História A Companheira do Supremo Alpha - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Ciumes, Companheira, Companheiro, Conflito, Fuga, Guerra, Lobisomem, Lobos, Luna, Sobrenatural, Suprema, Suspense, Vampiros
Visualizações 1.724
Palavras 2.290
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Luta, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Estupro, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 7 - 07


Aidan Narrando:

_ Levante-se e tire a roupa. - Ordeno.

_ O que? - Pergunta chocada - Porque

_ Vou te dar um banho. - Falo ainda sentindo o cheiro horrível de empregada suada, nela. - Depois te darei sua punição.

_ Você vai me dar um banho? - Pergunta com a voz irônica. - Até parece...

_ Vou preparar a banheira e quando eu volta, quero encontra-la nua me esperando - Falo sério indo até o banheiro.

Ligo a torneira e deixo a água cair, enquanto coloco sais minerais na água. Fico medindo a temperatura da água enquanto espero a banheira encher. Afinal, não quero queimar minha garota.

Óbvio que essa história de dar banho nela é apenas um protesto para vê-la nua. A punição que darei a ela, com certeza vai me deixa duro, mas vai valer a pena.

Ouço o barulho de chuva, enquanto sinto uma brisa fria. Pelo som, a chuva não é leve. Ela deve continua por algumas horas.

Vejo que a banheira está quase cheia, então desligo a torneira. Solto um suspiro, pois, provavelmente ela não tirou a roupa.

Caminho até a porta do banheiro, pronto para abri-la e ter outra discussão. Abro a porta, indo até o quarto.

Percorro meus olhos pelo quarto esperando encontra-la, mas a vejo. Cheiro o ar, e nada.

Com minha velocidade sobrenatural vou até a porta do quarto, a abrindo.

_ Onde ela está?! - Pergunto sério aos lobos que estavam de guarda.

_ A Luna não passou por aqui senhor. - Fala um deles.

_ Onde minha fêmea se meteu? - Escuto meu lobo falar, após acorda.

Volto ao quarto, olhando em volta. Fico atento a todo tipo de som ou cheiro. Mas nada.

Respiro fundo, para sentir melhor seu cheiro. Porém sinto ele mais recente, perto da janela.

Vou até ela e a abro. Olho para fora, vendo a floresta e a chuva, que está forte. Olho para os lados e vejo um tipo de planta desconhecida. Essa planta está colada na parede ao lado da janela. Ao olhar para baixo, vejo que ela quase chega ao chão.

Levo minha mão até ela, e a puxo para testar sua resistência.

_ Está firme - Falo a mim mesmo.

Volto ao quarto indo até o closet, onde guardei a mochila de minha Luna.

_ Não está aqui. - Falo depois de notar o sumiço da mochila, que estava em um canto do quarto.

Sinto meu lobo se manisfesta, e meus olhos ficarem vermelhos. Rosno de raiva e corro até a janela com minha velocidade sobrenatural.

Pulo pela janela, que está a quatro andares, como altura. Por eu ser vampiro, caio com ambos os pés, e uma mão no chão.

Trinco meus dentes por ela ter fugido novamente, enquanto olho para floresta. Em um único salto me transformo em lobo. Levanto minha cabeça, e uivo para chamar meus betas, e alguns outros lobos.

Começo a andar em direção a floresta com os dentes trincados e a mostra.

Depois de alguns minutos sinto meu beta Nickolas e meu beta Héctor atrás de mim, junto com alguns outros caçadores.

_ Não vai escapar de mim. - Falo enquanto rosno começando a correr, floresta a destro, em busca dela.

Hannah Narrando:

Consegui pegar minha mochila e sair do quarto escalando aquela planta estranha. Estranha, mas muito útil. Não acredito que não percebi aquela planta antes.

Estou correndo pela floresta com a mochila em minhas costas. Preciso achar um lugar para me esconder até tudo isso passa.

Poderia subir em uma árvore, como ontem. Porém, ainda é dia e eles poderiam me ver no topo. Sem conta, que não sei onde está a árvore que eu subi ontem.

Tropeço em uma raiz e árvore e caio em um morro. Começo a rolar, enquanto me arranho e me machuco.

Bato a cabeça em uma pedra, sentindo uma dor horrível. Levo minha mão a cabeça e noto que está sangrando.

Não tenho tempo para me preocupar com a dor. Tenho que correr...

Olho para frente, me preparando para correr. Quando vejo um buraco no chão, e tampado por uma grande pedra.

Me aproximo do buraco e começo a investigar. É um buraco médio, e está em um lugar, onde a água da chuva não entra. É seco e parece confortável.

Ouço o barulho de lobos uivando. Olho na direção do uivo e não vejo nada.

_ Devem estar me procurando. - Falo a mim mesma em meus pensamentos. Olho para o buraco com receio - Não custa tentar...

