1. Spirit Fanfics >
  2. A carta. >
  3. Capítulo Único

História A carta. - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction A carta. - Capítulo 1 - Capítulo Único

Tony se fora.

Não havia um só dia pós a morte do Homem de Ferro que esse pensamento não assombrasse Peter por completo, que não o atormentasse, que lhe roubasse o sono.

Seus olhos estavam injetados e inchados de tanto chorar. O Parker não se conformava com a ideia de que havia perdido a pessoa que mais amava e admirava. O Stark foi muito mais que namorado do Homem-Aranha, foi seu exemplo de herói, seu melhor amigo, a pessoa na qual se inspirava.

Petey sentia agora um oco estranho em seu peito, onde o coração ficava. De que adiantava ter retornado para não ter quem sempre quis? De que adiantava? Nada. Absolutamente nada. O garoto mal conseguia comer agora.

O garoto sentia vontade de gritar, socar as paredes. A tristeza estava o afogando devagar e o herói sentia que tinha de fazer algo á respeito daquilo, colocar tudo que sentia para fora. Queria ao menos poder falar com Tony uma última vez, mesmo que este não pudesse ouvi-lo.

E aquela ideia permaneceu na cabeça de Peter por dias, longos e infindáveis dias, onde as horas não pareciam passar. Os dias estavam mais lentos, mais cinzas e chuvosos no mundo do Aranha.

Então, durante uma madrugada sem sono, o menino vestido em seu pijama, se sentou á escrivaninha de seu quarto e pegou uma caneta e um papel, encarando as linhas como se as temesse.

Respirando fundo, Peter tomou coragem e começou a escrever:

“Senhor Stark...

Como sinto saudade de te chamar assim. Não faz ideia do quanto sinto sua falta. Do quanto sinto falta de sua presença, do seu sorriso e especialmente de sua coragem admirável.

Sempre te achei a pessoa mais brilhante do mundo. Você era meu modelo, o herói que me inspirava, me fazia acordar todos os dias e querer ser uma pessoa muito melhor, uma pessoa que salvava as outras e nunca pensava só em si mesma.

Você não era apenas o meu namorado incrível e bonito, era meu melhor amigo, meu conselheiro, meu mentor. Eu sabia que podia contar com seu apoio em qualquer situação, sabia que estaria ali para mim quando precisasse de ajuda.

Sabia que quando chegasse em casa, estaria me esperando para me amar, me beijar, perguntar sobre meu dia. Sempre me ouvia com paciência e atenção e me dava bronca quando se fazia necessário.

Eu achava graça quando você tentava cozinhar e fracassava. Devo te dizer que era um péssimo cozinheiro. Lembro bem de quando quase colocou fogo na cozinha uma vez, tentando fazer um jantar romântico. Nós ficamos desesperados, mas depois acabamos rindo até chorarmos e perdermos o fôlego.

Nós brigávamos também, afinal, nós tínhamos falhas. Éramos dois humanos imperfeitos juntos, mas nossas imperfeições não nos impediam de nos amarmos. O que eu mais gostava era que você nunca desistiu de nossa relação mesmo quando tudo parecia perdido. Nosso amor era forte e puro.

Quando eu chorava e tinha um dia péssimo, você estava lá para me abraçar e secar minhas lágrimas, para me dizer que estava tudo bem e ficava me aninhando contra seu corpo por horas, me deixando chorar até que me sentisse melhor.

Queria que pudesse fazer isso agora. Queria que estivesse aqui, para nos sentarmos no sofá e vermos um filme qualquer. Queria que estivesse aqui para a gente dançar mais vezes na sala de estar, para irmos á praia, comer um monte de besteira e dormirmos abraçados.

Você era tudo que eu queria ser e tudo que eu queria ter. A melhor coisa que aconteceu na minha vida, mas te tiraram de mim. Tiraram a coisa mais importante que eu possuía e nada e nem ninguém pode tomar seu lugar.

Não sei quando e nem sei como essa dor vai passar. Ainda dói demais pensar que nunca mais te verei abrindo a porta, que nunca mais te verei na sede dos Vingadores, com seu jeito mandão, mandando nós termos foco e nos apressarmos.

Você sempre será meu sonho, não importa o que aconteça. Meu coração é seu. Eu te amo e te amarei até meu último suspiro. Essa carta é meu adeus final a você. Uma despedida, mas saiba que nunca irei te esquecer.

Com amor, o seu Peter.”

A carta estava manchada com as lágrimas que o Parker derramara enquanto a redigia. Era inevitável não derramá-las.

Com as mãos tremendo, Peter dobrou a carta com muita cautela e a colocou dentro de um envelope. Estava na hora de levar aquilo ao cemitério. Peter sentia que ficaria em paz após aquilo.

O menino calçou os tênis de modo apressado e saiu de casa, sentindo a chuva leve bater em seu rosto e em seu corpo. E ele corria, corria e corria. O coração acelerado, as bochechas coradas.

Afinal, ele tinha uma entrega aquele dia.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...