1. Spirit Fanfics >
  2. A Caneta cor de rosa (Jikook) >
  3. Capítulo 1;

História A Caneta cor de rosa (Jikook) - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oioi, jujubas! Aqui está minha primeira colegialzinha com Jikook. ♥️ E eu espero muito que vocês gostem!

— Não sou uma especialista então perdoe se tiver algum erro de escrita.

— A capa e o banner foram feitos pela @Mochizinha_2006_S2 que faz parte do projeto @JikookPjct_ ! Amei demais e Obrigada novamente! ♥️💌

— O capítulo seria único mas já estou com uma idéias para um capítulo extra.

— É isso e boa leitura! ♥️

Capítulo 1 - Capítulo 1;


Fanfic / Fanfiction A Caneta cor de rosa (Jikook) - Capítulo 1 - Capítulo 1;

Se você fosse um alfa, nasceria com uma Mordida mas não seria necessário enfiar seus dentes em alguém. Uma mordida podia ser qualquer coisa que te ajudasse a encantar ômegas e betas. Poderia ser o perfume, a voz, até uma piscada de olhos. 


Para o azar de Jeon Jungkook, ele não nasceu com uma mordida. Pois os alfas descobrem suas mordidas aos quatorze anos. 


Um alfa sem mordida apaixonado pelo ômega perfeito. 


Park Jimin a figura de lindos cabelos rosados e corpo perfeito. Apesar de o mesmo não gostar nem um pouco do fardamento escolar, Jungkook pensava ao contrário. Ele achava que a farda caia bem no corpo de Jimin.


Tinha tantos garotos e garotas naquela escola mas Jungkook foi se apaixonar logo por ele. Park Jimin não era só um simples aluno, o garoto era o menino mais cobiçado do colégio. Não fazia parte da equipe de torcida mas estava sempre grudado com o grupo de garotas. E fazia parte do grupo de teatro, ele amava fazer parte dos musicais.


Jungkook bateu seus olhos em Jimin em um musical de primavera. Era sobre as quatro estações e – na opinião de Jungkook – Park Jimin estava perfeito representando a primavera. Lembrou de ficar chocado quando o menor apareceu com os cabelos pintados de rosa. Ele queria entrar com tudo no personagem. E Jungkook também. 


Naquele dia, também foi revelado o físico incrível de Jimin. O figurino era uma calça esverdeada e uma camisa branca de botões, quase transparente e que estava com os dois primeiros botões abertos. Além da linda coroa e cordão de flores. Jungkook também não deixou de admirar os pés expostos e fofos do rosado.


O nerdzinho só estava tão por dentro do musical porque trabalhava na parte dos efeitos. Luzes, cortinas, sons e etc.


Jungkook estava apaixonado pelo garoto primavera.


Se sentia um bobo por nutrir tais sentimentos pelo ômega desejado por todos os alfas da escola. A pior parte de estar apaixonado pelo garoto primavera, era que Jungkook era um alfa – para ele – nada atraente e sem mordida.


Sempre andando desajeitado abraçando seus livros. Uma vez ou outra, sendo zuado pelo time de futebol. Por sorte, ele tinha amigos. 


Namjoon era um alfa com uma personalidade bem velha para a própria idade. E Jin que era um ômega e estava no topo do ranking de melhores alunos da escola. 


Podia ser mais um dia chato mas aquela escola era movimentada por dança, teatro, música e casais perfeitos. Apesar de Jungkook ser tímido, a vida dele não era nada entediante. Principalmente, dentro da escola. Aquele lugar enchia sua vida de cor, e uma pessoa em específica também. 


Jin e Namjoon conversavam sobre os filmes que estariam disponíveis no cinema já que fazia muito tempo que o trio não se reunia. Enquanto Jungkook fingia ler uma HQ mas estava mais concentrado no garoto baixinho sentado em uma mesa bem próxima a sua. 


— Jeon Jungkook, eu tô falando com você! 


— O que foi, Namjoon? – o moreno arrumou os óculos antes de virar sua atenção para o amigo – O que você quer? Não vê que estou ocupado?


— Ficar secando o ômega bonitinho não é bem uma ocupação digna de ser respeitada a ponto de não ser atrapalhada. – rolou os olhos e deu um peteleco no moreno.


Kim Namjoon era um alfa de tirar o fôlego. Inteligente, rosto e corpo bonito, e também era um dos alfas mais respeitados. Seu pai era incrivelmente rico e financiava a escola, fazendo com que seu único herdeiro tivesse um certo poder lá dentro. 


