1. Spirit Fanfics >
  2. A Cura >
  3. Capítulo IV

História A Cura - Capítulo 4


Escrita por: GoddessSannin

Capítulo 4 - Capítulo IV


Fanfic / Fanfiction A Cura - Capítulo 4 - Capítulo IV

Já faziam dois dias desde a minha partida. As estradas rudimentares e o clima de tempestade dificultavam a minha missão de ser rápida, mas eu estava quase chegando ao acampamento, eu já o conseguia avistar. Foi uma questão de dar mais uns passos e finalmente alcancei a entrada. O acampamento era bem organizado, havia um canto onde estavam algumas camas desarrumadas e no outro estavam alguns armários e equipamentos de pesquisa. Eu abri a gaveta do segundo armário e, tal como Chris havia dito, um frasco de soro estava lá. Agora era só extrair o plasma da substância e juntar ao DNA do Cadou.


*Dimitrescu POV's*

-Donna pereceu contra Ethan! - a Mãe Miranda informou - Temo que ele se dirija para o Castelo.
-Eu e as minhas filhas iremos parar o avanço desse bicho-homem! - eu assegurei confiante.
-Diga a Blinki para reforçar a cela do Redfield! - ela ordenou - Se Ethan o libertar, ele irá fazer de tudo para impedir a cerimónia!
-Mãe Miranda, eu sinto em lhe informar mas a minha filha não se encontra no vilarejo. - eu comuniquei, já esperando uma reação negativa por parte da Miranda.
-Foi embora num dos momentos mais críticos? Para onde ela foi? - a Miranda parecia irritada.
-Quando ela partiu nada disto tinha acontecido, Mãe Miranda! - eu defendi - Ela foi buscar o último ingrediente para terminar a cura.
-É bom que ela não demore se não terá de ser castigada! - a mulher advertiu e saiu do Castelo. 

Ela tinha acabado de ameaçar a minha filha? Esta maldita vadia tinha mesmo acabado de ameaçar um dos meus bens mais preciosos? Eu não iria responder por mim mesma caso ela encostasse um único dedo na minha filha, eu iria despedaçar essa mulher com as minhas garras.

-Mãe, está tudo bem? - a voz de Cassandra despertou-me.
-Nem por isso, filha. - eu confessei - Mas não é nada que você deva se preocupar.

Eu depositei um beijo na testa dela e rumei em direção ao laboratório, precisava executar o plano de Blinki.
-Ah, é só você gigante. - o homem comentou dececionado.
-Na esperança que fosse a minha filha? - eu debochei da expressão do homem - Não me surpreende, se ela conseguiu fazer o idiota do Heisenberg ter sentimentos, você não seria diferente. Mas não é para menos, Blinki é encantadora.
-Você sabe do relacionamento da sua filha com o Heisenberg? - o capitão indagou - Mas eles haviam dito que você não sabia!
-Ora, eles pensam que me enganam. - eu gargalhei com a ingenuidade do casal - Eu descobri logo no início do relacionamento deles, há 35 anos atrás.
-35 anos? Qual a idade dela? - o homem estava chocado.
-Blinki tem 56 anos, envolveu-se com Heisenberg aos 21 anos. - eu contei entretida com a expressão de assustado do homem - Nós somos imortais, conservamos a nossa aparência e o nosso físico.
-Qual o motivo que os leva a tentarem esconder a relação deles? - ele parecia bastante interessado na história da família.
-A Blinki sabe que eu desprezo o Heisenberg, ela não quer desapontar-me. - eu confidenciei em tom baixo - Eu aprovaria você com a minha filha mil vezes mais do que com Heisenberg, é uma pena que você seja um inimigo e que o coração dela já tenha sido entregue aquele ser pervertido.


Eu fui até um dos armários situado no canto do laboratório e arrastei-o para o lado, em seguida ativei as minhas garras e usei-as para apertar o botão que ficava na parede entre duas das mesas, só com as garras é que dava para chegar lá. O chão abriu, revelando uma pequena cela subterrânea.


-Hora de mudar de casa! - eu abri a cela onde ele estava e carreguei-o para dentro da outra, fechando-a imediatamente - A minha filha é um génio, não é? Assim nunca ninguém irá descobrir você!


Sem dar tempo para ele responder eu voltei a apertar o botão. As placas moveram-se, era como se não houvesse ali uma passagem. Empurrei novamente o armário e saí do laboratório, voltando para dentro do meu quarto. Eu coloquei um pouco do meu melhor vinho numa taça e permiti-me relaxar na grande e confortável cadeira. Obviamente que o meu momento não durou muito, em questão de minutos a porta foi aberta abruptamente .


