1. Spirit Fanfics >
  2. A cerejeira da Akatsuki! >
  3. Capítulo 112

História A cerejeira da Akatsuki! - Capítulo 112


Escrita por: vivizinha05

Capítulo 112 - Capítulo 112



O sol já descia pelo céu quando eu adentrei a floresta. Não parei para descansar se quer um minuto, não podia me atrasar, não podia chegar tarde demais.

O cansaço tomava conta de mim e a fome fazia minhas pernas tremerem, sentia calafrios pelo meu corpo e podia jurar que estava mais quente que o normal.

Minha visão já ficava turva e a escuridão que se aproximava não me ajudava. Foi então que meu pé escorregou de um galho e eu senti meu corpo ser levado por tudo aquilo que eu tanto ignorei. Eu apenas fechei meus olhos e me deixei ir, o vento que puxava meus cabelos para cima indicavam que eu caia.

Foi então que eu parei de cair, o vento cessou e abri meus olhos. Olhei para o lado e depois para cima e lá estava ele sorrindo.

- Não planejava te pegar no colo antes da nossa lua de mel, mas tudo bem, preciso de você inteira para o casamento.

Apenas ouvi isso e não tive mais forçar para me segurar acordada. Antes de eu cair em um sono profundo, eu pedia mentalmente que Naruto tivesse conseguido salvar meus pais.

Acordei sentindo algo molhado em minha testa, sentia que tinha alguém perto de mim e mesmo sem saber quem era, eu esperei a pessoa pegar o pano para atacar.

Continuei fingindo estar dormindo, até que senti o tecido úmido se afastar de mim. Então fechei meu punho e soquei aquilo a minha frente.

Escutei um grito, a vasilha de alumínio com água cair no chão, e ao abrir os olhos havia uma mulher de mais ou menos 25 anos encostada na parede com medo de mim.

Eu não senti meu soco atingi-la, e também não havia sinal de estrago em nada. A mulher veio em minha direção e começou a pegar as coisas do chão. Assim ela o fez calada e foi embora sem dizer nada.

Olhei ao redor e reparei que estava em um quarto, ou era o que deveria parecer. No lado esquerdo havia uma cômoda com espelho e uma cadeira. Ao lado direito tinha uma porta que provavelmente levava ao banheiro.

Imaginei que estaria acorrentada, mas não estava. Mesmo livre para poder me mover eu evitei sair da cama.

Escutei a maçaneta da porta e logo em seguida o homem entrar.

- Vejo que já está acordada querida.

Eu continuei calada.

- Não fique emburrada, isso vai acabar com o nosso dia. Ahh não sei se te falei, mas vamos nos casar amanhã.

- O que ? Você está louco ?

Ele sorriu.

- É bom poder escutar sua linda voz. Yuri trará o seu jantar. Espero que tenha uma boa noite de sono porque amanhã o dia será longo.

Ele bateu a porta como se não quisesse escutar minha opinião, e bem, acho que a minha resposta não fazia diferença pra ele.

Embora eu estivesse com um casamento marcado para amanhã, a única coisa que me preocupava era se Naruto havia conseguido salvar meus pais. Eu depositei todas as minhas cartas nele, espero que o loiro não me decepcione.


POV ITACHI


Enquanto aqueles dois idiotas não chegavam eu fui organizar a cozinha que por sinal estava uma bagunça. Eu já terminava de lavar as louças quando eles chegaram discutindo.

- Tsc! Eu falei pra você não comprar desse seu idiota.

- Ahh não enche Sasuke, você não entende nada sobre culinária.

- E por acaso você entende ?

- Sim, eu já experimentei todos os tipos de ramen do mundo!

- Mas...

- Por que demoraram tanto ?

Perguntei parando com aquela discussão boba, mas vi que a minha pergunta iniciaria outra então eu continuei.

- Naruto vá ver como a Sakura está e Sasuke preciso que lave essas ervas.

