História A Complicada vida de Sebastian Silva - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Lemon, Tentativa De Comedia, Yaoi
Visualizações 24
Palavras 2.364
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Slash, Sobrenatural, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Leiam as notas finais please please

Ps: Esse da foto é o Walle

Capítulo 10 - Capítulo bônus - O encontro de Walle


Fanfic / Fanfiction A Complicada vida de Sebastian Silva - Capítulo 10 - Capítulo bônus - O encontro de Walle

Walle narrando

Já passava das 3hrs(da tarde) e eu finalmente podia ir embora da escola. Me despedi de todos os professores e sai. Assim que cheguei do lado de fora, uma moto, muito bonita por sinal parou em minha frente. Eu, claro que me tremida até os dentes mais me acalmei assim que o indivíduo tirou o capacete.

- Adrien ? Oque está fazendo aqui – Ajeitei a bolsa pesada sobre meu ombro desajeitadamente

- Não retornou minhas mensagens nem atendeu minhas ligações, não tinha outro jeito de falar com você se não vir aqui. Certo – Ele sorriu e eu quase derreti ali mesmo

- Como sabia que eu trabalho aqui – Acho que já sei a resposta, mais só quero confirmar quem eu vou ter que matar

- Aquele seu amigo, Vitor. Ele me ajudou em algumas coisinhas – Adrien riu e eu emburrei – Não faz essa carinha – Ele me puxou pra perto dele e a bolsa caiu no chão. Senti seus braços fortes rodearem minha cintura – Vamos para minha casa ?

- Não me agarra assim, aqui Adrien. Estou no meu local de trabalho ainda. E eu não vou a sua casa, vou para minha

- Se é assim. Eu vou com você. Sobe aí na moto – Ele me entregou o capacete e eu fique olhando – Não vai subir ? Aconselho a subir, ou vai querer que alguém me veja – Adrien riu e eu fiquei parado. Nunca havia andado de moto, por causa do meu medinho de altura sabe, ou minha aversão a adrenalina

- Nunca andei de moto Adrien.

- Pra tudo tem uma primeira vez certo. É só segurar bem em mim – Peguei minha bolsa e me sentei na moto, colocando o capacete. Mal pus as mãos em sua cintura ele deu partida, me fazendo soltar um grito nada masculo, consegui escutar a risada dele. Segurei mais forte do que podia.

A moto ia super rápido oque me fazia agarrar com mais força a cintura dele. Desgraçados,aposto que tá indo rápido de propósito.

- Vai mais devagar inferno – Gritei

- Se eu for devagar, não vai ter graça – Ele falou e eu pude escutar a risada dele

- E também não vai ter graça se a gente tiver morto ou com a perna quebrada num hospital. Embuste – Reclamei , ele continuou rindo e não me respondeu

(...)

Quando a moto vulgo instrumento de tortura parou, eu até dei graças a Deus, mais por pouco tempo quando percebi que, aquela não é minha casa, esse não é minha rua, e eu nem sequer conhecia esse maldito lugar.

- Aonde estamos Adrien – Perguntei me segurando para não gritar – Eu quero ir pra minha casa – Bati o pé no chão e fiz uma cara de choro. Ok isso pode até ter sido infantil mais pensem comigo, eu estou trabalhando desde das 6hrs da manhã até 3hrs da tarde, tive que aguentar aqueles adolescentes rebeldes, a professora nojenta de química, o professor de inglês dando em cima de mim, eu nem sequer pude comer, porque tinha que preparar os trabalhos da turma do 1° ano. E sim estou cansado pra um caralh*, agora Adrien me aparece na porta da minha escola e me traz a um lugar desconhecido.

- Essa é minha casa, vamos Walle, não vai morrer se entrar. Eu te levo pra sua casa depois. Prometo não tentar nada. Pode confiar – Ele deu um sorriso  e eu aceitei.

Ele pegou minha bolsa pesada e entrou, eu entrei atrás dele, olhei em volta impressionado. A casa por fora já é enorme, por dentro então. Me sentei no sofá da sala e Adrien veio se sentou do meu lado.

