História A CDF que todos queriam - Capítulo 22


Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Cdf
Visualizações 10
Palavras 1.467
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oieeeeee, demorei só um pouquinho haha

Capítulo 22 - O julgamento


Fanfic / Fanfiction A CDF que todos queriam - Capítulo 22 - O julgamento

Narrador POV

Dia seguinte

Todos estavam aflitos, esperavam ansiosamente pelo juiz. Elly e Isabella estavam sentadas ao lado do seu advogado Dylan Cooper, na mesa ao lado estavam o Andrew, seu pai, a advogada, a diretora e o advogado da escola.

Nas cadeiras que ficavam atrás, estavam algumas pessoas desconhecidas, mas também estavam o Ryan, Lorenzo, Brian, Andrea, Helena e a Kátia.

Em poucos segundos o juiz entrou na sala, todos levantaram, assim que o juiz sentou, as pessoas retornaram a se sentarem em seus devidos lugares.

- Eu estou ciente que o Sr. Andrew Gutierre foi preso ontem por sequestro e agressão física, mas logo conversaremos sobre isso, primeiro vamos ouvir a diretora Kristin Mitchel. Por favor. – ele olhou para a diretora e fez um sinal para que a mesma sentasse na mesa ao seu lado. – O Dr. Cooper pode começar. – disse após Kristin fazer seu juramento.

- A senhora é diretora da escola Havard-Westlake School, correto? – Dylan perguntou se levantando.

- Correto. – Kristin responde simples.

- A senhora sabia do suposto bullying que praticaram na escola? – Cooper já estava próximo a mesa, Mitchell se remexeu desconfortável. – Só para lembrar, que a senhora está sobre juramento e caso mentir sofrerá penalmente. – ela suspirou.

- Sim, eu sabia do bullying. – Dylan arregalou os olhos com a surpresa por ela ter sido sincera, mas no segundo seguinte se recompôs.

- Porque nunca fez nada? – a olhou seriamente.

- Eu nunca achei que era sério. – Kristin fechou os olhos. – Eu só achava que era uma brincadeira de crianças. – olhou para Dylan.

- Então, você está dizendo que nunca advertiu Andrew pelas “brincadeiras”? – fez aspas com os dedos no ar.

- Não. – seu olhar era perdido.

- Por qual motivo? – Cooper se interessava cada vez mais.

- Eu achei que isso logo pararia. – disse com o olhar baixo, encarando suas mãos.

- Em algum momento a senhora achou que as coisas saíram de controle? – Dylan colocou as mãos dentro do bolso da calça social e a olhava seriamente.

- Sim.

- Em qual momento? – Cooper permanecia na mesma posição.

- Com a última brincadeira. – sua voz saia fraca.

- Poderia descrever? – Dylan se mantinha do mesmo jeito.

- Os alunos cercaram a senhorita Hiiro no pátio central e o senhor Gutierre jogou algum liquido fedido nela. – ela respirou fundo e olhou firmemente para o advogado a sua frente.

- E qual foi a punição por isso? – Cooper se aproximou mais um pouco da diretora.

- Nenhuma.

- E porquê?

- Era o último dia de aula, não poderia dar mais punições. – disse firme.

- Quando as aulas retornaram, fez algo a respeito? – Dylan não tirava os olhos da diretora.

- Não.

- E novamente, porquê? – levantou as sobrancelhas interrogativo.

- Porque eu achei que eles mudariam, dei uma nova chance a eles. – os olhos de Dylan estavam deixando Kristin incomodada.

- Como podemos vermos aqui, senhores e senhoras. – Cooper olhou para o júri. – A diretora afirma que sabia de cada bullying praticado por Andrew Gutierre contra Isabella Hiiro e também afirmou que pensava que não passava de uma brincadeira entre crianças. Eu não sei os senhores, mas na minha opinião a senhora Mitchell não sabe identificar um bullying. – voltou a olhar para a diretora. – Sabe, quando afeta o sentimental e o psicológico, isso com certeza é uma pratica de bullying, e caso a senhora não saiba, aquela menina. – apontou em direção a Isabella. – Sofreu muito, ela tentou tirar a própria vida e sabe o que mais me intriga, senhores do júri. – olhou novamente para o júri. – É que esta mulher. – apontou para a diretora. – Poderia fazer a diferença na vida da senhorita Hiiro, pense comigo, se a diretora tivesse advertido, suspendido por uns dias, punido de qualquer forma adequada, talvez, o senhor Gutierre teria parado com o bullying e a senhorita Hiiro não teria tentando suicídio. – Dylan suspirou raivoso. – Nada mais, excelência.

- Os advogados dos réus gostariam de questionar a senhora Mitchell? – a advogada e o advogado negaram com a cabeça derrotados. – Então, vamos prosseguir. – Kristin voltou para seu lugar. – Chamo a senhorita Isabella Hiiro para depor.

Isabella olhou nervosa para irmã, que apenas sorriu para confortá-la, andou com certa pressa, sentou na cadeira, o meirinho se aproximou, ela fez seu juramento e olhou para cada um que estava naquela sala, a mesma suava frio e brincava com os dedos das mãos.