- Tsc! Quem você acha que é pra mandar em mim ?

- Para de ser um bebê chorão e faz logo o que eu falei.

Com Naruto eu nem precisei falar duas vezes, ao olhar na sua direção ele já não estava mais lá.

- Sakura Chan!

Escutei Naruto gritar e não demorou para que estivéssemos atrás dele.

- Naruto, o que houve ?

O loiro apenas nos olhava sem dizer nada. Então eu olhei ao redor do quarto e não vi ela.

Sua assinatura de chakra estava no banheiro, mas algo em mim dizia que não era ela ali. Sakura tinha uma presença única, ela era o tipo de mulher que era impossível não sentir sua presença, sentia ela me puxando para si, só de estar em um lugar.

E embora seu chakra circulasse pelo ambiente em que estávamos, eu sabia que ela não estava na casa. Ela poderia enganar qualquer pessoa com aquele disfarce, mas jamais enganaria a mim.

Sasuke caminhou em direção ao banheiro e eu sem exitar perguntei ao loiro.

- Onde ela está ?

- Eu não sei! Cheguei aqui e ela não estava.

Vi Sasuke voltar com um olhar preocupado, acho que no fim ele teve a mesma conclusão que eu, Sakura colocou uma pista falsa para não sabermos onde ela foi.

- Naruto procure pela casa e depois vá pelo leste, Sasuke procure pelo norte e eu vou para o sul. Percorram até 5 km de distância da casa e depois voltem para reunirmos o que encontramos.

Fui o mais rápido que pude em direção ao sul do nosso esconderijo. Ativei meus sharingans para que eu não pudesse perder a mínima pista que ela pudesse ter deixado.

Estava escurecendo e cada minuto que passava se tornava mais difícil encontrar alguma coisa, era nessas horas que eu sentia falta de um portador do Byakugan na Akatsuki.

Percorri aqueles cinco quilômetros duas vezes, verifiquei com calma na segunda vez, mas já estava muito escuro e iria ser impossível encontrar algo, então decidi retornar a casa.

- Narutooo, onde você se meteu seu idiota ?

Assim que cheguei em frente a mansão ouvi Sasuke gritar.

- O que houve ?

- Aquele imbecil até agora não voltou.

- Deixe-o, talvez foi procurar mais.

Assim que terminei de falar entrei na mansão, aparentemente ainda não havia chegado ninguém. Fui para o meu quarto, precisava tomar um banho e relaxar pra ver se conseguia pensar um pouco.

Tentei dormir depois do banho, mas minha cabeça estava barulhenta demais, não conseguia descansar se quer um minuto sem que me preocupasse com Sakura.

Já meio atormentando pelo seu desaparecimento eu fui falar com Deidara. Não que eu fosse amigo dele ou algo do tipo, inclusive odeio aquele magrelo arrogante. Mas se tem uma pessoa que pode me ajudar a procurá-la é ele, e também aquele pássaro que ele tem seria de grande ajuda.

Sai do meu quarto e andando poucos passos já me encontrava em frente a porta do seu. Bati três vezes, mas nada de ninguém responder. Esperei um pouco e bati novamente.

- Itachi San!

Olhei para o mascarado que parecia curioso de o porque eu batia a porta de Deidara.

- A Sakura deve estar dormindo.

- Na verdade, eu quero falar com Deidara.

Preferi não espalhar para a casa toda o que havia acontecido, e uma ótima forma de não fazer isso era ocultar a verdade do Tobi, já que sua fama é de ser fofoqueiro.

- Hmmm você e o Senpai! Agora são amiguinhos é ? Tobi também quer ser amigo de vocês!

- Não enche! Sabe ou não onde ele está ?

- Eu só tava brincando Itachi San, ele tá lá na cozinha.

Segui em direção a cozinha e notei que Tobi fazia o mesmo, pelo visto teria que chamar o ninja para uma conversa em particular.

