1. Spirit Fanfics >
  2. "A Chance To Love Again" - Jihyo 2 tem. >
  3. .Como eu mudei?;

História "A Chance To Love Again" - Jihyo 2 tem. - Capítulo 24


Escrita por:


Notas do Autor


Opann, tudo bom para aqueles que estão no tédio da vida e de quarentena?

//Desculpem-me os erros//

//Boa leitura//

Capítulo 24 - .Como eu mudei?;


* ………………………………..*


 "Como está indo aí? Tá tudo bem? Ela se lembrou de alguma coisa?" 


 - Está indo tudo bem, tudo ótimo, e não ela não se lembrou e mesmo que lembrasse tenho certeza de que não viria falar comigo.


  "Onde ela está?"


 - Digamos que agora ela está pegando um solzinho.


  "Mas então, o lugar é lindo né?"


 - Sim! Tudo é lindo, desde a praia até o bendito hotel, isso e uma lista inteira de maravilhas desse lugar. Você teria é sorte se viesse pra cá! Cada coisa impressionante.


  "Queria, mas ainda não. E a 'tensão sexual', ainda não rolou?"


 - Jimin, não tem tensão sexual. Por quê acha que isso iria acontecer?


  "Sei lá.. só tô achando que as coisas vão ficar interessantes sem ninguém pra perturbar vocês."


A porta se abre revelando uma S/n com as pontas do cabelo pingando, carinha vermelha e a toalha cobrindo parte de seus ombros e costas.


 - Jimin eu te ligo depois, pode ser?


  "Claro, tenho todo tempo do mundo, tchau e juízo."


Sorri com a frase do mais velho, e encerro a chamada, logo encarando a mais nova ainda parada no mesmo lugar sem ao menos se mexer. 


 - Vai ficar parada aí? 


 - Tá frio.. - Ela diz 'abraçando' o próprio corpo - Fica difícil me mexer.


 - Ninguém mandou ficar o dia todo na água. Ah e agora você vai tomar um bom banho, e se arrumar.


 - Pra que? - Pergunta indo em direção ao banheiro do quarto. 


 - Reservei uma mesa pra nós duas em um restaurante aqui perto. Não podemos nos atrasar se não iremos perder a mesa.


 - Sem ao menos falar comigo? - Sorri sacana com a fala da mais alta.


 - Isso não seria necessário, tenho certeza de que voltaria com fome. 


Dito isso, escuto um som inesperado vindo da mais nova. Eu estava certíssima. Ela quase não comeu nada o dia todo.


Meu sorriso satisfeito era evidente. A convenci sem muito esforço ou argumento, hoje tem que ser ótimo. Essa noite, pelo menos. Essa manhã não acordei com muita vontade de ir para piscina ou praia, fiquei um pouco sim com S/n só que mais para pegar um sol e ficar de olho nela, inclusive a interação dela com qualquer brinquedo ou até areia da praia, era de esquentar o coração de tão fofo, os olhinhos dela chegavam a brilhar de tão feliz que estava. Nem consegui evitar escapar um sorriso por isso. Muito adorável.


Jimin me ligou, contou o que acontecia por lá e eu contei um pouco daqui, uma conversa normal e tranquila. Não que tivesse sido a primeira, que isso.


Saiu do banheiro, já vestida na com o cabelo molhado, pra variar. Não tinha visto quando ela pegou a roupa mas pelo menos, não vai demorar muito. Foi até sua mala procurou por sapatos e eu, já estava à caminho do banheiro. Torcendo para que minha noite seja boa assim como o dia dela foi, e que a noite dela seja melhor essa tarde/manhã.



Já dentro do restaurante nós nos víamos sentadas e com cardápio em mãos, o analisando seriamente. 


 - Tudo parece gostoso.. - Ela diz, quebrando o silêncio. - O que vai pedir? - Pergunta desviando o olhar do cardápio pra mim.


 - Ainda não tenho certeza, esse cardápio está me deixando com muita dúvida.


 - Fazem isso para nós acabarmos pedindo tudo. - Ela diz, as duas riem. Isso foi engraçado de se imaginar. - Mas agora falando sério, vai querer o que?


 - Mahalo Pocke. Parece ser bom.


 - Certo. O garçom! Dois.. como que é? - Quase ri pra variar da cara confusa que ela fez. 


 - Dois Mahalo Pocke. Por favor. - E então ele se afastou de nossa mesa - Tem certeza de que quer comer o mesmo que eu? Não vai querer outra coisa?


