História A CONCIERGE DO CRIME (Camren) - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Camila Cabello
Tags Camilacabello, Camren, Dinahjane, Laurenjauregui, Normani
Visualizações 9
Palavras 1.134
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Bishounen, Drama (Tragédia), LGBT, Mistério
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - III - Thali


Dinah ficou junto à agente ao seu lado que tinha o tablet na mão ponderando em como apresentar para seus superiores o fato de que a criminosa mais procurada por eles está disposta a apresentar um acordo de imunidade, parecia uma piada caso fosse dito em voz alta. Sendo assim, nada disse, apenas se levantou pegando o acordo e se retirando do local. No caminho acabou cruzando com Normani na qual parecia um pouco cansada, pois havia passado a madrugada escrevendo um relatório ao invés de ir para casa, opinou por tentar descobrir uma forma de encobrir o fato de uma criminosa procurada ajudou  a capturar um outro criminoso dado como morto. Seus passos eram lentos até ambiente desejado, precisava ler tudo o que estava escrito e tentar achar uma forma viável de fazer dar certo.

Ao chegar em sua sala, largou os papéis sob a mesa e se direcionou ao armário que ficava no canto, o abrindo para retirar de dentro dele uma garrafa de whisky acompanhada de um copo.  Precisava de algo que a mantivesse sóbria para aquela situação. Dessa forma, se direcionou até a cadeira de couro atrás da mesa  onde se sentou, aconchegando-se da melhor forma possível para somente assim  despejar  o líquido em seu copo dando um longo gole e fechando olhos. O ar que estava preso em seus pulmões  foi se soltando aos poucos, e quando se sentiu pronta, pegou um dos acordos para só assim começar sua leitura.  Enquanto isso, Camila era levada por um agente uniformizado para uma das celas de segurança máxima do complexo,  onde quando chegou no pequeno cubículo metálico lhe informaram que precisaria abandonar seu vestido e salto alto, vestindo assim um uniforme azul escuro acompanhado de um par de coturnos. Camila nada disse, apenas concordou e o agente que estava com ela saiu deixando-a sozinha para que se trocasse. Quando estava devidamente uniformizada como uma prisioneira bateu no pequeno vidro da porta e informou que estava pronta e que poderiam recolher suas roupas antigas, o agente que estava cuidando disso apenas entrou, pegou as roupas e saiu sem dizer uma palavra. 

Por outro lado, quando Dinah terminou de ler o acordo proposto por Camila Cabello  ficou surpresa ao saber que a jovem mulher preferia se representar do que contratar um advogado para isso, pois querendo ou não, dinheiro havia, mas no final das contas o que estava ali não era nenhum absurdo. As condições expostas poderiam ser facilmente aceitas,  a mulher alegava que aceitava que o FBI a monitorasse com um pequeno aparelho de 8 milímetros em seu pescoço, mas gostaria que os seguranças que a acompanhassem fossem de sua equipe, da mesma maneira em que ressaltava que não dormia em um lugar mais de uma noite, que sairia do país quando quisesse em seu avião particular. Entretanto, a condição  maior de colaborar com os Estados Unidos, seria que ela falaria somente com Lauren Jauregui. 

Após analisar tudo mais de uma vez, Dinah levantou o telefone que estava na ponta da mesa para entrar em contato com  o Departamento de Justiça marcando uma reunião urgente na qual alegou ser de Segurança Nacional. Meio a contragosto, a reunião foi marcada para a manhã seguinte no complexo, tudo até o momento estava indo bem, porém, ainda teria que conhecer a todos que essa é uma oportunidade única. Por outro lado, deitada em uma enorme cama  e encarando um urso de pelúcia velho estava Lauren. 

- É bom ver você Lady Suzi - Disse a mulher de olhos verdes passando seus dedos levemente pelo pequeno urso. - Pensei que você não tivesse sobrevivido aquele incêndio. Gostaria de saber como conseguiu sair de lá - Acrescentou fechando os olhos e tentando espantar as imagens vagas que apareciam em sua cabeça. As coisas não estavam sendo fáceis para ela, principalmente quando se tratava da noite em que sua casa pegou fogo. Lauren sabia que era adotada, e a única lembrança que tinha de sua infância antes de ir morar com Amélia e Ian Jauregui era de tudo pegando fogo. A mulher de olhos verdes nunca soube sua história. O único que sabia era que em um belo dia tudo estava chamuscado e no outro estava brincando em um quintal em Chicago. Entretanto o que mais a intrigava era o fato de Camila saber mais do que estava dizendo, e quem sabe ela soubesse o que realmente aconteceu naquela noite, a vinte anos atrás, mas no momento sua única opção era tentar descansar o restante do dia e encarar o que está por vir. 

O dia foi se dando ao fim com Danah relendo os relatórios apresentados por uma Normani exausta que se recusava Sair deli e ir para casa, alegava estar bem, mas na realidade nada estava bem. Para ela, nada fazia sentido, não entendia o motivo que levou a Camila Cabello  a se entregar após tantos anos. Não fazia sentindo ela querer tratar apenas com uma agente recém formada. As peças desse quebra cabeça não pareciam se encontrar. Todavia, não havia o que ela pudesse fazer para reverter a situação além de acatar as ordens de sua superior, e no momento, eram explícitas para ela fosse para casa dormir e voltar apenas no dia seguinte. Contudo, o único que permanecia no complexo, apelidado carinhosamente de O Correio era o jovem Thali Khouri, um menino de vinte e três anos de descendência árabe,  o mesmo estava ali apenas por um acordo feito quando tinha apenas dezesseis anos de idade, onde em uma aposta online tentou invadir o sistema do FBI, mas não conseguiu completar a missão sem deixar rastros, o que resultou em sua casa na manhã seguinte rodeada de agentes e uma mãe desesperada pois seu único filho estava sendo levado para a prisão. A única alternativa naquele momento era fazer um acordo e foi o que aconteceu, negociou sua liberdade em troca de serviços prestados à agência, obviamente remunerados.

Thali, apesar de estar sempre com a barba mal feita e com um terno muito bem ajustado no corpo, sabia mais do que dizia. Guardava segredos como todos dentro daquele lugar, e um deles era o fato de admirar Camila Cabello. Sim, ele não tinha medo, ódio, raiva, rancor, era admiração. Apesar de tudo, Thali conhecia a história da mulher pois a cerca de um ano atrás teve a honra de prestar um serviço a ela, apagar a ficha criminal ( de furtos) do pai adotivo de Lauren Jauregui, deixando assim a ficha da jovem limpa para que conseguisse entrar na academia do FBI sem complicações. As únicas duas pessoas, dentro da agência,  que sabiam que estariam onde estão hoje era o jovem responsável pela TI do lugar ( Thali ) e a mulher que havia se entregado em uma manhã de segunda feira, Camila Cabello.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...