História A Companheira do Supremo Alpha - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Ciumes, Companheira, Companheiro, Conflito, Fuga, Guerra, Lobisomem, Lobos, Luna, Sobrenatural, Suprema, Suspense, Vampiros
Visualizações 2.234
Palavras 2.742
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Luta, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Estupro, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 2 - 02


Fanfic / Fanfiction A Companheira do Supremo Alpha - Capítulo 2 - 02

Hannah Narrando:

Acordo com a claridade do sol entrando pela janela fazendo meus olhos arderem. Novamente os fecho colocando minhas mãos nos olhos, os esfregando para me acostumar.

Noto que estou em uma cama mais macia e confortável que a minha. Sem contar que parece ser uma cama de casal e a minha cama e de solteiro.

Foi então que começo a me lembrar do que aconteceu.

O mal estar, aqueles homens a mando do Nathan. Ai meu Deus, o que ouve?

Ao lembrar com clareza o que ouve, sinto meus olhos já se acostumaram ao brilho do sol, então os abro devagar encarando um teto branco.

Estou em um hospital?

Não. Não é um hospital. O teto é branco, entretanto diferente do teto de um hospital.

Olho para esquerda e vejo um quarto arrumado e espaçoso. De fato não é um hospital. Mas também não é o meu quarto.

Onde estou?

_ Ai - solto um gemido de dor ao sentir uma dor de cabeça, o que me faz levar minhas mãos até minha cabeça. - O-Onde estou?

Começo a analisar o quarto, mas não reconheço. Tento sentir se estou nua ou não. Mas sinto a roupa em meu corpo.

Pelo menos não fui estuprada.

Olho para o meu lado direito tentando reconhecer melhor o local. Porém levo um susto com o que vejo

Dou um leve grito ao ver um Deus Grego, sentado em uma cadeira olhando para mim. Ele está inclinado para frente com o queixo apoiado em suas mãos. Seu olhar é sério e calmo. Ele me olha atentamente, o que me arrepia

Olho novamente para o quarto para tentar ao menos imaginar como diabos eu vim parar aqui e por que tem um Deus Grego me observando.

_ Q-Quem é você?! - Digo tentando parecer confiante, mas não deu certo, pois acabei gaguejando no Princípio - Onde estou?! E como vim parar aqui?!

Digo quase desesperada, mas ele nao me responde, apenas deu um sorriso de lado, o que me irritou.

_ Por que esta rindo?!! - pergunto perdendo a paciência .

_ Tantas perguntas... - diz ele quase num sussurro.

Ao ouvir sua voz, meu coração disparou. Me arrepiei e nem percebi que parei de respirar. A voz dele é rouca e grave, também é... doce e terno. A voz dele é extremamente sexy.

_ Tanta explicações... - Ele novamente fala. O que eu senti não mudou, pois só aumentou quando percebo seu olhar analítico.

_ Então é bom começar a explicar! - Digo com cruzado os braços enquanto o encarando. Ele apenas dá outro sorriso de lado.

Idiota...

_ Acredita no sobrenatural? - Pergunta ele calmo.

Como assim?

_ Isso não existe. - Falo o óbvio - E o que isso tem haver com o assunto?! Para de enrolar e responde minha pergunta! - digo sem paciência.

_ Tudo bem. - Fala ele em um suspiro e encosta na cadeira - Depois de matar aqueles vermes eu lhe trouxe para meu castelo. Você ficou três dias dormindo.

_ TRÊS DIAS?!!! - digo alterada - Droga! preciso ir - Digo pulando da cama e indo até a porta.

Mas em um piscar de olhos aquele Deus Grego aparece na minha frente de braços cruzados

_ C-Como você...? - Não consigo termina minha fala.

_ Você não irá sair daqui! - diz ele totalmente calmo e sério me olhando - A Partir de hoje você vai morar aqui.

_ O que?! Quem é que vai me obrigar?! - pergunto o desafiando.

_ Eu! É melhor aceitar isso. - diz ele tranquilamente.

Essa Tranquilidade dele já ta me irritando...

_ E quem é você para me obrigar?! - Digo o mais calmo possível o desafiando.

