1. Spirit Fanfics >
  2. A coragem >
  3. A coragem

História A coragem - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Minha primeira fanfic, fiquem a vontade para críticas e correções.
Thank you

Capítulo 1 - A coragem


Fanfic / Fanfiction A coragem - Capítulo 1 - A coragem

Pov Crowley

Eu estava animado, peguei meu melhor vinho e fui para a livraria. Não fiquei muito com meu anjo desde o não-apocalispe. Entrei sem nem bater.

-Anjooooo- cantarolei enquanto levantava a garrafa e procurava pelo mesmo.

Não o encontrei então fui para a sala dos fundos. O encontrei quase deitado no sofá, olhando para mim surpreso e logo fechando o livro e se levantando. 

-Querido, que surpresa. O que faz aqui?- ele fala rápido, mexendo em seu anel nervosamente.

-Vim te ver. Você está bem? Parece nervoso, sei lá.- pergunto enquanto me sento no sofá. Me preocupo em não sentar em cima do livro, mas ele sumiu.

- Só fiquei surpreso, não nos vimos muito desde o não-ocorrido.- Ele dá um pequeno sorriso. Tão encantador.

Começamos a conversar e beber,  e logo acabo me esquecendo disso. Se passaram horas e a garrafa já havia sido enchida algumas vezes.

- Ainda não entendo a dificuldade de montar um hambúrguer que eles tem. - Azira diz, fazendo beiço por sua tristeza com os fast foods.

-Como pode ser tão fofo?- pergunto, jamais teria dito enquanto sóbrio, mas não me arrependo, é a mais pura verdade.

-Ora Crowley, não diga bobagens.- O pequeno diz envergonhado olhando para sua taça.

-Ok. Então me diga porque estava nervoso quando eu cheguei. - Olhei pra ele e dei um sorriso que sabia que mexeria com ele.

- Já disse que não estava nervoso. - ele responde, voltando a mexer em seu anel.

- Estava sim.

- Não estava.

- Estava.

- Crowley! - seu tom foi mais elevado, então me lembrei de outro detalhe.

- O que você estava lendo Aziraphael? -perguntei com o sorriso de quem descobre algo.

- U...um ro...mance. - Ele gagueja, incapaz de mentir.

- Não minta para mim Anjo- me levanto do sofá e vou em sua direção devagar, tirando meus óculos para olhar em seus olhos.

-Ora Crowley, deixe isso pra lá, não é nada demais. - ele está nervoso, mas não tira os olhos de mim.

- Se não é nada demais então me diga. - Coloco uma mão em cada braço da poltrona e começo a me abaixar.

-Ok!Ok! Tome.- Aziraphael estrala os dedos e me entrega o livro. Não havia título na capa. O abri e logo no sumário entendi. Era um conto erótico.

- Meu anjo... Que orgulho.- continuo a folhear o livro, de costas para ele, sorrindo de surpresa e certa alegria.

- Mas porque ficou daquele jeito comigo?- Perguntei tirando os olhos do livro e olhando para um anjo envergonhado e com meio rosto tampado por uma mão.

- Eu nunca havia lido um antes. Não sabia que era esse tipo. Já encontrei outros, mas parava assim que percebia, mas por algum motivo esse me prendeu. -  diz o anjo, que havia se levantado e andava de um lado para o outro enquanto falava.

-Anjo- digo olhando para ele, um tanto apreensivo em dizer 

- O que foi? - Ele pergunta um tanto preocupado com o meu tom.

- Este livro tem um detalhe que não tem na maioria dos livros eróticos.

- Qual?

- Realmente não percebeu?- Pergunto chocado.

- Diga logo Crowley. - Ele quase grita, ansioso.

- É sobre dois homens.

Pov Aziraphael

- Tem razão.  - Não acredito. Como não percebi?

-Anjo? Vc está bem?- me sentei no sofá, Crowley se sentou ao meu lado e colocou a mão em meu ombro.

- Agora tudo faz sentido. - Digo olhando nos olhos do ruivo.

-O que anjo?

- Os arrepios que senti, a respiração descompassada, o calor, a curiosidade e ....- Me segurei para não continuar.

-E o que Azi?

- O fato de eu não parar de fantasiar tudo enquanto conversávamos. - Falei sem pensar e sem ligar se iria me arrepender, me prendi por muito tempo, em muitas questões.

-Co..como assim?- Crowley está sem reação.

- Enquanto conversávamos, tudo o que eu li se passava na minha cabeça. Mas não eram os personagens do livro.

Não esperei uma resposta. Segurei sua camisa social e lhe beijei. Logo fui correspondido, suas mãos foram para minha cintura e um leve apertão me fez soltar um pequeno gemido.

- Eu não fiz nada meu anjo ...ainda.- Crowley me puxa pro seu colo e coloca suas mãos por dentro da minha camisa. Após duas garrafas eu já estava apenas de camisa social, o que, agora, veio muito a calhar. Suas mãos eram quentes e suas unhas me arranhavam com a força certa. Meu corpo se arrepiava por completo enquanto eu suspirava de prazer. Senti minha cintura ser apertada novamente, dessa vez de forma mais bruta e forte, que com certeza deixaria marcas. Solto um gemido alto, quase um grito. Para minha tristeza Crowley tirar suas mãos da minha pele e segura meu rosto.

