1. Spirit Fanfics >
  2. A Cinderela Errada >
  3. Jovens são competitivos

História A Cinderela Errada - Capítulo 12


Escrita por:


Notas do Autor


Oi, princesas e princesos!
Desculpem demorar pra postar (escrever não é difícil, mas também não é fácil!).
Enfim, aqui está mais um capítulo pra vocês, espero que gostem!
Nos encontramos nas notas finais!
\(>o<)/

Capítulo 12 - Jovens são competitivos


    _Senhores e senhoritas…_ Ross anunciou após alguns longos minutos de preparação, segurando entre as mãos sete pequenos pedaços de papel dobrados _O que tenho em minhas mãos são os nomes de cada um de nós, esses papéis vão definir as equipes da competição.

    _Equipes?_ Claire cruzou os braços _Ninguém disse nada sobre equipes, ratinho.

    _Bem, doce e linda princesa,_ ele revirou os olhos, sentindo gosto de vinagre na boca _essa competição exige equipes. Deixa tudo mais interessante!

    _Eu concordo._ Ryan sorriu, imaginando que seria um ponto positivo ser colocado junto de certa Cinderella _Acho que seria uma boa ideia.

    _Obrigado, alteza._ o criado inclinou a cabeça com um tom alegre e começou a balançar as mãos para embaralhar os papéis _E, já que foi quem deu a ideia, nos faça o favor de tirar os papéis. De dois em dois, para formar as duplas, os três últimos ficarão juntos.

    _Eu? Certeza?

    _Rápido, principezinho._ Celyn se aproximou com Kurt e Matthew logo atrás _Estou curiosa.

    _Ok, ok._ Ryan balançou a cabeça incerto e começou a tirar os nomes. _Kurt…. E Matthew.

    _Êhhh!!_ Matthew comemorou. Dos jovens ao seu redor, Kurt era o que parecia mais divertido, e não estar junto com a irmã era um bônus bem vindo.

    _Comporte-se, Matthew._ Claire suspirou impaciente, e o garoto se aquietou, logo antes de Kurt exibir um sorriso de cumplicidade para ele.

    _Os próximos…_ Ryan continuou depois que Ross chacoalhou mais uma vez as mãos  _Messa e… Ryan…

    O príncipe quase não conseguiu conter a expressão de decepção, e imediatamente se sentiu um tanto infantil por isso.

    _Parece que vamos competir juntos, Messa._ comentou se deixando levar pelo clima de diversão ao redor.

    _Espero não atrapalhar, alteza._ a criada curvou a cabeça brevemente.

    Celyn sorriu diante da reação um tanto humilde da criada, ela tinha um jeito bem diferente perto da realeza, então fez as contas rapidamente e viu que estavam sobrando três.

    _Isso quer dizer…_ começou fazendo a contagem

    _Sim._ Ryan confirmou pegando o resto dos nomes _Claire, Ross e Celyn.

    O trio se entreolhou de forma faiscante. Se por um lado Celyn não se importava em dividir sua equipe com Ross, Claire estava completamente fora de questão. O criado tinha certeza de que iria enfrentar muita coisa até aquele jogo acabar, e a princesa achou que não podia estar em pior companhia.

    _Exijo uma mudança de equipes._ ela anunciou, sem surpreender ninguém, mas Ryan fez questão de fingir espanto

    _Sério, Claire?_ jogou a cabeça para o lado _Onde está seu espírito esportivo?

    _Eu costumo guardar para esportes de verdade._ ela retrucou polidamente _E com companhia mais adequada.

    _Tudo bem, vossa nobreza._ Celyn sorriu com mais educação do que se esperava, enlaçando seu braço no de Ross, que sorriu de forma descarada. _Tenho certeza que Ross e eu ainda temos alguma chance sem sua prestativa colaboração. Certo, Ross?

    _Eu não me importaria, senhorita Greylie._ o criado respondeu da mesma forma educada que só podia sugerir que estavam brincando com a princesa

    _Não tente testar minha paciência, ratinho._ Claire estreitou os olhos negros e afastou um cacho do rosto antes de se aproximar de forma intimidadora

    E mais uma vez foi possível sentir as faíscas acenderem no lugar.

    _Ok, Ross._ Ryan bateu as palmas das mãos, um pouco querendo salvar a tarde, um pouco querendo que Celyn largasse o braço do amigo _Você ainda não disse que tipo de competição vamos ter aqui.

    _Bem, alteza._ Ross se dirigiu a ele depois de uma longa olhada de canto para a princesa _Não vou mentir, é um jogo bem desafiador, devem estar prontos para tudo.

