1. Spirit Fanfics >
  2. A Corte Solar - Azriel >
  3. Todos merecemos amor

História A Corte Solar - Azriel - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Um bem longo.

Capítulo 6 - Todos merecemos amor


Fanfic / Fanfiction A Corte Solar - Azriel - Capítulo 6 - Todos merecemos amor


Tudo parecia bem, bem demais para ser normal. Depois que Kyan virou general, nos acabamos nos aproximando. Ele virou mesmo parte do círculo íntimo. O Airon e ele apenas continuam arranjando algo para discutir um com o outro, acho que esse é o tipo de amizade deles.


Mas bom, se as coisas estão boas assim, quem sou eu para falar algo.


■●■


- Bom dia Airon, tudo certo por Solaria?_ perguntei me sentando para o café 


- Sim, nenhum problema Lia._ Kyan e Marco entram 


- Bom dia família!!!_ Kyan sorriu e sentou 


- Há_ Airon zombou_ sempre tão escandaloso.


Olhei para Marco que sentou já prevendo o que aconteceria.


- Parece que você está animado querido_ Kyan sorriu de lado para Airon._ já quer começar cedo?


- Me chame de querido mais uma vez e eu...


- O que vai fazer, querido?_ Kyan sorriu inocentemente.


Podia ver os pequenos estalos em volta de Airon, já estava em volta dos braços dele também, como tatuagens, então escolhi o momento para interromper.


- Então Marco, Kyan, como estão o exército lunar e Solariano?


- Está tudo certo com os solarianos_ Marco disse._ eles estão evoluindo muito bem nas lutas, com e sem as asas.


Um fato curioso sobre os solarianos e os lunares é que ambos tem asas que podem convocar quando querem. A diferença é que enquanto as asas dos solarianos são claras como raios de sol, as dos lunares são escuras como a noite.


- Os lunares também estão indo bem, um pouco de dificuldade com o controle de sua própria magia, mas nada impossível, logo eles vão dominar._Kyan


- É bom saber que está tudo bem, vocês são incríveis.


- Nós sabemos_ Airon disse e riu


- Você deveria ser tão narcisista?_ Kyan franziu a testa 


- As vezes gosto de me lembrar que ainda faço coisas boas._ ele falou simples, mas senti meu coração apertar.


No final das contas, ainda não sabíamos dos segredos de ambos, o que Airon passou no acampamento mesmo, só eu e Marco sabemos, Mazna apenas soube que ele era poderoso e foi recrutado.


- É bom ver que estão animados, mas chego com notícias, uma boa e uma ruim, qual primeiro?


- A ruim?_ Marco perguntou em dúvida 


- A ruim é que os grao senhores entraram em contato finalmente, querem reunir todos para descobrirem de uma vez quem é a Grã senhora dessa corte desconhecida por eles._ suspirei 


Já era de se imaginar. Na verdade acho até que eles demoraram demais. Talvez o fato de quererem ter todos juntos foi o que os fez demorar para entrar em contato 


- A boa?_ Kyan perguntou


- É que ainda temos uns dias para nós prepararmos para isto, se a nossa senhora concordar com o encontro.


Eu estava um pouco apreensiva, e sabia que eles podiam ver isso. É óbvio que não será fácil a descoberta de uma nova corte que esteve apagada e uma grã senhora no comando, mas não seria eu a fraquejar agora.


- Aceitaremos, não adianta adiar, deve acontecer logo, e precisamos de aliados, não podemos deixar que vejam a corte solar como uma inimiga._ eles me olharam preocupados._ não me olhem assim, estou bem, enfrentarei eles de cabeça levantada...e com uma adaga no vestido.


- Assim que se fala Lia._ Mazna 


- Responderei a eles logo após o café confirmando, avisaram onde será?


- Na Corte Diurna, em uma semana.


- Grã senhor Helion então._ Mazna sorriu 


- Um belo homem se os rumores estão corretos.