- Você tentou suicídio por qual motivo? – Cooper se aproximou um pouco.

- A última “pegadinha”, - fez aspas com os dedos no ar – me abalou muito, posso dizer que foi a última gota d’água e pensei: ninguém vai sentir falta de mim, as coisas ficariam melhores se eu não existir mais. Então, tentei me matar. – seus olhos transmitia sinceridade.

- Você buscou ajuda quando sofreu o primeiro suposto bullyin? – Dylan perguntou tranquilo.

- Só falei com meus melhores amigos, Andrea e Ryan. – ela não parava de mexer com os dedos.

- Algum motivo? – perguntou pensativo.

- Na primeira vez achei que era só zoação e logo parariam. – Isabella tentava se acalmar.

- Quando você percebeu que não iriam parar, não pediu ajuda porquê? – Cooper colocou uma mão na mesa.

- Porque eu fiquei com medo.

- Medo de que? – perguntou interessado.

- Medo de ninguém fazer nada e de que o Andrew descobrisse.

- Porquê? – Isabella olhou desconfortável para Andrew e respirou fundo.

- Porque fiquei com medo dele fazer algo pior comigo. – Dylan se afasta um pouco.

- E ele fez, correto? – voltou a olhar.

- Sim.

- O que ele fez? – Cooper cruzou os braços.

- Ele me sequestrou. – Isabella fechou os olhos tentando segurar as lágrimas.

- Por qual motivo? – Dylan fazia as perguntas com tanta precisão.

- Ele queria que eu desistisse do processo, ou... – Isabella interrompe sua própria fala.

- Ou? – Cooper levanta as sobrancelhas e incentiva ela continuar.

- Ou ele mataria minha irmã e meus amigos, disse que seria uma morte lenta e dolorosa. – suspirou e não aguentou, permitindo suas lágrimas descerem.

- Senhores do júri, aqui vemos que o senhor Andrew Gutierre não é apenas um praticante de bullying, mas também um criminoso. – Dylan andou até perto da bancada do júri. – Ele sequestrou a Isabella, agrediu fisicamente e além de fazer uma pressão psicológica nela, e tudo isso para se livrar das acusações, assim, assinando sua culpa. Sem mais, excelência. – voltou para seu lugar, a advogada do Andrew levantou.

- Você confirma que o senhor Andrew Gutierre a sequestrou, mas não nos trouxe nenhuma prova. – falou pensativa.

- Tenho sim. – a advogada arregalou os olhos.

- E onde estão? – pergunta irônica.

- Tenho aquelas. – Isabella apontou para trás, onde Ryan, Brian, Lorenzo, Elly e Andrea estavam levantados. – E essa. – mostrou um CD.

- Tragam a televisão. – o juiz pediu e logo fizeram o que pediram.

Passava cada detalhe do que aconteceu no dia anterior, começando com o vídeo de Andrea, que mostrava o exato momento que duas pessoas encapuzadas pegavam a força a pequena Hiiro. Logo depois a câmera mudou para o colar de Isabella. O vídeo deu por fim e todos mantinham expressões indecifráveis e surpresos.

- Sem mais, excelência. – a advogada voltou com um olhar de fúria para o Andrew.

- Daremos um recesso de 10 minutos para que os jures decidam. – o juiz bateu o martelo e saiu.

 

10 minutos depois

- Os júri se decidiu? – o juiz perguntou olhando para o primeiro que estava sentado.

- Sim. – levantou respondendo.

- E qual seria? – perguntou.

- Os réus são... – todos olhavam apreensivos, nervosos e com medo do que poderia acontecer. – Culpados.

Todos começaram a comemorar, faziam barulhos extremos, o Andrew só olhava com fúria para Isabella.

- Silencio. – o juiz bateu o martelo, fazendo todos se calarem. – 40 anos de reclusão para o senhor Andrew Gutierre e a escola pagará uma indenização de 200 mil dólares para Isabella Hiiro, também será obrigada a destituir a diretora Kristin Mitchell do seu cargo, contratará outra, tendo uma assistente social presente todos os dias, durante 6 meses. Após os 6 meses a escola está obrigada a contratar uma psicóloga. Designo Amber Smith para assistente social da escola Havard-Westlake School. Dou encerrada esta audiência. – bateu o martelo novamente e se retirou da sala.

- Vencemos. – Elly disse animada, abraçando a irmã mais nova.

- Você me paga, Isabella. – Andrew gritou sendo levando pelos guardas.

- Esquece ele, maninha. – Elly puxa a irmã de volta para seus braços.

- Vamos comemorar. – Andrea fala animada.

- Com certeza. – Ryan disse.

- Obrigada por tudo. – Isabella chega perto deles e forma um abraço triplo.

- Obrigada, doutor. – Elly estica uma mão.

- Não tem o que agradecer. – Dylan aperta a mão dela. – Qualquer coisa, é só me chamar. – Elly assentiu e o Cooper se retirou.

- Vamos. – todos assentiram e saíram animados.


Notas Finais


E aí, galera? Curtiram?
Até o próximo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...