O vi no instante que entrei pela porta, ele perguntava a Hidan se tinha visto a Haruno.

- Deidara Senpaiii o Itachi San quer falar com você!

Tobi passou na minha frente e declarou aquilo na frente de todos ali presentes. Vi todos os olhares assustados se virarem para mim.

- O que você quer ?

- Siga-me.

Apenas falei e sai em direção a sala. Notei que todos se esgueiravam na porta tentando ouvir.

- O que quer ?

- A Sakura desapareceu!

- O QUE ?

Ele gritou e todos apareceram na porta.

- Se acalma e fale baixo.

- Cadê a Sakura ?

- Ela sumiu!

O loiro veio pra cima de mim mas eu segurei seu soco com a mão. Pulei para trás e tentei explicar mas ele não deixou.

Mais uma vez ele avançou em mim com tudo, e eu coloquei as mãos no bolso e apenas desviava de seus golpes.

- Seu assassino desgraçado, o que você fez com a minha Sakura?

Eu planejava me manter calmo e não brigar, mas aquilo realmente me deu nos nervos. Ativei meu sharingans e assim que ele os viu preparou suas bombas, estava ciente que aquele moleque não iria me escutar por bem, então iria por mal.

- Parem!

Duas mãos enormes de papel apareceram na nossa frente e nos empurrou cada um pra um lado.

- O que está acontecendo aqui ?

- Fale pra ela o que você me disse ?

- A Sakura desapareceu!

- O que ? Como assim ?

- Se vocês se acalmarem eu explico tudo.

- Deidara senta!

A ninja falou apontando para o sofá.

Após eu explicar o que houve, Deidara quis sair imediatamente em busca de Sakura, mas Konan não deixou.

- Ainda bem que temos alguém que pensa por aqui.

- Deidara, eu sei que está preocupado, eu e Itachi também estamos. Mas não há possibilidade de iniciarmos a busca agora, estamos todos cansados e está de noite.

- Mas não podemos deixar a Sakura...

- E nós não vamos! Só coma algo e descanse, eu prometo que antes do sol nascer nós já estaremos saindo daqui para ir procurá-la.

- Tudo bem Konan.

Ele saiu e todos que tampavam a porta deram espaço pra ele passar.

- Itachi, eu temo que não poderei acompanhar vocês nessa busca. Mesmo um dos nossos tendo sumido, os trabalhos da Akatsuki devem continuar.

- Tudo bem, eu vou com Deidara.

- Eu também vou!

Virei vagarosamente e encarei meu irmão que estava encostado na parede de braços cruzados.

- Acho que Orochimaru não permitirá que você saia de perto dele.

A ninja falou.

- Eu não dou a mínima pra isso. Eu irei!

Konan me olhou, como forma de pedir para que o fizesse parar.

- Tudo bem! Dois sharingans podem ser úteis, embora o seu seja muito inferior.

Saí antes mesmo que ele pudesse retrucar ou fazer birra.

Sinceramente aquela situação me causou um certo estresse, então fui para a cozinha fazer um chá.

- Itachi San.

Já conhecia a voz do meu parceiro então não precisei virar para identifica-lo.

- Tínhamos uma missão importante amanhã, mas eu reconheço que o sumiço da rosada merece mais importância.

- Não consegue fazer a missão sem mim, é isso ? Se quiser envio um clone com você.

Falei de forma debochada, eu sabia que isso o irritaria.

- Não preciso de você! Eu e a Samehada já fazemos uma dupla muito boa. Aliás, ela está faminta por sangue, então sua presença só atrapalharia.

- Sei... Está com medo de ir sem mim.

Falei tranquilamente enquanto tomava meu chá.

Por suas linhas de chakra podia saber que ele estava de costas na porta da cozinha.

- Itachi, traga ela de volta.

Ele falou antes de se retirar. Passamos tanto tempo juntos que nossa comunicação muitas vezes não dependiam de palavras ou gestos, entendiamos um ao outro naturalmente. Então não precisei nem dizer nada para que ele soubesse que meu silêncio significasse que faria o que ele pediu.