-Mãe, eu trouxe uma presa fresca! - Bela disse empolgada.
-Vocês são tão gentis comigo, filhas! - eu elogiei enquanto tomava mais um gole - Bem, vamos dar uma olhada! Ora, ora... Ethan Winters. Você conseguiu escapar dos jogos idiotas do meu irmãozinho, não é? Vamos ver o quão especial você é!
-Sim, mãe. - Daniela e Bela entenderam o meu sinal. Cada uma pegou num braço de Ethan e levantaram-no, Bela retirou uma faca e fez um corte na palma da mão do homem. O sangue apresentava uma coloração meio escura e um cheiro atípico. Levei os meus lábios até à mão e comecei sugando, o sabor era péssimo, era notável que ele tinha o mofo a circular pelo seu sistema.
-Está a ficar muito insípido... - eu decretei com uma cara de nojo enquanto pegava um lenço para limpar a boca.
-Então vamos devorar a carne dele o mais rápido possível! - Daniela prontificou-se.
-Mas fui eu que o capturei! - Bela retrucou.
-Tenham calma, filhas! - eu larguei o lenço sujo de sangue no chão - Primeiro eu tenho de informar a Mãe Miranda! Mas mais tarde haverá suficiente para todas! Coloquem-no em cima!
-Hey, esperem! - o homem suplicou mas então ele gritou de dor, Bela e Daniela colocaram os ganchos nas mãos dele e Cassandra ativou o mecanismo que subia - Hey, ponham-me no chão!
-Oh, cuidado com o que você deseja, Ethan Winters. - eu saí do quarto mas ainda pude ouvir a voz fraca do homem.
-Esperem... O que vocês estão fazendo? - ele gaguejou.


*Blinki POV´s*
Senti uma picada forte na cabeça que me obrigou a parar a tarefa de juntar o plasma do soro ao DNA do Cadou, logo em seguida várias imagens começaram a passar na minha frente. Na primeira era possível ver o corpo de Donna e de Angie estirados no chão, ela estava morta. Na segunda um homem, que eu julgo ser o pai da criança, estava às portas do Castelo. Outra imagem passou, a minha mãe estava sugando o sangue da mão de Ethan, na última eu já não avistava a minha mãe, apenas o homem caído no chão e com as mãos a sangrar. Algo dentro de mim começou a agitar-se, uma sensação ruim tomou posse do meu corpo, sentia a necessidade urgente de me apressar. Eu comecei extraindo as moléculas de DNA do Cadou e colocando no tubo de ensaio onde estava o plasma, mais uma vez a minha cabeça doeu, mais uma sessão de imagens passaram. Numa delas Bela estava confrontando Ethan, na outra ela estava desfeita, Bela havia morrido. Eu terminei a cura, injetei umas das seringas na minha veia e guardei a outra dentro de uma maleta térmica, precisava retornar o mais rápido possível para o Castelo.


*Dimitrescu POV's*
-O que é que você fez à minha filha?- uma lágrima escapou do meu olho ao avistar o corpo completamente desfeito, no chão da cozinha - Bela, pobre garota...
Eu precisava de informar a Mãe Miranda, não podia deixar que este homem estúpido matasse as minhas filhas. Eu saí da cozinha a passos apressados, quando me aproximava do quarto comecei ouvindo o telefone tocar, era ela.
-Mãe Miranda, Ethan Winters está no meu castelo e já está a dar problemas às minhas filhas, quando eu o achar... - eu fui interrompida pela sacerdotisa - Sim claro, eu entendo a importância da cerimónia. Não vou deixá-la ficar mal.
Eu encerrei a ligação e senti uma raiva genuína ferver no meu sangue, eu peguei na mesa e atirei-a contra o chão.
-Que se foda a cerimónia! Aquele homem vai pagar pelo que fez!
Ao sair do quarto pude ouvir o barulho do telhado da sala abrir e em seguida um tiro. Não, aquele homem devia estar zoando com a minha cara, ele não podia estar matando mais uma filha minha. Eu corri como nunca para a sala e, quando adentrei, apenas tive tempo de ver Daniela congelar.
-Eu não quero morrer... - estas foram as últimas palavras proferidas por ela.
-Foi frio, não foi, Daniela? - eu abracei o corpo agora sem vida.


*Heisenberg POV's*
-Caralho, você realmente é forte, Ethan... - eu comentei para mim mesmo enquanto via, pelas cameras espalhadas pelo castelo, o homem assassinar a última falsa filha da mulher gigante. Apesar da sua condição estar um pouco limitada devido ao enfraquecimento do homem, ele realmente seria um bom aliado contra a Miranda. Ainda bem que a Blinki vai demorar a chegar ao vilarejo, assim eu podia ficar seguro de que nada aconteceria à minha mulher. 


