História A Companheira do Supremo Alpha - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Ciumes, Companheira, Companheiro, Conflito, Fuga, Guerra, Lobisomem, Lobos, Luna, Sobrenatural, Suprema, Suspense, Vampiros
Visualizações 2.558
Palavras 2.602
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Luta, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Estupro, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 3 - 03


Hannah Narrando:

Eu não sou sua!!! - digo alterada, não cheguei a gritar mas o tom de voz foi alto.

Mas acho que me arrependi porque ele rosnou para mim, e agora está me encarando com raiva. Mas não uma raiva comum. É mais intenção.

Com a mesma raiva ele dá um soco na mesa a quebrando.

Com o susto que levo eu me levanto e me afasto dele totalmente chocada. Com um único soco ele quebrou aquela mesa e a partiu em duas metade. Sendo que quebrou um pé da mesa, quase fazem o mesmo com outro.

Tudo com um único soco!

Estou apavorada, como ele pode ser tão forte? Eu já assisti filmes de vampiros e lobisomens. Sei que ambos são fortes mas... vendo isso pessoalmente é assustador.

O susto foi tanto, que nem percebi a distância em que estou. Nesse momento estou a quase quatro metros de distância do Aidan.

Ele se encontra com os olhos fechados e o punho cerrado. Parece estar pegado fôlego, como se tivesse se acalmando.

Ele olha para mim, seus olhos voltaram a cor normal. Então em um piscar de olhos ele está a minha frente. Novamente tomo um susto e me desequilíbrio

Com um movimento rápido, Aidan pega na minha cintura me impedindo de cair. Porém usando sua "super" velocidade ele me prensa na parede que estava a três metros de distância.

É tudo muito rápido, é um piscar de olhos.

E-Ele é tão rápido assim?

_ Nunca...! - disse ele com um voz grossa e grave - Ouviu? Nunca. Mais. Diga. Isso!! - Disse ele pausadamente.

Olho profundamente em seus olhos e percebo que voltou a ficar em um tom de vermelho-sangue

_ Você é minha! Minha!! - disse destacando uma determinação fora do comum.

Aidan olha pelo canto dos olhos para a sala, notando a presença de quatro guardas e duas empregadas.

Burra eu não sou, qualquer um sabe que lobisomens tem uma boa adição mesmo não transformados. E o que a Ana disse mais cedo, isso aqui é uma alcatéia e o Aidan é o Alpha. Esse guardas devem ser lobisomens e escutaram o barulho da mesa se quebrando.

Aidan ainda está me prensando na parede. Ele aperta um pouco minha cintura com a mão direita, já que a esquerda está encostada na parede.

Ele me olha e suspira fazendo seus olhos voltarem ao normal.

_ Luck leve ela e a tranque no quarto!! - disse ele para os guardas - Depois eu falo com você! - desse em sussurro firme para mim e sai da sala.

Mas antes ele para e fala algo para outros dois guardas e uma empregada. Eu não entendi, porque eles estavam meio longe e eu raciocinando tudo que ocorreu. Assim que ele sai da sala intimidando qualquer pessoa, dois guardas se aproximam de mim me olhando.

_ Vamos - Diz um deles para mim.

Eu ainda estava assustada. Muito. Para ser sincera. Por isso eu não disse nada e nem me movi.

Tudo em minha volta parece estar lento. Aquele homem é assustador. Como pode ser tão forte assim?

_ Como disse e vou repetir; Sou o Soberano Rei dos Vampiros, Supremo Alpha dos Lobisomens e seu companheiro. - Diz me encarando com uma seriedade de arrepiar

Lembro de suas palavras mais sedo. O que significa esses títulos? Qual o seu... poder?

Sou tirada de meus pensamentos com um toque em meu braço. Me assusto com o toque repentino e olho para o dono.

_ Está tudo bem Luna? - Pergunta um homem olhando em meus olhos.

Homem? Eu queria dizer pedaço de mal caminho. Ele é alto, robusto, corpo formado.

_ Quem é você? - Pergunto confusa.

_ Meu nome é Luck. Sou o Beta do Aidan. - Fala ele calmo. Então eu olho para os homens atrás dele. - E esses são Beto e Antônio. Deltas da alcatéia.

