1. Spirit Fanfics >
  2. A chama que transcende a realidade >
  3. Capítulo 1

História A chama que transcende a realidade - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Quem é vivo sempre aparece né kakaka. Bom, para quem acompanhava minhas outras fics saiba que eu vou voltar com elas logo(eu acho kkk).
Dps eu posto um aviso certinho.

Espero que gostem dessa nova fanfic, desculpe se o capítulo estiver pequeno ou qualquer erro.

Capítulo 1 - Capítulo 1


Natsu durante alguns dias estava muito calmo. Ele agia como uma pessoa totalmente diferente, e pelo visto apenas Happy sabia o motivo desta estranheza da parte dele... Ultimamente, Natsu apenas ficava em algum canto juntamente de Happy, conversando sobre algo que ninguém entendia.

Alguém finalmente resolveu tentar chamar a atenção do rosado, era Lucy, uma menina loira que era uma maga celestial.

“Natsu, vamos fazer uma missão” Lucy praticamente gritou pela distância que se encontrava do rosado

Natsu, que estava com Happy em uma das mesas longe do painel de missões, semicerrou seus olhos e olhou com estranheza para Lucy. “É para pagar seu aluguel, Lucy?”

Abrindo um sorriso, Lucy se aproximou com um papel em mãos. “Sim, mas podemos aproveitar a missão e nos divertir, junto de Erza e Gray.”

Erza surgiu na conversa e pela direção que vinha devia estar no balcão comendo um bolo de morango. “Vamos lá, Natsu. Podemos nos divertir como antigamente.”

“Eu não vou, vou ficar aqui com Happy.” Natsu negou com um semblante sério

Gray colocou sua mão no ombro de Natsu dando um leve aperto. “Vamos foguinho, vai ser divertido fazermos uma missão juntos, e já faz um tempo que você não faz nenhuma missão”

“Eu não estou com vontade de ir, Gray.” Natsu não se rendeu a insistência de seus companheiros.

“Vamos, Natsu, você sabe que não te deixaremos em paz, aliás a missão que Lucy escolheu é fácil para o nosso nível então não deve demorar.” Erza tentava argumentar para Natsu ir com eles na missão.

“Você está estranho nesses dias Natsu, vamos refrescar a cabeça com essa missão.” Lucy deu um meio sorriso de forma tímida

“Ahhh, chega disso. Eu e Happy vamos, felizes com isso agora?” Natsu se rendeu a implicância da sua equipe

“Luxy, sobre o que é a missão?” Happy sentou no ombro de Natsu com uma cara de dúvida

“Temos que prender um grupo de bandidos que estão assaltando umas vilas aqui por perto, nada muito complicado, viu Natsu”. Lucy olhou para Natsu que apenas ignorou o que a Loira disse

“Então vamos, melhor pegar eles logo”. Erza ergueu seu punho para o alto mostrando sua determinação e logo saiu pela porta acompanhada de Gray, que estava sem camisa, de Lucy, e de Natsu, que estava com Happy em seu ombro.

Horas depois


Os cinco estavam andando no meio de uma estrada, quando se depararam com um grupo de quatro rapazes usando gorros e com sacolas em suas costas.

Gray se pronunciou. “Vocês devem ser os bandidos malditos que vem atormentando os camponeses das vilas, não é?”

Um dos bandidos respondeu. “ Somos nós em carne e osso, e vocês devem ser pessoas nada importantes, certo?”

“Ora seu... iremos mostrar do que somos capazes” Gray partiu para cima do bandido que havia o respondido, enquanto todo o resto do grupo também atacava os bandidos

Não deu nem graça para a equipe, após poucos socos e chutes eles acabaram com aquilo, tudo aconteceu em poucos minutos , e logo depois de devolverem os pertences das vilas, eles retornaram para a guilda.

Natsu se sentou novamente em uma das mesas afastadas de todos, mas alguém apareceu em sua mesa querendo tirar algumas dúvidas.

“Natsu-san, você sabe que pode sempre contar comigo, não é?” Quem havia chegado perto de Natsu era Wendy, a pequena Dragon Slayer dos ventos, que estava bastante preocupada com a recente mudança de comportamento de Natsu

“Sei disso, Wendy, algumas coisas aconteceram, mas não quero comentar sobre isso” Natsu olhou em seus olhos, esperando que ela compreendesse seu lado.

Wendy se virou e saiu andando a passos lentos, mas antes de se afastar mais. “ Entendo seu lado, Natsu-san, mas um dia você irá me contar”. Ela continuou andando em direção ao balcão onde se sentou ao lado de Erza

“Vamos para casa, Natsu”. Happy se levantou da mesa na qual estava deitado em cima e se esticou olhando para Natsu

“Vamos sim, Happy” O rosado se levantou e saiu, atraindo olhares de todos da guilda, que estavam muito preocupados com o rosado, que de um dia para outro havia mudado totalmente.

Natsu caminhava a passos lentos pelas longas ruas de Magnólia, ele tinha apenas uma coisa em mente, uma coisa que martelava a cabeça dele e de Happy. Ele relembrava de um encontro que tivera, o qual era o motivo de sua mudança.