- Pelo caldeirão Mazna._ Airon a olhou indignado_ devo me preocupar com você em cima do Senhor da Diurna?


- Por que macho elétrico?_ Mazna sorriu maliciosa_ ciumes?


- Me poupe Mazna._ ele sorriu


- Vocês poderiam flertar em outro momento._ Kyan disse 


Olhei para ele. Ele estava sério. Os outros não estavam tão diferentes apesar de tentarem.


- Confiem em mim, lutarei por essa corte com minha espada na mal até o ultimo momento. Nada acontecerá.


- Nós sabemos minha senhora_ Marco sorriu_ e você sabe Lia, não estará sozinha. Sempre lutaremos ao seu lado.


- Sei disso, sou grata por ter todos em minha vida, mas Airon, precisarei que fique aqui no dia da reunião.


- O que? Por que?_ ele questionou indignado_ não vou ficar para trás.


- Não vai, apenas preciso que esteja em Solaria caso tenha algum problema, não podemos todos ir para reunião e deixar nossa corte sem proteção. Não sei se podemos confiar nestes senhores, e você é um dos mais fortes, e mesmo que a barreira que coloquei seja forte e mantenha a localização de Solaria apagada para quem procura, é bom prevenir, me entende?


- Sim_ ele suspirou_ sim eu entendo.


- Não se preocupe querido_ Kyan sorriu_ficara tudo bem.


Airon deu um choque nele.


■●■


O clima estava um pouco tenso em casa. Todos estavam se preparando para lidar com os diversos imprevistos que poderiam ocorrer. Eu estava com medo, não nego a verdade a mim mesma. 


Ultimamente estava pensando mais sobre aquelas pessoas que deixei. O que aconteceu com eles quando vim embora. Os únicos que sabem que já fui humana são Marco e Mazna, mesmo assim, nunca contei como era minha vida humana com eles, mas acho que Marco desconfia, pelo estado em que me achou na floresta.


Eu sabia que a muralha não existia mais. O senhor da primavera entretanto deve proteger a fronteira.


- Mazna_ ela me olhou_ vou dar uma volta, quero algumas flores.


- Flores? Onde?


- Na primaveril. Devem existir flores belas lá não é?_ sorri inocentemente.


- Lia, pode ser perigoso, você ouviu sobre o Grão Senhor da primaveril.


- Eu sei, mas tomarei cuidado, preciso apenas verificar algo._ ela hesitou 


- Me chamará se algo der errado? 


- Eu prometo.


■●■ 


Eu tinha atravessado e estava na fronteira entre Pryntian e as terras humanas. Se alguém me visse aqui poderia tomar conclusões precipitadas. Não quero causar uma guerra. Só precisava ver, aquela parte humana de onde vim, onde fui tratada como indigna de qualquer necessidade humana.


Peguei algumas flores selvagens que estavam ao redor. "Na verdade, não sou boa com plantas." pensei.


O que eu estou fazendo afinal. Está certo, o nervoso sobre a reunião com os senhores está me afetando até demais.


Estava indo embora quando ouvi um grunhido vindo da floresta. Parte de mim quis ir embora, isso poderia ser um problema. Mas foi quando ouvi um choramingar que resolvi ir até o animal.


Fui andando em direção ao som, e achei um grande felino com chifres. Ele tinha o pescoço de um servo em sua boca. Já estava morto.


- Então, é isso que dá ser curiosa._ foi o que eu disse enquanto a fera corria em minha direção. Fiz um escudo em minha volta e o felino bateu nele. Não aguentei e comecei a rir.


Acho que isso o estressou mais ainda, já que ele continuou chutando e passando as garras na barreira.


- Tudo bem, se acalme, não quero problemas gatinho._ o felino parou de atacar lançando um olhar como de indignado a ser chamado de tal forma._ o que? Você de certa forma é um gato.


Pelo visto ele me entende.