Depois de terminar o chá eu subi para meu quarto e até tentei ler um livro que Sakura havia deixado por lá, mas eu realmente não entendia nada do que estava escrito.

Tentei dormir um pouco, mas acredito que passei mais tempo rolando na cama do que realmente dormindo.

Quando meu relógio marcou 4:00 eu já estava de pé, e já havia me arrumado para sair, só estava a espera dos outros dois.

Desci em direção a cozinha, precisava de um café bem quente e amargo para começar o dia. Chegando lá notei que o loiro estava fazendo café enquanto meu irmão estava sentando á mesa comendo o que parecia ser um oniguiri.

Fui até a geladeira e peguei um pedaço do bolo favorito de Sakura (esse é o único motivo por ter doces em nossa geladeira, a rosada os ama.) e embora eu odiasse qualquer coisa com o sabor adocicado, naquela manhã eu senti vontade de comer.

Eu dava a primeira garfada naquela montanha açucarada quando o loiro depositou uma caneca preta a minha frente e andou em direção a outra ponta da mesa.

Aquilo foi extremamente estranho e em qualquer outra ocasião eu não tomaria aquele café sem desconfiar que havia algo de errado com ele, mas naquele momento eu sabia que o loiro era inofensivo.

Tomamos nosso café da manhã e da hora que acordamos até o momento de acharmos a primeira pista, não trocamos uma palavra...


•••••••••••••


O gavião de Sasuke veio até mim e trouxe um bilhete. Aparentemente ele havia encontrado uma pista, então eu segui em sua direção.

Assim que cheguei os dois analisavam uma espécie de fogueira. Aquilo realmente me pareceu estranho, nem havíamos adentrado a grande floresta e já havia uma fogueira. Por que Sakura repousaria em um local aberto ?

- Itachi!

- Sim, eu sei! É uma pista falsa. Olhem ao redor desse local, temos que saber pra qual lado ela foi.

Se Sakura parou aqui pra fazer essa fogueira falsa, significa que a direção que ela tomou está aqui.

Ativei meus sharingans e os mesmos não deixaram passar o fino pingo de sangue em uma folha no chão.

- Achei!

Nos olhamos e sem dizer uma palavra seguimos naquela direção.

A segunda pista foi a que mais nos confundiu, pois ao mesmo tempo que parecia verdadeira, também parecia falsa.

Era um cena de luta. Havia uma árvore derrubada, uma pedra rachada ao meio, alguns troncos quebrados, um buraco no chão e um pouco de sangue.

Analisamos aquilo mais de uma vez, mas não chegavamos a um acordo. Enquanto eu e Sasuke achavavamos que era falso, Deidara achava que era de verdade.

- Mas esse sangue não é da Sakura!

- Você não viu como está tudo destruído ? Você sabe que quando ela luta as coisas ficam assim.

- Você só pode ser muito burro, ela está tentando nos enganar!

Enquanto os dois brigavam, eu ativei meu sharingan mais uma vez e me concentrei em captar o mínimo sinal de chakra que tivesse dela longe da cena de luta.

Assim que senti eu saí correndo e não demorei a escutar os outros dois atrás de mim.

Pulei rapidamente de cima da arvore e pousei em cima do fio de cabelo rosa que estava no chão entre as folhas secas.

- Isto é uma prova verdadeira!

Falei pegando o fio na mão e mostrando aos outros.

Apontei com a cabeça a direção e nos apressamos, já era quase meio dia e ainda não havíamos entrado na grande floresta, mas por sorte estávamos perto.

Antes de chegar a grande floresta nós paramos apenas uma vez para comer e descansar. Nós também notamos que não havia mais nenhuma pista falsa então continuamos na mesmo direção.

Nossa primeira parada dentro da floresta se deu pelo fato de Deidara ter notado que havia um pedaço de pano em um galho.

