1. Spirit Fanfics >
  2. A dança de um anjo (Sesshomaru x Rin) >
  3. Sorria mais uma vez

História A dança de um anjo (Sesshomaru x Rin) - Capítulo 3


Escrita por: Pine-Fanfics_OwO

Notas do Autor


Esse aqui vai ser maior, minha rapaziada, espero que apreciem, vou dar o meu melhor

O desenho foi feito por mim, o meu twitter é @WitchCat_OwO

Capítulo 3 - Sorria mais uma vez


Fanfic / Fanfiction A dança de um anjo (Sesshomaru x Rin) - Capítulo 3 - Sorria mais uma vez


Narrador POV


Apesar de dias ficando junto a pequena Rin, Inuyasha e Kagome devem ir, exterminam os yokais com seus companheiros e evitar que as forças ruins se tornem um problema no futuro, e Rin se vê com um semblante deprimido, e a sacerdotisa se agacha passando a mão em seus cabelos, e o homem com orelhas caninas se mantinha um pouco distante com as mãos juntas a frente do peito.


- Rin, não fique assim, nós vamos mas voltaremos pra ver você, traremos o Shippou pra brincar da próxima tá? -  Disse ela com uma voz tão gentil, e consolante. Entretando a pequena apenas esboçou sua tristeza assim como das inúmeras outras vezes.


- Senhorita Kagome por favor me deixe ir dessa vez, eu prometo não atrapalhar, eu faço tudo que pedir.. - As orelhas caninas pareciam ter sua atenção chamada, Inuyasha por sua vez se virou e olhou o rosto da garotinha.

- Então faça o que estou mandando e fique aqui, onde é seguro, se for conosco vai se machucar, do jeito que é uma humana inútil, tsk! - disse o hanyo visivelmente preocupado com a segurança dela, apenas demonstrando do seu jeito meio carrancudo, levando um dos seus diários socos, e brigando novamente com a senhorita.


Mas Rin mesmo com aquela tristeza pode entender a preocupação de Inuyasha, sendo criança ainda não sabia lutar, nem ao menos se defender, pensou em si mais como um peso. Olhando pra baixo com um sorriso fraco.


- Rin quando você crescer um pouco, vamos treinar você aí pode ir com a gente, o que acha? - Disse Kagome consolando a pequena que antes com semblante triste, parecia deslumbrada com a ideia quase pulando, já pensando no seu sonho.


- Eu posso ter as orelhinhas do senhor Inuyasha? Que nem no meu sonho - Ela dizia sacudindo seus bracinhos, recebendo duas mãos gentis apertando de leve suas bochechas - Claro que pode haha, agora vá Rin queremos você grande e forte pra ir conosco - A garotinha recebeu um abraço, e logo a sacerdotisa subiu nas costas o meio-yokai, e a pequena Rin acenou pra eles até que sumissem de sua vista.


(...)


Passando-se aproximadamente 2 meses desde o ocorrido do yokai de cabelos prateados, apesar de Rin dançar novamente naquele campo, não sentiu e nem viu a presença do yokai, presumiu que ele tivesse ocupado, "quem sabe na próxima?" pensou Rin.


E a sacerdotisa da vila Kaede, havia recebido uma missão em uma vila um pouco distante, e não confiava em deixar Rin sozinha, sabia como era exploradora em ambientes perigosos, e pelo tempo que ficaria lá algo podia acontecer em sua ausência, essas coisas ficaram como uma pulga em sua orelha, então pediu para que ela arrumasse suas coisas. E assim foi feito, ambas subiram em um cavalo e foram nessa viagem.


Durante quande parte da viagem Rin perguntava sobre as flores, animais, até pequenos yokais inofensivos que atravessavam o céu, e a senhora nunca se incomodava, já que durante sua vida também era como Rin e ver sua curiosidade sobre aquele vasto mundo era uma coisa tão bela aos olhos daquela senhora.


