História A Dama e o Vagabundo - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Kakashi Hatake, Kankuro, Karura, Kiba Inuzuka, Kin Tsuchi, Konan, Madara Uchiha, Nagato, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Shino Aburame, Temari
Tags Gaaino
Visualizações 71
Palavras 2.679
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Hentai, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá meus chocolatinhos, estou adorando o incentivo que vocês estão me dando. E estou muito feliz com os comentários eu até pensei que ninguém gostaria de lê, e eu não sei muito bem escrever mas estou dando de tudo para que esteja agradando a vocês desculpe se estiver com alguns errinhos e porque estou ainda aprendendo e que nem aquele ditado "Agente aprende com os erros mas assim que puder eu mando para a minha irmã revisa Ok.
Ah! Me desculpem se eu demorei a postar o capítulo e que aqui aonde eu moro a Internet é muito ruim. Então se eu demorar a enviar o capítulo mil perdões. Ah! Outra coisa o primeiro capitulo que eu mandei foi sem querer e já estou resolvendo o problema. Bom sem mais delongas e vamos ao que interessa....

Capítulo 2 - Capítulo II


Gaara No Sabaku (On)

Mais uma vez estou sendo obrigado, a cobrar um idiota, que comprou a maconha e não pagou e adivinha quem meu irmão mandou ir cobrar? Eu mesmo, tantos capangas que o Kankuro tem, mas quando a coisa fica feia ele sempre me chama para resolver,  com a desculpa de que eu sou o melhor.
  A verdade e que eu não tenho paciência, com a pessoa. Se ela pensa que eu pego leve está muito enganado, se for pra matar, eu apago sem deixar rastros. Já faz meia hora que estou dentro desse carro em direção ao subúrbio do Japão, aonde a certa pessoa mora. Chego em frente a casa e estaciono o meu carro. Bato na porta e espero escorado na porta.

 - Boa noite, senhor Yakushi - comprimento seco, e vejo que ele já está nervoso.

- B-Boa n-noite, olha cara eu já falei para o seu irmão que eu vou pagar, não esquenta com isso - já estava se tremendo de medo.

- O problema meu caro e que faz mais de uma semana, que meu irmão mandou o Kakashi aqui para te cobrar, e fiquei sabendo que você deu um soco nele, sorte a sua e que ele não estava armado. - tiro minha 38 do casaco de couro que usava, apontando para ele. - Mas acontece que eu não sou o Kakashi então ou você me paga ou morre, e ai qual vai ser? - os olhos dele se arregalaram quando apontei a arma para sua cabeça.
 
- Cara, eu já falei eu vou pagar.... - solto o gatilho e vejo só o corpo escorregando, na porta.

- Eu avisei. - caminho calmamente em direção ao meu carro. Sento no Banco de couro e dou partida. 

 Acendo meu back e começo a fumar, solto a fumaça pela janela, me sinto leve quando fumo o back. Vejo que estou chegando perto de casa, e o meu "cigarro" ja estava no fim jogo o mesmo pela janela e estaciono a minha Hillux na caragem da minha mansão, quando chego no hall de entrada a minha empregada vem me receber. 

- Bom dia senhor, o seu irmão o aguarda no escritório - só entrego o meu casaco para ela, e sigo para o escritório.
 
 Passo pela porta e vejo que meu irmão ja está com a cara fechada, reviro os olhos quando vejo o seu semblante, e ele fecha a cara mais ainda. Já até sei o que o kankuro vai me dizer.

- Eu mando você ir cobrar o cara, e recebo a notícia de que ele está morto. - Bravo, fala assim que me vê adentrando.

- Você sabe que eu não tenho paciência com esses tipos de pessoa, e quando eles não colaboram, e so meter um tiro e pronto - comento como quem não quer nada.

- Não é tão simples as coisas assim Gaara, se você sair matando todas as pessoas que eu mando você ir cobrar, e matarem elas, não vão querer mais comprar com a gente, as maconha - so escuto enquanto ascendo um charuto.

- Então você deveria me mandar quando fosse uma coisa mais urgente, porque assim não vai gastar muito o meu tempo - sem expressão no rosto olho para ele.