_ Sou o Soberano Rei dos Vampiro. O Supremo Alpha dos Lobisomens e seu companheiro. - Diz calmo enquanto me olha nos olhos

Caio na gargalhada, essa foi boa. Tão boa que até cobri a boca e coloco a mão na barriga

_ Essa foi boa - Falo enquanto rio - Se é mesmo isso que disse, então prove! - digo me recuperando e volto a desafia-lo com o olhar

Mas não sei foi uma boa ideia, seu olhos ficaram vermelho sangue, o que me fez dar um passo para trás. Ele ergueu sua mão direita a altura de seu peito. Então vejo sua unhas se transformarem em... garras na ponta de seus dedos.

_ C-Como?! - digo incrédula

_ Como disse e vou repetir; Sou o Soberano Rei dos Vampiros, Supremo Alpha dos Lobisomens e seu companheiro. - Diz me encarando com uma seriedade de arrepiar

Suas garras voltam ao normal. Ele abaixa sua mão e faz seus olhos também volta ao normal.

_ O que significa que você minha. - Fala ele me dando arrepios - Minha Companheira. Minha Luna. Minha mulher. Minha garota. Minha e de mais ninguém, você é apenas minha!!

Ele diz essas palavras com tanta confiança e certeza no "minha" que me até medo. Estou realmente acreditando que ele não é humano

_ O-O que você é? Como pode ter tanta c-certeza que sou sua?! - Digo temendo sua resposta, seja lá qual for.

_ Sou metade vampiro metade lobo. Um híbrido, para ser mais específico. - Fala ele cruzando os braços - E sei que você é minha pelo seu cheiro - Diz calmo dando um passo à frente. - Meu lobo te identificou como nossa companheira.

_ Mentira! Eu não sou NADA SUA!!! - digo quase gritando no final.

Esse cara é louco...

Logo após falar isso, em um movimento tão rápido que nem percebi, ele me deita na cama ficando por cima de mim. Ou melhor colado em mim.

_ Sim você é! - Dis ele firme e totalmente calmo.

Tento sair mas ele é mais forte que eu, e não deixa. Ele abaixa sua cabeça até meu ouvido e morde o módulo me dando arrepios na espinhas..

_ Você é minha e apenas minha... - sussurra ele, e começa distribuir beijos descendo até meu pescoço - Apenas eu posso toca-la e sentir o prazer do seu corpo...

Diz enquanto desliza sua mão direita pelo meu corpo. Do ombro até minha coxa, sem "desviar" de nada. Ele aperta minha coxa me fazendo dar um pequeno gemido.

_ Não... - digo quase sussurrando - Eu deixo quem eu quiser sentir o prazer do meu corpo. N-Não sou nada sua. - Digo tentando ser convincente.

Mas isso não ajudou e sim piorou. Pois ele subiu sua mão até minha intimidade

_ Ei! - Reclamo com seu ato.

Ele nada fala, apenas continua sério e calmo. Logo depois começou a massagear e esfregar sua mão lá, me fazendo arfar.

_ Eu! somente eu e maus ninguém pode sentir o prazer do seu corpo! - Diz sério e começa a beija meu pescoço e vai distribuindo beijos até chegar na minha orelha.

_ Eu que mando aqui. - diz ele e começa a esfregar mais forte e rápido sua mão nas minhas partes íntimas - Se eu quiser posso tirar sua virgindade e te marcar aqui e agora! -Diz em um tom mais alto e confiante, para demonstrar que não esta brincando

_ Só para te mostrar a quem você pertence e quem é que manda... - Diz ele sussurrando em minha orelha.

Então ele sai de cima de mim, se levantando da cama, mas me encarando.

_ Sua cabeça ainda está bagunçada com o que acaba de saber e isso nem é a metade. - Fala ele ajeitando sua jaqueta. - Vou esperar até que esteja pronta para mim. - diz ele e se vira em direção a porta - mas não esperarei para sempre.

Anuncia ele e depois caminha até a porta e segura a maçaneta para abri-la

_ Pode ir a qualquer lugar deste castelo, mas está proibida de sair dele! Entendido?!! - Diz e sai do quarto me deixando sozinha com cara de tacho.

_ Conheça seu inimigo... - sussurro comigo mesma.

Essa é a minha terceira regra pessoal de um combate. 1; Nunca subestime seu inimigo. 3; Conheça seu inimigo.

O que eu vou fazer? Pensa.

Se é verdade que ele é um híbrido, não posso correr dele. Ele me pegaria em segundos. Se eu fugir sem conhecer onde e em que lugar estou, serei facilmente capturada. Não sei se tem, mas deve haver guardas no castelo, o que dificulta as coisas. Como vou saber onde estou e para que lado fica a cidade?