- Letícia venha aqui – Ele chamou e logo uma mulher apareceu. Até empregada ele tem, meu deus, tinha que ser rico né

- Sim, Senhor Kroes, deseja alguma coisa ? - Ela perguntou 

- Sim. Pede uma pizza de queijo tamanho família – A mulher estranha com sotaque francês assentiu e saiu

- Seu sobrenome é Kroes ? Você é rico por um acaso ? – Perguntei, apesar de não querer ser enxerido, minha curiosidade fala mais alto

- Ah sim, meu pai é dono de uma empresa de perfumes famosa e minha mãe é uma modelo famosa também – Ele pegou duas revistas e me deu

- Pra que essas revistas – Perguntei confuso

- A mulher da capa é minha mãe, e o cara da capa é meu pai.

- Doutzen Kroes e Stefano Gabbana, acho que já escutei o nome deles mais não lembro – Coloquei as revistas sobre a mesa – Adrien eu tô cansado pra cacete, trabalhei pra caramba e até agora não pude dormir. – Reclamei e passei os dedos sobre as têmporas

A Letícia, apareceu de novo na sala com uma pizza gigante e colocou sobre a mesa, e outra mulher trouxe copos de refrigerante

- Vamos comer. – Olhei a pizza e o refrigerante, meu estômago roncou alto e Adrien riu. Peguei uma fatia de pizza e comecei a comer – Porque não saímos hoje, sabe um encontro – Assim que ele falou isso eu apenas olhei pra ele e depois voltei meu olhar para a pizza. Comi mais três pedaços, e bebi um pouco do refrigerante – Ué, não vai me responder ?

- Não tô afim, sabe. Tô cansado como já disse

- Não tá a fim de me responder ou de sair comigo

- Os dois – Assim que eu disse isso ele riu – Eu quero dormir

- Sabe, você é a primeira pessoa que recusa um encontro comigo, todo mundo sempre aceita

- Eu não sou todo mundo querido.

- Quando eu via você e o Vitor na boate dançando ou bebendo, eu queria muito falar com você, te puxar pra um canto e te beijar – Eu corei e ele sorriu – Mais estava com medo de você ser do tipo interesseiro. Já que todas as pessoas com quem eu saí, só estavam comigo pelo meu dinheiro.

- Dinheiro não é tudo – Falei – Pode até ajudar mais não é tudo.

- Verdade. Mais mudando de assunto agora, quer sair comigo – Eu revirei os olhos – Prometo que não vai se arrepender

- Mesmo que eu negar você vai ficar enchendo o saco – Comi mais um pedaço de pizza e tomei um gole de refrigerante

(...)

O céu lá fora já estava escuro e Adrien estava se arrumando para nós dois saímos. Preferi ficar na casa dele mesmo, sabia que se eu voltasse pra minha provavelmente dormiria até amanhã , então ele me emprestou algumas roupas e foi se arrumar. Enquanto estava na sala eu vi algumas fotos de sua família, me levantei e peguei um porta retrato com um garoto que eu supôs ser Adrien e uma garota de cabelos rosas.

- Essa é minha irmã Camilla Kroes. Ela quis ir morar com minha mãe enquanto eu fiquei com meu pai – Eu coloquei o quadro de volta ao lugar e respirei fundo pelo susto

- Seus pais são separados ? – Perguntei. Saímos da casa dele e ele subiu na moto

- Sim são, o casamento deles já não estava mais dando certo, mais segundo Camilla eles dois ainda continuam se encontrando. Relacionamento complicado – Ele riu e me entregou o capacete

- Se você acelerar dessa vez eu vou te bater – Coloquei o capacete e subi na moto

(...)

Bom, ele não acelerou muito. Paramos em frente a um restaurante, com uma aparência muito fina. Assim que entramos eu me encolhi um pouco com os olhares que recebemos.

