1. Spirit Fanfics >
  2. A Constituição do amor >
  3. Cotidiano comum... Ou não!

História A Constituição do amor - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Oi galera, desejo a todos uma...

S2 BOA LEITURA S2

Capítulo 2 - Cotidiano comum... Ou não!


    Era uma tarde fria. A neblina vestia indecentemente todos os arredores daquele bairro, desde casas, prédios e apartamentos até a vista distante das montanhas e do céu azul. De tão severo, aquela baixa temperatura obrigava sem cessar cada pessoa que pelas ruas transitava a se abrigar num confortável e quentinho agasalho.


  Era uma tarde fria, apenas uma tarde fria comum. O único estranhamento mínimo naquele cenário estava num homem que andava desengonçadamente. De tão apressado, ele bambiava o corpo da direita para esquerda repetidas vezes, na fútil tentativa de desviar daquela mar agressivo de pessoas.


- Com licença. C-com licença, por favor!- Dizia ele para aquelas enormes ondas humanas.

  Acompanhando o seu caminhar "penguinzesco", a figura estranha esfregava suas mãos a todo momento. Não para procurar aquecê-las e nem mesmo devido a um pequena mania dele. A explicação estava no fato dele tentar dispersar o suor que cobria as duas palmas.


  Mas... ESPERA!!! Não era um tarde fria? Sim poh, era. Entretanto, o motivo do suor de nosso protagonista não era o calor rude do sol...Ele estava ansioso. MUITO ansioso!!


-Eu tenho que passar na bib...E depois ainda preciso ver o...Não não, primeiro vou ao escritório do chefe!! M-mas como fica a questão do departamento 1? E...E...E? - Dizia o homem, sem nem perceber a atenção que conquistava por estar falando sozinho.


  Estava sussurrando ao ar, palavras que não direcionavam a ninguém senão a si mesmo. O mais impressionante era que seus lábios lembravam gatilhos frenéticos de uma arma. Ele não parava!!! Falava, falava e falava infinitamente! O ritmo era tão veloz, que ele mesmo se perdia nos próprios pensamentos: pulando de um ao outro do nada, comendo uma ou duas palavras da frase e deixando de completar o que estava pensando.


-Sobre esse assunto, eu... Não, é melhor que primeiro eu faça outro serviço, quem sabe...- Apoiando seu polegar sobre os lábios inferiores, ele olhava fixamente para o chão, enquanto pensava interminavelmente em tudo que precisava resolver.


  A cadeia de pensamentos desorganizados do mesmo só teve fim quando ele se posicionou em frente a um prédio enorme, cuja parte mais alta era enfeitada com um letreiro gigante que dizia "U.A. MODA FEMININA".


  O homem então, ajeitou bem a gravata, tirou toda poeira acumulada no terno  e respirou fundo por segundos mínimos. Ao abrir seus olhos, ele ainda estava bastante preocupado, mas conseguiu dar o primeiro passo para o seu objetivo.


-Vamos lá, Midoriya. Mais um dia de trabalho...- Respondeu ele para sua própria insegurança.

-OLHA SÓ!!! - De repente, surgiu outra pessoa naquele cenário, a qual empurrou Midoriya de uma maneira muito brusca - Que surpresa agradável!

  Por conta do tapão nas costas que havia levado, Izuku acabou  avançando inconscientemente pra frente. As portas automáticas do prédio se abriram, por pouco, a tempo dele conseguir entrar.


- Aí sim, p****!!! Cê tá animadão pra trabalhar hoje! - O tom debochado e despreocupado dessa pessoa revelou imediatamente quem havia batido nele... Afinal para a infelicidade do mesmo, não conhecia mais ninguém que aumentasse o volume da voz a cada palavra dita, berrando sem motivo nenhum.


  Ao direcionar seu rosto para trás, a figura que se prostou diante do seu olhar era relativamente alta, tinha ombros largos e um chamativo cabelo castanho claro muito mal arrumado!! Em seu semblante, um sorriso convencido se estampava de orelha a orelha.


-Ah... Olá Bakugou. - Cumprimentou Midoriya cabisbaixo.


-Tá por dentro das novidades? Geral tá falando que a barra tá pesando pro seu lado, viu...Novato.


Off: Gentle que o diga!! Ba dum tss


- C-Como assim? Está tudo indo muito bem.


-Então, né... Acho que cê não tá ligado. - Riu Bakugou enquanto se aproximava de Midoriya - Nem todos seus pontos tiveram bom resultados mensais... Principalmente  o da Rua Ingenium.
  Mas é que nessas semanas acabaram de me colocar no gerenciamento dela e...- Disse Midoriya, tentando se explicar para o olhar de desaprovação do veterano - Com a nova estratégia de marketing que estou começando a implantar os resultados estão começando a melhorar. Olhe!!