E assim que chegaram na vila após mais ou menos 3 dias de viagem, parando pra dormir e comer, e lá a pequena se deslumbrava com a beleza dos mínimos detalhes, perguntava as moças que passavam "como pode a senhorita ser tão linda?", Não perguntava por educação em si, mas realmente achava as moças daquele lugar muito belas, e até às senhores já de idade, todos aos olhos de Rin eram belos, e até os homens, não tinha pessoa que escapasse de seus elogios. Enquanto o céu migrava dos seus belos tons de amarelo pra rosa.


Logo que chegaram na casa do chefe da vila, Kaede disse a Rin que ficasse lá e fosse cuidadosa, e não falasse alto já que l motivo do chamado da sacerdotisa era pela doença forte pela qual ele estava passando, e essa noite era uma das raras que ele conseguiu dormir de verdade, então que fossem com calma, e ala acentiu com sua cabeça concordando, e ficou na área de fora olhando pra flores, balançando suas pernas.


Rin sentia pena, já que o senhor parecia sofrer com essa doença de forma grave, dava pra ouvilo respirar de forma pesada, já que sentava na frente do quarto deste senhor. E enquanto ela se distraia em seus pensamentos, algo se mexeu a seus olhos, eram um pequeno vagalume que brilhava em um tom de amarelo que lembrava um girassol só que brilhante, dava pra vê-lo já que a escuridão lentamente tomava os tons de rosa, e ele parecia querer gia-lá, já que se mexia em sua frente até que ela levantasse, e pelo caminho onde o vagalume passava um pequeno rastro de um pó brilhante era deixado. Então a pequena passou a seguir a pequena criatura.


Seus passos eram rápidos, e ela fazia perguntas mesmo sabendo que não seria respondida, até parar em meio a grandes árvores, ela olhava as pequenas frutinhas avermelhadas, ficou maravilhada, eram morangos, pegou alguns grandinhos e vermelhos, e passou a carregar enquanto andava um pouco mais, se aprofundando na vasta flores, e de trás das matas conseguia ver, era ele aquele yokai, seus olhos se travaram naquela visão, batia a dúvida era mesmo "Sesshomaru? Ele aceitaria conversar? Iria embora se ela aparecesse?".


Então viu o braço do yokai machucado, ele parecia olhar pra outro lado, e assim que deu um passo pra se aproximar ele virou veloz rosnando como uma fera, se assustou por um instante e assim que seus olhos se cruzaram ele parecia se acalmar, ele tinha uma lua crescente, e marcas em seu rosto e um tipo de maquiagem natural ambos me um tom de rosa margenta, e seu kimono que era acompanhado de uma armadura.


Rin deu os primeiros passos em direção ao yokai e usou uma folha como prato, colocando os morangos encima, e se sentou a frente do yokai, com uma sensação na sua garganta, queria muito falar mas estava nervosa.

- Eu não quero a sua comida humana, me dá nojo - Assim que ouviu sua voz parecia se hipnotizar olhando ainda mais pro yokai curiosa e calma.


- Se tem algo a dizer, diga e vá embora - Ela repensou um pouco suas palavras olhando pra baixo agora "que mal educado" pensou - O senhor por acaso se chama Sesshomaru? - O yokai não mudou sua expressão serena e acentiu com sua cabeça bem de leve.


- O senhor é o yokai que me viu dançar aquele dia? Era não era? - E a expressão do yokai finalmente mudou de leve visivelmente surpreso, mas a pequena viu os tons de rosa do céu engolidos pelo azul da noite, vendo que se perderia se não voltasse, olhou pra ele mais uma vez sorriu com um dos seus dentes faltando 

- Senhor Sesshomaru então, no final desse mês é lua cheia, que tal dançar comigo? Espero o senhor lá! - disse ela em uma voz doce e animada, e saiu correndo voltando para o ambiente.


Os morangos sumiram da pequena folha, junto do homem de cabelos prateados, seus pensamentos eram confusos mas acertivos.


“poderia sorrir, mais uma vez?"


Notas Finais


Me parece que se viram depois de um certo tempo, será que veremos cachorro dançarino? Descubra skskksk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...