1. Spirit Fanfics >
  2. A Cura - Renato Garcia >
  3. Luan

História A Cura - Renato Garcia - Capítulo 8


Escrita por: BieberMalikGarcia

Notas do Autor


📌Oii meus amores, me desculpem pela demora, mas postei minhas outras fics, e acabei dando uma atrasadinha aqui, espero que me entendam, e espero ter vocês lá nas outras fics também

📌O capítulo de hoje vai ter uma parte em que ela vai contar sobre o abuso sexual que ela passou, então vai começar em [...] e terminar em [...] também, então para quem acha pesado e não goste e só arrastar pra baixo, eu tentei não deixar muito detalhado, mas querendo ou não, ficou da mesma forma, um pouco

📌Foto de capa do capítulo, é o Luan, mais conhecido como Jon Vlogs, ele irá aparecer mais vezes aqui na fic

📌Capítulo meio bosta, chatinho, paradinho, mas necessário, é começo de fic, não posso simplesmente do nada, jogar a bomba em cima de vocês, sem nem saber como surgiu e de onde veio

📌Capítulo ficou um pouco grande, na minha opinião é pequeno ainda, mas se você acha grande demais, leia ele em duas ou até três partes, fiz com muito amor e carinho

📌Nas notas finais, estarei deixando o link das minhas outras fics, se puderem ler eu ficaria muito feliz

📌Amores da minha vida, to muito feliz, temos 560 visualizações e 61 favoritos, vocês são demais, obrigado mesmo, eu beijo grande meus amores

📌Acho que é só isso, qualquer coisa eu coloco no próximo

📌BOA LEITURA!!!

Capítulo 8 - Luan


Fanfic / Fanfiction A Cura - Renato Garcia - Capítulo 8 - Luan

Point Of View Flávia Pavanelli

-Flávia - me viro procurando quem me chamou, dou de cara com Luan que está bem sorridente, alegre - Podemos conversar num lugar mais calmo

-Sim, claro vamos - ele concorda, faz sinal com a cabeça, me chamando para seguir ele, caminhamos até uma parte mais tranquila do bar, onde estamos tem pouco movimento, mais escuro, só que bem aconchegante - Então, o que você quer conversar?

-Na verdade, não é tanto uma conversa, é mais uma ação - franzi minhas sobrancelhas não entendendo aonde o mesmo quer chegar

-Tá Luan, você me deixou bem confusa, do que você está falando? - pergunto fazendo gestos com as mãos

-Eu to falando disso - ele me imprensou na parede atacando meus lábios num beijo, mas por eu não dar passagem para sua língua, fica um selinho forçado, arregalo meus olhos assustada, crio forças de não sei aonde empurrando seu corpo, o mesmo se afasta, atordoado

-Você tá louco Luan?

-Me desculpe, mas parecia que você queria, eu pensei que…

-Pensou é uma ova, nunca quis, eu estou com seu amigo e é com ele que vou ficar, nunca mais dirija a palavra a mim, nunca mais chegue perto de mim - me viro e saio de perto dele

Alguns dias se passam, o mesmo pede desculpas, como sou trouxa, aceito, mas demorou algumas semanas para a amizade voltar a ser a mesma


●●●


De onde estou sentada vejo ele, meu namorado, conversando animadamente com seus amigos, todos bebendo e fumando narguilé, o mesmo está estranho hoje, seus olhos estão vermelhos, suas pupilas dilatadas, está eletrico, seu olhar não foca direito em nada, mas não gosto de ser aquelas namoradas grudentas, então perguntei duas vezes, se tinha algo errado com ele, o mesmo negou e disse que estava bem, não insisti, então vim sentar com as meninas, estamos também fumando narguile, mas neguei a bebida, por saber que serei eu a voltar dirigindo, mas as vezes de relance eu cuido dele

-Flávia - olho pra ver quem está me chamando, é Letícia - Poderia pegar mais umas cervejas para a gente? Se não for incomodar é claro

-Sem problemas, já venho - me levanto do sofá indo pra cozinha, abri a geladeira, pego uma caixinha para ser mais prático, depois de ver que estão geladas, fecho a geladeira, me viro para sair dando de cara com Luan escorado na porta, dou um sorriso fraco pro mesmo, que retribui

-Posso falar com você?