- Ignore-os – Adrien falou e me puxou para um mesa. Um garçom veio até nós

- Senhores, oque irão querer – O garçom com sotaque francês falou

- Eu vou querer um Confit de canard Magret é um Ratatouille. Acompanhado de um Grand Marnier. – Assim que ele terminou o garçom saiu

- Esse restaurante é francês – Afirmei – Parece ser caro, eu não tenho dinheiro pra pagar essas comidas não

- Quem disse que é você que vai pagar, eu te chamei, eu pago – Adrien sorriu e eu revirei os olhos, logo nossa comida chegou e começamos a comer em silêncio

- Porque as pessoas ficam olhando, isso incomoda – Perguntei baixinho

- Talvez porque eu sou filho de duas pessoas famosas

- Ah é – Continuei a comer em silêncio

- Você tem quantos anos ? 

- Tenho 25

- Nossa, eu sou mais novo, tenho 24 - Ele sorriu - Você não tem cara de velho, na verdade eu jurava que você não passava dos 22 

- Ri com seu comentário - É, todo mundo diz que eu pareço ser muito novo - 

- Então, e seus pais ? - Ele perguntou 

- Meus pais ? 

- É, sabe se eles são separados ou algo do tipo 

- Ah bem, eu sou adotado sabe, meus pais biológicos morreram quando eu era mais novo, então um casal de mulheres me adotou. Eu até tenho um irmão, mais acabamos por nos separamos - Comentei sem ânimo

A verdade é que eu não ligava muito para achar ou não meu irmão, ele provavelmente sabia da minha existência também e mesmo assim não me procurou, até porque, pelo oque eu me lembro nossa relação não era muito amigável, digamos assim...

- Nossa, sinto muito pelos seus pais. Mais você nunca quis procurar seu irmão ? 

- Teve um tempo que eu até quis, mais depois acabei desistindo

- Entendo. Qual sua cor preferida ? - Ele deixou o assunto família de lado

- Não tenho, mais gosto mais do preto ou amarelo 

- Você gosta de ser professor ?

- Yah, no começo eu queria dar aulas em faculdades. Mais só consegui  escolas, a melhor que tinha era essa. Depois de um tempo eu até me acostumei, acabei recebendo uma proposta de trabalho para dar aulas numa faculdade renomada depois de um tempo. Mais aí já estava apegado demais aos meus alunos, então acabei por recusar. Irônico não ?

- Com certeza 

Depois que terminamos de comer, Adrien pagou a conta e nós saímos do restaurante. Agora ele me levaria a um parque de diversões. Clichê né , mais eu gosto assim. Nada de ideia inovadoras como pular de asa delta ou ir pescar num lago...é eu já tive encontros assim e não foi nada agradável. Assim que chegamos no parque, o desgraçado logo quis ir na montanha-russa e ainda me arrastou junto.

- Eu nunca mais venho num parque de diversões com você – Me sentei num banco e coloquei a mão na cabeça

- Não sabia que você era tão fraco pra essas coisas – Dei um soco que pegou na perna dele – Aiiii oque eu fiz meu deus

- Além de me arrastar pra merda de uma montanha-russa e ainda me chamar de fraco? Não me deixar descansar talvez – Comentei sarcástico

- Desculpa Walle – Ele se aproximou de mim e me deu um selinho – Vamos na roda gigante então

- Hmm – Nada respondi ,ainda sinto meu rosto queimando e provavelmente devo estar vermelho

(...)

Agora dentro da roda gigante. Eu olhava pra janela e de vez em quando para Adrien ao meu lado. Ele estava quieto e pensativo.

- Vai ficar quieto sem falar nada – Perguntei

- Ah, não sabia que você queria que eu falasse – Ele virou o rosto pra mim e ficou consideravelmente perto, oque fez eu me envolver mais no banco. Eu posso ser adulto mais ainda sou tímido tá, eu não me relaciono muito sabe. Estranho né ? Mais é a vida

Nós dois começamos a se encarar intensamente, tipo naqueles filmes românticos sabe. Adrien passou a mão na minha bochecha e aproximou mais o rosto, até nossos narizes ficarem próximos. Aí do nada ele começou a rir e apoiou a cabeça no meu ombro, fiquei sem entender.