— Diga logo o que foi. – suspirou. Ele sabia que era inútil continuar discutindo.


— Nós vamos no cinema na sexta. Você vai mesmo ou vai inventar outra desculpa?


Park Jimin tem tirado a atenção de Jungkook fazendo com que o garoto ficasse atrasado em alguns assuntos e assim tendo que estudar até tarde nas últimas semanas. 


— Se eu não for atrapalhar o casalzinho. – o moreno sorriu ao ver Jin ficar com as bochechas levemente coradas. 


— Que casalzinho, Jeon? Está louco? – o loiro tentou não esganar o amigo mas ele queria. Jin era o mais maduro entre os dois mas havia horas que ele só queria dar uns tapa nos mesmos, que se divertiam tirando brincadeiras com ele. 


— Loucura é vocês não terem se assumido ainda. 


— Tudo tem o seu tempo, Jungkook. Você vai ao cinema ou não? – Namjoon tentava ao máximo esconder a vergonha mas ele precisava se manter firme. 


— Eu vou. Mas se forem se agarrar ao meu lado, pelo menos avisem.


— Jeon Jungkook! 


O moreno riu dos amigos que estavam sem graça com suas piadinhas. Jin e Namjoon já estavam saindo a dois meses mas insistiam em esconder isso das pessoas. No máximo, seus pais e Jeon sabiam daquele romancezinho.


__________________________________


Era o horário livre dos alunos e Jungkook pegava esse tempo para os seus afazeres na equipe de teatro. Ele não era bom com esportes e muito menos sabia cantar e dançar, mas tinha que fazer algo que não estivesse tão ligado aos seus livros de física.  


Antes de chegar perto do armário podi ver uma mancha branca no meio de todo o cinza. Um bilhete. Feito com delicadeza e cheirava a morango. A letra escrita com caneta cor de rosa era familiar para o rapaz. 



“Serei teu à tua ordem, apenas chama-me de amor.”



O aroma doce que vinha do papel invadiu seu nariz, lhe arrancou um sorriso bobo.


O clássico Romeu e Julieta seria a peça desse ano. Ele não era chegado a romances trágicos mas já tinha lido a obra. Afinal, quem nunca ouviu falar de Romeu e Julieta? por ser a nova peça do teatro da escola, ele estava relendo pois o diretor – seu amigo Jin – queria que todos estivessem cientes do que seria trabalhado. Ele queria perfeição.


— Ah, é você. – a voz masculina chamou sua atenção. Era Taehyung. – Desculpe, Jungkook. Estou procurando pelo Jimin. Você o viu? preciso tirar as medidas do figurino! 


“É claro!” – disse em mente.


Se recordou do dia em que acabou esbarrando com Jimin, quase ficou sem seus óculos mas ajudou o rosado a juntar seus materiais. Naquele dia, Jeon Jungkook viu a letra do ômega em um dos papéis. Uma letra linda e delicada.


Saiu em desparada do vestiário deixando Taehyung lá e sem respostas. O ruivo não era o único procurando por Jimin.


Antes de ter certeza que era a letra do Park, o garoto precisava consultar seus amigos. Ter certeza de que aquilo era mesmo real. 


Nem nos seus sonhos mais loucos aquilo seria de Jimin. Talvez ele tivesse bebido algo estragado mais cedo e morrido de infecção. 


— Jin! Preciso de ajuda! – sua voz fez um eco no sala do teatro.


Por sorte, só estava Jin na sala, assim ninguém veria a loucura de Jungkook com um pedaço de papel. 


— Alguém morreu por acaso? espero que não seja o protagonista da peça. Falando em peça, você viu Jimin? 


— É sobre ele mesmo que quero conversar! – o moreno tentava controlar a respiração. Esticava o braço na direção de Jin, lhe mostrando o papel – Você conhece a letra dele? 


— Humm... – Jin pegou o papel e o leu. Deu um sorriso ao saber do que se tratava. – Romeu e Julieta, meu amado amigo Jeon. O Park estava ansioso pra trabalhar com o romance, é um dos livros favoritos dele.


Ali estava uma coisa que Jungkook não sabia sobre Park Jimin. Seu ômega favorito gostava de romances trágicos? 


— Você não respondeu minha pergunta. 


