História A Cidade Dos Escritores - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - OneShot


 

A Cidade Dos Escritores

 

Era uma tarde de verão do ano 5080 quando começou um incêndio na casa de campo da família Pettersen, onde acabaram por perder tudo o que havia na casa. Então a esposa e o marido foram para uma cidadezinha pouco povoada que por sua vez deixou de existir no mapa por motivos desconhecidos. Lá a esposa, Nora Pettersen deu a luz a um menino de olhos esverdeados e cabelos escuros, porém após o parto Nora não resistiu e foi a óbito. O marido, John Pettersen criou a criança até os três anos quando coisas estranhas começaram a acontecer da noite pro dia, do modo que John acabou por deixar seu filho sozinho, abandonado e sumira do mapa assim como a cidadezinha. O garoto que era apenas um bebê na época fora encontrado após cinco dias porém não aparentava estar desnutrido e nem mal cuidado mas havia uma espécie de anormalidade no local onde fora achado. Ao redor de onde estava, de onde era sua cama, tinha uma espécie de simbolo desconhecido que até então ninguém dali conhecia, porém o que eles não sabiam era que o mundo inteiro já havia visto tal simbolo exceto eles pois não possuíam nenhum tipo de tecnologia, talvez fora por isso que foram banidos do mapa, ou talvez não...

 

Dez Anos Depois

 

Dez anos se passaram desde o ocorrido, o garoto fora adotado por uma família que herdou alguns terrenos da cidadezinha, era uma família simples que infelizmente não pudera ter filhos então resolveram adotar o garoto que passara a se chamar Ericky, porém com a tragédia pela qual a família do garoto passara, Faustos e Felicie resolveram deixar o sobrenome com o garoto para levar adiante o nome dos Pettersen e fazer dele um nome melhor.
O casal já havia percebido que o garoto não era como os outros, ele possuía uma mente mais avançada e capaz de realizar grandes feitos em questão de segundos e isso os assustou no inicio mas conforme o tempo passava o menino se mostrava indefeso o que fez com que Faustos o ensinasse a se defender e com o amor que Felicie dava para Ericky era difícil não defender os outros na escola. Logo que começou ir para a escola, Ericky se mostrou como um garoto gênio, como um garoto prodígio e isso não foi aceito logo de inicio, o que por sua vez ocasionou a evolução de Ericky...
Com a evolução do garoto quase completa o tempo havia parado, o mundo inteiro estava descansando, a Terra não estava mais em seus movimentos de rotação e translação agora era apenas uma estátua qualquer e Ericky estava sozinho...
O garoto rapidamente correu para sua casa ao perceber o que estava acontecendo e ao chegar lá seus pais adotivos também estavam congelados o que o deixou desamparado, logo o pequeno Ericky pegou seus pertences e os pôs em sua mochila e assim saiu sem um rumo certo até que dez horas depois do ocorrido o garoto esbarrou em três seres mistícos que o explicaram o que aconteceu...

 

"Oh pequeno Ericky..." Falou Mazie, a Deusa da guerra de Hiblin-Hin.

"Você é poderoso garoto, e será mais sábio do que é agora conforme aprenda a seguir o seu caminho e mantenha o equilibrio na Terra." Disse Hank, o Deus dos Superiores.

"Por Mazie! Ele é tão jovem!" - Susie, a responsável pelos Deuses Do Tempo falou com certo pavor.

