1. Spirit Fanfics >
  2. A curva do seu pescoço >
  3. (único)

História A curva do seu pescoço - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


E vamos de março YiZhannn

Capítulo 1 - (único)


Xiao Zhan estava inquieto.

Eram os primeiros dias de fevereiro e ele havia acordado cedo. Logo após o banho e uma boa xícara de café, começou a limpar.

Não é como se o apartamento estivesse de fato sujo; ele era simplesmente o tipo de pessoa que usava uma boa faxina como tentativa de dissipar a inquietação ou no mínimo para se distrair dela.

Então ele limpou, começando normalmente pelo aspirador de pó e terminando com uma inspeção visual e tátil cuidadosa para não deixar escapar qualquer poeirinha que pudesse ter sobrevivido – a ideia de conseguir uma lupa para acurar ainda mais a tarefa passou pela sua cabeça.

No meio disso, ainda conseguiu a proeza de preparar uma refeição completa que mais tarde só precisaria esquentar, enquanto ele próprio se mantinha apenas com uma maçã desde o desjejum e já eram 15h da tarde naquele momento, mas ele não conseguiria comer mais nada – pelo menos não até que ele chegasse, dali a por volta de mais uma hora e meia.

Suspirou e voltou a pensar em conseguir uma lupa, depois apenas deixou o pensamento de lado mais uma vez e seguiu para tomar outro banho após o trabalho duro, pronto para deixar que a água quente relaxasse seus músculos tensos.

Não importava que eles estivessem juntos a quase seis meses agora e que mesmo desde antes do relacionamento ele já estivesse acostumado com sua presença, porque não era uma questão de ele estar presente, mas sim a questão de esperá-lo chegar.

As agendas lotadas de ambos e as parcas oportunidades de um momento a sós devido a elas apenas agravavam sua situação de stress; dessa vez fazia quase um mês inteiro que não se viam pois Yibo tinha compromissos na Coreia do Sul.

Tudo isso explicava porque a expectativa de vê-lo o deixava inquieto, impaciente, nervoso, tanto que ele demorou o máximo que pôde no banho e vestindo-se e, mesmo assim, quando voltou à sala de estar e ainda faltavam uns trinta minutos para ele chegar, começou a andar de um lado a outro repetidamente, ainda castigado pela antecipação. 

Após mais vinte minutos marcando suas pegadas no assoalho, parou ao ouvir o leve toque do celular indicando uma nova mensagem recebida.

"Estou chegando" estava escrito; e ele mal terminou de ler e já digitava a resposta: "Onde está?", porque simplesmente não ajudava em nada o fato de ele não dar um maldito ponto de referência para que ele pudesse calcular a distância e depois o tempo que ainda os separavam.

Bufou em exasperação, pois aquilo era típico de Yibo: ele provavelmente enviou a mensagem ao parar em um sinal vermelho que podia ser tanto a meia hora dali quanto o que ficava na esquina de sua casa e simplesmente saiu do aplicativo de mensagens sem esperar uma resposta dele; e pior, sem dar o maldito ponto de referência, porque para o mais novo o "estou chegando" bastava.

Xiao ainda encarou um pouco a tela do celular na esperança de que ele reaparecesse no chat, apenas para lidar com o silêncio do outro e bufar novamente, cruzando os braços em irritação e pronto para voltar a marcar seus passos impacientes no chão da sala, exceto que não teve tempo para isso pois um barulho vindo de fora o fez congelar no lugar.

Fora o barulho da capa da tranca digital sendo levantada para que o visitante pudesse acessar o teclado e digitar a senha numérica que abriria a porta do apartamento. Era a data do início de namoro – e Zhan juraria de pés juntos que tentou não ser esse tipo de namorado, mas acabou sendo.

Então ele estava no cruzamento da esquina, afinal.

Segundos depois, o aparelho fez o "bipe" característico de quando a porta era destrancada e Zhan pôde observá-lo entrar.

O sorriso que o jovem abria para ele imediatamente fez com que um similar se abrisse em seu próprio rosto e seus braços antes cruzados junto ao peito logo caíram, finalmente relaxados e prontos para receberem o abraço apertado que não demorou a vir. 

Um tremor de prazer tomou sua coluna e a pele se arrepiou ao sentir o nariz de Yibo tocar-lhe o pescoço com sua inspiração leve; ele também aproveitou para inspirar o cheiro dele.

Finalmente.

 

[...]

 

Depois de conversarem muito sobre tudo o que Yibo havia feito na Coreia do Sul e Zhan ali na China durante os longos dias em que estiveram afastados, jantaram e conversaram mais amenidades.

Zhan normalmente não era do tipo de pessoa tão dada a toques e esse tipo de demonstração de afeto, mas mesmo antes do relacionamento Yibo sempre se aproximava dele dessa forma e isso não mudou: lado a lado na mesa de jantar, uma mão dele se mantinha em sua coxa enquanto a outra se ocupava com os hashis, isso quando ele não os deixava completamente enquanto mastigava e tocava-o com ambas as mãos livres. 

Se se tratasse do toque de outra pessoa, o mais velho simplesmente deixaria ou retribuiria um pouco, timidamente; porém era Yibo ali e seu corpo também sentiu a falta do dele, por isso ele retribuía os toques com a mesma intensidade ou até maior.

E os toques de ambos se intensificaram ainda mais quando, após o jantar, os dois seguiram para o quarto.

Toques levaram a beijos, que levaram a carinhos, puxões, gemidos, menos roupas e cada vez mais pele, cada vez mais toques.

Por fim, sentiu Yibo se deixar desmoronar sobre si, juntando ainda mais o corpo nu e cansado dele ao seu próprio corpo nu e cansado.

Yibo foi rápido ao, após se recuperar do orgasmo, levantar e descartar a camisinha e os lenços de papel usados na lixeira próxima a cama; logo ele estava de volta e cobria os dois com o lençol limpo, abraçou-o e acomodou o rosto na curva do pescoço de Zhan, onde se encaixava perfeitamente.

O mais velho manteve os olhos fechados ao abraçá-lo de volta e já sentia o sono esgueirar-se para mais perto quando ouviu o murmúrio contra a sua pele:

– Não importa onde eu vá, a curva do seu pescoço é o meu lugar favorito no mundo inteiro – Yibo disse, fazendo-o sorrir mais uma vez em uma felicidade que transpassava seu peito, sabendo que toda a tensão da espera havia valido a pena, pois eles finalmente estavam ali no lugar a que pertenciam: juntos.


Notas Finais


e shallow now, risossss

cola no março yizhan com a gente: https://www.spiritfanfiction.com/jornais/desafio-yizhan-18691031 e no evento do @Yunmeng (tem prêmio, gaysss)
e agradecimentos a @retrive por essa capa gostosa, digo- só fez sua obrigação

Curtiram? Um cheiro e até a próxima <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...