História A Carta do Baú. - Capítulo 30


Escrita por:

Postado
Categorias Capitão América, Os Vingadores (The Avengers)
Personagens Anthony "Tony" Stark, Bucky, Clint Barton (Gavião Arqueiro), Dr. Bruce Banner (Hulk), Feiticeira Escarlate (Wanda Maximoff), James Buchanan "Bucky" Barnes, Maria Hill, Natasha Romanoff, Nick Fury, Pantera Negra (T'Challa), Personagens Originais, Peter Parker (Homem-Aranha), Pietro Maximoff (Mercúrio), Sam Wilson (Falcão), Scott Lang (Homem-Formiga), Sharon Carter (Agente 13), Steve Rogers, Thor, Visão
Tags Bucky Barnes, Personagens Originais, Universo Alternativo, Vingadores
Visualizações 80
Palavras 1.341
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Fantasia, Ficção, Luta, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Nudez, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oooie, genteee!
Vim agradecer ao favorito. 💖💖💖 Obrigada!
Lembram que eu disse que já tinha escrito vários capítulos? Esqueçam lksks eu tive um surto de raiva porque a história estava indo por um caminho que não me agradava... Então, espero que tenham paciência comigo pois estou reescrevendo o final de novo... 😒😳

Mas garanto que está melhor do antes ❤

Agora, podem ler 😜❤

Capítulo 30 - Reason.


Eu caí sentada na cadeira. Ou melhor, me afundei mais nela, pois já estava sentada. Meus ouvidos custaram a acreditar no que eu ouvi. "O soro foi ativado..."

Comecei a rir, mas de nervoso. Tony me olhou com as sobrancelhas levantadas.

 

-Ela está tendo um faniquito. Isso é uma reação normal ou devo pegar a armadura?

 

-Agora não, Stark! - Natasha reclamou.- Katy, se acalma...

 

-Me acalmar?! Eu virei um Super Soldado e você quer que eu me acalme? - Eu soquei a mesa. Deixou uma marca.

Olhei espantada. Senti um carinho na nuca e virei para o lado. Bucky me puxou para perto dele.

 

-Katy, ficar nervosa não vai adiantar. Você já era forte antes, agora vai estar mais.

 

-E ainda vamos ter que estudar como o Soro te afetou, agora que ele foi ativado... - Steve me disse.

 

-Mas já aviso, se você ou Bucky brigarem e quebrarem o prédio, vou descontar do salário de vocês. - Tony tentou fazer piada, mas não deu certo. - Ah, vamos, gente! Se anima! Deve ter algum lado bom nisso tudo...

 

-Deve ser ótimo mesmo, ter sido sequestrada e não lembrar de nada... - Eu falei. Senti um aperto mais forte na cintura quando Bucky me puxou mais para perto dele.

 

-Eu não disse isso, estressadinha! - Tony se defendeu.

 

-Tá bom, gente! Já deu! -Steve se meteu. -Pergunta o que quiser, Katy.

Mas eu não sabia por onde começar... Eu tinha mil perguntas na minha cabeça e não conseguia nem colocar em ordem.

 

-Ou se não quiser perguntar nada, Katy, vamos entender... - Natasha segurou minha mão e deu um aperto firme.

Eu assenti. Minha cabeça latejava.

 

-Katy, quer ir descansar? - Steve perguntou.

 

-Quero! - Eu me levantei de uma vez e quase deixei a cadeira cair no chão, mas me virei e peguei ela no ar. Todos me olharam surpresos.

 

-Que foi? Falei que estava atenta a detalhes...

E deixei eles lá, me olhando com cara de quem viu elefante voar.

Me tranquei no quarto durante um dia inteiro. Bucky, Nat, Wanda, Clint e até Sam tentaram me tirar de lá... Mas eu não quis sair. Só no dia seguinte, escutei Visão bater na porta e dizer:

 

-Senhorita Smith? Espero que esteja vestida...

Quando fui perguntar porquê, eu vi ele entrando pela porta. Visão e a capacidade de atravessar paredes!

 

-Não quero conversar.

 

-Não vim conversar, embora devo dizer que acho que seria o melhor. Eu só vim avisar que sua presença é requisitada, pois tem que realizar alguns exames com o Dr. Benner.

Eu o olhei. Droga, eles não iam me deixar em paz...

 

-Tá bom, Visão. Obrigada. Posso ir me vestir?

 

-Claro, com licença.

E saiu. Me joguei de novo na cama.

Uma hora depois, estava deitada numa maca enquanto Bruce Benner tirava meu sangue em pequenas amostras.

 

-Me conta de novo? - Ele pediu, rindo- Você levou um soco no nariz e ficou fanha? E mesmo assim, se formou?

 

-Sim... Na verdade, Stark gravou a cena, o que mostrou que se não fosse minha capacidade de me surpreender comigo mesma, eu tinha sido totalmente brilhante! - Eu. - Ai, doeu.

 

-Desculpe. - Ele finalmente tirou a agulha do meu braço. Segurei o algodão que ele me deu. - Me lembre de não te deixar com raiva.

 

-Eu digo o mesmo, Senhor Benner.

 

-Pode me chamar de Bruce. Se o pessoal confia em você, eu também confio. - Ele sorriu, enquanto olhava para a minha ficha.

