História A Coelhinha Mascarada - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Tags Fanfics Sasusaku, Hentai, Luateen, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Sasusaku, Sasusaku Hentai
Visualizações 229
Palavras 2.090
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Hentai, Literatura Feminina, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


O capitulo ficou narrado por minha pessoa proque eu esqueci do Sasukeeeeeeeeeeeeee

quando lembrei que ele ia narrar toda essa estoria já estava no meio... Mas mesmo assim, espero que gostem.

Capítulo 2 - O Passado nos trás Surpresas... E muitas posições.


Capítulo 2

.

.

 

Não, ela não estava louca e nem nunca esteve. Pelo contrário, estava lucida de seu desempenho em querer de qualquer jeito um homem a qual já tinha dona e a dona não merecia que fosse trocada. Sakura estava certa de que tudo aquilo não passava de uma palhaçada que estaria fazendo não apenas com Ino, mas com toda a família Uchiha se descobrissem aquela traição. Mas apesar de se olhar no espelho e enxergar a culpa montada em suas costas, ela também podia nitidamente ver seu ego e desejo montados em cima dessa culpa fazendo uma festa tão grande que só de imaginar o coração vibrava e sua boceta encharcava.

 

Quem era mesmo que estava ligando para a esposa que esperaria mais duas ou três horas para ver seu marido chegar e usá-lo como bem entender? É Sakura com certeza não era uma dessas pessoas. A resposta de Sasuke trouxe um conforto agridoce para a mulher diante do espelho, o sorriso que se formou ali não saiu desde então. E com diz o ditado, quem acredita, sempre alcança.

 

Anos atrás, Sakura começou sua faculdade dançando para se manter viva. Passava as noites em cima de um palco rebolando na cara de homens para ganhar seu dinheiro, nunca se deixou ser tocada por aqueles, nem mesmo pela maior empresário daquela cidade. Certo dia, ela chegou para dançar, e foi notificava de que estava acontecendo uma pequena despedida de solteiro na boate, ela não ligou, não estava ali para marcar sua presença e ganhar dinheiro. E enquanto dançava no palco, ela avistou de longe aquele homem de belo porte, um sorriso tão lindo e um olhar sedutor.

 

Havia mulheres ao seu redor, mas ele sequer as olhava, Sakura achou aquilo interessante, desceu do palco para cumprimentá-lo, sua fantasia preferia inibia sua identidade e com isso ela fazia o quem entendia. Parando perto dele, pode senti seu cheiro, sua pele, e até seu pau por cima da roupa ao sentar em seu colo, safada e completamente desprovida de vergonha na cara. Depois de tocar e apreciar aquela beldade, ela voltou para o palco e terminou sua dança rapidamente, antes do tempo, mas tinha um proposito.

 

Não era todos os dias que desejava foder com um homem qualquer, e quando voltou ao salão para conversar ou ao menos conhecer aquele cara, ele já havia sumido, sua chance de conhecer o homem de cabelos e olhos negros que brilhavam em sua direção tinham ido por água abaixo e isso a magoou. Mas ela não desistiu de viver, terminou sua faculdade, se juntou a uma amiga para abrir uma empresa, se tornou uma mulher de negócios para anos depois encontrar o homem a qual desejou por muitas noites enquanto dormia sozinha.

 

Porque ela deixaria essa oportunidade passar? Não estariam juntos para sempre e não estava de forma alguma o sequestrando, nem prometendo um romance eterno, apenas uma noite de prazer, uma noite de sexo, aquela que ela sempre quis, e com certeza, ele imaginou enquanto olhava-a por completo. Será que se tocasse no assunto ele lembraria onde a viu pela primeira vez? A fantasia de coelhinha não era tão nova, e se estivesse iluminado completamente aquele lugar, ele saberia a reconhecer em qualquer lugar.

 

Mas então, o que queria agora estava para acontecer, terminou de arrumar a mesa com duas taças de vinho e voltou ao quarto para ajeitar seu cabelo, estava linda como sempre, e não precisava de muito para que isso acontecesse, amarrou o robe por cima da camisola rosa bebê. Sasuke não precisava mais ser seduzido, ele já estava por inteiro em suas mãos. A campainha tocou alarmando a mulher de que sua nova presa estava em sua porta e com outro sorriso no rosto ela saiu de seu quarto para recebê-lo em sua porta.