— Não tenho certeza. Devia perguntar da Lisa ou da Jennie. – devolveu o papel e voltou a mexer no roteiro da peça – E, pelos céus, se achar o Jimin traga-o pra cá. Nem que seja carregado mas que venham rápido. 


Concordou com a cabeça e saiu na  busca pelas amigas do rosado. Elas estavam no ensaio das líderes de torcida. 


Invadiu o campo que os jogadores treinavam e ouviu algumas piadinhas sem graça com seus óculos. A tentativa de deixar sua farda intacta para as próximas aulas foi falha, já estava todo encharcado de tanto correr pela escola. Agradeceu por não ter nenhum professor no seu caminho ou ele acabaria levando uma intimação. 


— Lisa! – chamou pela menina que estava no topo de uma pirâmide. 


O alfa deixou algumas ômegas desajustadas e aquilo acabou dando errado. Quando ia começar a falar viu o grupo de garotas todo no chão, resmungando e tentando se levantar. 


— O que houve, Jungkook? – a beta se aproximou enquanto arrumava os cabelos – Aconteceu alguma coisa?


— Você sabe como é a letra do Jimin, não é? – mostrou o papel que já estava pouco amassado. 


— Admito que a letra dele fica mais bonita quando ele usa a minha caneta rosa. – sorriu lendo o papel – É a letra dele sim.


— Sabe onde ele está? preciso falar com ele.


Jungkook queria saber se aquilo era um engano. O rosado podia ter errado o armário.


— Jimin estava um pouco ansioso por causa da peça. Ele não é o protagonista mas sempre se emociona com a história. – suspirou cruzando os braços – Talvez ele esteja nos fundos da biblioteca lendo. É pra onde sempre vai quando precisa se acalmar. 


— Obrigado, lisa!


Se despediu e correu para fora do campo. Enquanto ia até a biblioteca sentiu seu estômago se revirar, um frio e suas pernas ficavam cada vez mais bambas. Cada passo era para estar longe ou perto do seu amor. 


A muito tempo ele era apaixonado pelo garoto primavera e agora era a hora de sentir seu coração se despedaçando ou de se sentir vivo novamente. 


Lá estava ele, era impossível não ver seus fios rosados no meio de toda aquela escuridão. Estava sentado no chão e encostado em uma das estantes, com um livro sobre as pernas cruzadas. 


O menino não sabia como ficava lindo quando estava distraído. Ele estava sorrindo, provavelmente de algo que estava lendo no livro.


— Park Jimin... – o menor levou a atenção para o moreno. 


Jimin arregalou os olhos e ficou corado. Não esperava ser encontrado alí, no seu cantinho da paz.


— Acho que isso é seu. – estendeu o papel na direção do rosado. 


— Jeon Jungkook... – tocou a mão do moreno. Riu baixo ao ver o alfa ficar sem jeito. – Isso é seu.


— Talvez seja um engano. – olhou para o papel e leu novamente o que estava escrito ali.


— Não é um engano, Jungkookie. – o menor se lavntou e fechou o livro.


Jimin tinha um cheiro doce. Tão doce quanto o perfume que estava impregnado no bilhete. Sua boca era perfeitamente desenhada e sua pele polida, além dos belos olhos. O fios rosas lhe caiam bem, o deixavam com um ar adorável e calmo. Exatamente como ele realmente era.


“Serei teu à tua ordem, apenas chama-me de amor.” – recitou Jimin e se formou um sorriso em seus lábios. Seus olhos brilhavam como uma criança abrindo o presente de natal.


“Será que o meu coração realmente tinha amado até agora? Pois eu nunca vi beleza tão pura até esta noite.” – pela primeira vez, Jungkook tocou o rosto de Jimin. A pele era macia e quente. 


Jeon não era fã de Romeu e Julieta mas estava fascinado por tudo que envolvesse seu ômega favorito. 


Jimin se permitiu ficar na ponta dos pés e dar um selinho demorado no moreno. O gosto dos lábios do rosado era exatamente como Jungkook havia imaginado na sua cabeça. Envolveu os braços na cintura do menor o trazendo pra perto. 


Não demorou a Jeon perceber que não estava sonhando. Jimin estava em seus braços após recitar um pequeno trecho de Romeu e Julieta. O romance não era o seu favorito mas ele nunca o esqueceria depois de Jimin entrar na sua vida.


Notas Finais


Obrigada por ler e até a próxima, nenê! ♥️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...