1. Spirit Fanfics >
  2. A criança abençoada >
  3. A briga

História A criança abençoada - Capítulo 16


Escrita por:


Notas do Autor


O capítulo de hoje é meio turbulento, mas no meio do caos, não poderia ser diferente.
Vocês precisavam saber de todo o conteúdo da agenda.
Severo fica nervoso por causa da coruja que recebeu... então o título do capítulo é bem apropriado!
Espero que gostem dos momentos fofos de Severo, apesar de tudo...

As corujas são sempre bem-vindas! 💕🦉💕🦉💕🦉💕

Capítulo 16 - A briga


Fanfic / Fanfiction A criança abençoada - Capítulo 16 - A briga

 

        Quando terminaram de jantar, os dois seguem para o escritório, que um dia foi de Alvo Dumbledore. Minerva retira a agenda da gaveta e entrega para Severo, que fez questão de voltar para sua aparência. Ele estava decidido, qualquer minuto de privacidade, com a Minerva ou com a Hermione, estaria presente como Severo. Já estava cansado de viver no corpo do professor Horácio. A solidão, sua tão fiel companheira de anos, não seria mais páreo para ele. Seu mistério em breve teria que ser revelado não apenas para a comunidade escolar, mas para o mundo mágico.

- Sente-se Severo! Eu marquei poucas páginas, só as que eu achei mais relevante e queria que você visse. Justifica, porque eu fiquei tão abalada na hora do almoço.

- Não tem nada escrito aqui, Minerva!

- Ah, sim... revele seus segredos!

        Severo não estava muito afim de ler o que seu ex aluno detestável escreveu, mas se ela achou mesmo necessário, faria este sacrifício pela Hermione! As páginas marcadas pela diretora eram mesmo impactantes. E seu semblante muda a cada página lida.

 

Dia 1 de março 2005 Terça-feira – Hoje completo 25 anos e o que eu vou ganhar de presente da minha mulher? Espero que seja uma bela noite de amor. Faz tempo que não transamos. Depois que ela começou o mestrado, Mione está diferente. Sei que ela está me evitando.

Dia 2 de março 2005 Quarta-feira – Ela me deu de presente um pijama novo, e “boa noite”! Achei que teria uma noite daquelas, como no nosso primeiro ano de casados... Ela não é mais a mesma. E não é de hoje! Só pode estar me traindo com o orientador dela. Eu vou descobrir!

Dia 06 de julho 2005 Quarta-feira  - Tenho certeza que Hermione tem um caso com o orientador dela,  porque ela não quer mais transar comigo. Sempre com a desculpa de enxaqueca ou menstruação. Só pode estar me traindo com ele... Mas estou me vingando também! Já faz dois anos que Lilá me procurou. Eu disse a ela que amava Hermione e que meu casamento ia bem, menti. Ela insistiu e acabamos fazendo amor. Estávamos nos encontrando esporadicamente, mas agora que Mione não quer nada comigo, me encontro regularmente. Lilá é meiga, meia gordinha, não é gostosa como a Mione, mas dá para o gasto! Acabamos de sair do motel. Estou feliz, ao menos isso!

Dia 31 de julho 2005 Domingo – Hoje foi aniversário do meu melhor amigo. Eu e Mione fomos para a toca comemorar em família o aniver de Harry. Foi um dia muito agradável. Ela se transforma quando está com Harry e Gina. Parece a Hermione de anos, aquela que eu sempre conheci. Mas quando estamos sozinhos, ela nem me olha mais... Amanhã ela fará a apresentação do seminário, e ainda teve a coragem de me convidar para assistir! Vou sair mais cedo do trabalho, mas eu vou! Vou ver o que este orientador tem, que eu não tenho!

Dia 1 de agosto 2005  Segunda-feira – Eu estava pressentindo que o dia de hoje não ia acabar bem. Depois da apresentação o orientador dá um abraço apertado e beija o rosto dela, na minha frente! Sem necessidade, nem era a defesa... Quando chegar o dia da defesa eles vão para a cama comemorar, tenho certeza! Eu vi como ele a olhava. Não aguentei mais. Acabei discutindo com ele, nem lembro sobre o quê, só sei que dei um soco no olho dele. Foi a gota d’água. Hermione me puxou pelo braço, e saímos o mais rápido da faculdade. Ela não falou mais comigo. Pegou seu travesseiro e foi dormir na sala. Aquilo não ia ficar assim, esperei ela dormir... Lancei o feitiço Imperius e ela fez todas as minhas vontades! Depois retirei esta memória. Agora ela pode dormir tranquila na sala, porque eu já me diverti! Nossa como foi bom! Amanhã será um novo dia, ela nem vai se lembrar!

