História A cura para a minha dor. - Capítulo 19


Escrita por:

Postado
Categorias Lee Jong Suk
Personagens Lee Jong Suk, Personagens Originais
Tags Amigos, Amor, Apaixonante, Aroha, Astro, Bangtan Boys (BTS), Casal, Cura, Escola, Faculdade, Família, Fanfic, Feliz, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Lee Jong Suk, Monsta X, Musica, Nanjoom, Paixão, Romance, Taehyung, Trabalho, União, Viajem, Yoongi
Visualizações 1
Palavras 1.302
Terminada Não
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 19 - Quarta noite (Parte 2)


Narração de Lee.

Senti algo incomodando minha garganta, abri meus olhos e sinto um cano em minha garganta.

- Calma eu vou tirar, fique calmo. - o enfermeiro vem tirar o mesmo.

- Obrigado. - digo em meio a tosse. - O que aconteceu comigo? -

- Você teve uma reação alérgica ao cogumelo que comeu. -

- Nossa, eu nem sabia que tinha alergia. -

- O exame constatou alergia ao Cogumelo branco. - o mesmo nem olha para mim.

Encosto minha mão em algo que não consigo identificar e me levanto rapidamente para ver o que é. Vejo Liv debruçada dormindo, aposto que ela estava morrendo de frio.

- Você poderia trazer outro cobertor? Ela está com frio. - pergunto me sentando na cama.

O mesmo assente e traz um cobertor de lã, envolvo ela de maneira que ficasse confortável e quente.

Pego o controle que estava no criado mudo e ligo a televisão. Apoio minha mão nos cabelos de Liv, que ainda estavam trançados e bagunçados e começo afagar o mesmo, após uma hora Liv acorda meio atordoada e perdida.

- Lee? Como você está? - ela se levanta e põem suas delicadas mãos em meu rosto.

- Estou melhor, foi só uma crise alérgica. - digo ligeiramente surpreso já que eu estava bem para um choque anafilático.

- Você me deixou preocupada. -

- Eu sei, mas já passou. - digo enquanto toco a ponta de seu nariz.

Ela da um sorriso tristonho.

- Vem, deita aqui. - puxo-a para que ela deitasse em meu peito.

- Aqui está quentinho. - ela se aconchega como um passarinho no ninho.

Apoio minha mão em seu braço e começo a acarinhar o mesmo.

- Que horas são? - ela pergunta meio perdida.

- Acho que umas cinco. -

Ela se estica e pega o celular do outro lado.

- Cinco e dezessete. - ela arregala os olhos. - Eu dormi muito. - ela se surpreende.

- Que horas nos chegamos aqui? -

- Quase três horas. -

- Uau. - me surpreendo.

Encaro a tela do celular com o papel de parede.

- Essa nossa foto ficou linda. - digo bobo.

- Ficou sensacional isso sim. - ela ri com seus olhos inchados.

- Aishi! Estou cansado, quando vou poder ir pra casa? -

- Talvez amanhã de manhã ou hoje de madrugada. - ela passa seus dedos sobre meu peito.

Sinto uma paz nesse momento, que é quebrado com o toque do celular se Liv.

- A Naty está ligando pela chamada de vídeo. - Liv atende o mesmo.

Chamada de vídeo.

Naty: Eai, como vocês estão?

Eu: Estou bem.

Liv: Eu também.

Lorraine: Que bom que estão bem, vocês nos deram um grande susto.

Rodrigo, Maurício e Lucas: Verdade.

Liv: E aí Lorraine, como Maurício reagiu a notícia?

Eu: Verdade, e aí?

Lorraine: Ele ficou bem surpreso, na verdade acho que a ficha dele nem caiu ainda.

Liv: Imagino, até por que é uma grande surpresa mesmo.

Eu: Mas e de quanto tempo você está?

Lorraine: Ao que indica o teste, de três semanas.

Liv: Ai que bonitinho Lorraine, espero que dê tudo certo.

Naty: Esperamos que venha mais uma menina para o grupo né.

Maurício: Ah não, eu quero um menino.

Lorraine: Eu acho que isso vai dar briga.

Rimos.

Naty: Vão lá descansar, quando estiver de alta me liguem que vamos buscar vocês.

Liv: Tá bom, tchau.

Naty: Tchau.

Fim da ligação.

- Amor. -

- Sim. - Liv diz ainda deitada em meu peito.