-Claro, mas eu tinha que levar essas cervejas para as meninas - digo erguendo a caixinha de cerveja. Ele se vira, olha para todos, até ele assobiar e chamar alguém, ele caminha até mim, estica suas mãos para pegar a caixinha, ele se vira e caminha até a porta, entrega nas mãos de um rapaz e diz que é pra entregar para as meninas que estão nos sofás, ele volta e senta na banqueta, ele faz sinal com o queixo, suspiro me sentando ao seu lado, ficamos alguns minutos em silêncio até Luan quebrar ele

-Você é a namorada dele, então deve ter percebido que ele está diferente de uns tempos pra cá - ele para de falar, arqueando as sobrancelhas como se estivesse pedindo se eu concordava, assinto com a cabeça - Hoje tudo nós estava na casa dele, nos estava no quarto dele uma hora, e é mania nossa de ficar mexendo nas coisas dos outros quando vamos na casa de um de nós, então eu fui mexer na escrivaninha dele, a primeira gaveta só abre com a chave, e a chave nunca está lá, hoje por incrível que pareça a chave tava lá, como um bom curioso que eu sou, abri - ele respira fundo - Olha, não entre em pânico mas, eu achei drogas lá

-O que? - eu acabo gritando com isso, ele tampa a minha boca

-Shiu, você tá louca? - ele olha pra trás para ver se ninguém chegou, respiro algumas vezes, tentando me acalmar do choque que levei ao ouvir isso, balancei a cabeça em concordância, ele tira bem devagar as mãos de minha boca, para se certificar que não iria gritar, ele relaxa quando ouve minha voz soar baixinho

-Que tipo de droga você achou lá?

-Maconha e cocaína - fecho os olhos ao ouvir tais palavras, nego com a cabeça, não querendo acreditar que o meu namorado está usando drogas - Sei que é difícil acreditar nisso - Luan acariciou meu braço levemente - Sinto muito, mas tem mais uma coisa que preciso dizer

-Tem mais? - pergunto espantada, o mesmo me olhou assentindo com a cabeça, vendo que não tem outro jeito, há não ser descobrir a verdade, respiro fundo - Okay, me conte

-Não tenho como te provar isso, mas fique de olho nele e na Letícia, por favor, tem algo neles dois que fede, sei que ele é meu amigo, mas traição não é coisa que pode saber ou ver, e ficar quieto - ele diz sem jeito - Gosto muito de ti, você é uma boa amiga, nos conversa sempre, sempre temos assunto, nos damos bem, e é por isso que não quero que ele estrague você, com as merdas dele

Olho para o loiro a minha frente furiosa, me levanto da banqueta em um pulo, me viro para ele lhe apontando o dedo

-Só porque eu neguei de ficar com você, você não tem o direito de vir aqui inventar coisas sobre o meu namorado, só porque todas as garotas aqui não se importam de dividir seus namorados e eles de dividirem suas garotas que vou ficar com você, eu não sou elas, então não me venha com mentiras só pra eu correr pros seus braços e no fim eu ser mais uma na sua lista idiota, meu relacionamento com ele, não existe traição dele e nem de mim, e nunca vai existir, não adianta também nem colocar minhocas na minha cabeça sobre o ele está usando drogas, porque eu sei que é mentira, então chega, também gosto das nossas conversas, de como nos damos bem, mas te considero só um amigo e pronto, agora nem sei se posso considerar você assim, então te digo uma ultima vez, não se intromete no meu namoro com ele, porque estamos muito bem, como pode ver

Me viro para sair da cozinha, quando estou prestes a passar pela porta, escuto sua voz soar, com um tom grave e doloroso

-Depois não diga que eu não te avisei, e não venha chorando me pedindo desculpas por algo que eu te avisei

Não me viro, apenas minha cabeça viro para o lado o olhando de canto de olho, vejo seu semblante triste, mas não me abalo, não vou cair no seu papinho

-Pode ter certeza que sei o que to fazendo, e se eu tiver errada, você será a última pessoa a quem irei chorar


●●●


Meu namorado está no banheiro tomando banho, ele pegou suas roupas e algo em alguma gaveta da escrivaninha e foi pro banheiro, enquanto isso, aqui estou eu dando uma de curiosa, mexendo em suas coisas, de suas prateleiras passo para sua escrivaninha, mexo vendo suas anotações, acabei derrubando o mesmo, me abaixo bufando de raiva, recolhi todos os post, que estavam soltos do bloco, recolho um post com um número de telefone com apenas um "L", estranho, ainda mais por perceber que aquele número não me é estranho, guardo o papel no bolso da calça, quando me levanto minha cabeça para levantar, algo me chama a atenção, a primeira gaveta da sua escrivaninha, que sempre está sem a chave, hoje se encontra ali, me lembro da conversa que tive a algumas semanas atrás com Luan, sei que Luan está mentindo, eu confio no meu namorado, então não tem problema de eu abrir? E com esses pensamentos, percebo minha mão já na chave, giro a mesma, abrindo a gaveta, minha boca se abre em espanto, minhas pernas parecem virar gelatina, tiro de dentro na gaveta vários saquinhos de droga. Meu Deus. Eu briguei com meu amigo por ele, o defendendo sendo que todo esse tempo eu estava errada a seu respeito