Flashback- Natsu Pov's On


Eu e Happy estávamos pescando em um lago perto de casa como de costume, havíamos pegado vários peixes grandes, o jantar iria render bastante desta vez...

Tudo estaria como de costume, se não fosse por uma presença que eu senti perto do lago. Não podia ser um animal, pois observava eu e Happy atentamente, dei um sinal para Happy mostrando que havia alguém por perto, ele entendeu e continuou pescando com mais atenção aos arredores. Consegui localizar o ser, ele estava entre as árvores. Mas antes que eu pudesse ir atrás dele, ele sumiu... Sem dar sinal nenhum de onde poderia ter ido

“Ele já foi embora, Happy” Avisei ao meu amigo que ainda pescava com atenção

“Devemos nos preocupar?” Happy tinha uma cara de medo, compreendo o lado dele, não é normal alguém perseguir nós dois, muito menos conseguir esconder a presença tão bem.

“Claro que não parceiro, vamos para casa preparar os peixes para o jantar.” Peguei a cesta de peixes e minha vara de pescar, me dirigindo a estrada que levava a nossa casa.

“Aye”. Happy vinha voando atrás de mim, carregando sua pequena vara.

Logo estávamos em frente a nossa casa, andei até a porta e a destranquei, assim entrando. Tirei meus sapatos e os deixei ao lado da porta, Happy foi até a cozinha, mas antes de entrar deixou sua vara cair no chão, ele tinha uma expressão muito assustada.

“O que houve, Happy?” Fui indo em direção a cozinha, mas logo que cheguei pude ver um homem, ele era forte, com um porte físico muito bom, se duvidar melhor do que o do Laxus. Parecia ter em torno de uns 35 anos.

O homem estava sentado na nossa mesa de jantar, ele olhou para mim e abriu um sorriso, como que ele entrou aqui dentro com a porta trancada?

“Olá Natsu, estava te esperando”. O homem se pronunciou, como ele sabe quem sou eu? O que ele quer?

“Como entrou aqui com a porta trancada? E o que quer comigo?” Falei já histericamente e dando um passo para trás. Estava assustado, uma das primeiras vezes na vida que isso acontecia. Eu podia sentir o poder daquele homem e ele não era alguém para se brincar.

“Oh, onde estão meus modos, meu nome é Leyven, e eu sou o deus supremo de todas as dimensões”. É oque? Um velho biruta invadiu a minha casa, eu não estou entendendo mais nada disso aqui.

“deus supremo? Me prove!” Disse a ele com um tom monótono. “Como quer que eu acredite que você é um deus sem me provar antes? Além do mais, o que um deus supremo quer com um simples mortal como eu?”

“Vamos ver, o que posso fazer para te provar que sou um Deus?”. Ele falou aquilo com um semblante tão calmo, parecia que podia fazer qualquer coisa, mas ele é só um velho biruta com um grande poder mágico não devo me preocupar.

“Vai ser algo simples, quero que você incendeie a floresta aqui do lado de casa e depois faça ela voltar ao normal.” Desafiei o tal de Leyven, que estava muito calmo para o meu gosto

“Como quiser, vou fazer isso e um pouco mais...” Em um simples estalar de dedos a floresta havia pegado fogo por completo, eu e Happy corremos para fora, ver o que acontecia mais de perto, porém quando chegamos lá a floresta não estava mais no chão e só havia sobrado um buraco cheio de raízes onde ela deveria estar.

Leyven tinha um sorriso de deboche em seu rosto, enquanto eu me perguntava onde estava a floresta, ele vendo que eu estava confuso apontou com o dedo indicador para cima, segui com a cabeça até que...

“AAHHH. ISSO VAI CAIR EM CIMA DA MINHA CASA, TIRA DAI TIRA! ISSO PODE DESPENCAR. MINHAS COISAS TÃO LÁ DENTRO AINDA”. Eu corria de um lado para o outro enquanto Leyven ria da minha reação, em um simples estalar de dedos, tudo voltou ao normal, parecia que nada tinha acontecido. A floresta estava em seu lugar e não pegava fogo mais.

“Hahaha, vejo que se assustou Natsu, foi engraçado de se assistir”. Leyven tentava se segurar para não rir, mas foi totalmente em vão, logo ele voltou a gargalhar de minha cara.

“Engraçadinho você ein, bem agora eu acredito na sua história de ser um deus e tals, mas o que você quer comigo?” Olhei para ele e vi que ele parou de rir e se virou para me encarar 

“Eu trago uma proposta para você, Natsu Dragneel”. Leyven deu um sorriso de canto ainda me olhando

“E qual seria sua proposta?”.


Notas Finais


Espero que tenham gostado XD

Tenho muitas ideias para esta fic, e acredito que não vou desistir dela, agradeço a um Senpai que foi quem me deu a vontade de voltar a escrever... #TeAmoSenpai


Kissus de Nutella e até o próximo capítulo...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...