- Ok. Gaara  vou vê o que posso fazer, ainda bem que o Kakashi estava perto do local aonde você estava. - suspira - A propósito a Temari vai chegar nesse final de semana e eu não vou poder ir busca-la. Tem como você pegar ela no aeroporto? - Droga, a minha querida irmãzinha está voltando.

- Só me diz que ela vai ficar em um hotel. Não vai dá para eu buscar ela porque tem umas coisas para resolver - na verdade eu tenho umas parada para pegar com uns cara. 
 
- Vou mandar alguém ir pega-la então, sim a Tema vai se hospedar em um hotel mas é porque ela vem com o marido dela. - me esqueci que a minha irmã tinha se casado no ano passado.

- Ok, vai ficar para o jantar? - pergunto.

- Sim! Quase me esqueci de falar que o Sasuke pediu para eu comunicar a voce que esta te chamando para o jantar de noivado dele que vai ser nesse final de semana, no sábado, e querem que a gente compareça.- dou de ombros e só confirmo com a cabeça.   O Sasuke é um moreno dos cabelos arrepiados de 1,80, tem os olhos da cor de ônix e é um cara super gente boa, nos somos amigos mas eu tinha me esquecido disso ele comentou comigo, que vai casar, o meu melhor amigo era o meu companheiro de baladas, mas depois que arranjou uma namorada deixou de ir para as boates comigo. Eu ainda vou curtir as minhas noitadas para tirar o estresse.

- Ele comentou alguma coisa comigo a respeito - falo olhando para ele. 

Depois da conversa com o Kankuro. O mesmo me pediu para dar uma passada amanhã na empresa, para conversamos sobre o assunto do Kabuto Yakushi, já que ele morreu. Resolvemos mais alguns assuntos e seguimos para a mesa de jantar.
Quando terminamos de comer ele foi embora é eu segui para o meu quarto. Entrando analiso-o e nele  tem uma cama estilo King Size com um lençol cobrindo-a, as paredes são pintadas de um cinza escuro, tem dois criados mudo dos dois lados da cama, uma escrivaninha, e um closet. 

Kankuro é um morenos dos olhos castanhos, os cabelos também são na cor castanha e tem 1,70, ele é mais baixo que eu uns 5 centímetro. 

   Me encaminho para o banheiro, entrando olho para o meu reflexo no espelho e suspiro, em seguida tiro a minha roupa e vou em direção adentro no box ligo o chuveiro e sinto o meu bem mais leve enquanto a água caia sobre o meu corpo, apoio uma mão no azulejo e encosto a minha cabeça. Meus pensamentos me levam para aquele fatídico dia, começo a socar a parede até minha mão começar a sangrar, olho para as minhas e vejo a água lavando elas, sinto prazer e adrenalina, fecho os olhos novamente e balanço a cabeça para afastar esses pensamentos, desligo o chuveiro, e pego a toalha que estava enpedurada no portal do box e me enrolo nela, saio do banheiro, e sigo para o meu closet, pego so uma calça moletom e sem cueca me visto.
  Deito na cama e cochilo no mesmo istante, sinto mãos passando pelo meu corpo.
 
- Não me larga, me tira daqui, por favor não faz isso deixa eu ir embora. - começo a gritar.

- Que isso meu amor a gente mal começou - com os meu olhos embaçado, tinha uma feminina. 
 
- Me solta sua vagabunda - grito para a pessoa que estava do meu lado, a mulher apenas sorrir, fico sem entender, tento puxar o lençol que estava do meu mas me dou conta de que meus braços e pernas estão amarrados na cama, e que estou nu. Olho para baixo onde vejo o meu membro rígido e estou queimando por dentro. Sinto ela fazendo movimentos de vai vem com o meu pênis. Começo a me debater para tentar sair dali.  

- Eu sei que você está gostando meu amor, relaxa. Agora que vem a melhor parte. - falava enquanto morava em cima de mim.