Seu celular em cima da sua cama começa a apitar, indicando que está chegando mensagens, com os pacotes de drogas em mãos, caminho até sua cama, deixando ali mesmo o que tinha em mãos, agora com o seu celular em mãos, o desbloqueio por saber a senha, várias mensagens no Whatsapp, abro o aplicativo, todas as mensagens vem de uma única conversa, mas antes de entrar, vejo que na minha conversa, meu número não está salvo. Como eu, que sou sua namorada não tenho o meu contato salvo, saio dos meus pensamentos, com mais uma mensagem chegando, na verdade foi enviado uma foto, pela foto parece ser uma mulher morena, clico na conversa a abrindo

Um tiro doeria menos, com certeza

"Saudades de você, por mais que tenha nos encontrado ontem, enquanto a trouxa da sua namorada estava trabalhando num banco 😂😂"

"Quero que você me foda gostoso, duro e forte, igual a ontem, vamos repetir a dose hoje de noite, após você despachar sua namoradinha corna e chata, o que me diz?

"Não entendi o motivo de você ainda está com essa sem sal, sendo que você vem se consolar toda noite na minha cama e no meu corpo"

"To molhadinha aqui esperando você"

Em seguida, uma foto de uma mulher nua, de frente para o espelho, com as pernas abertas, percebo outra vez que é mesmo uma morena, clico na foto de perfil, o espanto, o balde de água fria vem com tudo, ele chega me acordando para a vida, me fazendo lembrar outra vez das palavras de Luan, do seu aviso, do seu único aviso, eu o ignorei, estava tão cega por meu namorado, agora ex, como pude ser tão trouxa

[...]


O barulho de porta abrindo me faz voltar a vida, olho pra porta do banheiro vendo ele sair com uma toalha enrolada na cintura, o mesmo quando vê meu estado para no caminho para seu closet, quando ele vê nas minhas mãos seu celular, em meu colo e no colchão da cama os pacotes de drogas, sua expressão muda rapidamente, ele está com raiva, ele caminha rapidamente até mim, tirando celular com força das minhas mãos, ele pega os pacotes e guarda tudo na mesma gaveta

-Eu não acredito que você ta fazendo isso com a sua vida - digo me aproximando do mesmo - Não acredito que você está fazendo isso com nós, você está me traindo com a Letícia - caminho em círculos pelo seu quarto, com as mãos em meus cabelos - Meu Deus, tentaram me alertar, mas eu estava cega por você, como pude ser tão burra? Como pude me apaixonar…

Sou interrompida pelo homem a minha frente, que parece estar em transe, ele segura fortemente meus braços, me fazendo ficar próxima dele

-Eu não lhe devo satisfação da minha vida para você, eu não te traí, eu fico com quem eu quiser, você acha mesmo que esse relacionamento é de verdade, nunca levei a sério, só estou com você por estar, não porque te ame ou que te deva respeito. Aliás, quer saber qual o motivo para eu sempre procurar consolo na Letícia? Eu te respondo, você nem para abrir as pernas pra mim, presta - lágrimas tomam conta do meu rosto, suas palavras martelavam em minha cabeça junto das mensagens de Letícia, eu sou tudo isso? O que posso fazer para mudar isso? Nada, já que eu não presto pra nada - Sabe, vamos mudar isso agora mesmo - não entendo de primeira o que ele quer dizer com isso, mas quando ele começa a tirar minha roupa, entro em desespero, começo a negar e gritar, pedindo por socorro, por eu me debater tanto, ele fica ainda mais furioso, ele me bate no rosto fortemente, para de gritar e me debater, ao entender, que o homem à minha frente, me bateu, fico olhando pro mesmo apavorada e com muito medo

-Tá com medo Flávia? Isso é só o começo do que vou fazer com você - começa a distribuir socos por meu rosto e corpo, seguro em seus braços para tentar impedir de fazer aquilo comigo, tento gritar mais uma vez, mas ninguém irá me impedir ou irá me salvar

Começo a sentir nojo do meu corpo, quando, depois dele ter rasgado todas as minhas roupas, o mesmo começa a distribuir beijos pelo meu corpo, ele me toca, enfia seus dedos me fazendo gritar de dor. Ele louco, pirado e possesso do jeito que ele se encontra, faz com que ele jogue sua toalha longe, ele segura seu membro que está duro, penetrando com força em mim, uma dor forte se apodera no meu ventre, e na minha barriga, tento empurrar ele de cima de mim, mas ele levanta meus braços bruscamente segurando com uma mão, com a outra ele bate em meu rosto, depois deixa sua mão em meu pescoço apertando, ele não parou de penetrar um minuto sequer, ele geme alto, como se estivesse mesmo sentindo prazer. Como se sente prazer estrupando? Ele é louco, doente, ele começa a gemer mais alto, com isso ele penetra mais rápido e forte, isso faz com que a dor aumente em meu ventre. Ele urra jogando sua cabeça para trás, sinto ele gozar dentro de mim, começo a soluçar mais alto, quando vejo que isso realmente aconteceu, ainda tinha esperanças de estar sonhando. Ele sai de dentro de mim me fazendo gemer de dor, me apoio em meus braços vendo sangue sair de minha intimidade, com muita dor levanto da cama indo colocar minha roupas, eu apenas coloquei minha lingerie, aquele monstro chegou perto de mim, pegando em meus braços me empurrando para fora do quarto. Não demorou muito para estarmos dentro do seu carro, começo a tremer de frio, por ser de madrugada, ele anda por ruas desertas até parar em uma, ele me entrega meu celular e minha bolsa

