1. Spirit Fanfics >
  2. A Corça Prateada- Harmione >
  3. Capitulo 15

História A Corça Prateada- Harmione - Capítulo 15


Escrita por:


Notas do Autor


Gente, capítulo novo, espero que gostem!

Capítulo 15 - Capitulo 15


Fanfic / Fanfiction A Corça Prateada- Harmione - Capítulo 15 - Capitulo 15

O sol invadiu a casa dos Granger Potter, iluminando o quarto casal, Hermione despertou facilmente, ela mal havia conseguido dormi, não via a hora do sol nascer, mas ainda assim, se recusou por minutos a sair da cama. Harry ainda estava adormecido, ele ainda estava com os braços em volta dela, ele sempre dormia desse modo, como se tivesse medo de perde-la durante o sono, até mesmo Bichento ainda dormia próximo ao pé dela. Hermione suspirou, não queria sair dali, mas precisava, tinha que saber, não aguentaria mais por nenhum dia essa dúvida e afinal ela já havia avisado no ministério que talvez não fosse ao trabalho.

Delicadamente, sem acordar Harry ou Bichento, ela saiu da cama e foi para o banheiro, despiu sua camiseta e o short que usava, recusou-se a se olhar no espelho, ela tomou um banho rápido, no entanto enquanto se secava, seu olhar parou no espelho e sem conseguir evitar, deixou que a toalha caísse e viu o reflexo do seu próprio corpo despido. Não havia como negar, além de sua menstruação estar atrasada , seus seios estavam um pouco maiores e sim já havia uma pequena protuberância em sua barriga. Ela fechou os olhos, suspirou e levou uma das mãos ao ventre.

-Será? –ela sussurrou.

Ela e Harry já haviam conversado há menos de um mês atrás sobre filhos, já haviam feito um pouco mais de um ano de casados e Harry tocou no assunto, depois de longas conversas, eles decidiram juntos que estava na hora. No entanto, Hermione pensou que demoraria muito mais do que um mês para que ela engravidasse de fato, ela pensou que poderia durar anos até, pois conhecia pessoas que estavam tentando engravidar há bastante tempo e não conseguiam e chegavam ao ponto de tomar poções que as ajudariam a ter um filho.

Era verdade que ela e Harry treinavam bastante, e era verdade também que Hermione sabia que se ela realmente estivesse grávida, esse bebê havia sido gerado antes da conversa com Harry. Mas não podia ser, sim ela havia esquecido de fazer o feitiço contraceptivo uma vez, mas uma vez não seria o suficiente, não é ?

-O que eu estou pensando? É claro que seria o suficiente!

Hermione recordou-se de quando ela disse que Gina poderia estar grávida, pois estava com todos os sintomas, a ruiva se negou a acreditar que havia engravidado, no entanto ela estava, Gina ficou desesperada e apressou seu casamento com Draco para Molly não desconfiar que ela havia engravidado antes de casar. Agora Gina está no 4 mês de gestação.

Ela saiu do banheiro, se vestiu as pressas, pegou sua varinha e desceu para sala da antiga casa dos Black pronta para sair e então parou, não iria aparatar, não podia, se ela realmente estivesse esperando um filho não poderia aparatar, se recusava, e se desse algo errado? e se ela acabasse estrunchando e machucando seu filho ? Hermione olhou em volta, e achou o que procurava, as chaves do carro que ela e Harry haviam comprado, eles quase nunca o usavam, apenas quando iam buscar o pequeno Ted para passear. Ela pegou as chaves e saiu de casa.

No auge da aflição e desespero, Hermione sucumbiu a suas origens trouxas, e resolveu fazer um teste de sangue, o resultado ficaria pronto em cerca de uma hora, nesse meio tempo, ela resolveu parar na Starbucks para comer algo e então voltou para o laboratório. Ela pegou seu teste e entrou no carro,quase correndo, e ficou encarando o envelope.

Aquele envelope poderia mudar a vida dela para sempre. Hermione relutou, mas decidiu por abri-lo logo, com as mãos trêmulas, ela abriu o envelope, ela não leu mais nada que havia sido escrito ali, pois seus olhos pararam imediatamente nas letras em negrito:

TESTE BHCG: POSITIVO

O ar lhe faltou, ela não conseguia respirar. Levou as mãos à boca, incrédula e então seus olhos se encheram de lágrimas, não havia mais dúvida, estava grávida, esperava um filho. Então o desespero lhe invadiu, uma vida se gerava dentro dela, em poucos meses essa vida viria ao mundo e precisaria dela para praticamente tudo. Merlin, como ela seria mãe?

Hermione repousou a mão livre em seu próprio ventre, era a primeira vez que ela tocava em sua barriga tendo certeza que carregava um filho, ela acariciou o local. Não poderia falhar com essa criança, Mione estava com medo do que viria pela frente, estava com medo de ser menos do que perfeita, estava com medo de falhar.

Ela olhou no relógio de pulso, marcava um pouco mais do que 7:30 da manhã, ela sabia que Harry ainda não havia saído para o trabalho, então ela dirigiu, ainda anestesiada com a notícia, para casa.