- Isso se parece com o tecido do short dela.

- Verdade, então vamos continuar nessa direção.

Já estávamos cansados, mas assim como eu, os outros dois não queriam descansar, algo em mim dizia que precisávamos encontrar Sakura o quanto antes.

O relógio de Deidara bateu 17:00 horas e nada de encontramos nem sequer uma pista. Parecia que estávamos andando em círculos, já estávamos cansados e fadigados, foi então que eu decidi que mereciamos um descanso.

Parei e os outros dois fizeram o mesmo, só que me olhando de forma séria.

- Encontrou algo ?

- Não.

- Então por que paramos rum ?

- Para descansar, parece que estamos andando em círculo a horas, precisamos descansar um pouco.

- Você está de brincadeira neh ? Não vê que a Sakura provavelmente corre perigo ? Eu sabia que não podia contar com vocês Uchihas.

O loiro saiu pulando nas árvores da frente e eu ativei meu sharingan para obriga-lo a voltar, então senti uma forte fonte de chakra próximo a nós.

- É ela!

- Onde ?

Os dois me olharam assustados.

- Ela esteve aqui! Consigo sentir. Seu chakra rodeia todo este local.

- Eu sinto outro além do dela, como se tivesse alguém com ela. É um chakra poderoso.

Disse Sasuke.

- Eu já senti esse chakra antes! Aquele desgraçado!

Olhamos para Deidara que parecia mais zangado que o habitual.

- Vamos!

Dessa vez quem puxou a frente foi o loiro e nós apenas o seguimos até o que parecia ser uma pedra gigante.

Nos escondemos assim que vimos um casal surgir próximo a pedra e liberar o jutsu, fazendo a mesma se abrir e eles entrarem.

O que deu pra ver, lá parecia ter uma casa.

Então rapidamente fizemos o mesmo que o casal anteriormente e adentramos o local.

Era uma mansão enorme e a cada segundo entrava mais e mais gente. Parecia que ia ter uma espécie de evento e esse tanto de convidados iriam atrapalhar nossos planos.

- Vamos ter que nos dividir.

Estávamos abaixados atrás de uns arbustos.

- Qual o plano ?

- Procurem pela Sakura. Quem encontrar ela primeiro pode fugir e dar um jeito de nos avisar.

- E se formos descobertos ?

- Então dêem um sinal!

- Hai!

Cada um saiu por um lado. Eu esperei no arbusto por um senhor que vinha sozinho, o agarrei por trás e assim que ele me olhou o coloquei em um guenjutsu.

Peguei seu terno e o deixei atrás lá mesmo. Entrei na casa como se fosse um convidado e pelo que parece os guardas não desconfiaram de nada.

Notei que as pessoas estavam seguindo em direção aos fundos da casa, então enquanto ninguém via eu entrei pela porta que tinha ao lado.

Era uma sala enorme que dava de frente a uma escada. Quando estava prestes a subir fui pego por um homem.

- Por que está subindo ? Convidados não podem subir.

- Ahh me desculpe, estou procurando o banheiro a horas!

- Por aqui senhor.

O homem estendeu a mão e me levou até o banheiro. Eu agradeci e esperei dois minutos para sair, olhando pela brecha notei que o mordomo parecia me esperar.

Aproveitei que um grupo de homens passava e entrei entre eles sumindo antes de o homem me procurar novamente.

Eles entraram na cozinha e eu andei até o fim do corredor e entrei em uma biblioteca. Aparentemente ela estava vazia, foi então que eu pensei que deveria tentar subir novamente. Se não permitem subir então ela deve estar lá em cima.

Embora muito fraca, eu sentia a presença da rosada na casa. Não saberia dizer exatamente onde ela estava e qual sua situação mas eu sabia que ela estava aqui e estava viva. Algo neste lugar parecia estar inibindo seu chakra, tornando difícil até de outras pessoas o sentir. 