-Espero que mantenha seu bico calado - ele diz abrindo a porta do carona, empurrando meu corpo pra fora, que cai com tudo no chão, estou sem forças para me levantar, vejo seu carro sair em disparada

[...]


●●●


Respiro fundo com o celular em mãos, começo a digitar uma mensagem, para única pessoa que me ajudou, que me alertou sobre tudo isso, mas não dei ouvidos, lágrimas se faz presente enquanto escrevo a mensagem, mas eu preciso disso

"Luan, quero agradecer a todo apoio, todo conselho, todos os alertas que você me deu sobre ele, me desculpa por não te dar ouvidos, mas o amor deixa as pessoas cegas, e eu fiquei, e muito. E hoje vi que paguei o preço quase que com a minha vida, tomei as devidas providências contra ele, mas o mesmo fugiu, não o encontramos em lugar nenhum. Para não colocar a vida do meu pai em risco, eu decidi me afastar de tudo, espero que me entenda, eu posso morrer, mas não posso levar a vida do meu pai junto, ele viveu muito por mim, não posso deixar que um maluco tira sua vida. Estou mandando essa mensagem me despedindo de você, como eu disse no início, quero lhe agradecer por isso, peço para que não me procure, se você gosta mesmo de mim, me considera mesmo sua amiga de verdade, não me procure, se for para nos encontrar um dia nos encontraremos nessa vida. Mas não podia simplesmente dizer adeus, eu precisava te agradecer, então obrigado por tudo, viva a sua vida, realize seus sonhos, foque no seu futuro, saiba que mesmo sem saber, estarei de pé aplaudindo cada vitória e conquista. Beijos se cuide sabe que te amo muito, você sempre será meu irmão, amigo, fique com Deus Luan"


●●●


Encaro a xícara de café, levo a mesma até a boca tomando um gole. Hoje acordei pensando no Luan, não sei o que ele anda fazendo da vida, eu poderia muito bem procurar saber dele, mas se eu pedi para ele não me procurar e nem saber de mim, eu devia fazer o mesmo, e fiz. Mas a saudade do meu amigo é grande

-Flávia, amiga, tá tudo bem? - Nathy perguntou chamando minha atenção, pisco algumas vezes, saindo dos meus devaneios

-Oh, sim sim, claro amiga, só estava pensando, mas nada com que deva se preocupar - digo sorrindo amarelo, ela me olha desconfiada, mas não diz nada, termino de tomar meu café, me levanto para colocar a xícara na pia - Vamos então? - digo voltando pra mesa

-Vamos, to necessitada de um salão - ela diz me fazendo rir - Mas você sabe que vou gravar tudo né? - ela diz me olhando com cautela

-Não tem problema amiga, tá tudo bem, hoje de tardezinho lá na rua do grau, o Léo quer gravar comigo, a Tamires quer gravar um racha comigo na minha saveiro com a do Thiago, então porque que vou negar pra você Nathy

-É verdade porque eu sou sua amiga, a melhor né - concordo com ela, vou pro meu banheiro, escovo meus dentes, passo meu batom, mais um pouco de perfume, pego minha bolsa, minhas pertences estão todos ali, saio do quarto, chegando na cozinha, Nathy está ali me esperando. Ela veio tomar café comigo, e queria ir no salão hoje, ela vai fazer uma hidratação, cortar as pontas e fazer mechas. Já eu vou fazer hidratação e cortar mais curto meu cabelo, prefiro ele curto, longo me traz lembranças nada boas. Saímos do apartamento, caminhamos até o elevador, aperto no botão chamando o mesmo, que logo chega, entramos na caixa metálica

-Vou começar a gravar okay? - ela me pergunta arrumando a câmera, concordo com a cabeça

Escuto Nathy começar a gravar, ela me apresenta e continua falando, quando as portas se abrem, ela sai ainda falando, entramos na saveiro, e saímos pelas ruas de Londrina, no caminho ao salão, comecei a me acostumar, comecei a conversar com a Nathy, brincamos uma com a outra, isso faz com que eu nem perceba, mas quando vi já tinha chegado ao salão enorme, com uma linda fachada. Entramos no estabelecimento, já sendo atendidas, me sento em uma daquelas cadeiras que usam para lavar os cabelos, uma moça logo vem, ela molha meu cabelo e logo coloca shampoo nas mãos e começa a fazer uma boa massagem em meus cabelos

-Nossa, eu poderia facilmente dormir com isso - digo revirando meus olhos

-Saiba que se isso acontecer, você não será a primeira - ela diz sorrindo, abro meus olhos surpresa

-Sério?

