História A Dama - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Asuma Sarutobi, Chouji Akimichi, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Jiraiya, Kakashi Hatake, Karin, Kizashi Haruno, Mei, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shizune, Tsunade Senju
Tags Máfia, Naruto, Romance, Sasusaku
Visualizações 104
Palavras 2.613
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Policial, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá queridos e queridas, finalmente consegui trazer mais um capitulo para vocês... Peço desculpas pela demora vergonhosa, de vdd, não foi minha intenção em demorar 3 semanas para att :/ , espero que possam me perdoar.


BOA LEITURA!!!

Capítulo 4 - Dores


 

 

Seus olhos negros, ainda direcionados para a porta, tinham um brilho diferente. Não conseguia desfazer o sorriso que estava em seu rosto, talvez pelo fato de ainda não ter percebido que sorria, pois, toda a sua atenção ainda estava naquela mulher misteriosa que havia acabado de sair do café.

_ Nossa… Mas o que foi isso?

A voz de Itachi soou próximo, mas não foi o suficiente para tirar o Uchiha mais novo de seu transe particular.

_ Isso? Isso foi o poder da vela - respondeu Deidara surgindo ao lado de Itachi, apoiando-se no batente da porta, sorrindo de forma vitoriosa

_ O que tem nessa vela? - perguntou Itachi o encarando

_ O mais puro poder de trazer o amor - respondeu Deidara com orgulho

_ A mais pura mandinga, isso sim - disse ele - Por que nunca me ofereceu essa vela?

_ Ela traz o amor verdadeiro Itachi, e não mulheres fáceis como aquelas putas que você arruma em qualquer club ou bar - disse deidara cruzando seus braços - E também, pensei que não acredita-se

_ Eu não acredito Deidara, essa mulher pode ter vindo por conta de, sei lá, da propaganda, já que Ino a aumentou

_ Deixe de pouca fé homem…

O barulho da porta do café sendo aberta com certa violência interrompeu a pequena discussão que os dois tinham ali, fazendo ambos olharem para a porta imediatamente.

_ Sasuke? Ei! Sasuke! Aonde você vai?! - gritou Itachi vendo ele sair pela porta, o ignorando totalmente

Do lado de fora, Sasuke olhava de um lado para o outro um pouco afoito, na tentativa de encontrá-la ali. Seus olhos se arregalaram levemente quando a viu entrar em um carro. Sem pensar duas vezes, ele correu até o automóvel, vendo-o começar a se movimentar.

Já próximo, Sasuke simplesmente se pois na frente do carro, erguendo suas mãos, ouvindo a leve freada.  

Com os olhos semicerrados por causa da luz do farol em seu rosto, ele andou, com certa pressa, pra o lado do motorista, com a respiração rápida, vendo a janela abaixar, revelando olhos lindamente verdes e , surpresos.

_ Mas o que…?

_ D-desculpa, desculpa mesmo por isso - disse ele ainda com as mãos erguidas e , recuperando um pouco o seu fôlego

_ O que pensa que está fazendo? Eu poderia ter machucado você - disse Sakura com a voz firme

_ Desculpa, desculpa de verdade, juro que não foi essa a minha intenção - disse ele levando sua mão em seu peito, sem desviar seu olhar do dela

_ E qual era a sua intenção?

_ Er… Bem, é um pouco… Complicado - disse ele um pouco constrangido, desviando seu olhar

_ É para eu pagar o chocolate quente?

_ O que?! Não! Claro que não - falou Sasuke de forma rápida e um pouco alta, constrangendo-se mais com tal ato - Desculpa

_ Você pede muitas desculpas senhor Sasuke

_ É, me desculpe por isso também - disse ele soltando uma leve risada, vendo-a sorrir levemente - É que eu estou um pouco… Nervoso

_ Por que? Eu sou uma pessoa normal

_ Não… Não é - disse Sasuke olhando novamente para aqueles olhos verdes, se encantando mais uma vez pelos mesmo - Er… Sei que isso pode parecer estranho, na verdade é realmente estranho e até um pouco assustador, já que acabamos de nos falar pela primeira vez, e espero mesmo que não seja a última, q-quer dizer, bem, eu gostei muito de você, n-não de um modo malicioso, não por favor, eu não quero lhe desrespeitar de forma alguma… - ele parou de falar quando notou o que estava fazendo - Desculpa, eu fiz de novo, falei e falei

