, trouxe um capítulo extra por conta do desafio da #semanaamorzinho promovido pela @Mary-in para a semana do dia dos namorados ❤️
O tema escolhido para este capítulo em especial foi "Um relacionamento poliamoroso ou uma amizade colorida".
Espero que gostem e para quem quiser participar do desafio deixarei o link do jornal nas notas finais.
Boa leitura 😉

Capítulo 4 - Partilhando o Pão


O trio encontrava-se sentado ao redor da estreita mesa de madeira do aposento daquela humilde estalagem, já havia alguns minutos consideráveis que estavam ali apenas arrostando-se como se estivessem a jogar uma dificulta partida de Gwent. Partiriam do vilarejo na manhã seguinte e Geralt não queria prolongar mais o inevitável, a muito já sabia do envolvimento de Ellinfirwen e Jaskier, só fingia-se de cego para o que se passava até então. Entretanto, queria esclarecer as coisas de uma vez por todas, pois tinha um mau pressentimento que poderia haver sérias consequências caso continuassem a fingir que tal situação simplesmente não existia. A verdade é que não se importaria se a elfa decidisse trocá-lo pelo amigo, apesar de desejar permanecer com ela, no entanto não poderia obrigá-la a nada. De certo modo até entendia o lado do bardo em não revelar-lhe, pois supunha que o mesmo certamente teria receio de estar traindo a amizade deitando-se com a mesma mulher que ele, mas principalmente que sua reação não fosse das melhores caso descobrisse. Porém, sentia-se um tanto quanto incomodado pelo fato da Aen Seidhe resolver manter suas aventuras libidinosas com o trovador em segredo ao invés de simplesmente ser sincera quanto a seus desejos.

– Pois bem. – Começou o riviano. – Vamos ficar apenas nos encarando ou algum dos dois vai dizer algo? Achei que isto aqui seria uma conversa e não um jogo de quem fica mudo por mais tempo.

Jaskier e Ellinfirwen entreolharam-se de soslaio querendo saber quem falaria primeiro. O bardo logo entendeu que sobraria para ele, mas assim que fez menção de pronunciar-se a elfa tomou a frente:

– Oras, isso virou um interrogatório por acaso? – Questionou ela já sem paciência incomodada pela situação em que fora posta. – Até onde sei ninguém aqui cometeu algum crime. Nós três somos adultos e descomprometidos, então pare de nos tratar feito crianças. Até porque você não tem qualquer direito de exigir algum tipo de fidelidade de nós, Geralt. Pelo que sei você mesmo mantinha relação de poligamia com suas feiticeiras e só não está agora, pois o deixaram.

O riviano empertigou-se com a observação feita pela Aen Seidhe a respeito de sua vida íntima passada e franziu o cenho em repreensão, Jaskier que bebericava sua cerveja quase engasgou-se com o que Ellin acabara de despejar desaforadamente imaginando que certamente acabaria em discussão e o pior, sobraria para ele no final. Porém, logo o olhar cerrado do bruxo direcionou-se ao próprio que desviou o seu fingindo que não era consigo. Geralt sabia que só havia uma forma de Ellinfirwen ter conhecimento a fundo sobre seus relacionamentos passados, Jaskier e sua língua desmedida. Acertaria as contas com o amigo mais tarde a respeito disto.

– A questão aqui não são minhas relações de outrora e sim a que me envolve agora. – Rebateu o bruxo seriamente voltando-se a elfa. – E muito pelo contrário, não estou exigindo nenhum tipo de fidelidade, pois como fez questão em enfatizar nos envolvemos sem qualquer tipo de compromisso, só quero entender. Se queria ficar com Jaskier era só me dizer, eu não me oporia a sua decisão.

A Aen Seidhe sorriu sarcasticamente pela extremidade dos lábios enquanto tamborilava com a ponta dos dedos sobre a mesa.

– Geralt, Geralt... Quem lhe disse que quero somente Jaskier? Quero ambos. – Revelou ela pretensiosamente provocando verdadeira surpresa no bruxo que arqueou a sobrancelha intrigado. – Que culpa tenho eu se me sinto atraída pelos dois? Afinal, cada um possui suas particularidades que me encantam a sua própria maneira.  – Deu de ombros despreocupada enquanto o bardo permanecia inquieto com o rumo daquela conversa, embora fizesse o possível para não transparecer. – Se não concordar com isso eu compreenderei, afinal é seu direito. Mas se não posso ter ambos, prefiro ficar sem nenhum, afinal não me sentiria confortável trocando um pelo outro se obviamente não é isso que desejo.

Foi então que Jaskier arregalou os olhos com a possibilidade de não poder mais sentir os prazeres carnais de sua bela elfa. Geralt sabia perfeitamente que aquilo era apenas uma estratégia psicológica de Ellin para fazê-lo ceder às suas vontades, ainda que não duvidasse que ela estaria realmente disposta a abrir mão de ambos caso não conseguisse o que almejava.

– Pela santa Melitele, não vamos tomar nenhuma decisão impensada aqui. – Exasperou o trovador quebrando o próprio silêncio depositando o caneco sobre a mesa. – Tenho certeza que podemos chegar a um consenso que seja viável para todas as partes.

O riviano apenas encarou-o severamente e soltou um grunhido com sua declaração.

– A solução é simples. Se me querem, terão que aprender a compartilhar. – Sentenciou a Aen Seidhe, por fim aprumando-se na cadeira sedutoramente e cruzou as pernas de forma provocativa. – O que me dizem? – Sorriu de canto matreiramente enrolando algumas mechas do cabelo solto no dedo indicador.

Os homens fitaram-se como se cogitassem de fato a proposta. Naquele momento Geralt realmente estava a ponderar tal condição, já que se Ellin ainda o queria não haveria o por que de deixá-la se a gana permanecia recíproca. O único porém era se estava disposto a sujeitar-se a isto uma vez que até o presente momento nunca se viu na situação de ter de dividir uma mulher com alguém, muito menos com o próprio amigo. Mais alguns longos segundos de um tenso silêncio se estenderam até o bruxo deixar um pesado suspiro escapar-lhe dos lábios e dar seu veredito:

– Hummm... E como funcionará isso? – Questionou ele sentindo que arrepender-se-ia profundamente de sua decisão.

O trovador fitou-o desacreditado com o que acabara de ouvir, pois tinha quase certeza que ainda que insistisse demasiadamente o amigo não concordaria em partilha-la com ele. Ellinfirwen por sua vez apenas sorriu vitoriosa. Claramente também surpreendeu-se com a atitude do riviano, mas não podia negar que estava verdadeiramente satisfeita com o desfecho daquele suposto impasse, pois desta forma todos sairiam ganhando, principalmente ela.



Notas Finais


Obrigada por acompanharem e até a próxima ✌️


https://www.spiritfanfiction.com/jornais/semana-amorzinho-22379505


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...