_ O-O que ele... é? - Pergunto com medo relembrando algo em minha infância.

_ Nosso Alpha. - Fala ele calmo. - Não sei o que ouve, mas pesso que tente conhece-lo. - Fala ele e da um suspiro. - Não vou mentir. Ele é cruel e insensível. Mas por você ele fará tudo.

_ Como pode saber disso? - Pergunto duvidosa.

_ Porque ele te ama. Porque sua alma está ligada a dele, o que torna vocês companheiros. - Fala ele retirando a mão de meu braço - Ele me pediu para leva-la ao quarto. Não posso desobedece-lo. Então?

Confirmo com a cabeça e o Luck mostra o caminho com a mão, me orientando até o quarto.

Assim que cheguei no quarto, aquele homem trancou a porta, como Aidan mandou. Me joguei na cama e me desabei em lágrimas até que o sono veio.

Aidan Narrando:

Essa garota me tira do sério!

Mandei que a trancarem no quarto. Quando eu voltar vou ter uma boa conversa com ela.

Acabo de sair do castelo, e começo a correr devagar floresta a dentro. Discutir com minha garota aumentou meu apetite por sangue, preciso caçar.

Vou aumentando minha velocidade, conforme acordo meu lobo e sinto meus ossos quebrando. Minha espinha sair do lugar, minhas roupas rasgando. Então com um único pulo me transformo em um grande lobo preto com olhos vermelhos-sangue continuando a correr.

_ Tente controlar sua irá perto dela - Diz meu lobo na minha mente.

Nós lobisomens temos um lobo mágico dentro de nós que podemos conversar e chamar quando a gente quiser.

_ Ou ela irá nos temer invés de nos amar.

_ Como se isso fosse fácil. - Digo mentalmente - porque acha que sai de lá? Qualquer um que me irritar daquela maneira, já teria perdido a CABEÇA!!! - Digo gritando mentalmente a palavra "cabeca" enquanto desconto minha raiva em uma árvore, a partindo no meio com uma de minhas patas/garras.

_ Se acalme!! - diz meu lobo em um tom de voz alto - No final tudo isso valerá a pena... - diz no tom normal - Não vejo a hora de marcá-la como nossa, de acasalar com ela, de hibernar com ela... - diz meu lobo excitado - Mas isso vai precisar de tempo, ela não vai fazer sexo com a gente da noite pro dia, não se esqueça que ela é humana. Isso tudo é novo e talvez assustador para ela.

_ Tem razão - digo pensativo.

_ Nem as lobas deixam seus companheiros marca-las assim tão rápido. - Afirma ele sério - Nós, os machos devemos ganhar a confiança das fêmeas. E com a nossa não será diferente.

Meu lobo sempre usa as palavras certas e quase sempre tem razão. Vou ganhar a confiança da minha fêmea.

Mas antes vou caçar e me acalmar, porque se eu for falar com ela assim, sou capaz de marcá-la ainda hoje por me desafiar, me desobedecer e ser tão teimosa.

As nossas fêmeas e companheiras, sejam lobas ou não, devem sempre obedecer os machos na maioria das coisas.

E se desafiar, desobedecer gravemente, ofender ou irritar, entre outras coisas. Nós as marcamos para demonstrar quem é que manda. E se elas já estaverem marcadas nós as levamos para cama e transamos com elas, querendo ou não.

Não é estupro. Mas não é um sexo comum. E uma transa diferente. Nós costumamos ser mais brutos e as obrigamos a fazer o que a gente quiser, ficar na posição que a gente quiser.

Nos as torturamos com um prazer selvagem e bruto. Fazemos elas falarem e admitir quem é que manda, e a quem elas pertencem. Fazemos elas gritarem nosso nome em meio aos gemidos. E só paramos depois de satisfeitos.

Estou me segurando para não marcar a Hannah porque, como meu lobo disse, isso é novo para ela. Ela está confusa e não confia em ninguém no momento.

Acabo de chegar ao local de caça, me escondo e procuro um cervo, quando acho um de bom tamanho saio do meu esconderijo e o ataco em sua garganta e começo a me alimentar.