"Bem, pequenino Ericky seu pai era um Deus Do Tempo e assim, quando você completou três anos de idade seu pai sabia que já estava na hora dele te deixar, e assim você cresceria e ocuparia o seu lugar, seria um Deus Do Tempo evoluído e melhor do que ele foi. Assim ele fez questão que a família certa o encontrasse, sua mãe morreu por falta de cuidados durante a sua gravidez, se ela houvesse se cuidado mais e não cometido tantos erros, talvez ainda estivesse aqui para lhe orientar e não fosse preciso você passar por tudo isso..." Mazie explicou.
"É, mas como isso está no seu sangue você é o herdeiro de um grande poder, e deve usá-lo com uma enorme sabedoria e manter o equilibrio terraqueo, caso contrário o mundo se autodestruirá em questão de minutos e você não terá mais poder algum para impedir... E isso seria terrível, não seria jovem Ericky?" Susie disse e o observou.
O garoto demonstrava grande desconforto por não saber quem ou o que eles eram e o porque de tudo aquilo estar acontecendo com ele, pois ninguém nunca havia lhe dito como que se lidava com responsabilidades, porém agora, ele tinha uma que lhe caía como uma luva.
-Mas eu não quero ter um grande poder e não quero ser obrigado a tê-lo. - Ericky falou com um tom de voz gentil que encheu o coração de Mazie de alegria.
"Garoto, você não pode escolher. É algo que é passado de geração em geração e você só deve seguir seu destino e fazer o melhor possível para que tudo ocorra da melhor forma possível." Hank tentou explicar.
-Não. Eu não quero ser nenhum Deus Do Tempo. E... E eu vou fugir se vocês me obrigarem. - Ericky disse decidido.
Hank olhou para Mazie que logo olhou para Susie, e assim cada um sabia o que fazer exatamente.
"Então vá, mas o tempo não continuará até que decida seguir seu caminho." Hank avisou e assim todos sumiram, deixando Ericky sozinho em uma floresta.
Após um tempo vagando pela floresta Ericky cansado se sentou debaixo de uma das enormes árvores antigas daquele local, o que por sua vez deixou o garoto assustado com o seu futuro caso ninguém descongelasse, assim o garoto estando cansado e começando a ficar com fome se pôs de pé tendo em mente que não iria se entregar. Enquanto vagava sem rumo certo por dentre as árvores ouviu uma voz, e se enchendo de alegria e felicidade por ele não ser o único que ficara descongelado, correu em direção a tal voz.
Ao chegar lá entretanto, não havia ninguém além de uma enorme nuvem cor-de-rosa, assustado porém curioso, acabou por adentrar a tal nuvem e logo, um emaranhado de cenas e histórias desconhecidas se passaram diante dele.
"Essa pequeno Ericky, é Amy, a garota do submundo, a princesa das trevas, em outros termos, a filha do diabo. Ela ainda é jovem, e não está totalmente perdida, ela ainda tem chance de mudar toda a tragetória de sua vida e a do mundo também, mas é claro que há dificuldades em seu caminho, como por exemplo os garotos que aparecem em sua vida, isso a deixa confusa e com raiva ao mesmo tempo. Mas esse não é o pior do problemas dela, e sim a sua verdadeira origem."
Ericky observava os passos de Amy após ela ser sequestrada, a vida no submundo não andava nada bem e isso iria acabar dando muito errado no futuro para o mundo inteiro incluindo outros planetas distantes como Hiblen-Hin. Amy se machucara em um dos treinos depois que o diabo decidiu a acorrentar para que pudesse tê-la, e conforme os poderes dela aumentavam, outras habilidades ela conhecia como por exemplo regeneração.
"Viu pequeno Ericky, ela simplesmente se regenerou quando percebeu que seus sentimentos estavam anormais, e então uma alegria imensa se apoderou dela o que fez com que o servo sorrisse. Você consegue perceber o quão isso é bom? Fazer parte do seu destino sem querer mudá-lo ou então nega-lo?"
-Vocês não me deixam em paz.. Eu quero ficar em paz! Vai embora! - o pequeno Ericky disse e Mazie o deixou sozinho, por um segundo apenas...
O garoto andou mais um pouco dentro daquela enorme nuvem cor-de-rosa e ao se deparar com uma porta em vermelho escrita perigo, ele não deu importância e a abriu.
"Oh jovem Ericky, você sabe o que acontece após perder tudo o que sempre teve? Você acaba morrendo meu jovem e com Amy não foi diferente, porém o espirito dela ainda vaga pela Terra, e ele meu caro, encontrou outro corpo para habitar.. Agora a princesa do submundo tem um novo nome, Alaska."