    _Fala logo, Ross._ Kurt riu do ar de mistério que o rapaz tentava transparecer

    _Senhores e senhoritas! Eu desafio todos vocês…_ o criado anunciou com empolgação e um olhar desafiador e travesso _a uma Caçada aos Tesouros Históricos de Cástia!

 

***

 

    _Tudo entendido?_ Ross perguntou aos demais, que confirmaram com acenos _A equipe que trouxer até aqui o objeto mais antigo, em uma hora, vence.

    _Certo._ todos concordaram

    _Isso não vai causar problemas?_ Messa levantou a questão principal _Os objetos antigos geralmente também são delicados e valiosos.

    _Não se devolvermos rápido, e inteiros._ Ryan sorriu como se fosse um hábito simples fazer aparecer e desaparecer os objetos valiosos do castelo _Apenas tomem cuidado para não serem pegos pelos guardas.

    _Não corremos o risco de perdermos a cabeça, não é?_ Celyn quis saber

    _Se acontecer eu explico tudo, não se preocupe._ o príncipe garantiu

    _Quem for pego será desclassificado._ Ross completou, fazendo os demais se entreolharem com uma empolgação silenciosa _Esse será o local de partida e o local de encontro. Todos têm uma hora. Prontos?

    _Prontos!

    Regras definidas e repassadas, os jovens do castelo de Cástia se separaram. Kurt e Matthew para o lado oeste, Messa e Ryan para o lado leste, Celyn, Ross e Claire, cujos protestos foram ignorados, para o lado norte.

    _Então… Vocês têm alguma idéia de que tipo de objeto seria antigo o suficiente?_ Celyn perguntou aos colegas enquanto caminhavam _Eu não conheço nada por aqui, então deixo por sua conta.

    _Por mim tanto faz._ Claire respondeu indiferente _Eu só quero que isso acabe de uma vez.

    A falsa Cinderella suspirou e revirou os olhos. Depois de dias na companhia indesejável da princesa, lidar com a personalidade dela era uma das coisas que não só tiravam a sua paciência, como trazia a tona o que talvez fosse seu maior defeito: Uma vontade suprema e incansável de provocar e retrucar pessoas “irritadinhas”.

    _Claire, se não queria participar, porque veio junto?_ perguntou de cenho franzido _Além de não ter a intenção de ajudar, você ainda tem uma aura anti-diversão que tira toda a graça do jogo.

    _Primeiro, ratinha, é “Princesa Claire” ou “Vossa Alteza” pra você. Não te dei essa liberdade._ a princesa respondeu sem parar a caminhada, discutir já era algo tão normal que podiam simplesmente continuar andando sem se importar em parar pra pensar. _Segundo, pode não parecer, mas eu também não estou afim de ficar vagando pelo salão de hóspedes real à toa a tarde toda. É entediante.

    _Então é melhor ficar emburrada e rabugenta do que entediada, “vossa alteza”?_ Celyn ergueu uma sobrancelha

    _Não, ratinha,_ Claire deu um sorriso falsamente doce, a olhando de cima pra baixo _mas é difícil evitar quando você está por perto.

    _Hum… Alteza?_ Ross chamou, caminhando um passo atrás delas, e recebendo um olhar desprezador por cima do ombro. Suspirou e se corrigiu com um tom entediado. _Minha nobre e sublime deusa da beleza juvenil, poderia o seu humilde servo dar uma sugestão de onde encontrar um objeto tão antigo quanto segredo de sua sabedoria inigualável?

    A princesa o encarou por dois segundos, se perguntando que tipo de linguagem repugnante aquela baratinha ruiva tinha resolvido usar, e Celyn o encarava da mesma maneira, com um toque a mais de confusão.

    _Impressionante como você consegue ficar ainda mais irritante quando quer…_ Claire comentou intrigada, então guardou seus pensamentos no fundo da mente e decidiu que, se era pra estar presa com aqueles dois seres insignificantes, que fosse para vencer dos outros ao menos. _Ok, se estou aqui não tenho nada a fazer a não ser participar e vencer, pode falar.

    _Talvez o lugar esteja meio… Fora da sua preferência…_ o criado balançou a cabeça incerto _Mas é o lugar mais antigo que eu conheço.

    _Fala de uma vez, ratinho, não temos o dia todo._ ela revirou os olhos

    _A ala onde fica a biblioteca real._ ele contou _Atrás dela tem um edifício velho que usamos para guardar os mantimentos do castelo.