Assim que termino vou até uma cachoeira e começo a beber água. Assim que termino olho meu reflexo na água. Um lobo totalmente preto com olhos vermelho-sangue.

Como minha companheira reagiria ao me ver transformado?

Olho mais acima na cachoeira e vejo um arco-íris se formando. É linda essa cachoeira, tão linda que me deu uma ótima idéia.

Começo a voltar para o castelo, não estou com pressa, pois assim que eu voltar provavelmente terei uma discussão com minha garota.

Solto um suspiro de desgosto só em pensar em um discussão.

Depois de algum tempo, chego. Me transformo em humano, obviamente estou pelado, mas não ligo para isso agora. Olho para o quarto de minha Luna e solto outro suspiro enquanto vou atrás de uma árvore onde tinha uma calça jeans escondida.

A visto e começo a me aproximar do castelo. Olho novamente para o quarto dela e avisto uma janela. Com um único salto usando minhas habilidades de vampiro eu chego até a metade do caminho. Dou outro salto e alcanço a janela. Então entro.

Então eu a vejo. Dormindo tranquilamente em sua cama temporária. Porque depois de um tempo ela dormirá na minha cama, comigo.

Me aproximo dela, me sentando na beirada da cama. Começo a acariciar as bochechas de seu rosto perfeito e macio com meus dedos.

Tão linda...

Vou descendo minha mão até sua boca rosada e macia.

Que vontade de beijar essa boca e nunca soltá-la...

Sinto minha boca salivar com essa ideia, mas sei que esse momento não é o mais apropriando. Mas é uma tentação.

Voltou a acariciar seu rosto, e percebo que seus olhos começaram a abrir. Assim que estão totalmente abertos ela me olha e pula para o outro lado da cama, provavelmente pelo susto.

_ O-O que você faz aqui?! - Ela pergunta tentando ser confiante, mas sem sucesso.

Eu sinto seu tremor.

_ Eu disse que viria conversar com você, assim que voltasse - Digo fazendo ela engolir sua saliva.

Percebo que seus olhos estão um pouco vermelhos

Ela chorou?

Me aproximando devagar dela. Ela fica receosa mas não recua. O que é bom. Coloco minha mão em seu rosto acariciando sua bochechas novamente.

_ Por que chorou minha Luna? - pergunto carinhosamente olhando em seus olhos

_ Luna? - pergunta sem entender o significado da palavra "Luna".

_ Significa companheira do Alpha. A garota do Alpha. - Digo o mais calmo e sereno possível enquanto continuou a acariciar seus rosto - Por eu ser o Supremo Alpha, e você ser minha companheira, isso significa que você é a Suprema Luna. - Ela fez uma cara ironia, mas não falou nada sobre ser minha companheira. Ainda bem - Agora diga-me; Porque chorou?

Ela me olha receosa, depois solta um suspiro.

_ Não aguento mais ficar aqui. - Diz de uma só vez.

Essas cinco palavras foram como uma facada em minhas costas. Posso sentir meu lobo acordando em meu interior com essas palavras, aparentemente, simples.

Nunca soube como é ter uma companheira, pois nunca a encontrei. Mas esse é um dos assuntos mais comentados no mundo. Quando um lobo encontra sua fêmea.

Eu sabia que o lobo era capaz de mudar por ela. Os lobos costumavam a fazer loucuras. Costumavam desafiar Alpha para provar que são fortes para protege-las. Alguns deltas que contém uma fêmea ambiciosa já me desafiaram pelo posto de Supremo

Eu nunca entendia algo inútil como esse, mas sabia como era. Eu só não sentia o porque. Mas agora, com a Hannah, me sinto diferente.

Eu sinto emoções que por muito tempo julguei como inútil. Sinto amor, carinho, preocupação, interesse. Sinto, que se ela fosse ambiciosa e desejasse, eu enfrentaria o Feiticeiro Original para demostrar minha força.

_ Quero minha vida de volta. - Diz ela derramando um única lágrima.

_ Sinto muito. - Digo me sentindo angustiado. Mas não demonstro - Mas não terá sua vida de volta.