JÁ SEI!!!

O sol nasce no norte, e se põem no sul. Ele nasce em frente de minha casa e se põem atrás de minha casa. Se eu ver para que lado o sol está saberei a direção da minha casa. Se é para o sul, norte, leste ou oeste.

Até que a geográfica é útil...

Caminho até a janela e olho para o sol e ele está bem em cima de mim. Olho no relógio e são 12:00.

Droga!

Nesse horário o sol está nem no sul nem no norte ele está no meio. Em cima do muro. Está bem em cima de mim. Não dá para saber onde estou.

Pelo menos por enquanto...

Cedo ou tarde ele vai se pôr.

Ouço batidas na porta e um senhora de aproximadamente 45 anos entra. Pela roupa deve ser a empregada.

_ Com licença senhora - diz ela entrando no quarto com algumas roupas e um sapato na mão.

_ Senhorita - A corrijo.

_ Desculpe - Ela pede gentilmente - O Alpha me disse para vir trazer essas roupas para a senhorita.

_ Não precisa dessa formalidade. Me chame apenas de Hannah - digo sorrindo - E... Obrigada pelas roupas

_ Se a senhorita quiser. Onde coloco as roupas? - Pergunta.

_ Deixa ali na cadeira - digo apontando para a cadeira. Então ele coloca as roupas na cadeira da penteadeira num canto do quarto. - Posso te fazer uma pergunta?

_ Claro - Diz gentilmente

_ Onde estou? - Pergunto.

_ No castelo do nosso Alpha, na alcatéia Lua Sangue de Lobo - Ela me responde calma.

Alcatéia? Isso significa que tem muitos "lobos" aqui. Uma informação a mais.

_ Poderia me dizer seu nome? - Pergunto.

_ Meu nome é Ana, senhorita - diz ela calam.

_ Já disse que não precisa dessa formalidade. Me chame de Hannah - Digo gentilmente e ela assente com a cabeça - V-você também é uma...

_ Sim senhorita Hannah.- Diz ela com um sorriso - Ah antes que me esqueça; O Alpha pediu para você tomar um banho e descer para almoçar com ele.

_ Não quero almoçar. - Afirmo.

_ O Alpha disse que se a senhorita se recusasse, ele viria te buscar pessoalmente. - Diz ela calma.

Que cara chato...

_ Ele disse que é para você descer em 30:00 minutos. - Fala olhando no relógio em seu pulso - Esperarei a senhorita terminar o banho, para lhe acompanhar, já que não conhece o castelo.

_ Tudo bem - Digo derrotada. Pego as roupas e vou para o banheiro.

Entro e dou de cara com um lindo banheiro, grande e espaçoso. A pia é enorme e tem várias coisas e produtos em cima. Tem loção corporal, creme hidratante, perfume... Etc. Tem até gaveta.

Abro para ver o que tem lá dentro. Continha várias coisas como acessórios, maquiagem, gilete, creme depilador, acessórios de cabelo e entre outras coisas.

Tudo adequado para uma garota, até absorvente, de diversos tipos, tem.

Parece mesmo que ele quer que eu fique aqui...

Fecho a gaveta, tiro minha roupa e tomo um banho de 20 minutos, coloco as roupas ali mesmo e me olho no espelho.

Me assusto ao ver tamanha olheira. Decido passa um corretivo para disfarçar, passo um rímel e um glóss.

Penteio meu cabelo em uma trança-raiz-espinha-de-peixe. Fiz a trança de lado e deixei cair pelo meu ombro. Deixei alguns fios soltos na frente o que fez parecer que era uma franja. E saio do quarto

_ Está linda - Diz a Ana - o Alpha vai ficar impressionado

_ Não me arrumei para ele sim para mim. - digo e coloco uma sapatilha que a Ana trouxe.

O vestido é branco e justo até a cintura, depois era totalmente solto. Ele batia no meu joelho e era de mangas compridas com um símbolo pequeno que não conheço da manga.

Parece uma lua com um lobo de sangue desenhado. O símbolo está gravado, como se fosse etiqueta. A sapatilha era bege e tinha o mesmo símbolo na ponta.


_ Melhor irmos antes que o Alpha venha até aqui - diz ela aparentando estar preocupada.

Saímos do quarto e encontrei um corredor meio antigo, mas bonito. Seguimos o corredor até encontra e descemos três grandes escadas.

