História A Concubina do Imperador - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bottom!hoseok, Épocaua!, Hopev, Menção, Seoktae, Taeseok, Top!taehyung, Vhope
Visualizações 415
Palavras 1.004
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Cross-dresser, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Espero que gostem, com certeza será a minha história predileta.
Por favor, leiam com calma e prestem atenção em cada coisa que será dito.
Todos os capítulos serão cartas que o TaeHyung escreve a uma certa pessoa.

Capítulo 1 - Penúltima Carta


Fanfic / Fanfiction A Concubina do Imperador - Capítulo 1 - Penúltima Carta

“Ela sempre me dizia que era como água. A água pode encontrar o seu caminho mesmo entre as pedras. E quando encurralada, a água cria um novo caminho...”

Ela me dizia coisas lindas todas as noites e me prometia que nunca iria embora, dizia que seria a água que acalmaria a tempestade da minha existência e que eu seria sempre o seu local de repouso. Ela prometia que estaria ao meu lado e eu sempre acreditei nisso, todos os dias, o dia todo, por muito tempo. Tempo demais até, tempo que eu mesmo não sabia que estava passando. Tempo que eu achava que ela estava me fazendo perder. Por mais que no final das contas, quem estava sempre caminhando para longe dela fosse eu. A culpa era minha, sempre minha. E talvez ela houvesse chorado menos… Mas ainda assim, eu errei.

Entenda, por mais que eu quisesse estar ao seu lado, a palavra ela era o que mais nos condenava. Aquela pequena sílaba que significava um fardo. Como uma veste muito pesada e negra no qual ela tem de se esconder. E até eu mesmo caiu nessa armadilha de se referir ao meu grande amor como ela. Sempre ela… Por mais que minha língua conheça o sabor da boca dele, por mais que meu corpo só arda, queime e se entregue a ele, por mais que minha intimidade só conheça vigor quando se depara com uma similar, mesmo quando eu o toco e o vejo vigorar em minha mão, mesmo quando minha boca conhece os seus mistérios, mesmo quando meu coração só sabe ir rápido como o cavalo mais ligeiro do reino quando o vê, eu, ainda assim, minto para mim mesmo para mentir para todos. Eu amo ele. E ele carrega o fardo de se vestir como ela.

E agora estão mandando matá-la. Descobriram aquele segredo e eu me fiz de tolo, me fiz de louco e assumi a covardia que um imperador nunca teria de assumir. Eu não agi como o homem que sou e ele, que não pode se portar como um homem, foi mais do que eu tudo aquilo que eu tinha de ser. Eu não fui o seu imperador meu amigo, assim como não fui aquele que o salvaria e que assumiria a responsabilidade por tal ato de traição ao nosso império. Não fui eu quem dei a mão a ele quando fora ele que ensanguentou as suas para me manter aqui. Para me ver de baixo, assim como eu o olhava enquanto ele cavalgava em meu colo me fazendo sentir o que nunca sentirei por mais ninguém. Eu sou covarde meu amigo, não sou homem para ela e nunca serei para ele. Jung HoSeok será eternamente o sol e eu um reles mortal contribui para apagá-lo.

E se eu quero que sua vida continue límpida como a água tenho de deixar que ela se vá. Para longe de mim, mas viva. Tenho de me redimir a minha covardia assim, deixando que a única pessoa que eu amei e amo na vida escorra por minhas mãos como a limpa água que ela é. Não me entenda mal, eu vou sempre amar, vou sempre querer. Vou sempre chorar todas as noites enquanto outra pessoa dorme ao meu lado. Uma pessoa que eu não amo, alguém que não será nada para mim. Por enquanto, não quero que sinta dor por mim ou pena de mim. Quero que o salve. Quero que livre a minha mais amada concubina do fio daquela espada. Quero que a leve para o seu reino.

Por mais que eu tenha começado a viver no momento em que vi seu sorriso pela última vez. Por mais que eu tenha encontrado a felicidade naquele pedaço de estrela, eu tenho de admitir que hoje sou como o céu escuro enquanto ele vai ser sempre o sol. Eu estou o perdendo, ele vai embora e eu quem o deixarei ir. Salve-o. Por favor. Salve-o.

Deixo aqui junto desse papel amassado e manchado com sangue o ouro necessário para mantê-lo confortável. Você o encontrará perto da floresta, ele leva consigo o meu coração, a minha existência e felicidade. E se puder, porque eu sei que pode, o ame. O ame como eu não vou poder mais mostrar que amo. Cuide como eu não vou poder mais mostrar que o cuido. Eu não quero imaginar suas mãos naquele corpo, não quero pensar em sua boca naquela boca onde eu me perdi e soube achar o caminho certo. Não preciso saber que levou a minha vida consigo, só preciso saber que ele vive. Que seus olhos invadem os meus ao menos em sonhos.

Estou morrendo aos poucos meu amigo, não sei se aguentarei mais. Porém. Ainda existem cartas que queres ler. Cartas que guardam lindas histórias de amor. A nossa história. De um imperador que conheceu o amor e por ele não ser como as flores do dia, perdeu mais do que isso, perdeu sua vida. Eu estarei aqui quando a cruel luz do dia banhar aquele quarto repleto de luxo? Estarei eu para ver o brilho das espadas e a beleza dos cavalos de meu estábulo? Ah, eu não saberia dizer. Apenas respiro. Somente respiro. Ele levou tudo em seus fios negros.

Terei de me ir agora meu amigo. Deixei coisas demais em suas mãos. Espero que nunca as quebre como eu. Não cometa os mesmos erros e eu repito de novo, salve-o. Tudo está no lugar onde deixei. Não se preocupe, sua irmã estará ao meu lado pelo resto de nossas vidas. Sabes que eu não a amo, sabes que toco nela pensando nele, sabes de tudo. Por favor, não me conte sobre suas noites com ele. Não preciso saber, assim como saberás que do ventre daquela mulher só sairá um filho por ordem de meu pai e de minha linhagem. Que meu corpo precisa do corpo dele para, sequer, pensar em se erguer.

Obrigado por tudo. Não volte mais aqui nunca mais. E o leve consigo. Salve-o.

Seu imperador,

Kim TaeHyung. 


Notas Finais


Não chorem... ainda.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...