História A casa de Greenwich - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Lendas Urbanas, Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Adolescentes, Assassinatos, Assombração, Espíritos, História, Mistério, Romance, Sobrenatural, Sobrevivencia, Suspense, Terror
Visualizações 104
Palavras 1.793
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Ficção, Ficção Adolescente, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas do Autor


Se você está lendo esse capítulo então significa que você está gostando até agora, já que está aqui fique até o final que prometo que não vai se desapontar. Letisgou

Capítulo 2 - O dia da viagem


Fanfic / Fanfiction A casa de Greenwich - Capítulo 2 - O dia da viagem

Eu ainda estava desacreditada que teria que fazer a minha pesquisa com aquelas pessoas. Não importa o esforço que teríamos que fazer, se a nota não fosse boa o suficiente provavelmente os pais do Danton dariam algum suborno para a professora só por alguns pontos extras. 

Cheguei em casa e fui direto para o meu quarto, o lugar precioso e seguro onde posso guardar as minhas coisas e meus segredos sem que ninguém invada a minha privacidade. Não há sensação melhor do que tirar os sapatos e ficar passando os dedos no pé no meu tapete veludinho. Abri o guarda roupa e peguei uma bolsa grande de viagem que ganhei quando passei o natal retrasado na fazenda da minha avó, foi a primeira vez que tomei coragem e montei num cavalo... E a única também. 

Qual roupa pode ser adequada para um final de semana em uma cidade quase vizinha com a Betty fazendo suas birras, o Danton se exibindo e a Sabrine tagarelando excessivamente sobre tudo? Infelizmente não achei uma camisa de força nem um protetor de ouvido. 

Peguei algumas roupas e arrumei tudo com jeitinho na bolsa, fui ate a minha prateleira pra pegar minha escova de cabelo e tinha tanta coisa ali que eu me distraí fácil nelas, inclusive uma caixinha em específica. Era uma daquelas caixinhas com uma bailarina que dança quando da corda, só que ao invés de uma bailarina era uma dançarina espanhola... Mas o que mais me tocava era o valor sentimental que ela tinha. A Angela me deu, sim, a irmã do Rick. Odeio conversar sobre esse assunto mas eu e a Angela eramos muito próximas, de tal jeito que demora para se compreender. Lembro que fomos a um parque juntas e brincamos na barraquinha de tiro ao alvo (que por acaso ela era muito boa) e  a prenda foi essa caixinha, ela me deu dizendo que um pedaço dela sempre estaria ali.

Olhei no relógio e já eram 13h30, dei tchau para os meus pais, sai na rua e dei de cara com aqueles olhos com delineados me olhando. 

- Ta atrasada. - Sabrinie estava batendo os pés no chão com tanta pressa, já conheço essa mania dela, ela tava morrendo de ansiedade. 

- Você sabe que a praça não é nem a 10 minutos daqui né. 

Ela pegou a minha mão e fomos andando pela calçada.

- Um fim de semana com Rickon Bolton, dá pra acreditar? 

- Rickon... É, to muito empolgada...

- Vamos lá Lisa, pelo menos nesses dias não seja tão... Você. Eu sei que você não fala com ele desde o que aconteceu com a Angel e tudo mais, eu não vou negar que eles são o clone um do outro e eu te entendo completamente por que você deve lembrar dela...

- Sabri...

- E deve ter sido muito difícil  superar o que aconteceu porque você e ela eram tão...

- Sabrinie!

- Ta bom - Ela faz os gestos de como tivesse fechado a boca com um zíper. 

Não demoramos nem 2 minutos a mais e chegamos no ponto de encontro, a caminhonete ja estava la e o Rickon abraçado com a Betty também. 

- Chegaram na hora certa, os meninos só estão la dentro da conveniência comprando algumas vodkas e ja vamos indo. - Eu acho que é o jeito do Rick mas mesmo com a Betty nos braços ele fala com um olhar de como se estivesse flertando com você. 

