História A Chef - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias MasterChef Brasil
Personagens Ana Paula Padrão, Erick Jacquin, Paola Carosella, Personagens Originais
Tags Ana Paula Padrão, Masterfchef Brasil, Pana, Paola Carosella
Visualizações 168
Palavras 1.104
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá pessoas, voltei e voltei com uma ficzinha Pana. Me amem <3

Não sei quando serão feitas atualizações, mas tentarei não demorar muito

Isa, obrigada por revisar <3

Capítulo 1 - Prólogo


“DROGA!!”
    
Eu levanto em um pulo da cama ao ver que não ouvi meu celular despertar e perdi a hora. Corro para o banheiro, jogo uma água em meu rosto e enquanto escovo os dentes procuro por uma roupa na bagunça do meu quarto. Tinha que me atrasar logo hoje? Não que eu seja a pessoa mais pontual do planeta, mas eu tô muito atrasada e o trânsito essa hora é caótico.   

       “Merda, merda, merda”

Praguejo enquanto visto a primeira roupa que encontro, espero pelo menos que esteja limpa! Prendo meus cabelos em um rabo de cavalo, eu sei que deveria tê-los lavado ontem mas a procrastinação tava melhor. Minhas lentes. Cadê minhas lentes? Corro de volta para o banheiro atrás das minhas lentes de contatos, porém elas não estavam no lugar de costume. Merda vou ter que ir de óculos, odeio usar óculos em público. Tênis, tênis, onde diabos enfiei meus tênis? Sério, eu preciso arrumar esse quarto urgente! Enfim acho um embaixo da cama e o outro no corredor, os calço na pressa, passo pela sala e pego minha mochila, pelo menos ela eu deixei arrumada, cato minhas chaves e saio de meu apartamento batendo a porta atrás de mim.

Não dá pra esperar o velho elevador chegar, então desço as escadas pulando dois degraus de cada vez. Esquece o carro, terei que ir de metrô. Pior que o trânsito de São Paulo, é a multidão de pessoas no metrô a essa hora da manhã, e eu que sou pequena sofro para me locomover entre os cidadãos que estão sempre com pressa.

Chego na faculdade com apenas 5 minutos de atraso, corro para o vestuário, visto meu uniforme e dirijo-me a cozinha. E mesmo a porta sendo de vidro, não percebo que tem alguém atrás e ao abrir acabo batendo na pessoa.

    - Desculpa. -  Falo baixo e ao olhar para cima fico cara a cara com uma morena alta. Ela apenas me olha e nada diz, rapidamente me posiciono ao lado de uma moça mais ou menos da minha idade.


    - Como eu estava dizendo - sua voz era carregada de um sotaque, latino talvez, mas lhe dava um ar sexy. Ajeito os óculos em meu rosto e olho pra frente a fim de prestar atenção ao que estava sendo dito. - Me chamo Paola Carosella, já estou nesse ramo há 25 anos, a idade da maioria aqui, já passei por diversos países como França, Itália e Estados Unidos. Tenho 1 restaurante e 4 casas de empanadas, e como o ser humano nunca está satisfeito com o que tem resolvi passar tudo que eu sei lecionando.

Observava cada movimento dela, sua postura e o modo com que mexia as mãos ao falar. Eu sei que estou muito velha pra ter paixãozinha em professora mas ela é realmente muito linda. Sou tirada do meu devaneio por sua voz.

    - Vocês são alunos mas irei lhes tratar como trato meus funcionários, aqui eu não sou professora, sou chef. Quero os uniformes sempre limpos e completos, unhas limpas e aparadas, nada de acessórios nem maquiagem. Não tolero atrasos, depois que eu entro, ninguém mais entra. - seus olhos me fitam e tudo que eu quero é me esconder. - Vocês trabalharão em equipe mas a avaliação é individual, enquanto eu falo vocês ouvem.  Separem-se em equipes de 4 pessoas, escolham bem sua equipe pois vocês irão juntos até o fim do curso.

    - Posso ficar com você? - pergunto olhando para a menina que estava ao meu lado enquanto ela chamava mais duas para a sua equipe.
    - Pode sim, aliás me chamo Guta e você?
    - Ana Paula.
    - Eu sou a Natália - a outra morena disse ao se aproximar da gente.
    - Me chamo Soraia - a loira de lindos olhos azuis disse meio tímida.
    
    
    - Bom, definidas as equipes vamos começar - a chef chama nossa atenção e todos viram para ela. - Vocês são estudantes do 1 ano de gastronomia, não pensem que vão chegar aqui já fazendo pratos de restaurantes renomados, vocês vão começar do básico. Gastronomia não é só cozinhar, é conhecer cada elemento, desde a origem até sua funcionalidade. Cozinhar não é pegar o que tiver na frente, colocar na panela e pá pow, vai sair um prato lindo. Vocês têm que conhecer as formas, texturas, aromas e sabores dos ingredientes. É conhecer a história de cada prato, porque todo prato tem uma história. Se você não é capaz disso, sinto lhe dizer mas você está no lugar errado.

Seus olhos brilhavam ao falar da gastronomia, dava pra sentir o amor dela pelo que faz. Espero um dia chegar no nível dela.

 

Sei que eu tinha uma carreira promissora no jornalismo que foi no que me formei, mas me apaixonei perdidamente pela gastronomia em minha estadia em Londres onde eu tive que aprender a cozinhar já que o salário de estagiária não dava pra luxar, e foi nesse tempo que eu descobri a cozinheira que morava em mim e que só seria realmente feliz se seguisse o que o meu coração dizia. Meus pais quando souberam que eu ia largar a carreira por uma coisa incerta? Bem, minha mãe, dona Shirley não ficou muito feliz com a idéia, mas também nada falou. Já meu pai, seu Fausto, foi o primeiro a me apoiar como em tudo nessa vida, eu ainda era a princesa dele.

Eu não larguei completamente o jornalismo, só não aceitei uma cadeira na redação da emissora mais prestigiada do país. Hoje trabalho em uma editora de jornal, assim me sobra tempo pra fazer a faculdade.

 

E você? - novamente estava perdida em pensamentos que não ouço a chef falar comigo. - você pode parar de ficar no mundo da lua e se apresentar pra turma. - naquele momento eu queria cavar um buraco e me enterrar, sinto minhas bochechas ficando vermelhas de vergonha, odeio ter atenção voltada pra mim, mas mesmo assim respiro fundo e me apresento.

Me chamo Ana Paula Padrão, tenho 24 anos, formada em jornalismo mas infeliz na profissão. Descobri meu amor pela culinária recentemente e resolvi arriscar e me aprofundar nesse mundo maravilhoso da gastronomia. - seus olhos nunca deixavam os meus e eu me sentia cada vez mais nervosa. Descobri que Guta é carioca e tem 25 anos, Natália é brasiliense como eu e é a mascote da turma com apenas 18 anos, e Soraia é gaúcha, 24 anos. Sinto que seremos grandes amigas.


Não consigo desviar meus olhos de Paola, tudo nela me encanta. A chef Paola Carosella acaba de se tornar oficialmente minha crush do ano!

 


Notas Finais


Críticas e opiniões são sempre bem vindas.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...