 

Acordo em um pulo todo suado, desgraçada, olho para o relógio que estava em cima do criado mudo e vejo que ainda são 2:30 da madrugada. Droga, corro para o banheiro e tomo um banho gelado, me sinto sujo depois daquele dia nunca mais consegui dormir. O único que sabe sobre esse assunto é Kankuro e Sasuke, porque foram eles que me encontram. Fico acordado até da 6:00 da manhã, como eu já tomei um banho eu só visto um terno Preto. E saio da minha mansão que fica em Minato, um bairro muito nobre aonde só moram os mais ricos do Japão. Vou em rumo a empresa que se localiza no Centro de Konoha, é um dos maiores predios do Centro, eu junto e meu irmão herdamos a empresa de nosso pai que se aposentou depois da morte de minha mãe Karura. Chego na empresa e estaciono o meu carro na vaga que tenho perto na de meu irmão.
   Chego e passo pelas portas de vidro, e sou comprimentado pela moça que fica na recepção, sigo e vou em direção ao elevador e aperto o vigesimo nono andar aonde fica a cobertura e fica a presidência.   Assim que passo vejo a Kin Tsuchi a secretária do Kankuro.

- Bom dia, o seu irmão o aguarda - diz para mim que apenas aceno com a cabeça e sigo para o escritório.

- Bom dia! Vejo que pela suas olheiras, não dormiu essa noite. - afirmo para ele que não se importou.

- Tive um pesadelo - suspiro.

- Gaara você tem que conversar com um psicólogo, para se tratar. - olho para o Kankuro com um semblante fechado.

- Vim aqui porque você queria falar comigo - mudo de assunto.

- Certo e que está chegando um carragamto de armas e como eu não vou poder ir, então você tem que estar la para receber. - responde mais sério que o normal.

 - Certo e qual é a localização? - pergunto. Mas é um saco isso mesmo.

- Te mando por mensagem o local e passo o esquema todo pra você - me responde mexendo nos papéis.

- Certo então, estou indo ja que terminamos - digo me direcionando a porta de saída.

  Assim que saio me direciono a uma lanchonete qualquer para tomar o café da manhã, ja que eu saí as pressas de casa e não deu tempo de tomar. Vejo uma lanchonete ela não é muito luxuosa mais e a que tem pra hoje, ja que estou morrendo de fome. Assim que avisto uma mesa que está do lado direito, caminho em direção a ela me sento. Quando estou tirando meu celular do bolso vejo uma bela moça, vindo em minha direção.

- B-Bom D-dia! G-Gostaria d-de f-fazer o s-seu p-pedido? - Gagueja a moça olhando para o chão.

- Bom dia! O que você me sugere? - pergunto com um sorriso de lado. 

- Eu não sei senhor. - morde os lábios nervosa, fico hipnotizado na boca dela. 

São tantas coisas que eu podia fazer com essa sua boquinha. - penso

- Mas se fosse você aqui no meu lugar pediria o quê? - fica pensativa enquanto analiso-a disfarçadamente

Ela tem cabelos loiros longos e uma franja que cobre um de seus olhos, tem seios fartos, uma bunda de dá inveja a qualquer outra mulher que olhar pra ela, tem olhos azuis o que me faz lembrar safirá, porque eu sei que ela tem olhos azuis? Porque eu só consegui ver um olho. 

- Talvez um cappuccino, e uma torta de limão - sussurra. Se eu não estivesse perto dela duvido se ouviria. 

Céus como ela é linda. Sinto minhas calças ficarem super apertadas, e minha cueca se tornar um pano incômodo, fico me perguntando como seria os gemidos da mesma na cama, me controlo para não agarrar ela bem ali e fuder com ela em cima da mesa. 

Não seria uma má ideia. - penso

- Então vou querer o que você me sugeriu - respondo encarando-a e me perco naquelas duas safiras. 

- S-so u-um i-istante q-que e-eu j-ja t-trago. - apressa-se a sair. 

Enquanto ela caminhava pude vê a bunda dela melhor e vejo que é mais maior do que eu imaginava, fico imaginando como seria comer a moça por trás, deve ser bem prazeroso e gostoso, meu membro ja está quase pulando para fora, ainda bem que o meu casaco que estou por cima e grande assim ninguém vai perceber o volume que se formou nas minhas calças. Só por causa de uma garçonete meu Deus vou enlouquecer assim, da última vez que fui em um bordel a mulher teve que rebolar até o meu amiguinho ganhar vida. 

Ela volta com o meu pedido, quando ela vai me entregar o cappuccino, vejo que está se tremendo então ajudo a bela jovem a minha frente coloca-lo na mesa e o restante das coisas. 