-E quem é essa Amy? - quis saber Ericky curioso.
"Ela é a salvação, ou a destruição de toda a vida. E você, você Ericky deve garantir para que ela vá pelo caminho certo, você pode voltar no tempo e ir além dele, ver o que irá acontecer e o que já aconteceu para garantir que a vida na Terra seja equilibrada e quase perfeita. Ela é apenas uma bomba relógio que se deve evitar que exploda. Compreende?" Susie disse e logo a cena em que a garota lutava contra um monstro apareceu na nuvem, o pequeno garoto a chamando de monstro e o modo como aquilo a feriu e por muito pouco não teve tempo para explodir, talvez se estivesse com os poderes evoluídos como está agora o garoto teria falecido.
-Então ela é a razão de eu estar aqui e ser o Deus Do Tempo? - Ericky começou a pegar algo no ar.
"Exato." Susie disse e logo percebeu que seria difícil esconder quaisquer segredos que estivessem por vir dele.
-Bom, então se eu voltar no tempo e impedir que ela nasça, eu vou ser livre e meu pai também será. - Ericky concluiu porém estava enganado...
Susie não quis impedir, de alguma maneira ele teria de ver que não importa o quanto tente bagunçar a ordem do tempo, pois o que for para ser, será, não há como impedir o destino, e ela estava destinada a nascer e servir de grande esperança para algum dos lados, para o lado esquerdo da gangorra ou então, para o lado direito.
Ericky voltou no tempo mais vezes do que se dá para contar e foi totalmente inútil quanto a mudar a tragetória da princesa, então após falhar em todas as suas tentativas acabou por decidir que iria mudar a sua tragetória, assim ao menos ele estaria livre de toda aquela maldita responsabilidade sobre o tempo e o equilibrio.
Após duzentas tentativas que também o deixaram frustrado e perceptívelmente cansado, decidiu ir consultar a nuvem, talvez ela tivesse a resposta para o que ele tanto almejava.
"Garoto, ninguém tem o poder de fazer com que o seu destino mude. Não vale a pena correr atrás de algo que não há solução. Pare com isso e aceite logo o que é seu por direito." Hank disse ao perceber o quanto o garoto era insistente.
-Não. Deve ter algo que eu possa fazer para mudar o meu destino, não pode ser apenas isso... - Ericky disse já se jogando no chão como se fosse um garoto mimado, porém isto representava o seu desespero e cansaço.
"Oh pequeno Ericky, não fique assim, pois quanto antes você aceitar o seu destino, o tempo passará mais rápido e você será livre depois que Amy estiver sobre controle..." Mazie tentou animá-lo.
"O seu pai não gostou também de ser o Deus Do Tempo, mas ele percebeu que alguém teria que ter esse responsabilidade. Assim decidiu aceitar, pois seria melhor ele do que qualquer outra pessoa, não?!" Susie contou uma parte da história de John.
-Ele era como eu? - perguntou Ericky ainda no chão.
"Era sim garoto, e ele ainda é." - disse Hank com a voz séria.
Ericky levantou do chão e olhou para a nuvem, logo pediu para mostrar o seu pai. John estava em uma cidade, estava claro de se ver porém onde era a nuvem não permitia que o garoto soubesse. 
-Ele está vivo! Ele está vivo! - Ericky gritou e pulou.
Mazie sorriu, ela estava mais feliz por ele ter descoberto isso sozinho do que depois que tivesse de ir embora para lá também.
"Nenhum Deus Do Tempo morre pequeno Ericky, eles apenas ficam velhos demais para isso. Ou seja, eles se aposentam, e os seus filhos são os herdeiros de tais poderes incríveis! Logo, quando você crescer e envelhecer mais, poderá visitá-lo mas apenas se seguir o caminho do qual está destinado. Ele estará lá, esperando por você." Mazie falou e sentiu uma lágrima de poeira descer por sua face já desaparecendo.
"Ele confia em você jovem Ericky..." Disse Susie e assim, os três seres mistícos desapareceram sem deixar quaisquer rastros de onde tinham ido. 
Ericky estava de volta a cidade, e agora correndo para sua casa, pegou um caderno em branco e começou a escrever, quanto mais ele escrevia mais rápido o tempo voltava ao normal. As histórias sobre o futuro já estavam sendo escritas e, o destino iria dar uma pequena mãozinha para ele.
