História A Coroa e o Fogo - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Capricórnio, Gajeel Redfox, Jude Heartfilia, Layla Heartfilia, Lucy Heartfilia, Makarov Dreyar, Michelle Lobster, Natsu Dragneel
Tags Cana, Fairy Tail, Gajeel Redfox, Gale, Gray Fullbuster, Gruvia, Juvia Lockser, Lami, Laxus, Levy Mcgarden, Lisanna, Lucy Heartfilia, Mirajane, Nalu, Natsu Dragneel
Visualizações 75
Palavras 1.151
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Survival, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Ei ei, voltei S2
Vamos a mais um capítulo huehue...

Boa leitura! Divirta-se ~♡

Capítulo 4 - As Ruínas de Woodland -part. 01


Fanfic / Fanfiction A Coroa e o Fogo - Capítulo 4 - As Ruínas de Woodland -part. 01

Pov. Natsu

Dois anos depois que o rei Porla invadiu Konzern, Natsu continuava vivo e trabalhando no castelo, disfarçado de criado.

Hoje, ele está com Gray e Mirajane ajudando levar grandes sacos de farinha para a cozinha.

(Gabi: "Mirajane adotou Gray como seu filho. O mesmo caso sobre Natsu ser filho dela, que apareceu no capítulo anterior 》só que la eles estao sem nome《. A diferença é que Gray é tratado como filho desde pequeno.")

Natsu: Tudo isso só para jantar hoje à noite? Estamos levando comida suficiente para uma semana!

Gray: Calado. Estamos cozinhando em dobro. Outro batalhão de soldados chegou a Konzern na noite passada e nós temos que alimentar todos eles.

Mirajane: O rei Porla obriga quase todas as pessoas fisicamente capazes nos Cinco Reinos a fazer parte de seu exército. Não é de admirar que estejamos transbordando de soldados.

Natsu: Outro batalhão... Eu tenho que descobrir o que está acontecendo e mandar uma mensagem para Lucy.

Mirajane: Silêncio! Há soldados à frente! Você quer que eles te escutem?

Mais a frente no corredor, uma mulher morena está nervosa discutindo com um soldado.

-Eu não vou tolerar outro erro! O Príncipe Gajeel foi muito brando com você. Por mim você estaria morto, idiota!

Soldado de Porla: Todos os soldados no quartel estaram prontos para inspeção dentro de uma hora. Eu prometo.

Gray: Não vemos isso todos os dias. Eu me pergunto quem ela é.

Natsu: Eu acho que ela deve ser... Uma oficial militar, ou a queridinha do Gajeel.

Mesmo sem armadura ou armas, a mulher esbanjava certo ar de superioridade. Certeza de que ela é uma peça importante para Porla.

Mirajane: Chega de fofoca, vocês dois. Temos trabalho a fazer!

De volta à cozinha.

Mirajane: Meu Deus, eles querem carne de veado no jantar... Espero que tenhamos o suficiente.

Gray: Sim, e é melhor nos apressarmos com isso. Minhas costas ainda não terminaram de se curar da minha última chicotada.

Os três cortavam, picavam e salgavam todo tipo de comida que encontravam, desde restou de carne de veado, até pedaços de pão velho que usavam como torradas para o caldo da sopa. Gray passava próximo da janela quando ouviu bicadas no vidro da mesma.

Gray foi até a janela e a abriu.

Gray: o passarinho está de volta!

Natsu: Eu já disse! O nome dele é Happy.

Happy: Prrr!

Natsu cortou um pequeno pedaço de carne e deu a Happy, que comeu da mão do rapaz.

Happy olhava ansiosamente para o céu.

Natsu: Ainda não, meu amigo. Quando tivermos notícias para a Lucy, vou mandá-lo para lá.

Happy: Brrt!

Gray: Seu passarinho é tão apressado quanto você, Natsu.

Natsu: E daí? Ele é muito sortudo. Ele consegue voar para longe deste lugar...

E ele vai poder ver a Lucy de novo muito antes de mim.


Pov. Lucy

Lucy estava morando em um mosteiro escondido nas montanhas em meio as ruínas de uma antiga cidade. Capricorn e mais onze monges sagrados dirigiam o mosteiro.

Quando outra manhã chega, ela se levanta e vai para a colina buscar água, depois volta para o mosteiro.

Ela coloca dois grandes baldes na frente de Capricorn e um dos monges.

Capricorn: Olhe para você. Houve um tempo em que carregar apenas um balde deixava você sem fôlego.

Lucy: Eu era uma garota do castelo naquela época.

Pisces: Agora você é algo mais forte. Por que você se esforça? A maioria das rainhas deixaria o trabalho duro para os outros.