- Olha, eu não quero confusão ok?_ ele ficou parado me encarando._ eu só acabei errando na hora de atravessar_ a mentira saiu fácil_ eu ia embora, mas escutei um barulho e fiquei curiosa. Péssima decisão.


Ele me olhou como se concordasse.


- Então, vou abaixar a barreira e você não vai me atacar, certo?_ ele ficou parado_ bata na barreira se concorda_ ele bateu.


Assim que abaixei a barreira...ele pulou em mim.


- Seu mentiroso de merda_ usei minha magia e o mandei pra longe. Só que devo ter exagerado já que ele bateu em uma árvore bem forte._ pela mãe


Fui em sua direção e ele me olhou como se fosse me matar.


- Não me olhe assim a culpa foi toda sua. Deixe me ver se quebrou algo._ passei a mão pela suas costas_ parece que está bem.


Quando eu ia me afastar ele colocou a cabeça no meu colo me derrubando. Encarei abismada.


- Você quer que eu faça carinho?_ ele balançou a cabeça._ Ok, você é mesmo um gatinho não é?_ comecei a passar a mão pelo seu pelo.


Eu não deveria fazer isso. Não deveria confiar nele. Afinal todos sabem o que o Grão Senhor da primavera fez. Mas naquele momento vulnerável, que ele pediu carinho come se implorasse por qualquer contato humano que não fosse hostil, me lembrou de mim mesma.


Um tempo em que desejei qualquer carinho, um sinal de que ainda habita coisas boas por aí. E por me ver nele...


- Sabe, eu ouvi muitas coisas ruins sobre o Grão Senhor desta corte, realmente coisas que perdão não resolvem, mas se ele ao menos se reerguer e ajudar os cidadãos desta corte que ainda vivem aqui, e fazer com que os antigos voltem, ter a confiança deles novamente, a situação deve melhorar. Amor demais é um problema fera. O grão senhor desta terra e a alta dama da noite, não foram feitos para ficar juntos. Isso não quer dizer que eles não tem um caminho para viver. A senhora da noite já vive o dela, amando e feliz. Mas e o senhor da primavera? Ele deixará tudo de lado por esse amor que ele mesmo destruiu?


Me afastei dele e comecei a caminhar, ele me seguiu.


- Não me entenda mal, mas devo voltar para casa agora. Volte com cuidado para sua gatinho, não seja pego desprevenido.


Atravessei 


- Você está bem?_ Kyan me pegou me analisando da cabeça aos pés_ graças a mãe. Ela não está ferida!


- O que estava pensando indo até a primaveril, ainda sozinha???_ Airon disse me abraçando 


- Mazna nós falou que você foi_ Marco_ sei que é forte e teve seus motivos, mas nós preocupamos com você, somos uma família.


- Sim, sim eu sei. Me desculpem._ Abracei todos de volta_ ficou tudo bem, mas eu acabei encontrando o Grão Senhor Tamlin em sua forma bestial.


Todos ficaram em silêncio.


- E as flores?_Mazna 


■●■


Eu tinha explicado tudo que aconteceu a eles na primaveril. E cheguei a uma conclusão, essas pessoas são minha família, minha verdadeira família. Iria contar a verdade pra eles, sobre mim.


Chamei todos para jantar e disse que tinha algo para conversarmos. Estamos todos reunidos na mesa, eles me olhavam esperando meu momento para falar.


- Eu pensei muito sobre isso. Vocês são minha família, mas não sou totalmente honesta sobre minha vida com vocês, e sei que vocês não vão me pressionar a falar sobre isso, mas não quero que saibam a verdade.


Eles continuaram em silêncio me ouvindo.


- Eu era humana._Airon e Kyan foram os únicos verdadeiramente chocados_ eu vivia em uma cabana nas terras humanas até Marco aparecer e me falar que eu deveria vir a Corte Solar. Virei grã feerica graças a barreira em volta de Solaria. Quando o senhor morreu, fez de mim sua herdeira, e recebi seus poderes, mas quando a barreira se rompeu, todo poder que ela absorveu veio para mim, isso que me transformou. Concordamos que não seria bom que as pessoas de fora soubessem que fui feita, já que não fui feita como A grã senhora da noite ou suas irmãs._ Eles ficaram em silêncio e eu respeitei seu tempo.