- Tá rindo de que – Perguntei confuso

- Eu quero muito te beijar, mais essa cara de quem vai ser assassinado não ajuda em nada sabia – Ele falou risonho

- Não posso fazer nada se estou nervoso

- Nervoso sem motivos né, não seria a primeira vez que a gente se beija

- Em minha defesa eu estava bêbado naquele dia

Ele apenas riu e me puxou para perto dele, colou seus lábios nos meus. Pediu passagem e eu dei. Adrien passou a mão na minha cintura e mordeu meu lábio,de início o beijo era intenso e profundo se é que vocês me entendem, e depois foi virando um beijo calmo, e nossas línguas pareciam que dançavam juntas. Ele desceu as mãos até a minha coxa e apertou, eu que sou sensível demais, soltei um gemido sem querer. Adrien aprofundou mais nosso beijo e subiu a mão para minha bunda, dando um forte aperto alí.

Me separei dele ofegante e com rosto muito mais muito quente, provavelmente devo estar mais vermelho que pimentão

- Fiz algo errado ? – Ele perguntou com uma voz rouca e baixa. Como ainda estávamos perto, da pra ouvir perfeitamente

- Na verdade não, mais sabe, estamos num lugar público, e roda já esta chegando no chão. Aliás tenho certeza de que se não paramos por aqui....- Ele soltou uma risadinha

- Entendo

Logo a roda chegou ao chão e nós dois saimos de dentro dela e Adrien comprou um algodão doce pra mim.

- Aqui, um doce para outro doce – Eu ri dele e comecei a comer – Já te disse que quando você rir, você fica mais bonito do que já é – Senti minhas bochechas esquentarem – E quando está corado também

- Palhaço – Ri e soquei seu ombro de fraco

- Eu te elogio e ainda apanho ? – Ele se fingiu de sério e logo depois riu e eu ri junto

- Até que foi legal hoje sabe. Eu pensei que você só iria me levar pra comer e depois me comer – Fui sincero

- Até parece, eu até faço isso, mais com você não irei fazer – Olhei indignado pra ele

- E eu posso saber o porquê ? – Perguntei 

- Porque você é especial demais. Gostei muito de você sabe, você me traz alegria e é a primeira vez que isso acontece.

- Profundo, bonito também. – O puxei para um selinho – Então nosso segundo encontro já está de pé ? – Perguntei sorrindo

- E ainda pergunta – Ele sorriu junto comigo

Ok. Talvez só talvez eu deva agradecer ao Vitor.


Notas Finais


Olha quem resolveu aparecer depois de séculos rsrsrs.
Mais eu tenho uma explicação decente mores
Assim, eu demoro a postar porque eu escrevo os capítulos e as vezes não consigo escrever bem oque eu queria, aí eu acabo mudando o capitulo um monte de vezes, e até apagando e reescrevendo de novo.
O fato é que eu sou bem insegura em relação a várias coisas, e a minha escrita é uma delas. Nunca consigo deixar do jeito que eu realmente quero, eu esqueço as coisas toda hora, erro várias palavras e por aí vai. Isso me irrita muito, aí por vezes eu dou um tempinho sem tocar no teclado para depois voltar
Mais em fim, eu escrevo porque eu gosto, tipo amo mesmo, e me distrai bastante,Apesar dos pesares.

E sobre esse capitulo. Eu quis dar um destaquezinho pro Walle, senti a necessidade de fazer esse cap. Aí vocês se perguntam, "Ah porque a tia Blurry não colocou um lemonzinho basico", o lemon não aconteceu por dois simples motivos. Primeiro:eu não sei descrever muito bem essas coisas de contatos sexuais, eu até tento mais né..., e segundo: eu quero construir melhor a relação deles dois sabe. Explorar mais as coisas.

Mais em fim

Gostaram ? Dúvidas ? Sugestões ?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...