-Sim, teve uma mulher que chamei ela bastante vezes, mas ela não acordava que tive que cutucar e chacoalhar ela algumas vezes, ela ficou com tanta vergonha

-Mas imagina, quem não ficaria? Aah mas talvez ela tivesse seus motivos para estar com sono - digo dando de ombros, a moça concorda com um "é", voltando a lavar meus cabelos

-Não quero ser chata e intrometida, mas você é a garota que saiu os boatos de que estava tendo um caso com o Léo?

Eu sabia que isso ia acontecer, só não pensava que ia ser logo, bom, ela não foi grossa e nem estúpida, a curiosidade falou mais alto porque ela chega estar com as bochechas vermelhas por ter feito essa pergunta

-É tudo mentira. Você viu os stories que postei sobre isso? - ela assente com a cabeça - Então, como eu disse lá, repito aqui pra você, eu conheci a Nathy porque fazemos faculdade juntas, eu ficava e fico até hoje com ela, até o Léo chega buscar ela, as vezes eu levo mas a maioria das vezes é ele que busca ela. Nos conhecemos aí, e desde o começo foi amizade e nunca passou disso, o considero meu irmão, um irmão que nunca tive, porque sou filha única. A Nathy é a irmã que nunca tive também, eu estava com alguns problemas pessoais aquele dia, como acontece se não é com a Nathy é com ele que eu desabafo, então aquele dia foi com ele, mas assim a Nathy sempre sabe antes ou depois, ela confia de olhos fechados em nós, ela sabe que isso nunca vai acontecer

-Nossa, muito linda a amizade de vocês, não quis ser estúpida, eu acredito em você, mas percebi que você virou amiga de todos lá na casa né?

-Sim, todos me acolheram muito bem lá, me ajudaram muito, ainda mais nesses últimos dias com esses boatos correndo por aí - digo um pouco desanimada, ao lembrar que ainda tem gente me mandando mensagens ofensivas sobre esse assunto com Léo e a Nathy

-Olha, o que eu digo pra você, é que não de ouvidos e nem leia as mensagens, dessas pessoas que não tem o que fazer, são tudo crianças que criam na cabeça a idéia de que o Renato vai ficar com elas, isso tudo é a canela coçando, ciúmes de situações nada ver, você é mais do que todas essas pessoas juntas, então nem ligue

-Nossa, obrigada por isso, confesso que eetava bem desanimada sobre essa situação, mas me ajudou muito suas palavras, obrigada de coração - ela sorri meiga e continua seu trabalho

Dali, eu vou pra outra cadeira, onde a cabeleireira vem para cortar o meu cabelo, explico a ela como eu quero, ela concorda e logo começa seu trabalho, minutos depois estou com meus cabelos cortados. Ela pega a escova e o secador, começando a secar meu cabelo e fazer uma escova, depois ela prancha o mesmo. Depois de pronto, ela tira a capa ao meu redor, me levanto adorando o resultado, olho pra Nathy que está com um monte de papelotes na cabeça

-O que achou? - dou uma voltinha

-Ta lindo amiga, cabelo curto fica lindo em você

-Não querendo me meter, mas já me metendo - a mulher que cortou e escovou meus cabelos chega perto de mim, com um sorriso tímido - Na minha opinião, seu cabelo é lindo mesmo curto, mas ficaria ainda mais bonito se você deixasse ele na altura das costelas e loiro - arregalo meus olhos espantada, mas pensando na ideia - Você ficaria muito linda loira - ela diz e sai porque é chamada para cortar outro cabelo. Olho pra Nathy dando de ombros, a mesma ergue as mãos em sinal de "Não sei o que aconteceu aqui", resolvo por deixar pra lá, sentei em umas cadeiras que tem para ficar esperando a Nathy, pego meu celular vendo uma mensagem do Renato, abro a conversa, lendo a mensagem que me mandou

"Oi princesa, tudo bem? Tudo certo pra mim ir te buscar no seu apartamento, para ir hoje na rua do grau com nós né?" - Renato

"Oi, Rê, tudo ótimo e aí? Sim sim eu irei, mas assim, a Nathy vai se arrumar lá em casa, e ela disse que vai comigo, então se você não ficar bravo eu ia com ela?" - Flávia

"Tudo bem, não vou ficar bravo capaz, mas então vou buscar um amigo meu para ele ir junto na rua do grau, ele chegou hoje de viagem" - Renato

