História A cor do meu outono - Capítulo 1


Escrita por: e HopeInVhope

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jung Hoseok (J-Hope), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga)
Tags Amor, Hopeinvhope, Vhope, Yaoi
Visualizações 60
Palavras 1.013
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), LGBT, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Mutilação, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá gente,espero que gostem da história e a forma que ela foi desenvolvida,se caso perceberem a falta de justaposição ou a narrativa embaralhada ou confusa fiquem cientes de que foi proposital para criar um melhor entendimento dos sentimentos da personagem e do que se passa na cabeça da mesma,bem,é só isso e boa leitura.

Capítulo 1 - Capítulo Único


Ele...

Ele era a razão de tudo.Ele era a razão das minhas pinceladas fortes sobre o quadro.Ele era a razão das minhas cores mais vivas.Ele....ele era minha obra-prima.

Assim, sem avisar, Taehyung chegou naquela casa, que para mim, já não possuía mais vida,ou, quando possuía, não passa de mais uma das minhas crises psicóticas, nas quais eu via o que não existia.Porém, ele existia.Era tão real quanto o campo o qual eu retratei em uma de minhas inúmeras telas.Era tão real quanto eu e você.

Nos nossos primeiros dias, não tivemos muito contato por conta de Yoongi,que me dizia que ele estava muito cansado por causa de sua longa viagem, mas eu sabia que não era aquilo, eu sabia que Yoongi queria me afastar dele,pois eu era um pintor compulsivo,com crises psicóticas. Eu era louco e ele não queria que uma pessoa tão normal e perfeita ficasse perto de alguém como eu,mas Yoongi não esperava que nosso próprio convidado viesse até mim. Lembro-me bem deste dia,era um tarde fria de outono, eu pintava a minha quinta tela da semana e então ele chegou por trás, observou a tela na qual eu pintava e disse:

“-Se eu tivesse dinheiro suficiente, eu compraria todas as suas telas, elas são magníficas!”

Ele foi a primeira pessoa que reconhecera minhas pinturas como arte, nem mesmo meu irmão havia reconhecido,mas ele foi diferente.

Eu me apaixonei por seu sorriso, seu carisma, sua inteligência.

Quando o inverno chegou, nós dois estávamos mais próximos, discutíamos sobre o que ocorria no mundo da arte,sobre técnicas de pintura, e ali descobri que Taehyung era um jovem rapaz, estudante de Direito, porém amante da arte, que teve seu sonho de se tornar um pintor tirado de si por seu pai, que dizia que arte era somente para loucos. Pensando um pouco, talvez,naquele momento, eu estivesse concordando com o pai de Taehyung,a arte era para loucos, ou então ela te transformava em um louco, não sei,meus pensamentos estavam muito confusos para eu diferenciar essas duas coisas.A única coisa que consegui diferenciar era as telas nas quais havia pintado e Taehyung.

Por que eu não conseguia? Por que mesmo quase furando a tela eu não conseguia passar meus sentimentos e a perfeição de Taehyung?

Depois da minha 14° tela, na noite mais fria do inverno em Arles, eu surtei, mais um de meus inúmeros surtos, mas esse foi diferente. Eu não apenas surtei e tentei me autodestruir, eu destruí todas as minhas obras-primas, eu destruí todas as telas nas quais retratei Taehyung, ou algo que estivesse ligado a ele.Eu não conseguia olhar para elas, elas estavam imperfeitas, não mereciam existir.Não me lembro bem o que aconteceu após eu jogar uma de minhas garrafas de aguardente e atear fogo, talvez Yoongi tenha me tirado de lá enquanto estava inconsciente, ou, não sei, está tudo muito confuso, a única coisa que sei é que mesmo após meu surto, Taehyung continuou agindo normalmente comigo, como se aquilo nunca tivesse acontecido.Ele até mesmo se dispôs a posar para minhas telas, e ali, eu posso dizer que se começou a primavera em meus dia, a melhor fase de minha vida.

Eu e Taehyung passávamos os dias descobrindo novos lugares, conversando, pintando,e foi naquela primavera que comecei a minha verdadeira obra-prima, aquela na qual eu daria meu sangue, suor e lágrimas se fosse preciso. Para muitos, poderia ser apenas uma tela, pois era apenas um garoto olhando para trás, segurando seu chapéu para que o vento não o levasse enquanto sorria para tudo e todos.Mas para mim, não era apenas uma tela, pois era ele o garoto;era seu sorriso, o qual ele insistia em dizer que era quadrado, mas que para mim, era um dos mais belos sorrisos que já havia visto em minha vida.E assim se passaram primavera e o verão, mas então, o outono chegou,a estação das cores mortas, iguais as que eu usava em minhas telas antes de ele chegar,eas coisas começaram a desandar, até chegarem aqui, no momento em que estou falando.

Tudo começou após uma carta dos pais de Taehyung, na qual eles exigiam que o mesmo voltasse para casa, pois onde estava não era seu lugar.Ele se recusava a voltar de onde veio, eu até mesmo tentei conversar com ele,perguntar se ele realmente estava bem com tudo aquilo, porém ele sempre respondia a mesma coisa:

“-Está tudo bem,Hoseok.”

Eu sabia que não estava tudo bem,mas resolvi não me intrometer, até porque, o que um louco pode fazer em uma situação dessas?

Talvez eu superasse a ida de Taehyung sem aviso algum se fosse somente por este fato, mas não foi, a culpa foi minha.

Ele estava conseguindo se recuperar da briga que havia tido com o pai, quando um dia, enquanto nós conversavamos,por um impulso vindo de minha parte eu me confessei,disse tudo que sentia, que eu o amava mais que minha própria vida. Ele se assustou, que tipo de homem eu era, gostando de outro homem?

Eu tentei argumentar, dizendo que eu não sabia de onde vinha aquele sentimento, e em um ato de desespero ,de querer demonstrar o quão grande era o meu amor, eu peguei a tesoura de jardinagem que estava em cima da mesa, cortei minha orelha e o ofereci,como prova do meu amor.

Yoongi tentou me avisar várias vezes que minha relação com Taehyung,o jeito que o endeusava não era correto e que eu estava ficando cada dia mais louco.Acho que ele percebeu que eu era um caso perdido pois nunca mais ele se quer tentou manter um dialago comigo,além,claro,das formalidades.Penso eu que,assim com Taehyung,ele se cansou de mim pois,algum tempo depois, na mesma porta na qual vi Taehyung entrando sem aviso naquela casa e em minha vida, eu o vi saindo sem aviso daquela casa e, principalmente, da minha vida… era tudo culpa minha… Desculpe-me se você achou que leria algo que terminasse em um final feliz, mas minha história termina assim, comigo definhando de dor e sofrimento após uma tentativa de suicídio com uma bala no peito...sem família, sem amigos e sem ele… 

A cor do meu Outono.


Notas Finais


Bem,foi isso,espero que tenham gostado e se estiver interessado(a) em ler mais fanfics vhope entrem no perfil @HopeInVhope,pois é um projeto super legal(no qual eu estou participando e está fanfic também)que centraliza o shipp vhope,então foi isso.Beijos, chocolates e muitos mv's para vocês :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...