_ Não tem problema, eu sou uma boa ouvinte - disse Sakura sem desmanchar o pequeno sorriso em seus lábios - Pode falar o que você quer, sem medo

_… Er… Sairia comigo um dia desses? - ele perguntou rapidamente

_ O que? - disse ela um pouco surpresa

_ Sei que é inesperado, bem inesperado na verdade... Eu… Eu só queria vê-la de novo, conversar novamente, quem sabe até saber seu nome… - ele soltou mais uma leve risada -... Você poderia me dar seu número?

Ao ouvir tal pergunta, a expressão séria voltou ao rosto de Sakura, fazendo ela desviar seu olhar pela primeira vez desde que ele a parou ali.

_ Me desculpe Sasuke, eu não tenho celular - disse Sakura seriamente, voltando a encará-lo

_ Não tem? Sério? - ele perguntou surpreso

_ Eu tenho uma certa paranoia com aparelhos eletrônicos

_ Ah… Que pena - disse ele não conseguindo disfarçar a tristeza que sentiu ao ouvir aquilo

_ Eu volto, eu juro que volto - disse ela vendo o sorriso voltar ao rosto dele

_ Ok, tudo bem - falou ele se afastando lentamente do carro - Então… Até

_ Até - respondeu ela sorrindo para ele - Ah!... Meu nome é Sakura

_ Prazer - falou ele com um grande sorriso no rosto

Viu o vidro levantar, em seguida o carro começou a se movimentar novamente, andando por aquela rua, pra longe dele que, mantinha o sorriso bobo no rosto, enquanto via o carro se distanciar mais e mais.


     (...)


Um leve música que tocava ali, se misturava com as vozes dos poucos clientes que naquele bar, naquele horário, se encontrava.

Um calmaria aconchegante tomava conta do lugar, que era muito apreciado por Tsunade que, sentada em uma das banquetas do bar, tomando mais um gole de seu bourbon, enquanto seus olhos estavam fixos no balcão a sua frente, mas seus pensamentos estavam longe.

_ O que você está fazendo aqui?

A voz de Kabuto soou próxima a Senju, que com um pequeno sorriso no rosto olhou para seu lado, vendo o homem de cabelos acinzentados sentar-se na banqueta ao seu lado.

_ Kabuto, é muito bom revê-lo

_ Eu não digo o mesmo - disse ele entredentes - A última vez que nós vemos você quebrou um dos meus dentes com um soco

_ Ora que é isso, já faz muito tempo, já devia ter esquecido

_ Pode ter certeza que eu não vou esquecer…

_ Tudo bem, chega disso, preciso de uma coisa - disse Tsunade o interrompendo, se inclinando um pouco em sua direção

_ Não sou mais seu informante Tsunade - falou ele com raiva

_ Você vai ser meu informante até eu disser que não é mais… Ou você acha que eu não sei sobre seu laboratório clandestino que fica aqui, bem debaixo desse bar?

_ E você sabe o que eu faço lá ? - perguntou Kabuto com um sorriso de canto

_ Não e não me importo no momento - respondeu ela - O que eu quero saber  é sobre a organização… Quem está liderando?

_ O que?

_ Não começa Kabuto, eu sei muito bem que você faz parte da organização Haruno - disse ela seriamente - Então me falou logo

_ Eu não sei

_ Você quer que eu lhe dê voz de prisão?

_ Eu estou falando sério Tsunade, eu realmente não sei quem está liderando - disse Kabuto - Apenas sei que Kakashi fala pelo novo líder… Pelo menos foi o que o senhor Orochimaru disse

_ Como vocês podem ser leais a uma pessoa que nem ao menos conhecem? Como sabem que não é esse Kakashi que tomou a liderança para si próprio?

_ Você não sente a atmosfera?

_ Atmosfera?... Nossa, você está passando muito tempo com o Orochimaru

_ É sério - falou ele - Tenho certeza que é um Haruno que está liderando

_ Que Haruno? Kizashi não teve filhos e tenho certeza que ele não possuí nenhum irmão ou parente próximo

_ Verdade mas, isso não retira a certeza de toda a organização - disse Kabuto, apoiando seus cotovelos no balcão -... Alguma chance de Kizashi está vivo?