Constatei que ele não era feio. Só parecia cansado. Devia ser horrível viver como uma bomba relógio. Então ele olhou para um lado e depois, para o outro.

 

-Katherine...

 

-Katy, por favor.

 

-Katy, eu posso te fazer uma pergunta? - Afirmei, ele tirou os óculos e suspirou. - A Nat e o Steve estão juntos, não é?

Eu torci a boca. Clint me contou que eles tiveram um caso. Não sabia se seria legal falar.

 

-Tudo bem... Deixa, não precis...

 

-Sim, estão. - Ele olhou para mim e vi uma nota de tristeza nos olhos dele.

 

-E ela é feliz?

 

-É... - Falei, me sentindo culpada.

 

-Então, ótimo! Isso que importa! - Ele recolou os óculos e sorriu. - Prontinho, Katy. Vou analisar seus exames junto com a Dra Ellen. Assim que tiver os resultados, te chamo.

Ele olhou para a porta, atrás de mim

 

-Ah, seu namorado está ai...

 

-Ee não é meu namorado. - Falei rápido demais.

Bruce me olhou com a sobrancelha erguida.

 

-Jura? Nossa, do jeito que ele ficou quando ninguém sabia onde você estava, eu presumi que fosse. Desculpe. - Ele fez uma pausa e falou baixo. - Não deixa o orgulho e a teimosia vencer, Katy. Bucky gosta de você, e pela sua cara, tenho certeza que você gosta dele. Agora vai logo, antes que ele me soque com aquele braço.

Eu ri e me levantei. Cheguei na porta e Bucky estava parado de braços cruzados.

 

-Oi. Sei que não quer conversar, mas achei que socar uns sacos ia te fazer bem...- Ele disse, me dando umas luvas de treino.

 

-Boa idéia. Mas eu não quero assustar a Shield inteira...

 

-O saco de pancadas está no meu quarto. Não tem ninguém lá em cima. Você pode socar e gritar a vontade.

Subimos e fomos para o quarto dele. Bucky tinha pendurado dois sacos no teto.

 

-Vamos lá, primeira coisa: A raiva aumenta a força. Sei que está com raiva, mas pega leve com meu saco ou...

Eu comecei a rir. Ele me olhou confuso. Notoriamente não entendeu o duplo sentido. Mas me controlei e ele terminou de dar as instruções.

Eu comecei a socar enquanto pensava em tudo. Tentava canalizar a raiva, como ele disse, não na força, mas na direção e potência dos socos e chutes.

Bucky estava sentado na cama, braços cruzados me observando. De repente, se levantou.

 

-Não, não! Mil vezes não, Katherine! Esqueceu tudo que eu te ensinei? Não abaixa a guarda, não abre a defesa... Seu quadril tá solto e quebrando o movimento e suas pernad estão duras...

Ele foi para trás de mim, imitando a cena do boliche. Dessa vez, não fiquei tensa e até aproveitei.

 

-O seu quadril vira junto quando você dá o soco, assim... - Ele demonstrou. - E sua pernas tem que ficar mais abertas, assim... - Ele abriu um pouco com a perna dele. - Se não, você fica dura e cai. Agora soca, devagar...- Eu soquei, o saco de pancadas nem balançou.

Bucky beijou atrás da minha orelha.

 

-Isso. Agora faz sozinha... Perfeito! - Ele sorria, orgulhoso.

Eu me virei para ele, sorrindo.

 

-O que foi, Katherine?

 

-Você não me treinou assim, Bucky. Se não, eu teria aprendido mais rápido...

Ele ficou vermelho. Eu ri, e voltei a socar o saco. E dei um soco tão forte que ele voltou e ia bater na minha cara, mas me esquivei no último segundo.

 

-Bom reflexo! - Ele se levantou e segurou o saco de pancadas. - Tá bom, chega! Por hoje, tá ótimo! Ta com fome? Podemos ir fazer almoço...

Mas eu interrompi a fala dele, pulando no seu colo e o beijando. Se ele pensava que ia me provocar dessa forma e não ia receber nada em troca, ele era muito idiota.

Bucky me segurou pelas coxas e andou comigo até a cama. Sentou, me fazendo ficar sentada no colo dele, e quando ele fez menção de me jogar na cama, eu me levantei.

 

-Tem razão, tô morrendo de fome! Vamos?

Eu me afastei e parei na porta. Ele estava vermelho, com a respiração ofegante. Seus olhos azuis brilhavam ferozmente para mim. Mas ele fechou os olhos e respirou fundo...

 

-Tá, vamos.

Fomos para a cozinha e fizemos um arroz com queijo, que queimou já que nos beijávamos mais que cozinhavamos.

No meio do almoço, não contive a curiosidade e perguntei:

 

-Então, Sargento... Como foram esse dias sem minha presença irritante?

Ele terminou de comer, suspirou e me encarou. E nesse exato momento, percebi que algo mudou na gente. 


Notas Finais


Espero que tenham gostado do Bruce 💖 Ele é um personagem que eu amo muito...
Espero também que não estejam enjoados de Katucky (que porcaria de nome ksksks 😂) e se quiserem me dar alguma idéia, sou toda ouvidos

O próximo capítulo vai ser bem engraçado! Juro 😂😂😂😂

Até os comentários! Bjs 😘❤💞


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...