"Tudo bem, que bom que você entende, menos mal, mas então nos vemos no final da tarde" - Flávia

"Tá bom, se cuide e muitos beijos nessa boca gostosa" - Renato

"Seu bobo, obrigado, se cuide você também, e muitos beijos para você também Renato Garcia" - Flávia


●●●


Depois de terminar no salão, fomos pro shopping para ir mesmo, ficamos passeando, Nathy terminou seu vídeo, mostrando o resultado das mechas no seu cabelo, de tanto ela insistir mostrei o meu também, depois de encerrado, continuamos caminhando, até me deparar com uma bota preta de cano curto, mas o salto bem grande, corro para a loja comprando a mesma, irei usar ela hoje na rua do grau. Nathy como uma boa amiga, comprou uma igual, iremos juntas com a mesma bota. Almoçamos por lá mesmo, ficamos mais um pouco sentadas conversando, até decidirmos ir pra casa, passo pela casa da Nathy para ela pegar suas coisas, não tem ninguém em casa, seus pais saíram e seus irmãos estão no campo jogando bola, ela arruma numa mochila porque irá posar com o Léo, ela entra no carro e vamos rumo ao meu apartamento para nós se arrumar. Mas ao pisar dentro de casa, meu celular começa a apitar, pego o aparelho em mãos, vendo uma foto minha com meu pai brilhando na tela

-Vou ter que atender amiga, é meu pai, mas pode ir tomar banho no meu quarto

-Okay, obrigada amiga - concordo com a cabeça, deslizando meu dedo no botão verde, levando o aparelho à minha orelha

"Oi pai

Oi minha princesa, tudo bem por aí?

Aqui tá tudo ótimo pai, e aí como está? Ta escutando mais a Débora e tomando seus remédios bem certinhos depois daquele dia, a última vez que conversamos?

Sim filha, eu to tomando os remédios sim, não se preocupe, mas liguei para saber o que aconteceu que você postou aqueles stories no Instagram e marcou aquele monte de gente? - dou uma risadinha, tinha me esquecido que meu pai é bem esperto para essas tecnologias

Não é nada pai, eu tenho amigos aqui, fiz amizades verdadeiras aqui, eles são famosos no YouTube, e essa semana fui almoçar com o Leonardo, mas conheci ele através da Nathy, sua namorada, então depois do almoço, começou a circular umas fotos no Instagram que o Leonardo estava traindo a Nathy comigo, então todos eles gravaram stories me ajudando a desmentir, depois de muita insistência deles, eu gravei stories também, dando a minha versão, que é a mesma deles, então por isso daqueles stories pai

Mas, já foi tudo esclarecido com essas pessoas? Não tem ninguém fazendo calúnias para você minha filha?

Não pai, está tudo bem já, graças a Deus, aliás hoje vou sair com eles

Bem que faz minha querida, você precisa sair e descansar, quando você morava aqui só ficava em casa e saía para trabalhar e pra faculdade, fico feliz por você ter feito amizades boas aí

É pai, eu to saindo um pouco, eles são bem insistente

Mas então vou deixar você se arrumar pra sair, amanhã nós conversa

Sim pai, amanhã te ligo, só não te dou certeza da hora, mas ligo sim, se cuide, manda um beijo pra Débora, e tome seus remédios

Pode deixar eu vou tomar direitinho, e seu beijo será entregue sim

Tá bom pai, obrigado se cuide

Vou sim, você também se cuide beijos, eu te amo

Beijos te amo também"

Falar com meu pai é sempre assim, eu fico um pouco triste por não estar lá para ajudá-lo, e feliz por ele ter a Débora para ajudar no que ele precisa

-Flávia não vai vir se arrumar não? - Nathy grita do meu quarto, me levanto em um pulo e sai em disparada para meu quarto, chego lá Nathy está com uma toalha enrolada em seu corpo, passando creme no mesmo

-Amiga, peguei esse creme de cereja delicioso aqui, mas assim que terminar de passar, eu coloco ali na penteadeira, okay? - ela me mostra o frasco de creme

-Pode pegar pra você amiga, eu comprei um muito cheiroso, é de Pink Strawberry, muito bom

-Aah sério amiga? - concordo com a cabeça rindo - Aaaah obrigada minha gatinha - ela vem correndo me abraçar, retribuo sem abraço, ficamos alguns segundos assim, até nos soltarmos, Nathy volta terminar de passar o creme e eu caminho em direção ao meu banheiro

-Quando converso com meu pai, esqueço das horas, mas não estamos atrasadas, né? - perguntei parando na porta do banheiro

-Não amiga, mas você disse que tem que passar no posto abastecer a saveiro, daí sabe como é demorado o trânsito aqui em Londrina, e até lá na rua do grau demora um pouco