Aqui realmente é grande...

Assim que desci a terceira escada eu vi outra escada. O tamanho era médio, e logo abaixo estava aquele Deus Grego de antes. Ele me olhava atentamente com um olhar feliz. Mas sem deixa de ser sério.

Assim que desci as escadas ele se aproximou, eu recuei um pouco, por medo dele. Sim ele me dá medo, não é pra menos, depois do que aconteceu.

Assim que recuei dois passo ele solta um rosnado de protesto.

Rosnado?

Como esse rosnado eu parei de me afastar e ele começou a se aproximar.

E agora, o que eu faço?

Ele segurou minha cintura com a mão esquerda e começou a acariciar meu rosto com a direita.

_ Tão linda... - disse sussurrando, mas alto o suficiente para que eu ouvisse.

Esse cara pode ser louco mas sabe ser sedutor...

Ele aproximou seu rosto do meu e deu um beijo lento no canto de minha boca. Isso me deixou surpresa, mas também fiquei feliz.

Por que fiquei feliz?

O beijo durou quatro segundos, mas era amoroso, carinhoso e gentil.

_ Vamos - Disse ele calmo, então me redirecionou para uma sala com mesa enorme.

A mesa estava arrumado apenas para dois. O Deus Grego puxou uma cadeira para mim sentar. Assim que sentei ele se sentou na cadeira principal da mesa. Logo depois as empregadas começaram a nos servi

_ Você ainda não me disse seu nome - Disse o Deus grego me olhando atentamente.

_ Hannah - Disse eu.

_ Hannah... Um belo nome - Fala ao olhar para o que as empregadas trouxeram. - Me chamo Aidan - falou ele. Logo depois colocou o garfo com comida na boca, o que eu estranhei. - O que foi?

_ Vampiros não se alimentado de sangue? - Perguntei curiosa.

_ Sim, mas também nos alimentamos de comida humana, mas não sentimos o gosto e não nos sustenta. - Diz ele calmo. - Mais comigo é diferente.

_ Como assim? - Pergunto curiosa. Ele sorri de lado, ao percebe minha curiosidade

_ Coisas como "sentir" seja, sentir o perigo, ameaça ou o gosto de algumas coisas, entre outras coisas. - Fala me olhando malicioso.

Imbecil...

_ Coisas assim, é aumentado nos lobisomens. A minha parte vampiro não me permite sentir o gosto da comida, mas isso é compensado pela minha parte lobo. - diz ele, logo depois coloca outro garfo de comida na boca, enquanto eu como prestando atenção.

Eu me interesso por essas coisas sobrenaturais desde criança. Por isso é interessante.

_ Isso quer dizer que sinto o gosto da comida assim como você, e embora isso não me satisfaça completamente. - Diz enquanto pega um pouco de carne e comendo.

_ Me diga - fala ele chamando minha atenção - O que gosta de fazer para passa o tempo?

_ Treinar ou desenhar - digo olhando para minha comida.

Não mencionei antes, mas eu desenho muito bem. Consigo desenhar qualquer pessoa, é só mandar a foto.

_ Treinar? - pergunta ele e eu confirmo - Treinar o que?

_ Futebol, Artes marciais, pontaria etc. - falo calma.

_ Artes marciais? - Diz ele bebendo um pouco de suco - Por isso luta tão bem.

_ Você já me viu lutando? - Pergunto e ele assente - Como?

_ A três dias quando aqueles vermes tentaram te agarrar - diz ele e eu arregalo os olhos.

Ele me viu lutando. Então ele sabe como eu luto. Um ponto a menos para mim.

Só tou falando com ele porque quero saber mais do verdadeiro mundo sobrenatural. Para assim saber o que fazer para fugir, estou apenas arrumando informações. E por ele me ver lutando, ele pode ter boas idéias de como eu luto, então eu perco o elemento surpresa, se algo acontecer.

_ O que aconteceu com aqueles caras? - Pergunto tentando ficar o mais calma possível

_ Os matei - diz tranquilamente

_ O que?! Porque?! - digo não contendo o nervosismo.

_ Ninguém toca o que é meu sem ter consequências - Diz ele firme.

_ Eu não sou sua!!! - Digo alterada.

Não cheguei a gritar mas o tom de voz foi alto. Mas acho que me arrependi pois ele rosnou para mim e agora está me encarando com uma cara nada amigável. Então ele...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...