Entro no buraco, me encolhendo por causa do frio e fico olhando para fora. Ouço um barulho e por isso tento ficar quieta.

Vejo três, enormes, lobos aparecer. O que me chama mais atenção neles, é o Lobo avermelhado. Parece estar liderando os outros dois, que tem uma cor amarronzada.

Eles olham ao redor, depois sai correndo. Como eu fiz da última vez, é melhor eu ficar quietinha no meu canto.

Tento me aconchega no buraco e tenta tirar uma soneca. Pois não vou sair tão cedo daqui.

Dia seguinte;

Eu passei a noite aqui. Ainda chove um pouco, mas é muito leve. O dia acaba de amanhece. Os lobos só passaram duas vezes aqui, e isso já faz horas.

Saio discretamente do buraco, atenta a tudo em volta. Quando tenho a impressão de estar tudo bem, eu saio.

Depois de sair, eu começo a correr em alta velocidade em direção ao Sul. Preciso pegar o dinheiro em minha casa para poder viajar. Em outras circunstâncias, irei a casa de minha amiga Alice e pedirei dinheiro emprestado para viajar.

Tento desviar ao máximo das árvore, para meu cheiro não ficar gravado. Ao mesmo tempo, fico de olho em volta. Vai que aparece algum lobo.

Duas horas depois

Finalmente chego em casa. Porém, não entro. Fico a espreita escondida em uma rua a observando. Vejo a porta da minha casa sendo aberta e o Aidan sair.

Acho que ele estava me esperando. Ele entra em seu carro preto, o qual não sei o nome. Não gosto desse negócio de marca e modelo de carro.

O carro dele vêm nessa direção, e eu me abaixo atrás de uma caçamba de entulho. O vizinho está reformando a casa, e pediu uma caçamba na prefeitura.

O carro dele passa direto, sem notar que estou aqui. De vagar, me aproximo da casa. Pois, sempre ha a possibilidade de ele ter deixado alguém lá.

Depois de analisar bem a situação de minha casa, eu vou até ela, e entro. Vou direto para cozinha e pego o dinheiro no meu cofre, que está escondido de baixo de um piso, de baixo da pia.

Havia uma boa quantia de dinheiro, além de cartão de crédito.

Coloco tudo na minha mochila. Depois que termino, vou até o quarto e pego duas malas. Coloco todas as minhas roupas nelas. Pois na minha mochila não ha quase nada.

Depois de pronto. Pego todos os meus documentos, inclusive, o documento que comprova que sou independente. Tenho 17 anos, mas já sou independente desde os 14. Eu sempre vivi com minha avó desde criança. Porém ela tinha uma saúde frágil, e por isso eu trabalhava para comprar o que ela precisava. Então ela achou melhor eu me torna independente, pois é ela que dependia de mim.

Depois de arrumar meus documentos. Troco de roupa, colocando uma outra calça jeans, um moletom e um tênis.

Com tudo pronto, saio correndo de minha casa. Corro até um ponto de táxi e entro em dos carros. Falo que quero ir ao aeroporto, e o taxista começa a dirigir.

Depois de meia hora, chego ao aeroporto. Pago o taxista e vou direto compra uma passagem. Quero ir a Nova York. Eu falo cinco idiomas e já fiz dois intercâmbio, sendo que um desses intercâmbio foi no EUA.

Tem toda uma documentação para poder sair do país. Mas não é a primeira vez que faço isso, por isso, já tenho tudo pronto.

Depois de ficar em uma longa fila de espera, eu finalmente consigo uma passagem. Essa era a última do vôo mais próximo. Normalmente compramos antes a passagem. Mas é inverno nos EUA e nessa época, ha uma nevasca. Então não ha muita gente, próximo a esse aeroporto que gostaria de viajar para Nova York, nessa época.

Aidan Narrando:

Se passou um dia e nada dela aparecer. Isso está me irritando. Nesse momento estou socando o meu décimo-sexto saco de pancadas.

Como esperado esse também não aguentou e caiu rasgado no chão.

Meu lobo está tão irritado que parece que é capaz de matar qualquer um em sua frente.

Acabo de volta da casa dela, mas estava tudo normal. Exatamente como ficou na última vez que estivemos lá.

Coloquei alguns de meus lobos atrás della, e avisei as outras alcatéia para que, se a encontrar me avisem. Como sou o Supremo Alpha eu mando nas outras alcatéia. Eu sou o líder de todas as alcatéia.

Bom, pêlo menos 95% delas. Pois há lobos que nasceram sem companheira, e eles se recusam a obedecer a alguém. Tudo porque são excluídos, por não ter companheira.

Decido ir para o quarto, depois de cansar de bater nesse saco de pancadas. Depois de um tempo, eu chego, tiro minha roupa, ficando totalmente nu. Vou em frente ao espelho, e percebo meu membro totalmente rígido.