- Você está feliz?_ Airon perguntou_ você...era feliz?


Não, não era. Tive a confirmação disso quando olhei para as terras de onde vim. Tive certeza de que esse é meu caminho a partir de agora. Não iria retroceder.


- Quando Marco me disse para vir, eu estava fugindo. Minha família nunca foi realmente boa comigo. Eu era a filha bastarda, meu..pai, traiu a mulher dele com minha mãe, mas minha mãe acabou grávida de mim. Não estava nos planos do meu pai, no final de tudo minha mãe me teve, mas morreu no parto, então me levaram para meu pai que era casado e estava com o filho de dois anos. Eu não fui parte daquela família, eu fiquei trancada a infância toda, sofrendo nas mãos da minha madrasta e meu meio irmão, meu pai nunca os impediu. Nunca tinha sido tão grave quando apanhar ou ficar presa mas...


- Isso é grave!_ Airon disse mostrando a óbvia raiva. Continuei 


- Voltei para casa um dia e descobri que tinha sido vendida para um velho asqueroso e_ comecei a chorar_ eu tive medo, muito medo. Então foi naquele dia que fui embora, sem ninguém me ver, entrei na floresta, porque sabia que eles iam me procurar. Foi nesse dia, naquela noite que conheci Marco, e não pensei duas vezes em vir com ele. Jamais irei me arrepender dessa decisão, porque foi assim que conheci vocês, minha verdadeira família.


Kyan se levantou e veio em minha direção, ele me levantou da cadeira e enxugou minhas lágrimas me abraçando forte.


- Zaliah, você é forte, a fêmea mais forte que já conheci, estarei sempre ao seu lado, como irmão, amigo e protetor.


- Somos uma família, você nós fez uma, e eu nunca estive tão feliz e aceita em minha vida._Mazna me abraçou 


- Eu sabia que deveria ter algo de errado com seus parentes de sangue, mas não achei que_ Marco parou e respirou fundo_ eu te disse antes e direi de novo, você não está sozinha, não estará nunca mais._eu o abracei forte 


- Airon._ eu disse 


Ele continuava parado na mesa encarando o prato vazio.


- Eu só...nunca pensei que você tivesse vivido algo desse nível, porque você sempre foi alguém tão feliz, irradiava bondade e luz ao seu redor e eu_ eu o abracei 


- Eu não esqueci o que vivi, mas superei isso, e foram vocês que me ajudaram, se eu brilho, é por causa de vocês. Vocês me mostraram que família não é apenas sangue,mas aquela que escolhemos amar.


- Tenho brilho o bastante para todos nós_ Kyan disse entrando no nosso abraço 

- Seu idiota, você não tem limites_Airon 


Ele tinha levado um choque.


■●■


Já era um pouco tarde quando voltei para meu quarto. Mazna resolveu que merecíamos uma bebida, então entendemos a noite.


Assim que cheguei no meu quarto me joguei na cama.


"Foi um dia cansativo."


Me acomodei na cama observando o céu da noite pela varanda. As estrelas pareciam mais brilhantes, e as sombras pareciam dançar.


Imagino se o Grão Senhor Tamlin continuará como um idiota ou ouvirá algo do que lhe disse. Não menti sobre ele continuar com sua mágoas, deixando toda uma corte morrer, enquanto a Senhora da noite vive feliz longe dele.


Entendo a vontade de ter alguém que realmente o ame. Passei a infância e adolescência acreditando que nunca iria ter amor, mas agora, nessa nova vida, tenho esperanças de amar e ser feliz, como a Feyre fez. Perseguindo sua felicidade, não importa o que.


