1. Spirit Fanfics >
  2. A Culpa é Do Tabaco >
  3. O Início Para O Plano Do Fim Do Mundo

História A Culpa é Do Tabaco - Capítulo 14


Escrita por:


Notas do Autor


Após muito tempo, eu retornei com a fic! Espero conseguir lançar os capítulos com muito curto prazo a partir de agora. Boa leitura!

Capítulo 14 - O Início Para O Plano Do Fim Do Mundo


Fanfic / Fanfiction A Culpa é Do Tabaco - Capítulo 14 - O Início Para O Plano Do Fim Do Mundo

°Visão de Krane°





Eu estava treinando com Flávio sem muito sucesso, estava lentamente perdendo as esperanças até que


Krane: Toma essa! - eu acerto um chute na cara de Flávio que o arremessa para muito longe


Então vou tentar dar outro chute enquanto Flávio está no ar, mas ele acabo impedido por Flávio se recuperar rápido e agarrar minha perna


Flávio: ae, quem é o bomzão agora? - ele falou zombado de mim


Fico espantado por ele ainda ser só um humano e se defender assim de meu golpe


Krane: Você está pronto - falei enquanto caminhava para fora da sala de treino

Flávio: Para onde está indo? Espere por mim!


Flávio me seguiu até a sala de JS, porém quem está sentado em seu trono é Fuyuken, bem acomodado como se estivesse em casa


Krane: O que você está fazendo sentado aí? - perguntei enfurecido com esse moleque metido

Fuyuken: Descansando! É difícil ser o membro mais útil dessa organização - ele falou em um tom sarcástico

Krane: Seu... Cadê o JS? Flávio está pronto

Fuyuken: Ele já despertou o sentido interno?! - vejo claramente ele surpreso também por isso já ter acontecido

Krane: Meio que foi sem querer, mas já é o suficiente - explico para ele

Flávio: Então finalmente eu vou ser poderoso agora? - perguntou muito empolgado

Fuyuken: Vai sim! Me siga, vou te levar até a minha sala - ele sai do trono rumo a porta de saída

Krane: Ei, temos que ver com o JS logo - eu o faço parar de caminhar até a saída com minhas palavras

Fuyuken: Eu não ligo, tenho autoridade pra fazer isso - ele me respondeu respondeu com um jeito marrento

Krane: Ora seu... - eu travo na hora de falar ao ver os olhos de Fuyuken brilhando em um tom dourado com um toque de laranja, olhos frios de um assassino que deixavam minhaa pernas bambas e o corpo imóvel

Fuyuken: Eu vou leva-lo, algum problema? - ele retruca de um modo totalmente diferente de poucos segundos atrás


Fico em silêncio e viro meu rosto para o lado após reconhecer a superioridade de sua força. Então Fuyuken sai com Flávio da sala de JS


Krane: Droga... Então essa é a intenção assassina do Fuyuken... - penso frustado por ter demonstrado fraqueza - você ainda vai cair... E quando essa hora chegar, eu estarei lá





°Visão de Jaciano°





Eu estava indo para minha tabacaria para ver cono estavam as coisas depois de tanto tempo sem passar lá. Mas ao chegar na tabacaria, fico perplexo ao ver a cena da minha tabacaria pegando fogo. Imediatamente corro lá para dentro na tentativa de apagar o fogo, mesmo sem saber ao certo como ia fazer isso.


???: Gostou do meu cartão de visitas? - perguntou uma voz vindo de trás de mim

Jaciano: Quem é você?! Não me diga que... - imediatamente soube quem era

JS: Não quero você atrasando meus planos, então irei te tirar da jogada

Jaciano: Seu filho da puta... Você taca fogo na minha tabacaria, me ameaça e acha que vai escapar sem mais nem menos?? - uma aura branca semelhante a uma chama prateada flui ao redor de meu corpo

JS: Parece que você é mais divertido do que aparenta... - falou tirando sua espada enorme das costas e a empunhando em sua mão direita

Jaciano: Silver Punch! - exclamei com chamas em volta de meu braço apoiado para socar JS

JS: Tolo... - ele falou friamente enquanto eu me aproximava, mas fui surpreendido com alguma força invisível que me deu a repulsão imediata e eu fui arremessado para o outro lado do cômodo - Você está muito longe do meu nível, Jaciano... Ira morrer nos escombros do seu próprio vício

Rastafari: Está tudo desabando... Melhor partimos logo - falou após se materializar de sua forma gaseificada - já queimei o lugar inteiro


Vejo ambos partindo as pressas, tento segui-los, mas uma parte do teto cai sobre mim e me faz ficar preso naquele lugar.


Jaciano: Não acredito que morrerei aqui... Não, eu não posso, ainda não acabou... - penso enquanto tento me mover, mas o peso em cima de meu corpo dificulta tudo


Naquele momento, toda minha vida passou diante de meus olhos, eu não conseguia acreditar que aquele seria o fim. Lembrei da minha tabacaria que estava se afundando junto comigo, lembrei de Mundus e sua vontade que devia ter sido deixada por seus quatro guardiões de maior confiança.