Olhei se não vinha ninguém e passei correndo me escondendo a cada sala, até chegar novamente ao salão principal.

Desta vez subi as escadas o mais rápido que pude. Como ela se dividia em duas antes de chegar ao topo, tive de escolher um lado para subir. Fui pelo esquerdo primeiro. Assim que subi me deparei novamente com um corredor cheio de portas o qual tive de abrir uma por uma.

A maioria eram quartos de hóspedes mas nenhum parecia abrigar alguém naquele momento. Tive que voltar e desta vez subir pelo lado direito.

Assim que abri a primeira porta que era um escritório eu escutei a linda e doce voz de Sakura.

- Não obrigada, eu estou bem!

No mesmo segundo escutei a porta ao lado abrir, então rapidamente entrei no escritório e me escondi.

Escutei os passos do que parecia ser uma mulher ir em direção as escadas, então me preparei para ir ao quarto onde estava Sakura, mas congelei antes mesmo de segurar na maçaneta.

A energia que ele emanava era muito forte, sua presença com certeza poderia ser sentida a distância. Embora ele fosse poderoso eu também sou e o enfrentaria para resgatar Sakura. Mas aquele não era o momento, não sabia a situação que ela estava e se eu vacilasse ele poderia fazer mal a ela.

- Vamos ?

Escutei ele falar, mas ela não respondeu nada. Um silêncio ficou no ar por um tempo e então escutei os passos dela. Ele passou na frente e logo atrás escutei ela passando, seu chakra está muito fraco, foi por isso que não o senti antes de chegar aqui.

Embora ela estivesse assim, não parecia machucada. Então isso só significava uma coisa... Ele estava inibindo o chakra dela com alguma coisa. Esse desgraçadoo...

Quando parei de escutar o passos dos dois eu saí. Mas tive de entrar novamente pois escutei mais passos vindo.

Foi então que a porta do escritório se abriu e eu agarrei a pessoa por trás tapando sua boca e segurando uma kunai em seu pescoço.

Escutei o chidori chiar abiaxo de mim e pulei rapidamente para trás.

Sasuke estava parado a minha frente me olhando de forma séria.

- O que está fazendo aqui ?

- Estou procurando! E você ?

- Eu também! Não falei pra você procurar lá fora ?

- E já procurei, não tinha nada. Aliás tinha gente até demais... Vi todo mundo menos Sakura.

- Eu a encontrei!

- E porque não está com ela ?

- Por sua culpa! Seu pirralho idiota.

- Tsc!

- Vamos ter que procurá-la de novo, mande uma mensagem pra Deidara. Diga que ele está com ela e precisamos ter cuidado.

- Hai!

Eu saí deixando meu irmão no escritório. Desci as escadas rapidamente e notei que a quantidade de pessoas circulando pela casa havia diminuído consideravelmente. Pelo que notei desta vez todos sem excessão estavam seguindo em direção ao jardim dos fundos então eu fiz o mesmo. 

O local estava todo enfeitado e cheio de pessoas sentados em cadeiras organizadas em fileiras. Fiquei parado na porta observando e a procurando entre as pessoas, enquanto todos os outros se sentavam. 

Então uma música leve e calma começou a tocar, vi o homem passar e o segui com os olhos. Ele se posicionou na frente e olhou na mesma direção a qual tinha vindo. Virei minha cabeça para tentar enxergar o mesmo que ele, foi então que senti meu coração quase parando. 

Sakura andava devagar, estava com um vestido branco e bem leve que voava com o vento, um buquê com flores rosas e brancas na mão e seu cabelo preso. Seu semblante estava frio e calmo, parecia que tinha aceitado tudo aquilo. 

Naquele momento meus sharingans se ativaram sozinhos, senti-os arder. Era como levar uma facada várias vezes no mesmo local, embora a raiva que eu sentia ser muito grande, meu corpo estava paralisado. 

Ela... Ela iria se casar....




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...