_ Impossível , eu vi o corpo e a legista é da polícia e de inteira confiança

_ Então Kizashi teve um filho, e pelo visto não só o escondeu muito bem, como o ensinou muito bem o... Ofício

_ Como assim?

_ Esse novo líder já está sendo melhor, ou pior, que Kizashi

_ Não… Não tem como ser pior que Kizashi

_ Tem sim, e esse novo líder já começou mantendo-se no anônimo… Vai ser difícil descobrir quem ele é

_ Pode até ser, mas eu vou descobrir mais cedo ou mais tarde - disse ela tomando mais um gole de sua bebida

_… Sei que não devia está falando isso mas, tome cuidado Tsunade… Kizashi já era bem hostil, imagina esse que ninguém sabe quem é, sua aparência e nem nada? - falou Kabuto encarando a Senju - Ele pode ser qualquer um e está em qualquer lugar

_ Hmm, será esse o motivo de ele se manter nas sombras? Ou será apenas medo?... Talvez ele tenha alguém importante - falou Tsunade pensativa

_ O que importa? Não dá pra lutar contra alguém assim… Meu conselho é que você deixe isso de lado. Se quer vingar seu filho, sugiro atingir um órgão menor, e não ir direto para o principal - disse ele sendo, em seguida, encarado pelos olhos raivosos da Senju

_… Eu vou acabar com essa merda… Pode apostar nisso

_ Boa sorte… Vai precisar, porque… Se quiser mesmo acabar com toda essa ‘’merda’’ , vai ter que acabar também com toda a organização, inclusive comigo, e , como eu, nenhum dos integrantes da mesma irá querer isso

Soltando uma leve risada, Tsunade desviou seu olhar, tomando outro gole do bourbon.

_ Agora saia do meu bar - falou Kabuto se levantando e se afastando da detetive



 

(...)



Estacionado seu carro na garagem de sua casa, Sakura saiu do mesmo, indo até uma pequena porta que havia ali do lado, adentrando assim, em sua casa.

Ela andou por um pequeno corredor, saindo na cozinha, notando o cômodo com pouca iluminação.

Andou em direção a sala, para subir as escadas e ir para seu quarto, descansar um pouco era tudo o que desejava agora, seu corpo, por mais forte que fosse, estava pedindo por isso… Mas, assim que colocou os pés na sala, viu alguém no meio da escuridão, se levantar do sofá, e se aproximando dela, que, levou sua mão até o interruptor na parede próxima, ligando a luz.

_ Kakashi? O que faz aqui? - ela perguntou franzindo o seu cenho levemente enquanto adentrava mais o cômodo

_ Estava lhe esperando - respondeu ele - Achei melhor já que não me disse onde foi… Poderia me dizer agora?

_ E eu por acaso sou obrigada?

_ Claro que não senhorita, só acho melhor termos tais informações um do outro

_ É mesmo?... E o que você me diz sobre isso? - perguntou ela andando até a mesa de centro e , tirando de seu bolso a nota de cem de antes

_ Um nota de cem?... A senhorita tem muitas dessas

_ Não, não faz isso Kakashi, acha que eu não conheço essa numeração?... Essa é a mesma nota que meu pai carregava o tempo todo, eu lembro muito bem e você a colocou no meu bolso sem eu perceber, o que é algo realmente notável, o que faz eu pensar que você teve um excelente motivo para fazer isso

_… Essa nota estava com ele quando ele morreu… Ela viu ele morrer, e a senhorita não - disse Kakashi se aproximando lentamente da Haruno - Achei que gostaria de ficar com ela…Achei que ela faria se lembrar de seu pai e o motivo que o fez morrer...