Assim que adormeci visualizei as sombras novamente. Tentei alcançar elas mais uma vez, mas dessa vez elas eram puxadas para longe de mim. Elas se agitaram e eu podia sentir que elas não queriam, então eu as puxei de volta com mais força...e elas vieram de uma só vez me cercando.


Acordei num pulo, e quando olhei em minha volta tinham sombras em volta do meu corpo, eu ri, elas dançavam ao meu redor, sussurrando palavras que não conseguia ouvir.


Levantei minha mão e uma delas parou na minha palma. Concentrei minha magia e a sombra começou a ficar clara, virando uma raio de luz em minha palma. Ela se agitou em minha mão e se enrolou em meu ouvido.


- Te esperamos_ ela sussurrou e desapareceu com as outras como se nunca estivessem estado ali antes. E uma parte de mim se sentiu um pouco vazia com sua partida. Eu deveria contar isso a alguém, não faço ideia do que seja. Apenas parece certo.


"Me esperam?"


■●■


•Azriel•


Era mais um dia em Velaris. As ruas movimentadas, as crianças brincando, e eu estava em casa, ainda na cama tentando entender que porra estava acontecendo com as sombras.


Já fazia algum tempo que elas estavam agitadas, sussurrando entre si coisas que não compreendia, mas está manhã, foi mais estranho. 


Ultimamente, tenho sentido coisas estranhas, como se algo estivesse me puxando para outro lugar, mas está noite, enquanto dormia, sonhei com as sombras indo para longe, então as puxei de volta a mim, mas elas começaram a se agitar e algo as puxou de volta.


Acordei de manhã com as sombras em mim mas...uma das sombras, era como um raio de luz, se destacava entre todas as outras. E eu não a entendia. Assim que a coloquei na mão ela escureceu novamente se misturando com as outras.


Que ironia, eu tiro a luz de tudo pelo visto. No final das contas não sabia o que isso significava, nem como aconteceu.


- O que aconteceu?_ perguntei as sombras 


~ Foi ela..._ sussuraram


- Ela quem?_ elas não responderam_ que seja, não tenho tempo, tenho que me encontrar com os outros para o café.


Desde que a guerra acabou as coisas estavam se encaixando novamente. Estava descendo as escadas da casa do rio que tinha ficado pronta a alguns meses. Rhys e Feyre já estavam na mesa quando me sentei.


- Bom dia


- Bom dia Azriel_ Feyre sorriu


- Bom dia irmão_Rhys


Não demorou muito e logo Amren entrou sentando a minha frente. Cassian e Nestha chegaram logo depois. Ainda era estranho ver os dois juntos. Um pouco depois da guerra, Cassian continuou insistindo em estar com Nestha, não sei como tudo ocorreu, mas o laço da parceria se encaixou e eles assumiram oficialmente.


Eles geralmente estão juntos nas montanhas no acampamento Illyriano. Nestha se juntou a ele, aprendendo a lutar e incentivando as outras fêmeas do acampamento ao mesmo. Parece estar indo tudo bem até agora.


Mor entrou irradiando seu brilho como sempre. Assim que ela me viu sorriu para mim, mas logo depois se sentou ao lado de Amren e não me olhou mais. Eu quis rir. 500 anos.


Essa é a mulher que eu desejo por 500 anos. Acho que nunca serei digno dela. Onde ela brilha, eu estou envolto as sombras. Mas talvez...


- Bom dia Azriel!_era Elain


Talvez


- Bom dia Elain_ sorri para ela_ dormiu bem?


- Muito bem, obrigada e...


- Lucien, que bom vê ló. Não sabia que viria._ Feyre 


Olhei em direção a porta e vi Lucien se aproximando. Automaticamente Elain abaixou o olhar para o prato e Nestha ficou na defensiva observando Elain. 


- Pensei em passar e saber como estão. Com tudo isso acontecendo, essa nova corte._ ele olhou para Elain mas ela ainda evitava seu olhar_ soube que marcarão uma reunião.


