1. Spirit Fanfics >
  2. A chefe e a secretária - Jenlisa >
  3. Não sigo regras

História A chefe e a secretária - Jenlisa - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


boa leitura. ^^

perdoem os erros. ♡

Capítulo 2 - Não sigo regras


Fanfic / Fanfiction A chefe e a secretária - Jenlisa - Capítulo 2 - Não sigo regras

Não sigo regras, sou quem dita e impõe. - Lalisa Manoban

Não me calo nem nos momentos onde me digam que sou inferior. Pois sou do time fuck you os homens e o resto do mundo. - Jennie Kim


 Point of view Narrador 



- A dona manoban avisou que devemos estar todos de pé quando ela chegar. - cochichou o cara da limpeza para sua colega de trabalho. - sempre assim, não suporto mais essa narcisista. - diz com um semblante raivoso.


- caique, controle-se. Se a funcionária mais fiel dos manoban nos pega falando assim da patroa, vamos ser despedidos e você não quer ficar sem emprego, certo?! Apenas controle sua raiva e muito mais sua expressão mais do que evidente. Somos pagos para servir, pobres não tem lugar de fala.


- espero ansioso pelo dia que esse império vai cair. E cantarei vitória indo trabalhar na concorrência, a chanel.


- se a patroa escuta isso, ela mesma fará questão de te matar. Sabe o quanto odeia a chanel e principalmente o dono, Kim Jong-in, mais conhecido como kai seu maior inimigo.


- Por mim, ele que acabe com essa vadia.


- meu deus - balança a cabeça em negação.


Sons de passos firmes provocado pelo salto da sra. Manoban invadem o ambiente se fazendo presente de forma altiva dando a entender que a pessoa mais poderosa acabará de adentrar, fazendo com que todos levantem rapidamente um tanto que assustados pela chefe ter entrado antes do horário.


Lalisa caminha até o centro para assim ser vista e ouvida por todos e começa seu discurso.


Lisa: seguinte, todos aqui sabem que demiti a ex secretária do meu pai que esteve por aqui por mais de dez anos. E adivinhem o que a "fiel" fez? Foi para o lado oposto, foi para a chanel sabendo de todas as informações e o que iríamos lançar pro próximo verão. Então, eu ordeno que espalhem para toda a Coréia a trapassa e que vamos lançar outra coleção muito melhor do que a anterior e quero uma nova secretária para ontem! Por enquanto é só. Irene, na minha sala agora. 

...

- Olá, senhora manoban. Tenha um ótimo dia. - Charles, o segurança da família e o responsável por quem entra e quem sai da minha sala. Com as minhas ordens, é claro. Me cumprimenta como todas as manhãs comuns. Abrindo a porta para que eu entre em meu escritório onde me deparo com sujeira logo de cara.


Lisa: esses funcionários só podem estar brincando com a minha cara. - reclamo baixo. - charles, vá chamar o incompetente do caique e diga a ele que venha com uma boa desculpa enquanto estiver vindo. Ah, irene entre e feche a porta. Charles, mande o outro esperar aqui fora e quando eu mandar, ele entra.


- Sim, senhora. - diz e se retira me deixando a sós com irene.


Irene: como posso ajudar?


Lisa: quero que anuncie na internet que preciso de uma secretária e lá deixe tudo claro sobre o que desejo. Ligue para meu amigo dono da vogue e diga que lançaremos uma nova coleção e deixe claro que é para a senhora manoban e diga que pedi para que ele publicasse toda a coleção e que vamos selecionar as modelos que vão para a passarela junto com um cachê altíssimo. Tudo rodeado de luxo, ele se interessará. E me traga os papéis que Frédéric me enviou uma proposta, quero ler e verei se aprovo ou não. Em seguida ligue para minha amiga rosé, o número dela está anotado na agenda de contatos íntimos para alguma emergência. Me passe a ligação. Logo!


Irene: ok, mais alguma coisa?