- Que bom porque eu adorooooo Vodka - A Sabrinie jogou nossas bolsas na parte de trás da caminhonete e subiu em seguida.

A Betty estava mastigando alguma coisa que eu creio ser chiclete, a boca dela se mexia tanto que mais alguns minutos e ela se transformava em uma vaca de vez. 

- Ansiosa Betty? - Eu mal terminei de falar e já me arrependi de ter tentado puxar assunto.

- Vai ser uma experiência diferente eu diria. - Ela sorriu e eu abri um sorriso tosco de volta. 

Chris e Danton apareceram algum tempo depois com as sacolas.

- Perfeita Lisa, você realmente fica bem nesse short. - Percebi que o short não foi a unica coisa que o Danton reparou até demais. A algum tempo ele vem me soltando esses elogios depois que ele me viu na praia de biquíni.. 

- É, você também ficaria bem nesse short.

Os meninos riram falando coisas do gênero também.  

Chris me ajudou a subir na parte de trás da caminhonete e subiu depois também. Betty, Rick e Danton foram na frente. 

A gente mora em um cantinho de Tribeca, resumindo demora algumas horas para chegar em Greenwich. Pegamos a estrada e eu conseguia ouvir eles na frente cantarolando alguma coisa, Sabrinie estava curtindo o momento sentindo a brisa no cabelo com os olhos fechados. Eu estava apoiada no canto observando tudo e o Chris com fones de ouvido, até que ele tirou...

- Lis, faz tanto tempo que a gente não conversa mais...

Quando ele me chamou desse jeito eu senti um arrepio e uma breve nostalgia.

- Eramos mais próximos no ensino fundamental, depois você entrou na banda e eu continuei atrás das cortinas.

Outra coisa da qual eu não comento... O chris. Crescemos na mesma rua, nossos pais sao amigos, brincavamos sempre... Até que por volta dos nossos 15 anos nos nós apaixonamos. Durou bem pouco porque o ensino médio acabou nos separando apesar de ainda sermos da mesma escola. De qualquer jeito não foi nada sério, ele mudou de vizinhança também. .. E cá estamos.

- Eu sempre quis voltar a falar com você, mas achei que você não fosse querer.

- Não Chris, eu também queria mas você fez tantos novos amigos, novas amigas...

- E agora parecemos dois bobos por nunca ter feito isso antes. - Ele sorriu, eu senti falta de ver aquilo.

- O único bobo é você porque eu ainda sou a rainha  do reino do trono. - Era uma das nossas brincadeiras que eu mais gostava.

- Perdoe-me Majestade - Começamos a rir e vimos a mão do Rickon pra fora da janela nos dando uma garrafa de bebida. 

Chris pegou, abriu e deu uma golada enorme, ele realmente mudou bastante porque da ultima vez que tentamos beber escondido ele passou mal na meia golada que deu.

- Vai um gole?

- Vão até dois.

Conversamos a viagem inteira e rimos das coisas que faziamos quando a gente era novo, eu ainda via aquela criança dentro dele. Ele sempre foi a pessoa mais inteligente que eu conheci, os óculos e o cabelo bagunçado eram só um charme a mais. 

Acordei encostada no ombro dele com uma mão me cutucando atrás. 

- Acordem, nós chegamos. 

Rick me ajudou a descer e meu Deus, ele não mentiu quando disse que a cidade era linda, dava pra ouvir o som dos passarinhos, as arvores embutidas na calçada tão verde que eu me apaixonei so de olhar.  Eu ainda deveria estar dormindo porque aquilo era um sonho.

- Então, onde vamos ficar mesmo? - A Betty leu meus pensamentos quando perguntou isso. 

O silencio depois dessa pergunta me incomodou um pouco. 

- Ninguém pensou nisso né? - Consegui ouvir o suspiro do Chris atrás de mim.

Então uma luz brilhante Milagrosamente  iluminou o Danton:

- Rick aquela casa que a gente passou quando fomos pro jogo, que você disse que era igual a do livro da escola.

- O que tem ela? 