Jaciano: Desculpa, Mundus... Eu falhei em seguir sua vontade... Penso achando que seriam meus momentos finais


Mas por último, eu lembrei de você...

Uma luz branca enorme se esvaiu de meu corpo enquanto meus olhos brilham claramente, a um ponto que eu parecia ter despertado um poder oculto extraordinário. Mas tudo foram flashes rápidos que eu pensava ter sido um sonho, pois acordei na manhã seguinte numa cama com Kawã ao meu lado


Jaciano: O que aconteceu? - pergunto confuso

Kawã: Achei que você tinha morrido... - ele falou muito preocupado - Nunca mais nos dê esse susto, precisamos de você para vingar a morte de Joanita! Você não pode nos abandonar, entenda suas responsabilidades!


Fico sem palavras por alguns segundos enquanto tento lembrar da noite passada


Jaciano: O que houve ontem? - pergunto sem conseguir mais me conter

Kawã: Não sei dizer ao certo, mas você não parava de falar o nome daquele seu amigo

Jaciano: Que amigo?

Kawã: Flávio


Fico em choque pois ao ouvir isso eu lembrei de tudo, como escapei e o motivo de ter arranjados forças para escapar dali foi Flávio


Kawã: Te achamos ao lado da sua tabacaria que está destruída logo após sentirmos uma quantidade absurda de magia - ele falou interrompendo meus pensamentos





°Visão de JS°





O instituto de ensino João Silveira Guimarães estava se transformando na fortaleza que eu tanto almejei, nosso plano está quase concluído. Devo entrar logo no meu castelo.

Ao chegar em minha sala sinto que está tudo mais silencioso que o normal, até de repente sentir a presença de uma aura tenebrosa, porém familiar. Então Flávio entra em minha sala, mas ele estava diferente: seu cabelo estava mais escuro, seus olhos pareciam abominações negrumes circulares e sua postura estava totalmente diferente.


Flávio: Está sentindo isso, JS? - ele falou em um tom muito arrogante e cheio de confiança - eu sou muito poderoso


Ao ouvir essas palavras inevitavelmente começo a sorrir, pois essa aura me lembrou 940 anos atrás.


JS: Você estava pronto! Vamos começar imediatamente o plano - falo enquanto não consigo parar de rir pois aquela era a aura do antigo mago Mundus no corpo de Flávio





°Visão de Krane°





Enquanto eu caminhava pelos corredores do castelo, escondo Fuyuken no final de um dos corredores. Ao me aproximar dele vejo que ele parecia bem estranho


Krane: Então, a máquina funcionou em Flávio? - falo tentando quebrar o clima silencioso e assustador que estava naquele local escuro

Fuyuken: Foi um sucesso - ele responde de cabeça baixa enquanto acende um cigarro

Krane: Eu não confio em você, Fuyuken. Você pode até conseguir enganar o chefe, mas eu estou de olho em você - eu o ameaço satisfatoriamente - Quando você cair, eu estarei lá...


Ele põe a mão direita dentro do seu moletom e tira um cordão com uma espécie de amuleto


Fuyuken: Você está saindo muito do controle, vou ter que cuidar disso pessoalmente - ele falou e logo após o amuleto começa a brilhar - você vai fazer tudo que eu mandar


Me senti possuído e em poucos segundos perdi o controle total de meu corpo de tudo ficou escuro


Fuyuken: Agora você é mais um como os outros - fala após dar um trago no cigarro - eu manipulo toda esse bando por baixo dos panos!





°Visão de Jaciano°





Depois de me levantar da cama vou até a sala com Kawã, lá estava todo o resto da equipe que esperava ansiosamente por notícias minhas. Ao me verem entrar, todos se viram para mim e repentinamente se aquietam de suas conversas


Jaciano: Olha, eu sei que parte disso é minha culpa. Eu não perdi um grande companheiro que nem vocês, mas estou a ponto de perder se não fizermos nada. Não posso dizer que entendo como se sentem, pois ainda tenho esperança de ver meu amigo, mas pra isso vou precisar da ajuda de vocês. Em troca, vou lhes dar a chance de vingarem a morte de Joanita. - falo com muita determinação e com emoção o suficiente para me fazer chorar - Então... Por favor me deixem liderar essa organização para a vitória contra o instituto João Silveira Guimarães!

Daniel: Enxugue suas lágrimas, Jaciano - ele fala enquanto coloca a mão sob meu ombro

Ediclenio: A gente conta com você para isso

Jaciano: E você, Kawã? - pergunto pra última pessoa que queria liderar também

Kawã: É claro que eu não concordo com isso, idiota - ele falou irritado - mas se for por Joanita, posso fazer isso

Jaciano: Perfeito! Vamos invadir o castelo de JS amanhã mesmo!


Notas Finais


Desculpa por um capítulo tão curto depois de tanto tempo, ainda estou tentando pegando o jeito de volta. Se pah semana que vem tem mais


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...