Lucy: A maioria das rainhas moram em castelos e estão cercadas de mimos e servos.

Pisces: Boa resposta. Você está pronta para treinar com Crux agora?

Lucy: Estou sempre pronta.

O monge gesticula para que ela escolha sua arma pendurada em uma prateleira na parede. Depois de pegar seu chicote preferido, Lucy observa um velho barbudo de túnica e capuz sentado no chão cochilando.

Lucy: ESSE É CRUX? COMO VOU LUTAR COM ESSA COISA DORMINDO?!

Aquela pessoa encapuzada suspirou, levantou-se do chão, foi lentamente até a patreleira de armas e pegou uma espada com lâmina em ambas extremidades.

Lucy: Huh? Quando vou poder usar uma dessa?

Crux: Somente os monges mais habilitados podem usar a arma sagrada. Você ainda não está pronto para isso.

Lucy dá de ombros. Estrala seu chicote no chão pronta para atacar.

É mais que suficiente para esse aprendiz de monge.

Lucy: Eu vou lutar com isso.

Pisces: Vamos começar.

Crux salta com um pulo assustando Lucy, assumindo uma postura firme e ampla. Ele dá um aperto em sua "lança" e olha a arma na mão da garota.

Seu rosto flácido quase sugere um sorriso.

Então a lâmina corta o ar muito próximo do rosto da princesa. Por impulso ela consegue desviar o ataque para o lado com o cabo do seu chicote, empurrando-o para longe.

No momento que ela se distraiu preparando um novo golpe com o chicote, o velho então lança o corpo na direção dela novamente, a agarrando pela garganta. Ele a empurra para cima, levantando seus pés do chão e a segurando no ar na frente dele.

Lucy: Hfff...

Pisces e Capricorn riem. Pieces se aproxima.

Pisces: Você luta bem garota. Mas, em última análise, juventude e paixão não podem combater experiência e disciplina. Você foi derrotada.

Lucy tentava a todo custo fugir do aperto do velho Crux, estava quase desmaiando quando percebeu que ele havia deixado o estômago desprotegido.

Eu deveria chutá-lo?

Ela precisa mostrar que estava preparada para a guerra, por isso, reuniu a força que restava e chutou aquele ponto indefeso do oponente. A barriga.

Crux: Hfff!

O velho suga a respiração com dificuldade e a deixa cair. Em seguida se curva no chão. 

Pisces agora olhava Lucy sério. 

Pisces: Não é um dos movimentos que treinamos no mosteiro. Mas foi muito bom.

Lucy: Espere. Vamos continuar!

Ela se levanta com as pernas um pouco trêmulas.

Pisces: Não. Chega por hoje.

Pisces indica o fim da luta.

Pisces: Você lutou bem. Meus irmãos e eu teremos orgulho de te seguir para a batalha quando chegar a hora.

Lucy: Obrigada.

O monge se levanta e sai, seguido do velho Crux. Capricorn se vira para a garota.

Capricorn: Você impressionou os monges sagrados de Woodland. Há 12 deles mais os seus aprendizes, vamos precisar de todos na próxima batalha para recuperar Konzern. Seu exército está crescendo, Lucy.

Lucy: Vai crescer ainda mais rápido quando deixarmos as Ruínas de Woodland.

Capricorn: Paciência, minha rainha.

Lucy: Paciência? Tudo o que fiz foi esperar e carregar baldes de água. Eu passo o dia todo assistindo o céu a espera do falcão de Natsu.

Capricorn: Se ele mandar seu bichinho para nós com muita frequência, ele vai ser suspeito.

Lucy: Eu sei. É só que... sinto falta dele. Eu sei que você não aprova, mas...

Capricorn: Eu entendo. Ele era um verdadeiro amigo para você, minha rainha. E podemos usar quantos amigos conseguirmos.

Lucy: E se o rei Porla tiver matado Natsu? Afinal, ele está se escondendo no castelo... e está secretamente me ajudando.

Capricorn: Porla é um homem cruel. Mas Natsu é esperto. Ele estará seguro até que chegue a hora de atacar. Antes de podermos fazer qualquer coisa para recuperar Konzern, precisaremos de uma oportunidade. Nós... Espera. Você ouviu isso?

Lucy: Ouvi o que?

Antes que Lucy pudesse dizer outra coisa, Capricorn sacode uma adaga e lança-a nas sombras... um homem grita.

-Agh!

Capricorn: Batedores de Porla! 


Notas Finais


E aí? O que acharam?
Então... ficou meio confuso Gray e Mira aparecer do nada mas é que eu ainda estava decidindo que personagens colocar ali... enfim, espero que tenha dado para compreender kkkkkk

Desculpe erros! T_T
XOXO estrelinhas ~☆


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...