- Desculpe anjo, não devia ir tão rápido. -  ele me olha preocupado. Eu o puxo pelos cabelos e o beijo com mais vontade, pedindo passagem, que é dada na hora. 

Vou com beijos em direção ao seu ouvido e digo quase em um sussurro:

-Vem com tudo.- Quando digo isso, mordo seu lóbulo e rebolo de leve no seu colo. Um gemido escapa da sua boca e sei que posso continuar. 

Continuo rebolando enquanto beijo e mordo seu pescoço.

-A... Aziraphael- Ele chama em meio a gemidos.

- Sim querido.

- Precisamos de um quarto.

Pov off

Com um estalar de dedos, anjo e demônio estão na cama de Aziraphael. O demônio aperta a cintura do amado mais uma vez e aproveita do seu momento de fraqueza para mudar as posições.

- Quer mesmo que eu vá com tudo?- Crowley pergunta em meio as pernas de Aziraphael, com seus rostos bem próximos.

- Sim. - O loiro responde, com os olhos implorando por tudo.

- Ok, se não quiser oq vou fazer é só dizer.- O ruivo estala os dedos. Aziraphael se assusta ao sentir suas mãos sendo presas à cabeceira da cama, mas sorri ao entender o que o outro pretende.

Crowley sorri e desabotoa a camisa, a jogando no chão. Pelo grande desejo de sentir a pele do menor, estala os dedos e consegue ver o tronco branco a baixo de si. As marcas de seus apertões estão levemente visíveis e o fazem sorrir maliciosamente.

Ele se abaixa e começa a distribuir beijos, mordidas e chupões em seu corpo. O Anjo se contorce e geme, perdendo o ar e prendendo suas pernas em volta do demônio.

- Você já está bem animado meu anjo.- Crowley diz enquanto massageia  a ereção de Aziraphael, arrancando gemidos ainda mais altos de sua boca. 

- Cr... Cro... Crowley...- o anjo chama por seu demônio, enquanto seus olhos pedem aquilo que o outro sabe o que é.

- Implore.- O ruivo agora coloca a mão por dentro de sua calça e fala em seu ouvido.

- Crowley....- Aziraphael choraminga ao ser torturado com aquele movimento devagar demais.

- Implore.

- Me chupe... Por favor.- Azi consegue dizer, ainda que baixo, com muita necessidade.

Crowley se arrepia inteiro. Não esperava isso. Não de primeira. Mas logo desceu até sua calça e a tirou, dessa vez sem milagre, queria o suspense. 

Após tirar a calça, o demônio ainda via a chance de mexer mais com seu anjinho.

Se abaixou até sua coxa, a segurou, deu beijos e então a mordeu com força, deixando mais marcas. O pequeno agarrou as barras da cabeceira e gritou de prazer. E então perdeu o ar. Quando olhou para baixo, Crowley lambia seu membro por cima de sua cueca branca.

Era uma visão. Os olhos amarelos os encaravam com desejo, a língua bifurcada subia e descia em seu membro e as mãos quentes não abandonaram suas coxas.

- E-eu j-já implorei.

- Eu sei- Crowley sorri, e num movimento rápido, abaixa sua cueca e abocanha seu membro.

- Oh céus- Azi joga sua cabeça para trás e busca o ar perdido.

Os lábios do demônio começam a subir e descer devagar.

- Me solte, por favor. Preciso fazer uma coisa. - O anjo pede. Crowley percebe que mesmo podendo se soltar, seu anjinho era obediente e o pediu permissão. O soltou, estava curioso. Logo voltando a chupa-lo com vontade.

Aziraphael geme alto, enquanto se apoia nos cotovelos e coloca sua mão nos cabelos de Crowley. Suas mãos puxam levemente seu cabelo, enquanto se segura para não fazê-lo.

- Faça o que quiser anjo. - Crowley diz, masturbando o anjo e olhando em seus olhos. Aziraphael não se segura quando sente seu membro ser chupado de forma lenta. Agarra os cabelos ruivos e começa a ditar a velocidade. O demônio não diz nada, apenas começa a gemer junto do anjo, estava se tocando. Azi começa a perceber um calor forte dentro de si, estava perto. 

Puxou o demônio para cima, o beijou e começou a masturba-lo. Crowley entendeu e fez o mesmo. Logo o ar faltou, e ambos gemiam olhando e chamando um pelo outro.

Aziraphael goza primeiro, arranhado as costas de Crowley e mordendo os próprios lábios. Assim que terminou, ficou por cima de Crowley e começou a chupa-lo. O demônio não acreditou no que via. O anjo o chupava com vontade, colocando tudo na boca, lambendo, beijando e alternando perfeitamente com a mão. 

- Anjo...eu vou...-  E gozou, enquanto segurava os cachos do loiro e os lençóis. Quando olhou para baixo, viu o menor limpando o canto da boca. Ele havia engolido.

- O que foi?- Aziraphael pergunta olhando para Crowley enquanto deita em seu peito.

- Nada, só não sabia desse seu lado safado.- Crowley o provoca, sorrindo ao final.

- Fique quieto.- responde o anjo, afundabdo em seu colo para logo dormir, junto do demônio.


Notas Finais


É isso, espero que tenham gostado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...