História A Companheira do Supremo Alpha - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Ciumes, Companheira, Companheiro, Conflito, Fuga, Guerra, Lobisomem, Lobos, Luna, Sobrenatural, Suprema, Suspense, Vampiros
Visualizações 1.889
Palavras 1.650
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Luta, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Estupro, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 4 - 04


Hannah Narrando:
Dia seguinte;

Acordo com a luz do sol entrando pelo quarto, mas por alguma razão, essa manhã está mais frio que o normal. Deve ser por causa do inverno que se aproxima

Ontem a noite eu dormi pensando no que o Aidan disse sobre as companheiras. Ele ficou mil anos me esperando.

Ou ainda a espera...

Isso é... incrível. Agora me pergunto quantos anos ele realmente têm?

Aidan disse que eu posso ir a qualquer lugar desse castelo e fazer quase tudo que eu quiser, mas não posso sair dele. Acho que vou dar uma olhadinha por aí. Ainda tenho que saber onde estou é como sair.

Então vou fazer uma missão de recolhimento no castelo.

Me levanto dá cama, vou até o banheiro tomo um banho demorado e quente na banheira. Faço minha higiene pessoal, coloco um vestido branco, solto e de alcinha. E uma capa vermelha com capuz por cima. Passei um rímel é um brilho-labial.

Até que fiquei parecendo a Chapeuzinho Vermelho...

O castelo é meio antigo e as roupas tem um toque antigo misturado a um toque moderno.

Ontem, antes de sair, Aidan disse que Ana estaria inteiramente a minha disposição. Qualquer coisa que eu quisesse era para pedir a ela.

Ontem, a Ana disse que as mulheres usam muito mais vestidos e saias do que causa e short, aqui na alcatéia. O estilo daqui é uma mistura de roupas antigas com roupas modernas. Isso é apenas para as mulheres, os homens vestem roupas normais e modernas.

Machistas...

Coloquei uma bota de cano curto que bate um pouco abaixo do joelho. Por causa do inverno, provavelmente hoje vai nevar. Mas aqui dentro o "clima" é moderado.

Assim que saio do quarto decido descer para ver o que há lá em baixo. Desço como se fosse a sala de jantar, onde eu almocei com o Aidan ontem. Mas quando falta pouco para chegar eu desvio o caminho e dou de cara com uma escada que leva, o que parece ser, a sala principal.

Tinha três gigantes sofás no meio, com uma mesinha gigante no centro. Tinha algumas cadeiras rodando o lado direito da sala onde tem enormes janelas que dá para ver o lado de fora. E no centro do das janelas tinha uma enorme porta de madeira, que parece ser feita para um gigante.

Olho para cima e vejo lindos lustres com várias velas acesas. Olho para o lado esquerdo e vejo uma outra sala no segundo andar. Parecia uma sacada/varanda no canto de uma enorme sala. Lá tinha uma lareira acesa e duas poltronas super confortáveis de frente para ela.

Sigo o corredor até lá.

Quando chego ficou admirando a decoração, que apesar de meio antiga é linda. Passo minha mão com delicadeza e suavidade em uma das poltronas, sentindo a maciez e conforto dela. Fecho meus olhos para sentir melhor.

_ Gostou? - Abro os meus olhos ao escutar essa voz e percorro o meu olhar ao local tentando encontrar o dono.

Vejo o Aidan bem na minha frente. Levo um susto mas logo me recomponho.

_ É-É bonito - Falo gaguejando enquanto sinto meu coração bater mais forte.

Ele solta um sorriso de lado enquanto me analisa com seus olhos castanhos.

Que sorriso...

Não sei o porque, mas sinto minhas bochechas queimar ao ver aquele sorriso.

Por isso olho para os lados para disfarçar. Começo a reparar em volta, até que meus olhos batem na janela.

Sinto uma tristeza por não poder sair e apreciar a natureza tudo por que ele não deixar.

Quero sair daqui...

_ Vêm... - Diz Aidan chamando minha atenção - Vamos lá fora.

Será que ele percebeu meu olhar nas janelas?

_ Por que? - Pergunto por impulso enquanto vejo ele se virar.

_ Sei que deseja sair. - Fala ele sério e calmo. - Mas não irá sair sem minha presença e proteção. Vamos.

Fala ele e começa a andar em direção as escadas. Por relance olho para as janelas e um sorriso brota em meu rosto.

Ao olhar de volta ao Aidan percebo que ele esta quase descendo as escadas. Corro para alcança-lo.

_ Isso será útil para saber um pouco mais de onde estou...

Descemos as escadas em direção a sala principal, e depois a porta. Aidan abriu a porta e me olhou, indicado para mim sair.

Reviro os olhos e saio. Logo depois ele saiu e fecha a porta.

Fiquei admirado a linda floresta que havia depois de uma grande pedra há uns vinte metros de distância.

As folhas das árvores estavam meio sem vida e caindo por causa do inverno que se aproxima. Mas mesmo assim são lindas.

Percebo a corrente de ar frio batendo em minha pele. Uma prova da chegada do inverno.

Espero que esse castelo seja bem aquecido...

Olho para Aidan sem entender o motivo de ele me trazer aqui.