 

Tão bonito quanto na manhã a qual se encontraram; os cabelos grandes caindo em seu rosto, os olhos penetrantes e negros; o peito largo, ele era mais alto, mais forte, tão sério e dedicado no que fazia, até mesmo há chegar alguns minutos adiantados na casa de sua amante... Ou quase amante.

 

- Seja bem vindo – desejou ela ao fechar a porta e respirar fundo enquanto o via reparar nos detalhes do seu apartamento ao colocar seu paletó sobre o sofá – você chegou cedo.

 

- Achou que eu demoraria mais? – Ele indagou voltando-se para a mulher que tornou suas noites um pouco mais interessantes, seus cabelos coloridos eram tão bonitos, combinava com sua pele branca, os olhos verdeados lhe davam um ar familiar que não sabia como explicar. E esse mesmo ar familiar o havia levado até aqui, só não sabia o que fazer diante daquilo.

 

Sasuke passou sua vida toda pensando em outra mulher enquanto tinha uma em seus braços. Certo de que aquela que passou por seus olhos era tão perfeita quanto a que jazia em sua frente, com um corpo escultural, os olhos penetrantes, cabelos róseos, bonitos, sua pele era cheirosa, macia e bronzeada, e apesar de nunca deixar de esquecer aquele momento, estar com Sakura era como reviver, repassar a cena, e estava gostando.

 

- Não, você chegou na hora certa – Ela se aproximou com cautela, não queria se mostrar tão ansiosa para despi-lo, mas a todo o momento perto dele, suas mãos coçavam para ir o tocar. Deu outro passo em direção e viu Sasuke engolir a seco, ele também queria, não precisava mais o seduzir, se ele não estivesse se entregando, não tinha vindo em sua casa.

 

- Eu também acho – murmurou quando foi à vez dele colocar um passo para frente – você me queria aqui, e aqui estou eu. Espero que não seja apenas para olhar para você e ir embora sem te ter. – Suas palavras trouxeram um sorriso safado aos lábios da mulher que mexeu a cabeça jogando seus cabelos para trás.

 

- Você quer me tocar? – Ela deu de ombros chegando bem próximo, a ponto de empurrá-lo no sofá – há quanto tempo você quer me tocar? – puxando um lado da sua camisola de seda e depois o outro, ela ergueu o pano para sentar no colo dele, foi impossível não gemer ao senti-lo de baixo, estava duro e pronto para entrar em sua vagina e fazê-la feliz.

 

- Desde que você apareceu desfilando com essa sua linda bunda na minha frente. – ele a apertou pela cintura descendo as mãos para seu bumbum, se aproximou o suficiente para sentir o cheiro de sua pele e deitar sua cabeça sobre os seios médios – Você me provoca e chega um momento em que não podemos mais segurar isso.

 

Ao erguer a cabeça, ele encontrou os lábios de Sakura o esperando, e não perdeu tempo antes de sela-los com vontade. Suas mãos percorreram das costas ao pescoço da rosada a segurando ali mantendo aquele contato apertado com seus toques arrepiantes e sua língua inteligente, que adentrava a boca da outra sugando a sua, dando a mulher um incentivo a mais para continuar naquele beijo, esquecendo de que em algum lugar sua esposa estaria o esperando na cama.

 

Mas que se dane.

 

Hoje ele tinha uma nova cama para dormir, e ainda que se sentisse mal depois, Sasuke já havia deixando uma grande mulher escapar por seus dedos, naquela época achou que fosse apenas à droga da beleza que ela possuía, hoje, até hoje, ainda sentia i impacto que aquela coelhinha tinha feito em sua vida. Sakura também entrou chamando atenção na empresa, o provocou de maneiras nada sutis, foi sexy, o fodendo em todos os sentidos...

 

Ele tinha culpa de desejar, mas convenhamos que nenhuma outra mulher depois de Ino, esteve perto de segurar seu rosto, tocar em seu corpo, morder seus lábios e o fitar querendo mais. Sakura veio para quebrar sua mascara de bom moço, aquela que ele aprendeu a usar depois da sua despedida de solteiro.

 

- Eu sempre quis isso – ela confessou enquanto o fitava de perto – ter você aqui comigo – Ela olhou para baixo começando a puxar sua camisa para fora da calça, não ligaria se Sasuke a achasse apressada, ela esperou anos para aquilo.

 

Sasuke a ajudou tirar sua camisa, o cinto da calça os botões e antes de chegar ao seu ponto fraco ele a beijou novamente, puxou sua camisola para cima revelando o corpo nu. Tão safada quanto nas outras vezes que ele a encontrou, agora nua em sua frente, ele podia desfrutar de sua beleza sem igual, e com certeza a mais bonita que já vira.