 - A salada de frutas pode ficar pra depois. - Fala se ajeitando na cadeira. - E então, hoje mais cedo você 'tava falando com o Jimin? - Assenti - Ah sim.. 


 - Seu dia deve ter sido ótimo, tá toda vermelhinha. 


 - Sério? - Assenti deixando um sorriso bobo escapar - O sol estava forte hoje.


Puxando conversa até os pedidos chegarem, quando chegaram a carinha de felicidade dela foi a melhor principalmente depois de ter experimentado o Mahalo. Depois, veio uma salada de frutas para ela, e a última coisa que pedimos foi uma garrafa de vinho, é.. nós levamos pra casa. Desfrutamos sem mais ninguém olhar para nós duas com cara de paisagem. 


Falando sobre qualquer coisa enquanto bebíamos um bom vinho, bom mesmo, não era tão ruim assim. Seria pedir demais pra ela me beijar? Provavelmente. E isso nem iria acontecer.


 - Então Park, na noite de ano novo.. ou manhã de ano novo, eu te fiz uma pergunta. - O sorriso que ocupava meu rosto sumiu por uns segundos. 


 - Nós nem nos falamos direito naquele dia, do que está falando?


 - Se fazer de desentendida não vai te ajudar muito. - A taça de vinho foi deixada em cima da cômoda ao lado da cama, ela se levantou e ficou parada bem na minha frente, me encarando e procurando sua resposta.


(Só pra deixar bem claro, o vinho era o mais fraco que o restaurante tinha.)


Ela tirou a taça de minhas mãos e colocou sob o mesmo espaço que a sua ocupava. Se agachou e olhou em meus olhos.


 - Então você se lembra? Se lembra de tudo o que aconteceu naquela noite?


 - Mais ou menos, algumas cenas ainda me vem na cabeça. - Corei, mas não permiti que ela notasse - E então?


 - Ah.. está tarde, melhor irmos dormir.


 Me levantei, decidida a não tocar no assunto, é eu realmente não quero tocar nesse assunto.


 - Qual é, a gente tem que conversar sobre isso! - Suspiro, pegando minha mala e colocando sob a cama, a procura de um pijama. - Vai me ignorar agora?


 - Não tô te ignorando, só não quero conversar sobre.


 - Por que?! - Pergunta, se sentando na minha cama - Eu pensei que essa viagem fosse para conversarmos sobre e já estamos aqui a quatro dias, tá bom que é pouco, mas eu realmente quero saber e entender o que aconteceu. O que aconteceu com a gente. - Fitava um ponto fixo do quarto, sem mover um músculo.


 - Já que você quer respostas. Procure por si só, não sou obrigada a responder suas perguntas.


 - Pelo menos, diz.. - Se calou assim que saí do cômodo. - O que eu fiz de errado..


_____________________________________


 - Lembrar me chateia. Desculpa a grosseria.


 - Não tem problema.. não vou te perguntar e nem pedir explicações de novo, fui intrometida, sinto muito. - Me virei pra ela, notando que ela estava do mesmo modo que eu estava agora.


Estava escuro mas eu conseguia ver de longe, ela ainda quer respostas e isso é bem evidente. Não que eu não queira que ela se lembre, eu só não quero me lembrar, fácil seria para ela, já quem causou nossa separação antes mesmo de perder a memória.


(Quem entendeu, entendeu).


 - Mas eu ainda quero uma resposta. - Suspirei pesado - Só essa e não faço mais perguntas. Prometo.


 - Você só mudou, sua personalidade, olhar, o modo como falava, o jeito como me tratava, você ficou diferente com todo mundo.


 - Como eu mudei? - Sorri - Eu só fiz uma pergunta, não vi graça nenhuma.


 - Era pra ser só uma pergunta, não mais que uma.


Ela respirou fundo e se virou, ficando de costas. Alguém não gostou muito da minha resposta. Os próximos dias vão ser mais estranhos que o esperado.


Até porque, agora eu coloquei na cabeça de ela se lembra perfeitamente da nossa noite em seu apartamento, bom seria se ela realmente lembrasse, mas não tenho certeza e não quero por expectativas nisso, assim como a outra coisinha da qual não coloco fé. 




Nem um pouquinho de fé. 



Notas Finais


//Desculpem-me os erros mais uma vez//

//Obrigado por lerem//


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...