*Blinki POV's* 
Já podia avistar o vilarejo de longe, estava quase alcançando a minha casa. Quanto mais perto eu estava, mais forte era a sensação ruim dentro de mim. Parei ao sentir a cabeça doer, desta vez era mil vezes mais dolorido, um filete de sangue começou escorrendo do meu nariz. As imagens pareciam estar a ser vividas pela minha mente, Daniela e Cassandra mortas, Dimitrescu aos prantos a chorar, Ethan lutando contra a minha mãe. Fui despertada pelo barulho de um estrondo, olhei para a torre do castelo e pude ver um dragão ao longe, era a minha mãe, as visões correspondiam ao presente. Eu apertei a maleta contra o peito e desatei a correr, como nunca corri antes, em direção ao Castelo. O barulho dos tiros de fuzil soavam ao longe, precisava salvar a minha mãe. Passei empurrando as pessoas que se juntavam para observar, de longe, a batalha que se travava entre o "Monstro do Castelo Dimitrescu" e o "Salvador do Vilarejo", segundo eles. Mal esperavam eles pela demora, no final de tudo eu iria mostrar a esses aldeões o que é sofrer de verdade. Quando passei pelos portões do Castelo o meu coração parou, um último tiro, o corpo da minha mãe voltando ao normal enquanto caía pelo céu nublado, tinha chegado tarde demais. 


*Ethan POV's*
Tinha acabado. O penúltimo Lorde havia sido derrotado e não havia sinal nenhum do frasco com a cabeça de Rose. Será que Duke havia me enganado? Eu precisava tirar satisfações com o mercador. Recarreguei o fuzil e fui até ao centro do vilarejo, onde estava a carroça do feirante.
-Eu fui ao Castelo, matei a vadia da Dimitrescu e as filhas loucas dela e não encontrei o frasco com a cabeça da Rose! - eu disse com raiva, recebendo apenas uma grande gargalhada do comerciante.
-Você não conseguiu perceber? - o homem gordo questionou com um sorriso - Lady Dimitrescu não é muito diferente de você!
-Você está realmente me comparando com aquela mulher? - eu respondi indignado.
-Escute Ethan, a Lady Dimitrescu não é um lorde. - ele fechou os olhos como se estivesse imaginando alguém e em seguida sorriu - Você não se lembra de ter visto uma jovem mulher com cabelos longos e castanhos?
-Cassandra? Mas ela está morta! - eu estava confuso.
-Não, Cassandra tem o cabelo liso e preto! Além disso, como você sabe, ela não é filha de sangue da Dimitrescu. - ele prosseguiu - A Lorde é a filha de sangue dela, Blinki. Uma mulher com uma beleza incomparável. Com certeza você viu ela quando foi capturado por Heisenberg.
-A mulher com um vestido preto, no mesmo formato que o da Dimitrescu? - eu conseguia relembrar-me da figura. Uma mulher de facto impressionante e bastante parecida com Dimitrescu.
-Ela mesma! A Lady Dimitrescu decidiu fingir ser a Lorde para que nada acontecesse à sua filha, um amor genuíno, assim como você tem pela Rose! - ele rematou - É ela que está na posse do frasco que contém a cabeça da sua filha.
-Eu vi retratos dela pelo castelo mas pensei que fosse a Dimitrescu numa idade mais nova! - vários flashbacks dos retratos passaram pela minha mente - Sendo assim é ela que está na posse do frasco? Onde ela está?
-Com calma, Ethan! - Duke sorriu - Ela encontra-se fora da vila no momento, está a desenvolver uma vacina para curar ela e a mãe da doença hereditária.
-A doença retratada no diário da Dimitrescu! - eu exclamei - Assim será mais fácil matar ela!
-Cuidado com os passos que dá! A doença pode matá-la só se ela ficar semanas sem ingerir sangue! - o comerciante advertiu - E ainda tem o facto de Blinki ser dona de uma inteligência inimaginável.
-Eu assumirei os riscos! - eu decretei confiante - Como eu posso encontrá-la?
-Oh, não se preocupe! Ela mesma irá até você quando souber o que você fez! Aquela mulher fica incrivelmente poderosa quando tem explosões de raiva. - Duke garantiu - Ela não descansará enquanto não vingar a sua família. Mas cuidado, Blinki é uma caixa de surpresas.
-O que você quer dizer com isso? - eu indaguei já impaciente com os rodeios do homem.
-Ela não está sozinha. Heisenberg é o Lorde mais perigoso e ele fará de tudo para protegê-la e, se algo correr mal, ele irá vingá-la sem dó nem piedade! - ele informou - O resto você descobrirá.
-Então eu matarei Heisenberg antes dela chegar à vila! - eu ia sair do local quando o homem disse.
-Não sei se isso é uma boa escolha. Blinki ficará ainda mais raivosa se, além da sua família, você matar o seu amado.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...