    _O depósito?_ Claire  encarou indignada _Quer que EU entre em um depósito imundo?

    _Antes de ser um depósito, era o arsenal original do castelo._ Ross lembrou _Foi uma das únicas partes que não precisaram ser restauradas desde os princípios do reino, antes das guerras e batalhas lendárias de Corleante.

    _Não participamos de uma guerra há mais de trezentos anos._ Celyn ponderou _Isso é bastante tempo.

    _Ainda pode ter algo lá que remete àqueles tempos._ ele completou.

    Claire torceu o nariz pensativa. Parecia uma boa aposta e, infelizmente, com certeza numa torre velha se podia encontrar mais coisas antigas que numa sala limpa e confortável.

    _Certo…_ finalmente respondeu _Vamos ver esse depósito. Vá na frente, ratinho.

    _Pode deixar._ Ross tomou a liderança com determinação e firmeza, logo antes de perceber o olhar que recebia da princesa _Quero dizer… É claro, minha brilhante e espirituosa dama real.

    Claire o seguiu com superioridade, enquanto o criado as guiava pelos corredores do lado norte. E Celyn, os seguindo de cenho franzido, não conseguia deixar de pensar que toda aquela história de elogios estava ridiculamente estranha. “O que raios está acontecendo aqui?”

 

    Enquanto isso, na parte leste do palácio, duas figuras um tanto silenciosas caminhavam lado a lado num corredor bastante movimentado. Ele um tanto nervoso por causa do plano elaborado que tinham traçado para conseguir o objeto da caça ao tesouro, ela bastante calma por estar pensando em algo totalmente diferente.

    _Você entendeu tudo, certo?_ Ryan perguntou novamente, era bastante problemático quando as pessoas não entendiam seus planos, principalmente se elas podiam acabar com os planos

    _Sim, alteza._ Messa respondeu pacientemente

    Um minuto de silêncio se passou entre os dois, enquanto caminhavam decididamente até uma das salas mais bem guardadas do palácio, prontos para o que talvez fosse o plano mais perigoso no qual o herdeiro encrenqueiro de Cástia já tinha envolvido um empregado. E pra vencer um jogo! Mas ela não estava tão nervosa quanto se esperaria da correta e regrada Messa, já tinha sido envolvida em bem mais planos mirabolantes de Ryan do que qualquer outra pessoa naquele castelo. E por isso sabia exatamente que ia dar certo.

    Então resolveu deixar o nervosismo com ele e trazer à superfície das palavras um assunto que estava subentendido entre os dois há dias, mas que não haviam tido tempo de discutir.

    _Sabe, alteza, é impressionante como você é totalmente transparente._ Messa comentou como quem-joga-palavras-no-ar-e-deixa-lá.

    _Como assim?_ Ryan franziu o cenho _Do que está falando?

    _Começa com “Celyn” e termina com “Greylie”._ ela sorriu, e ele piscou os olhos por três segundos antes de processar a informação por completo e suspirar derrotado

    _É tão visível assim?

    _Tanto quanto a diferença de altura entre vocês.

    _Caramba, isso é muito visível…_ Ryan murmurou encarando o chão _Mais alguém sabe?

    A criada riu, percebendo que o príncipe realmente achava estar fazendo um bom trabalho escondendo seus sentimentos “secretos”. Quase fez algum comentário sobre o palácio inteiro estar quase preparando a igreja, o bolo e o vestido de noiva tamanho “extra P” para a noiva, mas resolveu que era melhor deixá-lo pensar um pouco. Apesar de criativo, inteligente, sociável e, na maioria das vezes, responsável, Ryan sempre havia sido um tanto ingênuo. Ele tinha aquela idéia pura e simples de que o amor verdadeiro era algo encontrado uma vez na vida, e considerava isso um grande privilégio. Ser capaz de encontrar alguém a quem amasse e que correspondesse, que o fizesse feliz e que mereceria toda sua atenção, esforço e dedicação, e que o visse da mesma maneira. Por isso era bastante inseguro em demonstrar sua preferência por alguém.

    Por fora, um belo e bem apresentado príncipe, por dentro, um garotinho apaixonado pela primeira vez.

    Era algo difícil de conceber.

    _Olhe pelo lado bom._ Messa sorriu _Não precisa fingir nada para o rei.

