1. Spirit Fanfics >
  2. A Cidade Demoníaca >
  3. Capítulo IV

História A Cidade Demoníaca - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Queria me desculpar mesmo pela demora, aconteceu muiita coisa nesses dias, mas vou ter mais responsabilidade!

Espero que gostem, huh? Boa leitura.

Esse cap ta quente... (͡° ͜ʖ ͡°)

Capítulo 4 - Capítulo IV


Fanfic / Fanfiction A Cidade Demoníaca - Capítulo 4 - Capítulo IV


Me acordo assustada, estava ofegante e suando muito, o sonho parecia tão real... Mas digo no sentido de ter a sensação de que já tive naquela situação, com ele. Era curioso demais, parecia que tinha sentido aquela dor, a lança me perfurando, seu corpo gélido colidindo ao meu, sem vida, a tristeza tomando conta de mim ao lhe ver perdendo a vida aos poucos, ao ver sua pele se tornando pálida e seus olhos opacos.


Viro a cabeça para o lado lentamente, minha respiração estava normalizando. O garoto ainda estava ali, me olhava atento, me pergunto por quanto tempo estava a me encarar.


— Por que está aqui?— Escuto sua voz suave, seu jeito de falar era tão parecido com o de Taehyung, não é possível.


— Você me lembra tanto um amigo.— Digo rouca e em um tom baixo, estava sentindo um cansaço de repente, o que fez com que meus olhos começassem a fechar novamente.


— Dizem que sou muito parecido com meu irmão mais velho.— Sorrio fraco, ouvir ele falando me deixava tranquila, confortável e de alguma forma, fazia com que eu me sentisse aliviada... de tê-lo por perto.


Abro a boca, queria falar algo, mas nenhum som saiu, tudo escureceu, me impedindo de ouvir a doce voz do menino.


[...]


— Acorde!— Escuto uma voz feminina e abro os olhos com dificuldade, estava muito claro, tinha a sensação de que uma luz estava sendo direcionada diretamente em meus olhos, e não estava errada...— Você precisa comer, não podemos perder outra cobaia.


— O-o que?— Pergunto tentando me sentar, minhas mãos estavam livres de quaisquer amarras, e a mulher me olhava com um semblante completamente sério que deixava bem aparente seu cansaço.


Ela larga a bandeja com comida em meu colo desajeitadamente, faço uma careta e dou uma garfada na comida, comendo com vontade, já que estava morrendo de fome.


— Ele não vai comer?— Pergunto me referindo ao garoto que olhava para a enfermeira com puro ódio.


— Essa aberraçãozinha de Hidden City merece mais apodrecer em uma cela, com fome... e sede.— A encaro incrédula e ela ri irônica.— Não serve pra nada, espere um pouco até que seja descartado como aqueles humanos imprestáveis.


Ela da meia volta saindo da sala rindo debochada, pego uma tesoura que estava sobre uma mesa juntamente à outros aparelhos cirúrgicos, corto as amarras de meu tornozelo e pego a bandeja, indo em direção ao menino que me olhava curioso.


— Você deve estar com mais fome que eu.— Digo sentando em sua maca, encho o garfo com a comida e levo até sua boca.


— Não! Você precisa comer, eles irão fazer muitos testes, não pode ficar sem comer.— Nego sorrindo e o vejo bufar, até que finalmente abre a boca.


— Qual seu nome?— Pergunto interessada na informação, a enfeira havia falado de onde ele venho, pode conhecer algum dos meninos.


— Kim Dae-Ho.— Ele fala de boca cheia, arqueio uma sobrancelha enquanto fitava o garoto de cima à baixo.


— Conhece Seokjin? Kim Namjoon? Kim Taehyung?— Questiono novamente e vejo seus olhos brilharem, o canto de sua boca se curva em um curto sorriso.


— O Tae é meu irmão... meu irmão mais velho, como conhece ele?— Rio fraco, não estava tão surpresa, afinal, a semelhança não é pequena.


— Bem... é complicado, mas, ele sabe que está aqui?


— Não...— Percebo a tristeza dele, pois desmanchou o sorriso no mesmo instante.— Ele nem imagina.


— Vamos sair daqui, Dae. — Falo confiante, mas na verdade, não tinha certeza se isso era possível, estava tentando ser positiva, quero que Dae-Ho veja Tae novamente, vou ajudá-lo a se ver livre dessas criaturas maldosas.


[...]


— Como imaginei...— Taehyung fala desanimado, o moreno batia os dedos na mesa de madeira, enquanto se permitia afundar-se em pensamentos e ideias não concluídas.— Não temos chances.


— É bem complicado.— A voz de Namjoon lhe faz levantar a cabeça, fixando seu olhar no homem à sua frente.— Mas não é impossível. Taehyung, você sabe disso. 


— Hum...— O moreno resmunga, passa as mãos em seu rosto, o cansaço já estava lhe consumindo.— Só que quero encontrar ela viva.