- É eu poderia saber qual é seu nome? - seguro ela para não cair de tão mexida que ela ficou com a minha pergunta - ela está muito nervosa e tremendo demais, a garçonete quase cai se eu não estivesse a segurado. - tento deixá-la mais a vontade, o que funcionou. 

- Ino, meu nome é Ino Yamanaka. - responde, o que me deixa muito satisfeito. Sorrio para ela é vejo ela ir atender outro cliente. 

Fico os observando de longe e vejo pelo olhar dela que ela não gostou nada do que o homem falou para a mesma. Sem ser percebido me aproximo para escutar um pouco da conversa.

- Não sei do que o senhor esta falando,    mais se me dê licença preciso ir cuidar de  meus afazeres - tenta se soltar do homem que havia a segurado pelo pulso. Fecho os olhos me segurando para não dar um soco na cara do maldito. 

- Me larga meu senhor está me machucando, e eu já falei que eu não sei aonde ele está - responde com os olhos brilhando de lágrimas mas sem deixar nenhuma cair. Tento se soltar mais uma vez e ele aperta mais, ela morde os lábios para segurar o grito. 

Chega! Cansei de ficar só os observando agora esse desgraçado vai se vê comigo - penso. 

Caminho em direção ao sujeito sem me dar conta, e dou um soco na cara do idiota que soltou os pulsos de Ino, sinto o meu sangue correndo em minhas veiás, meu coração está batendo descompassadamente. Olho para aonde a moça está e me aproximo, me abaixo para vê-la melhor encaro os olhos e vejo que ela está apavorada. 

- Desculpa eu não queria te envolver nisso - diz com a voz falha, e com mais lágrimas caindo de suas safirás. Passo a mão enxugando enquanto ela chora mais ainda. 

- Shiiiu, não precisa se desculpar você não teve culpa pelo o que houve mais a gente precisa conversar depois sobre isso. Vamos eu te levo pra casa - me levanto estendendo a mão para que ela pegue e fica de pé. 

- Eu não posso eu ainda tenho que trabalhar - fala com uma voz ainda chorosa, e se levantando sozinha. 

- Mas Ino você não está em condições de trabalhar - tento convencê-la. Mas ela apenas diz não com a cabeça. 

- Não vou com um cara estranho para minha casa, e além do mais eu nem sei se você é algum tipo de estuprador que vai me levar para algum beco ou sei lá o que, talvez um bandido foragido - nesse momento ela já tinha parado de chorar. 

- Ino eu não vou fazer nada com você, a não ser que me pessa - digo com uma voz rouca no ouvido dela. 

Depois da nossa pequena conversa tive sai e resolvi passar em casa para sair. Quando chego em casa vou direto para o meu quarto, tiro minhas roupas a pressa e adentro o box para tomar um banho gelado que é para passar esse tesão que está explodindo dentro de mim vejo que não melhorou nada. Então o jeito vai ser eu me masturbar.

Droga! Estou parecendo um adolescente com os hormônios a flor da pele - penso. 

Seguro o meu amiguinho e começo a movimentar a minha mão, imaginando a Ino junto comigo tomando um banho as gotas d'água escorrendo pelo o seu corpo escultural, aquela bunda maravilhosa. 

Cacete! Que mulher gostosa! - exclamo em pensamentos. 

Meus gemidos se tornam mais altos a cada vai e vem que eu faço, e sinto que estou chegando ao meu limite, urro e acelero mais os movimentos até que alcanço o meu clímax. Encosto a minha cabeça no azulejo. 

Caralho preciso daquela mulher, se não vou ficar louco. 



Notas Finais


Desculpem se não foi bem o que vocês queriam, e o hentai que eu tentei fazer eu acho que saiu uma Bosta juro que dá próxima vez vou fazer um melhor para vocês. Até a próxima meu chocolatinhos e mil perdões, continuem a comentar, se vocês também não tiverem gostado me avisem para corrigir e melhorar e me perdoem se estiver erros. E estou aceitando idéias se vocês quiserem compartilhar eu prometo que encaixo na fic. Ok.
BEIJOKAS E ATÉ A PRÓXIMA....


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...