    _Claro…_ ele encolheu os ombros e segurou as mãos atrás das costas, a perfeita expressão corporal de “vou comandar um reino mas estou completamente perdido por uma garota” _Mas pra ela e os outros…

    _Celyn não é tão complicada quanto você pensa, Ryan._ ela deu de ombros _Não precisa de tanto pra conquistar ela, basta alimentar com frequência.

    _Messa!_ Ryan repreendeu rindo, apesar da aparência segura, madura e correta, ela tinha um lado bastante irreverente que raramente se deixava mostrar

    _Ok, ok, talvez um pouco mais que isso._ a criada riu _Mas, sério, o que há de errado em mostrar? Ela não é um monstro, sabia?

    _Você simplesmente “mostraria” se tivesse apaixonada por alguém?_ ele quis saber

    _Se estivesse mesmo, por que não?_ ela deu de ombros _É melhor falar de cara. Evita que você sofra por muito tempo e que ela vá embora sem saber de nada. Imagina: Celyn voltando pra aldeiazinha dela sem saber o que você sente, e você sofrendo de insônia aqui pelo resto da vida sem saber se tinha chance!

    _Algumas pessoas não conseguem simplesmente ser diretas como você, Messa. As vezes as palavras entalam na garganta.

    _Então deixe que os gestos falem. De um jeito ou de outro, o sentimento tem que vir à tona, Ryan.

    Ryan ficou calado por um momento, refletindo se Messa sabia do que estava falando e, se sabia, de onde vinha aquela experiência. “Ela realmente só chegaria na pessoa que gosta e diria que está apaixonada?” duvidou por um momento, então lembrou que ela tinha um histórico bastante complicado de sinceridade aguda. Rapidamente concluiu que sua empregada e amiga tinha algo bastante em comum com a falsa Cinderella, ambas não ajudavam em nada com seus sentimentos.

    _E também…_ Messa continuou _Essa seria uma solução ainda não pensada e muito bem vinda para o “Caso da Cinderella”, não acha?

    Realmente, ele não havia pensado nisso. Estava claro que a Cinderella real nunca mais apareceria, havia sido apenas uma dança de uma noite que ficaria na sua memória como um momento de um sonho doce. Ele nunca mais a veria e já não sentia que precisava tanto assim dela, o plano poderia seguir em frente daquele ponto mesmo, com uma garota baixinha e irreverente que gostava de doces tanto quanto de irritar pessoas esnobes. Ele não se importaria se fosse assim. Mas sempre tinha aquela questão: o plano só dava certo se as pessoas envolvidas colaborassem, e ele não sabia se Celyn sentia o mesmo. Até onde sabia, ela queria voltar para Milá o quanto antes e esquecer completamente aquele episódio louco da sua vida. Ela podia não sentir nada por ele, nunca! Podia o rejeitar com um sorriso brincalhão e uma piada, como era o seu jeito simples de ser, ou lhe dirigir um olhar afiado capaz de penetrar a alma.

    E isso o assustava. Muito, na verdade.

    Estava prestes a dizer isso para Messa quando ela parou a alguns passos do seu destino inicial e o encarou com uma expressão de interrogação. Ryan apenas respirou fundo e voltou sua atenção para o jogo no qual estavam. Era diversão, só isso, nada de sentimentos confusos nem os olhos verdes de Celyn lhe passando pela cabeça a cada cinco minutos. Apenas um plano bem elaborado e a expectativa correndo pelas veias. Só diversão.

    _Está pronta?_ perguntou com um sorriso travesso que ela já tinha visto várias e várias vezes antes de se meter em confusão.

    Messa sorriu da mesma forma, exibindo o que os dois chamavam de “olhar arteiro” e levantando um punho fechado na altura do ombro.

   _Se estamos nisso é pra ganhar._ respondeu quando ele bateu o punho no dela

 

***

 

    Enquanto isso, no lado oeste do castelo de Cástia, dois jovens de idades bastante distintas se encaravam silenciosamente, parados num corredor pouco movimentado, olhando ao redor um tanto preocupados com sua própria situação.

    _Hum… Kurt?_ Matthew chamou um pouco confuso, se encolhendo perto do rapaz, que passou um braço sobre os ombros do menino e apertou de leve, tentando confortá-lo ao dizer a completa verdade:

    _Sim, Matt. Estamos completamente perdidos.


Notas Finais


E então pessoas, gostaram?
Infelizmente hoje não tenho uma música pra compartilhar com vocês, então vamos ficar apenas com o capítulo novo mesmo.
Ainda espero encontrar a Theme Song do príncipe, e que vocês me ajudem com isso.
É isso, espero que tenham gostado, até a próxima!
\(>o<)/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...