- Você acha que isso vai dar certo? -

- O que? - ela me olha com aqueles olhos curiosos.

- A Lorraine e o Maurício com essa gravidez. -

- Eu não sei, ela estava querendo terminar com ele. Agora eu já nem sei mais o que se passa na cabeça deles. -

- Eu quero ver como ele vai reagir com isso, ele estava muito estranho ultimamente, parecia que queria se reaproximar de você. Eu não gostei de nada disso. -

- Eu percebi, sei lá é estranho ver ele tão perto de mim de novo.-

- Você ainda sente algo por ele? - pergunto ligeiramente apreensivo.

Ela me olha com um sorriso bobo e dando risada.

- Claro que não, de onde você tirou essa ideia? -

- Ah, não sei. - coço a cabeça. - Só pensei que poderia gostar, ou voltar algum sentimento sei lá. - explico confuso.

Ela continua rindo.

- Você é bobo mesmo né. - ela me beija. - Nunca que eu vou deixar de amar você Lee, principalmente para amar alguém que me traiu. - ela deita novamente.

Sorrio contente.

- Acho bom mesmo. - rimos.

A tarde passa e ficamos entediados o tempo inteiro no hospital. A noite chega e junto com ela uma janta horrível, que era preferível ficar com fome.

- Boa noite. - o médico entra na sala.

- Boa noite. - respondemos.

- Então senhor Lee, você teve uma boa recuperação então poderá ter alta antecipada.-

- Maravilha. - suspiro aliviado.

- Senhora Lee, você poderia vir assinar os papéis da alta por favor. -

Seguro o riso.

- Claro. - ela vai animada até a recepção.

Ao voltar Liv estava vermelha de vergonha.

- O que houve senhora Lee? -

- Você também seu besta!? - ela ri.

- Lógico, já somos quase que oficialmente casados. Nada mais justo que te chamar de senhora Lee. -

Ela revira os olhos ainda rindo.

- Já liguei pra Naty, vamos vai. - ela pega na minha mão e saímos para o estacionamento.

Após uns dez minutos Naty e Rodrigo chegam e nos levam pra casa.

- Caramba que susto em parceiro. - Lucas em meu ombro.

- Verdade, ficamos preocupada com você Lee. - Kimberly diz de maneira receptiva.

- Eu também me dei um susto, nunca tinha acontecido nada do tipo comigo. - explico surpreso.

- Mas agora está tudo bem, vai lá ligar para os seus pais eles devem estar preocupados. - Liv me entrega meu celular.

Ligo para os meus pais e explico tudo o que aconteceu para eles, minha mãe ficou mega preocupada então demorei uns quarenta minutos para explicar para ela que estava tudo bem e para fazer ela se acalmar.

- Eai? - Liv pergunta quando retorno para a sala. - Eles entenderam? -

- Sim, minha mãe surtou por um tempo mas depois passou. -

Todos rimos.

- Pelo menos agora está realmente tudo bem. - Naty diz voltando sua atenção para a TV.

- Nem tudo. - Maurício diz olhando para a Lorraine que fazia uma cara de angustia.

- O que foi Lo? - Liv pergunta preocupada.

- Enjoo. - Maurício responde com dó.

- Toma um remédio. - Liv sugere.

- Toma Lorraine, só evita tomar muitas vezes. Minha mãe sempre disse que tomar demais vai fazer mal para o bebê. - Kimberly diz preocupada entregando a cartela.

- E vocês já tem alguma ideia de nome para o bebê? - pergunto.

- Maia ou menos. - Lorraine olha encantada para Maurício.

- Se for menina queriamos que fosse Mickaelly. - Maurício diz.

- E menino? - Lucas pergunta.

- Oliver. - Maurício olha para Liv encantado.

- Sério? - Naty pergunta encucada.

- Sim. Achamos que é um nome bonito e sofisticado. -  Lorraine sorri.

- Legal. - digo suspeito.

- Acho que podemos ir dormir né, já está tarde e amanhã voltaremos para casa. -  Naty se levanta.

- Vamos. - Liv se levanta e pega em minha mão.

Todos nós desejamos boa noite e seguimos para os quartos, antes de se deitar Maurício vai até a cozinha e eu até o banheiro escovar meus dentes. Quando volto escuto a voz de Liv murmurando algo e logo em seguida ela sobe correndo para o quarto ligeiramente surpresa e irritada ao mesmo tempo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...