-Tinha me esquecido que tem que abastecer, mas não vou demorar amiga - digo entrando no banheiro, mas escuto seu "okay", fecho a porta, tirei minha roupa jogando no cesto de roupa suja, entro no box ligando o chuveiro, tomei um banho rapidamente, após banho tomado, desligo o chuveiro, peguei uma toalha me secando e depois me enrolando na mesma, saio do box, vou até a pia escovando meus dentes, depois de feito caminho para fora do banheiro, saio do quarto, vou pra sala, no sofá está a sacola com minha bota nova, quando estou com a mesma em mãos, volto pro quarto, deixo em cima cama, vou pro meu closet pegando uma calça courino preta, um cropped preto de renda com bojo e uma calcinha sem costura, para não marcar na calça

Coloco tudo em cima da cama, passei meu creme novo rapidamente em meu corpo, visto minha roupa, caminho até minha penteadeira, faço a maquiagem de sempre, base, corretivo, pó, blush, rímel e batom vermelho, depois de pronta passo meu perfume. Depois de pronta me olho no espelho gostando do resultado, as botas me deixaram mais alta, a calça colada com o cropped, deixaram as curvas do meu corpo mais marcadas, sorrio satisfeita com o resultado

-Minha nossa senhora da bicicletinha sem freio - Nathy dá um assobio, me fazendo sorrir - Você tá uma tentação amiga, muito gostosa, se eu não tivesse com o Léo e gostasse de mulher ficaria contigo fácil, fácil - ela para ao meu lado no espelho, passo meu olhar dos pés a cabeça dela

-Mas você também não fica pra trás né amiga - Nathy está com uma mini saia preta de couro, cropped branco, meia arrastão preta e a mesma bota que a minha que comprou hoje - O Léo vai ter um treco quando te ver assim hoje, se vocês sumirem no meio da festa, eu não vou ficar surpresa

-Para amiga, a verdade é se você e o Renato sumirem na festa, não vai ser surpresa

-Chega disso, vamos parar, vamos indo

Ela concorda, pegamos nossas pertences, saímos do quarto, pego a chave da saveiro, caminhamos para fora do apartamento, pegamos o elevador até a garagem, caminhamos até minha saveiro, desligo o alarme entrando na mesma, saio da garagem, acelerando nas ruas de Londrina, sendo orientada pela Nathy qye disse que tem um posto de gasolina, indo pra rua do grau, ficamos conversando, até sermos interrompidas pelo meu celular tocando, tinha conectado o bluetooth nele para ir escutando música, atendo o mesmo sem olhar quem é me ligando, mas ao escutar a voz, reconheci que era Tamires e a Karina

"Tão onde gatinhas?

Olha, acho que a Nathy vai me matar e me jogar no meio do mato - arranco risadas delas - Brincadeira, onde que nos estamos amiga? Eu não conheço aqui

Estamos indo abastecer no posto indo pra rua do grau

Sério? Nós estamos aqui, eu e a Karina, vamos esperar vocês aqui então

Beleza então, já estamos chegando - Nathy desliga a chamada e a música volta a tocar

Não demora muito, avisto o posto, estaciono na bomba de gasolina aditivada, peço ao moço para encher o tanque, entrego a chave ao moço, com minha carteira e meu celular em mãos saio do carro, Nathy me mostra onde as meninas estão caminhamos até elas, Tamires está com um shorts branco cintura alta, um cropped rosa choque e um tênis branco, Karina está com de vestido de alcinhas preto colado e de tênis branco

-Nossa vocês estão um arraso meninas - Nathy diz beijando as duas no rosto

-Verdade, os machos de vocês que aguentem os furacões que você estão - digo cumprimentando as duas também com um beijo no rosto

-Mas o Renato que dê seus pulos hoje né Dona Flávia - Tamires diz me olhando de cima embaixo

-Para amiga, senão fico com vergonha, mas falando a verdade, vocês vão concordar comigo, é muito satisfatório ver o macho da gente de quatro por nós- digo a fazendo rir e concordar, sou interrompida pelo moço que abasteceu meu carro, me entregando a chave, agradeço - Vou ali pagar e já venho - vou até a conveniência, pagando pela gasolina, volto para onde as meninas estão - Voltei, Tamy hoje nós vamos correr nós duas com as saveiros né? - digo me encostando na saveiro, ficando ao seu lado

-Vamos sim, quero fazer você comer poeira

-E aí que você se engana meu amor - digo piscando o olho divertida para a mesma

-O Miguel comentou amiga de correr com você hoje - Karina diz

-Sério? - elas assentem - Tudo bem, mas na verdade, eu quero fazer um racha de som com ele

-Você tem som na saveiro? - elas perguntam surpresas, concordo com a cabeça - Como você nunca contou isso?