Lisa: apenas vá logo. - digo sem paciência. - ter a irene como secretária temporariamente é tão frustrante, apesar de as vezes ela ser eficiente. A função dela é outra. Apesar de tudo, fico contente por ela ainda não ter nos traído. E espero que permaneça assim.


Ouço batidas em minha porta, certeza que é o outro que nem para limpar serve.


Lisa: entre. - digo e ouço a porta se abrir e vejo caique com a cara de cachorro sem dono, me poupe. - hm, está vendo a minha janela caríssima dando a vista a toda Coréia do Sul e podendo avistar a chanel?


- s-sim senhora.


Lisa: e por que não está limpa como se deve? Devo corta sua língua e mandar você esfregar com ela?


- n-não senhora, não precisa disso. - diz gaguejando, covarde. Para falar por trás ele sabe muito bem.


Lisa: dois minutos para limpar ou é rua.


- já vou.


Lisa: um, dois... o tempo está passando. - digo e ele corre desesperado com seu produto de limpeza. Aqui é assim, o medo de ser despedido é enorme. Quem é o idiota que vai querer perder um emprego no qual paga muito mais que qualquer outro?  


Point of view Jennie Kim


- GOSTOSA - um cara bêbado qualquer grita enquanto danço pole dance lentamente com a expressão mais sexy que eu posso, tentando focar em qualquer cara que seja, que impossívelmente me atraia. raríssimo.


Mal sabe eles que enquanto danço me imagino cortando a garganta de todos, sem poupar nenhum. Isso sim me dá prazer. Meu lado sombrio vem a tona sempre que piso neste ambiente ou qualquer outro que me faça mal.


Parte da dança tenho que engatinhar até a plateia de escória para seduzir. Estratégia que xiumin usa para que eles gastem mais dinheiro.


Então assim o faço.


- se tirar a roupa para que todos nós vejamos, te pago 1.000 dólares. - diz um homem se aproximando do meu ouvido. A ânsia é enorme.


Jennie: pouco. - dei de ombros e tentei sair mas ele me impede. Se xiumin não estivesse observando, chutaria a cara desse idiota.


- quanto quer?


Jennie: 5.000 dólares 


- pra uma prostituta, você quer demais. Não acha não?


Jennie: eu danço, não transo. Se deseja mesmo ver meu corpo nu, terá que pagar esse preço, senão nada feito. - prostituta é a tua mãe, filho da puta.


- certo vadia, então comerei outra que esteja no meu orçamento.


Jennie: boa sorte. Antes terá que ir no hospital. - digo e acerto seu rosto com um chute que certamente vai deixa-lo banguelo. Me arrependo? Não. Mate um homem.


Depois do feito, uns se reúnem para ajudar o babaca. Outros apenas dão risadas. E xiumin? Querendo me matar.


Me retiro do palco e vou até o lugar que fica nos fundos para que eu retire toda a maquiagem e ir embora.


Xiumin: que porra foi aquela? - diz entrando com tudo, mal educado.


Jennie: ele me ofendeu. Me chamou de vadia. Ele acha que é quem? Bêbado filho da puta. - digo com sangue nos olhos. - odeio que me tratem como se eu fosse um objeto, um ninguém. Eu sou um alguém caralho, mereço respeito como qualquer outra.


Xiumin: aqui você é vadia, puta, prostituta ou o que quer que seja que eles queiram que você seja. Você não tá no lugar onde tem direito de escolha. Se atrapalhar meu movimento aqui outra vez, eu te mato.


Jennie: quer saber? Eu me demito. Foda-se você, esses porcos imundos, seu "movimento". Quero que vocês vão pra puta que pariu. Eu não sou obrigada a estar aqui, vou procurar um emprego melhor e assim pago minhas dívidas. Tu deve achar que eu sou otária né xiumin? Acabou. Lide com a sua freguesia, eu tô caindo fora. - falei e fui embora sem ao menos ter pego minhas coisas, mas não me importo. 


Notas Finais


meu deus, eu mudei (quase) tudo ksksksks. bom, espero que independente da mudança, vocês gostem.

eu tô achando essa versão muito melhor e vocês? Jennie dona de si, tudo pra mim.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...