_ O motivo de meu pai ter morrido era porque ele era burro e ansioso - Sakura o interrompeu - Não preciso de uma nota para me fazer lembrar da pessoa que ele era… Já carrego em mim coisas e memórias que nunca passará

_ Ele não era um Haruno digno

_ Eu também não sou Kakashi, e acho que essa coisa de ser digno ou não, não existe - disse ela -... Fazemos aquilo que achamos certo, ou o que vai nos divertir mais… E meu pai sempre seguia o caminho da diversão, e a cidade toda o temia… Que burrice

_ Mas a senhorita fará diferente, já está fazendo nesses meses que está no comando - falou ele com um sorriso confiante no rosto - A senhorita fará de Raccoon Pine um lugar melhor, como nunca antes

_… Isso parece até lema de super herói, coisa que não sou - disse Sakura andando em direção a escada - Vá para casa, eu preciso descansar

_ Sim senhorita, tenha uma boa noite - disse Kakashi vendo-a sumir no final da escada

A passos calmos, Sakura andou pelo corredor, indo em direção ao seu quarto, e , ao abrir a porta, ela não pode conter o suspiro que escapou por seus lábios.

Fechando a porta atrás de si, ela retirou o casaco que usava enquanto adentrava mais em seu quarto.

Colocou a peça sobre a cama e , ainda olhando para o mesma, ela foi pega se lembrando dele… Sasuke… Seu sorriso, seu jeito, sua mania de falar rápido quando nervoso, seu olhar com um brilho diferente que não soube decifrar pela primeira vez e muito tempo.

Talvez fosse por isso que esse Sasuke a intrigou tanto, já faz tanto tempo que tal coisa aconteceu novamente… Algo ou alguém lhe chamar a atenção a tal ponto de ter o poder de atiçar sua curiosidade e fazer as pontas de seus lados coçarem.

Seus olhos foram diretamente para a mesa no canto de seu quarto, com o notebook fechado sobre o mesmo. Ela conhecia muito bem aquela sensação, e sabia que devia parar o quanto antes mas…

Ela andou até até ao banheiro ali. Ligando a luz , ela se olhou no espelho, fixando em seus olhos, enquanto respirava profundamente.

_ Vamos lá, acalme-se, isso já aconteceu antes, você sabe como lidar com isso - disse ela para si mesma, fechando seus olhos em seguida - Concentre-se no que é real, no que vale a pena… Não se esqueça do que você é, do seu propósito, Raccoon Pine depende disso

Ela abriu seus olhos, olhando seu reflexo no espelho.

Abriu a torneira e lavou suas mãos, esfregando a ponta de seus lados sem tirá-los da água.

_… Ele não é nada… Ele não significa nada, você é uma Haruno… Não tenha sentimentos, não tenha nada - disse ela encarando seu reflexo no espelho

Em seguida uma forte dor em sua cabeça a fez desviar o olhar e, levar suas mãos testa, enquanto um leve gemido de dor escapava por seus lábios. Sentia seu coração bater forte em seu peito, e sua mente parecia perder o ‘’equilíbrio’’.

_ Q-que… Que i-sso? - perguntou-se ela assustada, voltando a olhar para seu reflexo

Um estranho e alto zumbido soou em seu ouvido, a fazendo fechar os olhos com força, sentindo o som incômodo aumentar para logo diminuir e desaparecer.

Ela abriu seus olhos lentamente, enquanto sentia a dor em sua cabeça sumir aos poucos também. Levantou seus olhos e se olhou, mais uma vez, no espelho, vendo o quanto seu peito se movimentava por causa de sua respiração rápida.

Nunca havia sentido algo igual, e isso a preocupou imediatamente, pois sua saúde era perfeita, e sempre teria que ser, era algo que estaria sempre no topo de suas regras, ou leis, pessoal.

Sakura soltou um leve suspiro, voltando a ficar inexpressiva, ela fechou a torneira, pensando que talvez, no final de tudo, Shizune poderia está certa, algo estava errado…

_ Quem diria  

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


O que acharam???
Olha, mais uma vez peço desculpas pela demora, é um pouco complicado escrever A Dama por causa do meu perfeccionismo, e isso é algo ruim pra mim pq nunca parece bom o bastante :( , sem falar que tive problemas de saúde, tive crise de asma e outras coisas que me deixaram para baixo e estressada essas semanas, e me sinto envergonhada por ter deixado tais coisas me afetarem a tal ponto de não ter conseguido att essa fanfic :/ . Mas agora estou aproveitando um tempinho aqui no trabalho e postando o cap pelo celular msm, por isso peço que relevem se tiver algum erro ai. É complicado postar cap pelo celular, principalmente para mim que não tem tal costume né.
Enfim, até a próxima

Bjs^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...