 

Passeou as mãos pelos seios sem nunca deixar os lábios doces, chegou até sua vagina esfregando seus dedos por cima e brincando com seu clitóris, Sakura estremeceu em seus braços, mas não o deixou de beijar. Sasuke continuou sua brincadeira a ouvindo arfar, gemer entre os beijos, agarrar seus ombros com suas unhas grandes e perfeitas. O cheiro dela estava o deixando obcecado, tão gostoso que deixava todo seu corpo em alerta.

 

Sakura estava molhada totalmente molhada e pronta para recebê-lo, mas não sabia dizer se aquilo repetiria, se alguém o viu subir, ou se alguém o descobriria, não poderia manter uma amante, embora desejasse mais e mais a cada toque em sua vagina, e em cada gemido que ela soltada. Seus dedos adentraram a boceta molhada e Sakura se afastou para gemer com gosto, Sasuke deu um sorriso quando viu seu rosto ficar vermelho, os olhos verdes se fecharam e seus lábios abriram gemendo gostosamente, rebolando em seus dedos lentamente.

 

- Você adora isso, não é? – Ele perguntou, Sakura abriu os olhos junto aos lábios gemendo e segurou seu rosto.

 

- Eu adoro. Eu quero... Eu quero muito – implorava por ele e porque ele negaria alguma coisa, tirou seus dedos de dentro e levantou com ela em seu colo, jogou-a sobre o sofá tirando o resto de suas roupas que faltava. Sakura o acolheu entre suas pernas e o sentiu entrar lentamente, grande e duro, pronto para lhe dar prazer. O Uchiha segurou sua cintura a trazendo para mais perto, apoiou um pé no chão enquanto começava suas estocadas lentas e prazerosas.

 

Seu rosto mergulhou sobre os seios pequenos, mordendo um, chupando o outro, lambendo o mesmo e seguindo para o outro, se deliciando com a textura e pelo prazer de poder colocar um inteiro dentro da boca. Sakura era apertada e quente, o fazia querer mais, entrar mais, ir tão fundo e vê-la revirar os olhos, assim mesmo como ele fazia.

 

Seus beijos doces e molhados faziam Sakura tremer em todos os lugares, abriu mais suas pernas rodeando a cintura dela e o sentiu ir mais rápido. Como ele era gostoso, adorava homens potentes que sabiam a hora de alterar sua velocidade. Seus gemidos, e os beijos que não saiam nunca de seu corpo. Suas lambidas pelo pescoço, mordidas no queixo, beijos vulgares em seus lábios, e até olhos nos olhos, penetrantes e hipnotizantes... E frente a frente, eles pareciam tão desesperados quanto o outro.

 

Sasuke a penetrava duramente, querendo que nada acabasse tão cedo, sentou-se a trazendo para seu colo e a viu fechar os olhos enquanto levantava e sentava sobre seu pau, era gostoso vê-la daquele jeito, olhou para baixo onde seu membro entrava e sai lentamente, fora subindo pela cintura fina parando nos seios lindos e em seguida a boca entreaberta. Sakura era uma mulher maravilhosa, tão perfeita, não entendia o porquê de estar quicando no pau de um homem infiel, ela merecia alguém melhor, com certeza.

 

Uma de suas mãos foi até o pescoço de Sakura, e ela abriu os olhos, gemendo gostosamente, são sensual quanto seu corpo. Sasuke mostrou um sorriso a trazendo para um beijo. Sua outra mão chegou a cintura dela, e desceu até a vagina, a massageando por cima, forte, com pressa, Sakura tirou sua boca da dele para gemer em enquanto olhava para baixo, suas pernas tremeram com a ameaça de um orgasmo, mas ela no gozaria sozinha.

 

O puxou para um beijo mais profundo, trocou o apoio de seus joelhos pelo de seus pés e cavalgou sobre ele rapidamente, Sasuke segurava sua cintura a ajudando com os movimentos e foi possível ouvir os gemidos dele. Sasuke chamava por ela, gemia por ela, e quanto mais ela acelerava, o ajudando com aquelas estocadas, ele gemia. Era bom ouvi-lo gemer e saber que logo mais o teria de novo, pois naquela noite, ela tivera uma oportunidade e se ele achava que a fazendo gozar aquela noite terminaria, estava enganado, porque ela usaria aquele pau até o sol raiar, e foda-se o resto do mundo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...