_ Por quê? - Pergunta ela me olhando - Por que sou sua companheira? - diz ironicamente a palavra "sua companheira" - Eu nem sei o que é isso para os lobisomens. O significado disso... - diz derramando outra lágrima.

Se fosse outra mulher eu a julgaria como fraca por chorar. Ainda mais por um motivo fútil. Mas me sinto diferente. Talvez angustiado por ela derramar lágrimas envés de sorriso por estar ao meu lado.

_ Significa que você nasceu destinada a algum​ lobo. - Afirmo parando de acariciar seu rosto, mas ainda deixando minha mão lá.

Ela olha atentamente para mim, começando a prestar mais atenção.

Então... ela se interessa pelo sobrenatural...

Sorrio internamente ao notar isso.

_ Significa que você é predestinada a um lobo, que você é a alma gêmea dele. - Digo a surpreendendo com minhas palavras - Significa que você é a única que pôde fazê-lo verdadeiramente feliz, que só você pôde satisfazê-lo. Que você e apenas você pôde procriar com ele.

Ela ficou surpresa com minhas palavras, e é nesse momento que eu queria saber o que ela está pensando. Fico a olhando por alguns segundos tentando adivinhar o que ela está pensando e também dando um pequeno tempo para seu cérebro processar essas informações.

_ Então isso que é uma companheira? - Pergunta e eu apenas confirmo com a cabeça.

_ Eu sempre desejei uma companheira - Digo a olhando em seus olhos - Sempre esperei pela minha companheira. Mas ela nunca veio. - Falo abrindo minhas emoções mais profundas para testa-la.

Tenho que saber qual é o ponto fraco de suas emoções. Tenho saber o que ela procura em um homem, mesmo que eu tenha certeza que tenho. Afinal, ela é destinada a mim. Meu gosto corresponde ao dela de forma indireta.

_ Eu esperei mais de mil anos por você, cheguei até a acreditar que não tinha uma companheira. Pedi as esperanças há muito tempo... - Digo relembrando a dor que senti nos temos de guerras.

Disputa por território e até conflito com outras espécies em excesso é um inconveniente enorme para a paz do Supremo Alpha. Afinal, tenho que controla-los para não passarem dos limites. São muitas viagem, reuniões, combate, e muitas outras coisas menos uma; Paz.

Em tempos como esse o macho só deseja uma coisa; Chegar em casa e ser recebido por sua fêmea cheia de amor e carícias para oferecer. Receber os beijos e amor dela em seus braços. Receber, talvez, suas massagens e palavras de amor. Dormi em paz junto a ela para voltar o trabalho no dia seguinte.

Mas sem nossa companheira. As noites são frias. Dizem que depois que o macho tem idade para encontrar sua fêmea, até o momento em que a encontra, são os tempos mais sóbrios.

Pois antes da idade certa, a mente do lobo depois dos 15 anos, só pensa em transar com humanas para ter experiência com as companheiras. Acumular força e experiência em batalha para protege-la. Praticar cantadas e romance com humanas para, não só entender, como saber como agir com suas fêmeas.

Antes dessa época o lobo quer conhecer o mundo, saber como ele funciona. E um pouco antes, ele é um filhote e depende ainda mais do amor, carinho e proteção dos país.

Depois de tanto praticar e acumular força para poder ser um macho perfeito para sua companheira. E quando chega na idade para encontrar, simplesmente não a encontram. Muitos procuram pelo mundo sua amada. Outros a esperam ansiosos, mas as vezes elas demoram muito. Como no meu caso.

É um tempo angustiante...

_ mas então você apareceu. Minha linda e tão esperada companheira. - Digo voltando a acariciar seu rosto - Por isso não permitirei que saía do meu lado. Você é minha e apenas minha! - Digo firme e ela não diz nada.

Permanecendo calada. Aproximo meu rosto do seu e dou um beijo demorado em sua bochecha. Mesmo querendo que fosse na boca.

_ Minha... - Sussurro dando vários beijos segundos em seu rosto formando uma trilha até sua orelha - Minha mulher! - Digo firme, sentindo ela se arrepiar



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...