-Falta de oportunidade - digo dando de ombros

-Aaah eu quero ver

-Lá na rua do grau, eu mostro, vamos senão vamos chegar atrasadas - elas concordam a contra gosto, cada uma toma seu rumo, quando entramos no carro, Nathy já começa com seus dramas de sempre, apenas dou risada

-Eu sou sua melhor amiga, porque nunca me contou? Eu te fiz algo? Aposto que o Léo sabe, aaah eu tinha que… - a interrompi colocando a música tocar nos altos falantes do som, isso faz com que Nathy pare de falar, ela me olha feliz, aumentando mais o som - Caralho, que porra de som é esse - apenas dou risada, continuo seguindo suas instruções para chegar na rua do grau, não demora muito chegamos, desligo o som, quando vamos chegando mais perto dos meninos, encosto o carro com a Tamires encostando atrás de mim, saio sendo acompanhada pelas meninas

Léo, Renan, Boquinha, Thiago, Miguel, Bruno, Gui, Juninho BadBoy já estão aqui, cumprimento todos

-Hoje eu te desafio para um racha comigo de saveiros - Miguel diz na lata sem mais e nem menos, olho pro loiro, ele está com a câmera na mão, deduzo que esteja gravando, puxo meus lábios de canto num sorriso perverso, arqueio a sobrancelha

-E eu te desafio a racha de som - quando digo isso, os meninos começam a pular, gritar, fazendo a maior bagunça, apenas dou risada deles

-Topo - ele diz

-Topo - eu digo apertando sua mão

-Mas antes, eu tenho um racha para ganhar - digo cruzando os braços olhando pra Tamires, que me encara da mesma forma

-Então bora lá - ela diz dando um beijo no Thiago, caminha em direção a sua saveiro, pisco pra Nathy, caminho até a minha saveiro

Arrumamos elas na linha de partida, Boquinha entra em nosso meio, uma câmera foi posto em minha cabeça, na da Tamires também

-Lembrando que são três largadas, se uma das duas ganhar as duas primeiras, não precisa da terceira - concordamos com a cabeça

-Em suas marcas, preparadas - acelero fundo - JÁ - piso fundo no acelerador, saindo em disparada cantando pneu

Na primeira eu ganhei, na segunda a Tamires então como dito, a decisão ficou para terceira, quando estamos quase saindo vejo Renato chegando com sua Porsche, mas não presto muita atenção, preciso ganhar essa

-JÁ - escuto Boquinha dizer, acelero mais uma vez, cantando pneu, saio em disparada, trocando de marcha rapidamente, me sentindo Bryan O'Conner, inclino meu corpo pra frente, acelerando e trocando mais uma vez de marcha, quando eu me vejo passando pelo Bruno e a Tamires para trás, começo a comemorar toda feliz, dou a volta, chamo Bruno para entrar na saveiro comigo, após ele entrar saio em disparada em direção aos meninos, confesso que um pouco, ou a maioria, é pra ver Renato. Tamires me alcança sorrindo, retribui o sorriso, sei que não é um racha de brincadeira que irá acabar com a nossa amizade

-Faça a rotatória, é melhor deixar o carro encostado do outro lado - Bruno diz

-Okay, obrigado - quando passo pelos meninos, um loiro do lado do Renato, que me chama a atenção, não pode ser - Luan? - nessa hora já diminui a velocidade da saveiro, isso faz com que eles me vejam, e eles inclui o Luan, o mesmo me olha espantado, escuto ele falar meu nome

-Não acredito, Luan - o mesmo assente com a cabeça, paro o carro, tiro a câmera da minha cabeça, entregando pro Bruno sem ao menos olhar pra ele, saio do carro - Luan

-Flávia, meu Deus Flávia, minha pequena - lágrimas se faz presente em meu rosto, corro em sua direção, o mesmo abre os braços, ao chegar perto do mesmo, me jogo em seus braços, sentindo seus braços rodear meu corpo e me segurar firme em seu abraço




-Luan, que saudade

-Eu também estava com saudades, eu também pequena


Notas Finais


Como podem perceber a Flávia omitiu algumas coisas sobre o passado dela pro Renato, mas não a julguem, se coloquem no lugar dela, pessoas que passam por isso, sentem vergonha de contar que foi traído

Qual será a reação do Renato? Como devem ter visto em alguns vídeos passados, ele é ciumento, e aqui vai ser igualzinho, sem tirar e nem acrescentar nada

Estou me esquecendo de falar algo, mas quando lembrar eu coloco no próximo capítulo

Links das minhas outras fics:

The Mafia Queen - Justin Bieber 

https://www.spiritfanfiction.com/historia/the-mafia-queen-22001545



Broken Souls - Ruby Rose 

https://www.spiritfanfiction.com/historia/broken-souls-22001339



Love in Evidence - Chris Evans 

https://www.spiritfanfiction.com/historia/love-in-evidence-22000866

Espero que tenham gostado, até o próximo capítulo beijos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...