  Retirando as pastas que carregava por entre o braço direito e seu peito, Midoriya extendeu uma série de planilhas tremendo:


- A-aqui! Pode ver como...Err...Desde a última quarta, o número de vendas tem praticamente dobrado!


-CAR****! Que foda, novato! - Após terminar seu grito, Bakugou usou o braço para envolver o pescoço do companheiro de trabalho com força - Pena que aqui...Tá. Bem. Diferente!


  Com o dedo apontado para a coluna escrita "Rua Ingenium", o veterano indicava com enfâse repetitiva que as vendas lá estavam abaixo da média. Era um pressão física e emocional muito grande exercida em cima de Izuku, fazendo-o se sentir sufocado tanto no sentido conotativo quanto no literal...


-M-mas... - Enquanto buscava por ar para seus pulmões, Midoriya teve dificuldade de organizar os pensamentos.


-O que foi?? HÃ? Eu não estou conseguindo ouvir!!


  Midoriya diante de tanto desprezo se viu irritado, era um porre ter que aguentar uma pessoa tão filha da mãe assim. Ser novato não fazia do Midoriya um saco de pancadas gratuito para o Bakugou e ele odiava ter que passar por aquilo.


-Deixe-me explicar!! - Disse ele tirando o braço do veterano de cima do seu dorso com raiva e firmeza no olhar.


  Foi então que Midoriya percebeu seu deslize!! Bakugou não precisou dizer nada demais, apenas com um levantar de sombrancelhas ele repassou tudo que precisa. Como se disse: "tem certeza do que você tá fazendo?"


-M-me desculpe, gerente-chefe! Não quis ser rude... Foi automático. - Disse Midoriya, agora contendo seus sentimentos - O fato é que o ponto ainda é muito recente e, apesar do resultado mensal ter deixado a desejar... Como eu havia dito: nessa semana, tive resultados muito melhores.


-Isso não importa, p*rra! Você acha que a empresa tem todo o tempo do mundo pra esperar essa m*rda de melhora que você promete?


-Não! Quer dizer... Os meus gastos estão sendo razoáveis e controlados corretame...


-Você acha que eu vou acreditar nas palavras de um novatozinho de merda? Meus resultados estão muito superiores!!


"Mas o seu ponto é melhor colocado, você recebe um investimento muito maior do chefe e estão instalados a muito mais tempo!!" - pensou Midoriya, enquanto era mais uma vez empurrado.


-É graças a idiotas como você que temos tantos problemas.- E então ele se afastou, encarando uma última vez o novato com seus olhos rubros de ódio e desprezo. - Você ainda precisa me entregar o resto dos relatórios, novato de merda!


  Izuku parou por um único instante, ele não entendia porque aquele cara agia sempre assim, ia contra tudo que acreditava. Aquelas palavras e atitudes ríspidas pisaram em todo o esforço e noites sem dormir que havia passado. Como se não fosse suficiente, todos que trabalhavam na entrada, assim como aqueles que estavam entrando fitavam-o naquele instante e... Dessa vez, ele tinha percebido.


  Ele começou a se sentir culpado e incapaz diante daquela acusação do companheiro, mas, antes que se afundasse ainda mais em pensamentos negativos... Lembrou que estava apressado. Ele tinha muito a fazer e muito a resolver.


-Regra número 6: nunca procastine. - Sussurrou ele pra si mesmo e continuou andando.


  Midoriya voltou a caminhar. Estava em sentido ao escritório e ao seu computador, onde poderia entregar os relatórios prontos para o email do gerente chefe. Estava decidido, aquela seria a primeira das milhares de tarefas que teria de fazer aquele dia.


-Err... Com licença, senhor Midoriya!!! - Chamou-lhe uma voz.


- Ahn? Oi! O-o que foi? - Respondeu ele, um pouco surpreso.


-O chefe está te chamando na sala principal.


-Sim, eu já sei. Hoje é dia da reunião, certo? Só preciso enviar uns relatórios e subo às 08:00 em ponto, como combinado.


-Não é isso. Ele disse que precisa falar exclusivamente com você agora!! Segundo ele, é assunto muito importante
 


Notas Finais


Peço desculpas por qualquer erro, estou numa situação complicada e corrida ultimamente, mas irei melhorar à medida que a fic tbm for sendo desenvolvida.
Espero de coração que todos tenham gostado, até a próxima terça, escrevo mais!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...