— Eu sei, eu sei.— Namjoon respira profundamente, soltando o ar com calma.— Sei que não temos o tempo que precisamos, mas somos capazes de tirar ____ de lá.— Ele levanta atraindo os olhares de todos presentes para si.— Vão descansar, vou para meu escritório, ver se tenho alguma outra informação.


— Vou com você.— Jin fala seguindo o maior, e os dois somem pelo corredor.


— Vou para o meu quarto.— Taehyung diz e lança um olhar para Jeon, que entendeu o recado e se levantou também.— Até amanhã.




Taehyung estava deitado em sua cama, com as pernas sobre as de Jungkook, o qual estava ao seu lado, na sua mesma posição.


— Não teve notícias de Dae-Ho?— Jeon quebra o silêncio pegando Tae de surpresa, mesmo que o moreno já houvesse pensado nisso à pouco tempo atrás.


— Não...— O outro responde com a voz carregada de culpa. Mesmo que não tivesse de verdade, o sequestro de seu irmão foi um choque, e o moreno sentia que podia ter impedido, de alguma forma.— Tenho medo, de perder ele também.


— Não vai, Tae.— Jeon senta e encara o mais velho, vendo uma lágrima escorrendo sobre sua bochecha.— Não vamos deixar isso acontecer.— Jungkook parecia confiante, queria que o garoto também sentisse isso, pois sabia que eles não iriam desitir facilmente. Ele leva seu polegar até o rosto de Tae, secando as gotículas que molhavam suas bochechas.


— Promete?— Jeon se surpreendente com seu pedido, jamais viu o moreno tão carente de carinho e atenção como estava agora.


— Prometo, Tae.— O de cabelos escuros se curvou, na intenção de beijar o acastanhado, e foi retribuído inesperadamente. 


As mãos de Tae foram de encontro aos fios alheios, os puxando levemente, procurando por mais contato, o ósculo foi se intensificando, o que não era esperado.


Jeon senta na cama, erguendo o corpo do moreno e o pousando em seu colo, abraçando-o a medida que o beijo se tornava mais eufórico. O calor de ambos os corpos, as línguas se acariciando, lhes deixavam sem ar.


Ao se separaram Taehyung pode notar os olhos vítreos de Jungkook, assim o mais novo os fixou nos dele, que tinha em seus olhos o brilho em suas chamativas íris douradas.


Jeon levou suas mãos até a camisa do garoto, lentamente, estava receoso se devia mesmo o fazer, assim que recebeu o sorriso de seu parceiro, tirou o pano que cobria o abdômen do mesmo.


Jungkook lhe tirou de seu colo e o deitou delicadamente na cama, beijando e acariciando sua pele, a qual pra ele, era única e admirável, passou seus dedos pelos gominhos do abs do moreno, e sorriu ladino ao sentir sua pele eriçar sob sua mão, que passeava por seu corpo, até chegar em sua calça, onde abriu o zíper sem pressa, logo livrando Taehyung da mesma.


Os dois trocam de posição, e foi a vez de Tae despir Jungkook, o qual não interferiu em nada, apenas aproveitou ter as mãos macias do amigo passeando por cada parte de seu corpo seminu.


— Sempre quis te sentir dentro de mim hyung...— Jeon fala manhoso, e não consegue segurar um gemido baixo ao sentir seu membro ser apertado sem muita força.


Eles tiram a única peça que os impediam de verem um ao outro completamente, agora estavam nus, ambos admirando um ao outro, se encararam por alguns segundos, que pareceram horas.


Taehyung ataca os lábios do mais novo enquanto massageia seu membro, que doía ao suplicar por atenção, queria estar dentro de Jungkook, entrando e saindo fundo e rápido.


— Empina pra mim bebê.— Tae pede e o garoto obedece de bom grado, empinando sua bundinha branquinha e durinha na direção do mais velho, que passou sua lingua pela entrada do mesmo, fazendo Jungkook soltar um gemido inesperado.


Após Tae ver que ele estava pronto, se encaixou em sua bunda, pincelando seu membro na entrada do garoto que pedia para seu hyung lhe foder, e assim ele fez, penetrando sem pena o mais novo, que se contorcia e pedia por mais.


— A-aah... tão apertado...— Taehyung fala arrastado, com alguns cortes pelos gemidos manhosos.


Ele aumenta a velocidade e Jungkook geme alto, sorri ao ver que havia achado o ponto sensível de seu amiguinho, começou a estocar somente naquele local, sentindo o interior de Jungkook contrair, e logo também se desfez, vendo seu líquido escorrer pelas pernas do dongsaeng.


Os garotos caíram deitados na cama, ofegantes e suados, Jeon deita no peito de Taehyung, que subia e descia rapidamente.


— Obrigado Coelho.— A voz rouca e grossa de Tae fez o garoto em seu peito sorrir.


— Foi ótimo...


Notas Finais


Eu espero de coração que tenham gostado, sei que tem gente que não curte Vkook, masss... é meio que sexo sem compromisso, posso fazer dos outros meninos se quiserem...

Então, se cuidem viu? (◎_◎)

Fiquem em casa por obséquio!

bjinhos até o próximo! ♡´・ᴗ・`♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...