Ao entrar na antiga casa dos Black, ela andou lentamente até a sala, tentando encontrar as palavras certas para dizer ao Harry, ela criou todo um dialogo na cabeça, mas quando finalmente chegou a sala, ela não se aguentou e chamou:

-Harry? –sua voz saiu chorosa, mas alta o suficiente para que qualquer pessoa do andar de cima ouvisse.

Ela esperou alguns segundos, segundos que pra ela duraram uma eternidade. Hermione já estava quase desmaiando de nervoso quando Harry apareceu com a varinha em punho, todo molhado, com apenas uma toalha enrolada em sua cintura. Hermione o olhou de cima abaixo e soltou um risinho fraco.

- você me assustou! Pensei que tivesse te acontecido algo –ele disse abaixando a varinha –Você nunca esquece nada em casa, porque voltou?

Ela respirou fundo.

- Tenho algo que preciso lhe contar.

Harry franziu o cenho, ele nunca a tinha visto desse jeito, tão preocupada e ansiosa. Hermione estendeu as duas mãos para ele, e Potter as segurou. A morena olhou para suas mãos entrelaçadas e sorriu, ela havia preparado um discurso, havia escolhido as palavras, mas ao olhar para o verde vivo dos olhos dele, a única coisa que ela conseguiu falar fora:

-Harry, você perdeu o título de último Potter.

O Moreno a olhou confuso por uns instantes até que arregalou os olhos e olhou para o ventre da esposa e em seguida para o rosto dela, onde encontrou os olhos castanhos marejados de lágrimas que ela lutava para conter. Hermione apenas afirmou com a cabeça sem dizer uma palavra.

Merlin, Harry estava estupefato, queria carregar ela no colo e a girar pela casa, queria dizer que a amava e que era o bruxo mais feliz do universo. Mas não conseguiu emitir nenhum som, então sem aviso, lágrimas rolaram pelo seu rosto e ele precisou se sentar no sofá mais próximo onde desatou a chorar. Era um sonho que se realizava, um sonho que ele chegou a pensar que jamais poderia ter. Inevitavelmente, ele se recordou do dia que teve que dar adeus para ela, adeus para os desejos mais profundos do coração dele e se entregar para morte. E agora ele estava ali, vivo, casado com a mulher que amava e seria pai.

Hermione, sentou ao seu lado e segurou as mãos dele, ela ainda estava aflita, mas segurou suas lágrimas.

- Me desculpe... Você não tem ideia do quanto eu estou feliz é só que... –ele soluçou e colocou uma das mãos sobre o ventre de Hermione –eu nunca imaginei que fosse demorar muito tempo vivo, muito menos ter uma família e agora vamos ter um filho... Eu tenho medo de que tudo isso seja um sonho, tenho receio de acordar e perceber que ainda estamos caçando as Horcruxes ou que ainda moro em um armário sob a escada.

As lágrimas que ela havia segurado desde do inicio do dia, rolaram pelo seu rosto e ela só o abraçou forte e tascou um beijo no rosto dele.

- Vamos ter um bebê –foi a única coisa que ela conseguiu dizer.

- Sim, vamos –ele enxugou as lágrimas e lhe deu um enorme sorriso- Vamos ter que nos mudar também, não quero que nosso filho cresça ouvindo a mãe de Sirius gritar insultos. Eu gostaria que nosso filho crescesse em um lugar tipo a Toca, sabe? Onde ele pode brincar livremente e jogar quadribol com os outros irmãos que ele vai ter.

O sorriso de Hermione vacilou, como assim outros irmãos? Ela já estava desesperada com a ideia de ser mãe de uma criança, imagina se houver outras.

- Estou grávida de 4 semanas e você já está pensando em ter outros filhos, Potter?

Harry sorriu e a beijou, ele a amava tanto e nesse momento se deu conta do quanto já amava aquela criança que ele tinha acabado de descobrir há existência.

- Temos que contar aos seus pais e aos Weasley e aproveitamos para ver se tem alguma casa para vender ali por perto

- Vamos contar a eles sim e concordo em relação à casa.

- E quanto outros filhos? – Harry brincou

Hermione lhe lançou um olhar letal.

Harry riu, e se ajoelhou em frente a ela e levantou a sua blusa, deixando a barriga pequena da morena exposta. Acariciou o ventre dela e o beijou.

-hm.. filho ou filha, quem tá falando é o seu papai. Eu e a sua mamãe te amamos muito e estamos malucos para te pegar no colo e sentir seu cheirinho. Mas por enquanto, fique tranquilo aí na barriga da mamãe que o seu papai vai tá aqui fora pra não deixar nada de ruim acontecer com vocês! 


Hermione sorriu com a cena, ela não tinha porque ter medo, ela e Harry já haviam sobrevivido uma guerra, ser mãe não deveria ser tão difícil e assustador assim, e se fosse, ela sabia que teria Harry e que ele a ajudaria no que fosse preciso.


Notas Finais


Gente, na minha antiga conta, eu havia postado a primeira fic da minha vida, chamada "Harry você não é o último, Potter". Eu havia feito aquela fic inteiramente na visão do Harry, hoje escrevi ela na visão da Hermione, espero que vocês tenham gostado! Me contem aqui o que acharam!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...