- Sim_ Rhysand_ a Corte Solar era uma corte que acreditávamos estar destruída a muito tempo pela primeira guerra com Hyber. Ela apenas reapareceu e não sabemos como ou por que. Nem se ela será aliada ou inimiga._ ele estava tenso enquanto falava, e eu entendia.


Foi espalhado que na primeira guerra a Corte Solar inteira foi destruída, ninguém soube o motivo, mas ninguem conseguiu achar a Corte. Como ninguém dela entrou em contato com ninguém, todos acreditaram. E agora com ela de volta logo no final da última guerra, é problemático. E ainda tem as rainhas mortais.


- Pelo menos com a reunião já marcada saberemos quem é o Grão Senhor._Mor disse_ já será um começo para sabermos se podemos confiar.


- Ele concordou em comparecer então._ Amren


- Sim, de primeira, o que é um alívio_ feyre_ achei que levaria mais tempo.


- Sabe o que vai acontecer e não evita_ Cassian_ parece bom para mim.


- Isso não é tudo Cassian_ Nestha_ ainda pode ser um problema, imagine um segundo Beron, só que pior.


Lucien ficou um pouco rígido.


- Ouviu algo sobre?_ Feyre 


- Não, somente sobre a reunião. Não teve outra forma de entrar em contato com qualquer parte desta corte._ Lucien.


- Também não consigo rastrear ela exatamente._ disse_ pode estar tentando se proteger, ou escondendo algo.


A conversa sobre suposições sobre a corte solar contínuou. Enquanto isso Lucien olhava as vezes para Elain que ainda o evitava. Em apenas um momento Elain levantou de vez.


- Desculpem, já estou satisfeita, vou me retirar._ ela ia saindo quando Lucien levantou 


- Quer companhia?


- Não, obrigada._ Ela foi andando, mas reparei que ela me olhou antes de sair de vez.


- Acho melhor eu ir agora_ Lucien. Ele parecia cansado.


- Lucien..isso_ feyre 


- Tudo bem, até feyre_ ele saiu pela porta e não senti mais a sua magia. 


Continuamos comendo, ignorando os últimos acontecimentos. Os dias tem sido mais solitários. Rhys e Feyre estavam sempre juntos, assim como Cassian e Nestha. Eu estava me sentindo...só.


Não me entenda mal. Estou feliz por meus irmãos, eles mereciam essa felicidade. Eu só não entendo por que só eu...

Talvez eu não merecesse ter alguém desse modo mas...caldeirão, eu queria tanto.


Assim que acabei, me retirei em direção ao jardim. Elain estava trabalhando nas plantas. Fui ao seu lado e assim que percebeu minha presença sorriu para mim. Eu sorri de volta.


- Quer companhia?


- Adoraria.


Talvez...


■●■


Zilah 


- Minha senhora._ Airon entrou no escritório._ tem uma movimentação estranha ao redor da barreira_ eu o encarei seria._ eu identifiquei apenas um macho, mas não quis mandar os soldados para não deixar claro que estava perto de Solaria.


- Fez certo. Irei sozinha averiguar._ me levantei e ele me encarou preocupado_ fique tranquilo, ninguém sabe que sou a grã senhora ainda, posso apenas dizer que sou uma fêmea perdida, qualquer coisa posso ataca ló.


- Eu posso fazer isso Zilah. 


- Sei que pode. Apenas quero averiguar por mim mesma Airon. Fique de guarda e avise aos outros, se eu precisar vou chamar._ ele parecia relutante mas concordou.


Peguei minha adaga a escondendo e atravessei no lugar indicado por Airon.

Assim que me aproximei vi um macho saindo das árvores, ele me viu e veio em minha direção. Coloquei a mão na adaga sem que ele percebesse.


- Quem é você?



Notas Finais


Se encontrarem algum erro ortográfico, podem me comunicar que verificarem.

Espero que gostem.

Teorias?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...