Dentre Nuvens Ao Redor
"Era tarde da noite quando percebi o que eu tinha de fazer, mas não parei pois eu precisa completar parte da minha missão, e depois eu poderia ver meu pai. Não foi fácil no inicio, não foi uma tarefa fácil achar registros da vida de Amy, mas quando encontrei foi como se eu já soubesse o que fazer. Então, em um certo momento entrei no céu e libertei o anjo que eles haviam prendido, assim quando ele caiu aqui já pertencia a mim até que eu o libertasse. Fizemos um trato, um acordo entre espécies que dizia: A sua missão será garantir que Amy seja introduzida ao novo mundo, e levá-la até o seu destino,e depois, você será livre. Agora,estou mais velho, eu voltei alguns anos atrás e aprendi a controlar melhor os tais poderes que tenho, mas ainda não os domino por completo, Amy está no submundo e tudo saiu fora do meu controle, mas ainda não acabou. Eu sei como consertar as coisas e fazer com que tudo saía como o planejado, afinal de contas, eu já garanti que a família dela fosse, digamos assim, sequestrada, como aconteceu com a minha, não é? Enfim, agora será apenas mais alguns meses para que tudo siga pelo seu rumo certo e pronto, tanto eu quanto Lowell seremos livres para fazer tudo o que quisermos."
-Filho, você me contou tudo isso por quê? - John perguntou.
Ericky já crescido o suficiente não compreendeu o pai.
-Por quê é por você que estou fazendo isso. É por vocÊ que retirei a familia dela e que libertei o anjo. - Ericky disse meio enraivecido.
-Não. Você está fazendo isso por você, por quê a sua família foi tirada de você e agora como o seu destino é garantir que ela não estrague as coisas, está descontando a sua infelicidade nela, e isto está errado filho.
-Talvez se você não tivesse fugido da sua missão, eu não estragaria as coisas assim. - Ericky o críticou.
-Eu não fugi, eu completei ela, da maneira errada, e paguei o preço. Já você não precisa fazer o mesmo Ericky. - John estava tentando manter a calma, o que parecia já não bastar.
-Você fugiu sim, não conseguiu dar conta de Amy, da princesa das trevas?! Por isso que disseram que eu seria melhor, que era para eu ser melhor do que você.
-Essa não era a minha missão. Amy nunca foi minha missão, mas eu sabia que seria a sua!
-Então por quê não evitou? - Ericky gritou dentre nuvens ao redor deles.
-Por quê eu precisava proteger a sua mãe do Lorde... - contou John entristecido.
Ericky ficou calado por um tempo, sem compreender corretamente o que acontecera no passado, e o que poderia acontecer no futuro, decidiu ir embora e parar de escrever, parar de ser o apoio de novos escritores. As histórias que contava não eram ficção, ou fantasia, pelo contrário, era a mais pura verdade e isso o indignava quanto aos outros que apreciavam tanto suas ficções. Ele já havia deixado claro que não eram ficções, mas o povo não acreditava, para eles era uma espécie de ficção adolescente, já que Ericky agora tinha dezenove anos...
A cidade natal de Ericky agora era conhecida mundialmente como A Cidade Dos Escritores, e isso por que ele dera esse nome após começar a escrever e todos, ou quase todos adotarem a escrita também. Eram tempos diferentes do quais Ericky tinha que lidar, Amy era de 2018, 2019 e agora ele pretendia acabar de uma vez por todas com isso em meados de 2020.
O garoto que antes era um gênio total, agora com inúmeras viagens no tempo para o passado havia se tornado um pouco maluco quanto a certa lógica e isso não diminuiu as suas escritas porém, o deixou mais enraivecido ainda...
Certo dia quando estava dando autográfos, uma mulher o olhou com cara de curiosa e pelo fato de a vê-la outras vezes, isso o intrigou ao ponto que a seguiu até um beco, porém lá ela já havia sumido, então voltando mais uma vez no tempo para descobrir quem era, ele chegou a conclussão de que era desnecessário, e voltara a sua vida de escritor, enquanto secretamente cuidava da vida de Amy, a perca de contato com Lowell o deixara muito nervoso e preocupado, ele não sabia do que eram capazes no inferno e isso acabou por quase destruir o garoto, logo, ele encontrara a nuvem cor-de-rosa novamente, e lá ele viu como todas as histórias terminam.
 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...