 

- Chega, Minerva!

Ele fala quase aos berros, fecha a agenda e entrega para ela.

- Ele usou imperius, a primeira das três maldições imperdoáveis! É utilizada para que um bruxo possa subverter e controlar a vontade de outro....

- Eu sei, fui comensal, esqueceu? Sei muito bem para que serve, Minerva! Agora basta! Não quero mais falar sobre isso! É um assunto encerrado, está bem?

- Sim, Severo! Só achei relevante você saber...

Severo saiu atordoado do escritório. A vontade que tinha era pegar Hermione no colo, e passar a noite acariciando seu rosto e lhe enchendo de beijos. Ao aparatar no quarto, Hermione dormia com o livro na mão. O sanduíche na bandeja ao lado da cama estava intacto. Retirou o livro, apagou a luz e deu um beijo na testa dela. Foi para a sala, e se serviu de um copo de whisky de fogo. Queria apagar da sua memória aquela terça-feira e, principalmente o que leu. Procurou rapidamente mudar seus pensamentos.

Ontem foi um dia tão maravilhoso! O aniversário dela será um dia inesquecível para mim, para nós! Como eu a amo! E nossa ronda de domingo? Ela me prensou contra a parede e me beijou. E em seguida revelou meu segredo! Ela é mesmo uma bruxa incrível! Não precisei me revelar, ela já sabia! Fazer amor com ela naquela sala, foi a melhor sensação que eu já tive com uma mulher!

Quando sentiu seu corpo relaxar com o álcool, colocou seu pijama e deitou-se com cuidado para não acordá-la.

 

No dia seguinte ele estava melhor, e ela também. Acordou cedo e louca de vontade de fazer amor com seu amado. Ela já havia feito sua higiene matinal e retirou toda sua roupa, ficando apenas de roupão. Acordou-o com um beijo carinhoso. Ele abriu os olhos e viu logo o desejo no olhar dela.

- Me dá um minutinho, sim?

Ele foi ao banheiro e quando voltou também estava de roupão e sem nada por baixo. Eles precisavam daquele momento só para eles. Precisavam sentir novamente o calor dos seus corpos, sentir as mãos acariciando suas partes mais íntimas, ouvir os sussurros das palavras eu te amo em seus ouvidos. Quando Hermione gritou o nome dele ao atingir o ápice do amor, Severo sente o tremor também do seu corpo em completo êxtase.

Quando a respiração e os batimentos cardíacos voltam ao normal ela diz:

- Severo eu quero tanto ter um filho... A Gina está grávida, a Lilá está grávida... Você quer filhos?

Ele jamais imaginaria que ela lhe dissesse isso logo cedo, cedo nos dois sentidos! E logo depois do dia tumultuado que teve. Ele ficou um tempo em silêncio procurando as palavras certas para não magoá-la. Talvez agora ele a compreendera de verdade. A notícia que o marido morto engravidou a amante lhe deixou totalmente desconcertada. Ela poderia ter tido filhos com ele, mas evitou. Agora a vontade de ser mãe vem à tona.

Como ele poderia lhe dizer que jamais se viu no papel de pai... Que seu pai não serviu de referência para nada, aliás serviu sim, como não ser um pai! Não se via segurando um recém-nascido no colo, e muito menos, ser chamado de pai... Não, decididamente ele não nasceu para ser pai de ninguém! Já bastava aturar os cabeças-ocas, filhos dos outros.

- Severo, você me ouviu?

- Sim, querida!

- Então?

- Você não acha muito cedo para pensarmos nisso? Estamos juntos a... quantos dias mesmo? De domingo para cá?  Quatro dias?

- Desculpe... Só estava pensando... no futuro, quem sabe?

- No futuro eu volto a pensar, prometo!

- Está bem!

Ela o beija e ele lhe aperta mais no abraço. Estar com ela em seus braços era tudo que ele desejava. Não precisaria de mais nada.

