1. Spirit Fanfics >
  2. A chat with Death. >
  3. Capítulo Único - Uma morte desastrada

História A chat with Death. - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


É isso, se alguém ler essa merda agredeço muito skks.
Beijin <33

Capítulo 1 - Capítulo Único - Uma morte desastrada


- Então, não quer me contar nada não Katherine? Me pergunta Max, pela quinta vezes.

- O que você quer saber, Max?

- Você sabe muito bem o que eu quero saber Kathe. -ele fala com um sorrisinho convencido.

- Mas vc já sabe como eu morri, por que quer que eu falei então?

- Por que é sempre mais engraçado ouvir você falando.

- Ta bom, só me deixe pensar um pouquinho antes -falo, me rendendo finalmente.

- Eu estava sozinha em casa cortando pela milionésima vez a minha franja. Quando fui finalmente corta a última parte da minha franja um pássaro entro pela janela do meu banheiro, me fazendo tomar um baita susto. Nisso eu corte uma parte do meu dedo com a tesoura, quando me abaixei para ver o corte e me levante de novo, eu bati a cabeça no armário do banheiro.

- Me diga como você bateu a cabeça nesse armário se nem de baixo dele você estava?

- Talvez eu seja um pouco desastrada. Maybe. -mostro a língua para ele e ele me devolve com um sorriso.

Putz, tanta gente para a morte assumir o corpo e ele foi logo pegar a aparência de uma cara super gato, parecendo o Cellbit. Porra.

- Agora deixa eu continuar seu chato. Quando bati minha cabeça no armário uma garrafa de vodca cai em cima da minha cabeça. -olho para Max e o vejo sorrir, levanto a mão ameaçando dar lhe um tapa, o mesmo nem liga.

- Continue por favor minha cara dama desastrada.

- Entãoooooo. - alongo a palavra só para irrita-lo, o que dá certo devido a cara emburrada do mesmo. -Es que quando a garrafa cai na minha cabeça eu fico tonta e tento me apoiar em algo, mas como eu estava meio tonta, acabo escorregando no chão e bato a cabeça na quina dos degraus que tinha na porta do meu banheiro.

Vejo a morte - que apelidei Max, porque ele tem cara de Max, cara. Na verdade a pessoa de quem ele roubou o corpo tem cara de Max. -se matando de rir pela minha morte merda.

-Mas oras, o que aconteceu com o diabo do pássaro que me assustou?

- Ele entro na sua cozinha procurando algo para comer, mas infelizmente o Yato o viu e comeu. -Yato no caso é meu gato. -Bobiou dançou baby.

- Jesus cristo, coitadinho do bichinho, gente. -falo, já planejando matar o Yato por comer um pobre passarinho.

- Deve ser bom ser a morte, né?!

- Como assim?

- Sei lá. Deve ser bom saber para que veio ao mundo e sua tarefa sei lá, você não deve se senti perdido. -Acabo pensando em voz alta sem querer

- Sei lá. Deve ser bom saber para que veio ao mundo e sua tarefa sei lá, você não deve se senti perdido. -acabo pensando em voz alta sem querer.

- Sabe, eu não cresci como vocês humanos. -ele começa a disser. - Quando 'eu nasci', eu simplesmente já sabia o que eu tinha que fazer, eu simplesmente sabia que tinha que roubar a vida das pessoas e depois bater um papo com elas quando morressem. -ele termina, me olhando com um meio sorriso. TIO LU, que pecado ser tão bonito assim, ainda mais a morte.

- Bom, nunca imaginei que eu fosse morrer de um jeito tão miserável assim, e ainda bater um papo com a Morte.

Nós dois sorrimos com essa afirmação.

- Por que vocês humanos fazem isso?

- Ta falando do que, doido varrido?

- Vocês ficam com essa merda na cabeça de: Eu tenho que ser alguma coisa, tenho que fazer algo importante e Bla Bla Bla e mais Blas. -ele dá uma pausa. - Por que vocês simplesmente não podem viver? Sei lá, tipo por que não simplesmente fazem o que querem e o que amam?

Não me aguento e acabo soltando uma gargalhada.

- Gostei desse pensamento Max, sempre me perguntei isso também. Por que a gente só não vive os momentos? A resposta é, -dou uma pausa dramática só para irrita-lo. -a gente é um bando de arrombado que não sabe aproveitar a vida direito, é isso.

- Concordo totalmente com você Kathe.

Damos um brinde com nossos copos cheios de vodca misturada com refrigerante. -não me pergunte de onde surgiu esse refrigerante e essa vodca.

-Então Kathe, está pronta para ir?

- Prontíssima meu querido, só vamo. - digo toda sorridente, acho que fumei maconha antes de morrer, nunca sorri tanto assim viva. - Mas antes a gente não podia dar uns pegas não?

Quem ignora buraco é prefeitura, mané. Até parece que perco a chance de dar encima da Morte/ Max.

Max me dá um sorriso junto com um aceno de cabeça, o que significa; Não. Pelo menos eu tentei né.

- E lá vamos nós. - não acredito que ouvi o Max falar o meme do Pica Pau, agora posso morrer em paz mesmo.

 


Notas Finais


JESUS SKSK QUE MERDA, AINDA VAI TER CONTINUAÇÃO SK


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...