É isso deve-se por ela ter fugido de mim, e ter me deixando furioso. Meu primeiro extinto nesse caso é encontra-lá​, fude-la e marca-lá. Isso, para mostrar a ela, a nao me desobedecer, e para mostrar quem é que manda.

Entro no banheiro onde tomo um bom e demorado banho, para tentar me acalmar. Assim que termino saio com uma toalha enrolada na minha cintura, e com outra nas mãos exugando meus cabelos. Visto apenas uma bermuda jeans e me jogo na cama e tento relaxar e dormir um pouco.

Quatro dias depois:

Quatro dias. Quatro miseráveis dias longe da minha garota. Da minha companheira, da minha Luna. Isso deixa meu lobo agoniado e com raiva. Ele sente falta dela e eu também.

Ficar tanto tempo longe dela me deixa cada vez mais "excitado". Meu pau cossa sem parar. Ouve vezes que isso se tornou insuportável, exatamente como agora.

Nesse exato momento estou no meu quarto, me masturbando pela décima segunda vez desde que ela fugil. Isso mesmo me masturbei doze vezes nesses últimos cinco dias. Apesar de não gosta disso, pois me sinto um adolescente. Isso é necessário. Pois se eu não o fizer, eu mato qualquer um a minha frente.

Mais parece que nem me masturbando ajuda a conter essa excitação​. Só minha Luna pode me acalmar nesse momento. Mas ela fugil.

E ela que me aguarde. Ela irá se arrepender por ter fugido de mim.

Convencido que se masturbar não irá adiantar nada, eu guardo meu pau e saio do castelo, indo em direção a floresta. Vou dar uma volta para acamar a mim e meu lobo.

Começo a correr até entrar na floresta. Fico correndo por alguns minutos até que chego um uma cachoeira. A mesma cachoeira daquele dia.

Me sento no gramado a olhando e a admirando. Fecho meus olhos para escutar​ o barulho da água, da floresta, das aves, etc.

Porém, escuto o barulho de algo algumas vozes femininas se aproximando. Cheiro o ar para ter certeza, e sinto que quatro humanas se aproximam. Mais o que elas estão fazendo tão longe da cidade?

Com minhas habilidades e vampiro, eu subo em uma árvore, com um único salto, me escondo nas árvores.

Depois de uns três minutos as meninas saem aparecem. Era uma loira, duas morenas e uma ruiva. Elas começam a conversar enquanto tiram suas roupas. Elas são bonitas e têm um belo​ corpo, claro não mais que minha companheira.

Ao lembrar  de minha  companheira, meu "amiguinho" começa a dar sinal de vida. E para piorar, conforme elas tiram suas roupas meu "camarada" aqui em baixo, começa a coçar violentamente.

Olho para essas humanas e tenho uma idéia para acalmar meu "camarada" aqui em baixo; Objetivo-de-masturbação-humana.

_ Olha só o que temos aqui - digo revelando minha presença na árvore

_ Quem é você? - pergunta uma a ruiva - E o que quer?

_ Eu? - Pergunto - meu nome é Aidan Adams. - Digo respondendo a pergunta dela. - E o que quero, vejamos... Por onde começo - digo com a mão no queixo, fingindo que estou pensando. Depois dou um passo e pulo da árvore  - Prazer!

_ Como assim? - pegunta a loira.

_ Sabe... - digo fazendo uma cara de quem pensa em algo para falar - Minha garota fugil, e como resposta, estou muito excitado. - Solto um suspiro. Estou falando em um tom de sarcasmo apenas para causar pânico nelas - estou a procura dela. Mas ela é boa nessa brincadeira de esconde-esconde,

_ E o que tenho a ver com isso? - Pergunta uma das morenas.

_ Quanto mais tempo fico longe da minha companheira, mais excitado e irritado eu fico. -  digo arranhando a árvore do meu lado, arrancando um pedaço dela. - todos os meus extintos dizem para encontra-lá, e fude-la, só para mostra quem é que manda.

_ Você é loco? - Pegunta a loira. Apenas fecho os olhos dando um suspiro.

_ Porém. - Falo chamando a atenção delas. - Quero que ela transe comigo por livre e espontânea vontade.

_ Cara na boa. - Fala a ruiva - Nos deixa em paz.

_ Fica longe de minha mulher, me deixa muito excitado e com muita, muita raiva. - Falo a ignorando e deixando meus olhos vermelhos - E isso já está ficando insuportável.

_ O-O que você é? - pergunta a loira com medo.

_ Um híbrido de vampiro e lobisomem - Falo sério - E vocês são as vadias que vou fude e depois matar!

Falo com seriedade na voz, enquanto volto com minha compostura de macho Alpha. 


Notas Finais


O que acharam? Estão gostando da nova versão?
Bjs de lobinhos 🐾❤🐾


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...