- Aparenta estar vazia, e eu reparei uma placa de imobiliária meio escondida então não devem visitar muito aquela casa... O que acha? 

Rick virou pra nós com as mãos na cintura: 

- Parece nossa unica opção agora. Ja ta ficando tarde pra voltar. 

Subimos na caminhonete de novo e paramos em frente a uma casa velha:

- Agora eu sei porque ela ta vazia - O olhar da Sabrinie dizia: Me leva pra casa eu te imploro. Eu comecei a rir porque lembrei aquela "regra" dos trabalhos que sempre dão errado.

A casa era bonita, apesar de bem velha, janelas de vidro bem colocadas, varandinha com aquelas cadeiras de balanço, muitas raízes em volta dela (ate demais), porem dava pra perceber que os detalhes da porta, da janela, da escadinha, ate a propria pintura. das paredes eram bem velhos e ultrapassados, alguem não reformava ela vazia uns anos e nem achava mais aqueles materias no mercado hoje em dia.

Danton para variar quis dar um de nosso herói e tentou dar um pontapé na porta, e falhou miseravelmente. Chris percebeu que tinha uma janela entreaberta:

- Eu posso entrar ali e destrancar a porta por dentro, a casa é velha então deve ter aquelas fechaduras que ficam na parede.

- Tem certeza?  - Eu não sei porque mas aquela casa me parecia estranha. Más sensações. 

- Tenho, só fiquem aqui.

- Para onde mais iriamos? - Quando a Betty desrespeitou o Chris assim quis tanto abrir aquela porta com a cabeça dela.

Chris escalou a parede e alcançou a janela, ele praticamente rolou pra dentro so conseguimos ver as pernas dele pra cima.

Passaram dois minutos e nada.

- Ai meu Deus ele morreu. - O grito da Sabrine depois de tanto silêncio fez com que todos dessem um pulinho de susto.

- Ele não morreu, a casa deve ser grande ele nao deve estar achando a porta.

- Até parece Rick, e se na queda ele quebrou a clavícula? 

- Ele não quebrou nada.

- Eu sei que to preocupada.

-  Gente é o Chris ele sabe fazer as coisas - interrompi a conversa dos dois.

- E como você sabe disso? - Rick cruzou os braços me olhando.

- Porque eles são boifrindris dãr

- Boyfriends Sabrine.

- Então vocês tem um lance? 

Quando Rickon perguntou isso, ele descruzou os braços e fez uma cara de decepcionado. Eu fiquei sem reação e só conseguia dizer: Um...Er...Um.

Então a gente ouviu barulhos vindo da porta e junto com tanta poeira saiu o Chris la de dentro.

- Gente tem muita coisa aqui vocês precisam ver.

- Da próxima vez que voce for explorar, abre a porta pra gente primeiro - Mais uma resposta atravessada de Betty para ser anotada. 

- Ai meu Deus você ta vivo! Achei que você tivesse em estado de coma!

- Ainda não Sabrine - Pude ver o sorriso dele mais uma vez.

Ele pegou a minha bolsa e as pessoas foram entrando, eu entrei por ultimo e quando fui fechar olhei pra trás antes notei do outro lado da rua uma velhinha me olhando através do seu echarpe vinho desgastado, ela sorria maliciosamente puxando so o lado direito da boca pra cima, ela quase ja nao tinha cabelo por conta da idade, ela me olhava como se me conhecesse ou pelo menos fingia que conhecia, não consegui ver direito os outros detalhes da senhora porque depois que um grupo de pessoas passaram ela simplesmente desapareceu. 

Provavelmente deve ser o sono, dizem que nos fazem ver coisas... Então  fechei a porta.












Notas Finais


E finalmente mais um capítulo, em breve eu estou pensando em fazer alguns capítulos bônus em que eu não vou focar na historia principal e sim explorando mais as coisas de quando a Angela estava viva e qual era intimidade dela com a Lisa. E também a vida dos outros estudantes mais a fundo. Gubai ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...