- Severo...

- Hum?

- Por que você ficou no anonimato todos estes anos? Você não faz ideia como eu sofri vendo você morrer...

- Eu não quero falar sobre isso, querida. Vamos tomar um banho? Daqui a pouco servem o café.

- Está bem! Vamos! Mas nada impede que conversamos enquanto tomamos banho!..

Eles foram para o chuveiro e o barulho da água impedia sim, ela continuar com o assunto. Ela precisava saber, ele teria que lhe responder. Estava decidida a acabar com aquele mistério.

Quando se secaram e se vestiram, ela volta a lhe perguntar.

- Por que, Severo? Você sabe que Harry virá lhe interrogar sobre o seu sumiço. Eu temo que possam lhe fazer qualquer coisa...

- Tipo ir para Azkaban?

Ele ironicamente pergunta.

- Não, claro que não! Mas deve ter sido algum motivo muito forte, e eu tento adivinhar... Não foi porque você matou Alvo. Suas intenções foram as melhores possíveis, para todos na ocasião. Foi um ato de amor que poucos fariam. Você é um herói. Sempre foi! Não é para menos que eu lhe admirava tanto quando fui sua aluna. Alvo me explicou certa vez do seu papel de duplo espião. Eu o vi sendo carregado para a enfermaria naquela manhã, quando você voltava de um chamado na noite anterior. Não houve aula de poções naquela semana. Enquanto a turma comemorava, eu fui chorando até a ala hospitalar para lhe ver, e Alvo me disse. Alvo deixou aquele documento assinado, que foi suficiente para não deixar dúvidas quanto a sua lealdade. Eu te amo tanto! Acho que eu merecia saber antes do ministério, o seu real motivo.

O silêncio era total, foi quebrado com uma coruja que batia na vidraça do quarto. Severo reconheceu logo a coruja e fez questão de se adiantar para pegar o pergaminho, antes dela.

- É para mim...

- Estranho, não é a coruja do ministério e nem da Gina.... Harry virá na sexta, e acho que seu depoimento ficará para as férias mesmo. De quem será?

- Não é nada importante. Deve ser uns livros novos que encomendei sobre Defesa...

Ele retira o pergaminho da pata da ave e coloca no bolso, procurando desviar a atenção dela. Sabia que era a coruja da Rosmerta. Um domingo por mês eles se encontravam no Três Vassouras. Ela certamente o aguardava no último domingo, mas ele não teve tempo de avisar que não iria. Achou melhor ir pessoalmente terminar a relação, e lhe dizer que agora estava comprometido. Precisava do seu período livre para fazer isso.

Severo olha para ela, que permanece parada na sua frente, com os braços cruzados. Por um segundo pensou que ela era também capaz de ler a mente. Se assim fosse, ela acabou de saber da existência de Rosmerta em sua vida. Não saberia como se explicar, quando ela então disse com a voz aflita:

- Eu preciso saber por que se manteve morto por sete anos, Severo!

Ufa, um problema por vez, Merlin!

Ele não sabia que seu tom de voz já estava alterado pela circunstância toda daquele início da manhã, que começou tão bem, mas agora ele estava mesmo nervoso com a presença da coruja que não queria ir embora sem uma resposta.

- Ora, Mione! Você quer um motivo muito forte?

- Sim! Estou esperando! Desde domingo, que você não quer falar!

- EU não quero falar? E precisa? Ora, não seja infantil... Você diz que me ama e meses depois você se casa com outro! E ainda por cima, se casa com o imbecil do Ronald Weasley! Você quer um motivo mais forte?

- Severo...

A voz dela era serena por realmente ter entendido o motivo. Ele não quer ouvir mais nada, pegou sua varinha de cima da cômoda, saiu do quarto, e saiu da sala ainda como Severo. Ao bater à porta, ele se dá conta que não se transfigurou ainda. Pirraça o vê e começa o estardalhaço:

- O morto está vivo! Todos vão saber!

E começou a gargalhar, sem ouvir a resposta de Severo se transfigurando em Horácio.

- Vá para o inferno!

Continua...


Notas Finais


Todos os personagens presentes na fic fazem parte do mundo de Harry Potter e pertencem a J.K.Rowling.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...