_ Por que me trouxe aqui fora? - Pergunto olhando tentando adivinhar o motivo disso.

Mas me perco nos traços perfeitos de seu rosto. Os olhos que combinam perfeitamente com o nariz. Aquela boca volumosa e perfeita, mesmo visível, é disfarçada pelo bigode. A barba bem feita. O cabelo perfeito.

E aquele corpo... Quanto ele deve ter de altura?

_ Quero lhe mostrar... - diz ele pegando meus braços com ambas as mãos. E de alguma forma, com sua velocidade, me colocando em suas costas me fazendo ficar de cavalinho nele - ...as vantagens que o sobrenatural têm a oferecer

Diz e começa a correr em direção a floresta. Ele vai aumentando a velocidade até chegar na pedra e subindo nela. A pedra parecia um pequeno morro. Depois que ele subiu eu fiquei com medo já que a o morro acaba dando origem a um enorme degrau com três metros de altura.

Pensei que ele ia pular para chão mas ele pula para o tronco de uma árvore a cinco metros de altura da gente.

_ Melhor se segurar minha Luna. - Com medo do que ele disse eu entrelacei meu braços em seu peito e pescoço.

Que peito é esse?

É duro e firme. Um peito de homem robusto e firme. Ao toca-lo sinto meu coração acelerar um pouco.

Eu senti ele sorrir com meu contato em seu corpo. Mas eu não tinha escolha, estávamos no tronco de uma árvore a nove metros de altura.

Ele havia usado a pedra que tinha quatro metros de altura para chegar no tronco dessa árvore. Isso já foi um susto suficiente para fazer minhas pernas agarrarem sua cintura, coisa que eu não queria fazer.

Imagina o que eu vou ser capaz de fazer ou segurar só para não cair de tal altura, que eu acho que só vai aumentar.

Aposto que esse abusado está se aproveitando e gostando disso...

Ele dá outro longo salto segurando em outra árvore maior, depois outro, outro, outro e outros. Até chegamos em uma enorme árvore, onde ele me tirou de suas costas e me colocou no galho.

Olho para baixo e fico até tonta ao perceber onde estou. Com o medo que eu tenho, eu abraço fortemente o abdômen do Aidan, fechando os olhos.

Os peitos dele me surpreendeu porque não conhecia seu abdômen...

Sinto sua respiração aumentar por causa de um possível sorriso com meu ato.

Mas minha atenção está mais concentrada em outra cousa. Como um homem pode ser tão robusto assim?

Sinto seu abdômen totalmente defendido, duro, musculoso e rígido. Mas sem exageros.

E a tranquilidade​ dele ao permanecer nessas enorme árvore, me dá um sensação de proteção. Sem contar que o abraçar me dá conforto.

Me diga quem não faria isso na minha situação?

Você está no topo de uma árvore de quase vinte metros de altura, localizada na "ponta" de um penhasco de quase trinta metros de altura, se é que eu medi bem. Você esta sem nenhuma proteção além desse Deus grego que é um híbrido extremamente poderoso.

O que vocês fariam?

Sinto um dos braço do Aidan me seguraram pela cintura e o clima ficar mais quente.

Pensei que estávamos prestes a entrar no inverno e não no verão...

_ Calma meu anjo - diz ele num tom sereno - jamais permitirei que caia - sinto ele dar um beijo na minha cabeça - abre os olhos... - diz sussurrando num tom alto o suficiente para mim escutar.

Isso me transmitiu uma certa confiança, por isso abro meus olhos.

Dou de cara com uma linda vista da metade da floresta. Consigo ver as montanhas e logo acima o sol iluminando um lindo arco-íris, acima de uma lagoa meio distante.

O sol nasce no norte e se põem no sul. Ele nasce na frente da minha casa e se põe atrás dela. Isso significa que a cidade é para o sul. Pelo menos já sei onde estou e o caminho para voltar.

Agora só preciso saber como voltar...

Depois penso nisso com mais calma. Fico admirando a paisagem que é linda. Coloco minha cabeça no peito do Aidan e continuo a admirar a paisagem ainda abraçada com ele.

Mas a burra tinha que olhar novamente para baixo e me lembrar da altura que estou?

Com isso abraço mais forte o Aidan

_ P-podemos descer? - pergunto com medo da altura.

_ Tem certeza? - Pergunta ele e eu assenti com a cabeça - Como quiser minha linda. - Ele segura meu queixo com uma das mãos e faz eu olhar-lo - Fecha os olhos.

Eu fechei os olhos e logo senti que estávamos subindo e depois descendo. Como se fosse um pulo.

Sinti o vento no meu cabelo e depois de um tempo senti meus pés chegarem em algo

_ Pode abrir os olhos... - Ouço sua voz sussurrando em meu ouvido

Assim que os abri, vi que estava no chão. Olho para a árvore em que estávamos. Aponto o dedo para o topo

_ C-Como...? - não consigo terminar a frase, pois estava surpresa.

_ Nós pulamos. - Fala sério.

Disse simplesmente isso "nós pulamos". Nesse momento minha boca formou um perfeito "O".

_ Melhor voltarmos para almoçar - disse ele calmo - vamos

Disse segurando meus ombros me mostrando o caminho. Apenas tirou sua mão de meus ombros, seguindo em frente.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...